1

1

Google+ Followers

terça-feira, 16 de maio de 2017

Atividades Noções

 http://algotaodoceeducacao.blogspot.com.br/2010/09/atividades-nocoes_7678.html

Matemática Divertida!! Jogo da memória: formas espaciais e planas

Matemática Divertida!!

Jogo da memória: formas espaciais e planas


DOMINÓ DA ADIÇÃO

http://algotaodoceeducacao.blogspot.com.br/2010/10/domino-da-adicao.html

LIistas de chamadas EBD...

http://algotaodoceeducacao.blogspot.com.br/2010/10/liistas-de-chamadas-ebd.html

Tabela Família Silábica

http://algotaodoceeducacao.blogspot.com.br/2010/10/tabela-familia-silabica.html

De olho na tabela!

http://algotaodoceeducacao.blogspot.com.br/2010/10/de-olho-na-tabela.html

Receitas gostosas para você reaproveitar as cascas de maçã

A casca da maçã possui muitos nutrientes importantes para nosso organismo, por isso, reaproveite-a fazendo estas receitas


Reaproveitar cascas de frutas com a maçã em receitas é uma ótima pedida, pois você evita o desperdício e aproveita fontes nutricionais importantes (que iriam para o lixo). O problema é que os agrotóxicos se acumulam em maiores quantidades justamente nas cascas. Se você optar por seguir alguma dessas receitas, dê preferência a cascas de alimentos orgânicos, que não tiveram contato com agrotóxicos.

Se não for possível e mesmo assim você quiser fazer, lave muito bem as frutas e verduras (sem sabão) antes de descascá-las e coloque-as numa solução com água, vinagre e bicarbonato de sódio por 15 a 30 minutos (veja mais em "Livre-se dos pesticidas de forma sustentável").

Agora sim podemos partir para as dicas de receitas utilizando cascas de maçã. Dê uma olhada!
Docinho de batata-doce com casca de maçã
Ingredientes:
500 gramas de batata-doce;
Casca de uma maçã;
3 colheres de sopa de açúcar;
1 ovo batido;
Gotas de baunilha a gosto;
Açúcar e canela para polvilhar;
Manteiga para untar.
Modo de fazer:
Cozinhe a batata-doce em uma panela com água por cerca de 20 minutos;
Escorra e passe o tubérculo num espremedor de batatas, em seguida coloque-a em uma panela e reserve;
Corte a casca de maçã em tirinhas finas e junte-as à batata doce;
Acrescente o açúcar, o ovo batido e a baunilha.
Leve ao fogo baixo e mexa sem parar até a massa desgrudar do fundo da panela;
Deixe esfriar e faça bolinhas com as mãos untadas;
Passe na mistura de açúcar e canela e as coloque em uma assadeira untada;
Leve ao forno médio aquecido previamente por cerca de 20 minutos.
Geleia de casca de maçã

Ingredientes:
Casca de 4 maçãs;
1/2 xícara de chá de açúcar;
2 colheres de sopa de suco de limão;
1 e 1/2 xícara de chá de água.
Modo de fazer:
Coloque as cascas de maçã em uma panela, acrescente a água e o limão e leve ao fogo;
Deixe ferver em fogo baixo com a panela tampada até as cascas ficarem macias (demora só alguns minutos);
A seguir, bata no liquidificador;
Coloque as cascas batidas em uma panela, acrescente açúcar e volte com elas para o fogo;
Deixe ferver e cozinhar;
À medida em que cozinha, uma espuma vai subindo... Tire-a com a ajuda de uma colher e jogue fora (isso deixa a geleia mais transparente);
Assim que apurar (ela muda de cor), já está pronta;
Coloque em um recipiente de vidro com tampa e leve para a geladeira. Sirva fria.
Chá de casca de maçã com canela

Ingredientes:
Cascas de duas maçãs bem lavadas;
2 pedaços de canela em pau;
6 xícaras de chá de água mineral;
Mel ou açúcar.
Modo de fazer:
Coloque as cascas de maçã e a canela em uma panela e acrescente as seis xícaras de água;
Leve ao fogo até ferver;
Assim que começar a borbulhar, retire do fogo, tampe a panela e deixe descansar em temperatura ambiente por 10 minutos;
Coe e coloque mel ou açúcar;
Você pode consumir o chá morno ou esperar esfriar.
Bolo de casca de maçã

Ingredientes:
4 ovos;
150 ml de óleo;
300 gramas de farinha de trigo;
300 gramas de açúcar mascavo;
50 gramas de canela em pó;
50 gramas de fermento em pó;
30 gramas de manteiga sem sal;
Cascas bem lavadas de 4 maçãs.
Modo de fazer:
Bata no liquidificador os ovos, o óleo e as cascas de maçã;
Junte a mistura com a farinha, o açúcar, a canela e o fermento - bata tudo no liquidificador;
Unte uma forma com manteiga e uma pitada do açúcar misturado com canela em pó;
Coloque a mistura na forma e leve ao forno por 30 minutos.
Chips de maçã

Ingredientes:
2 maçãs;
suco de limão.
Modo de fazer:
Lave as maçãs. Se forem orgânicas, deixe as cascas;
Corte em fatias finas, regue com suco de limão e deixe escorrer o suco;
Disponha as fatias de maçã em uma assadeira, de preferência de vidro;
Cozinhe-as por cerca de uma hora e meia a 130°C.
Conheça quais alimentos você deve consumir para tratar a labirintite e quais você deve evitar ao máximo


A labirintite é uma inflamação no ouvido interno, conhecido como labirinto, que pode comprometer tanto o equilíbrio como a audição. Normalmente se manifesta em pessoas de 40 a 50 anos e, se não for tratada corretamente, o problema poderá ficar mais grave. O tratamento é feito sob prescrição médica e costuma ter como base medicamentos como antibióticos e anti-inflamatórios, mas você também pode consumir alimentos que ajudam no tratamento e evitar certos tipos de alimentos que pioram a labirintite. Veja a nossa listinha:
Alimentos que ajudam no tratamento

Os alimentos ricos em ômega 3 são ótimos para combater a labirintite, como o salmão, a sardinha e as sementes de chia, pois funcionam como anti-inflamatórios;
Legumes, frutas, verduras e cereais integrais fortalecem o organismo.
Alimentos que devem ser evitados

Balas, chocolates, bolos, biscoitos recheados, sorvetes, doces e outros alimentos ricos em açúcar;
Bebidas estimulantes, como o café, refrigerantes de cola e o chá mate;
Bebidas alcoólicas;
Bebidas açucaradas, como refrigerantes e sucos (principalmente industrializados);
Frituras, embutidos e outros alimentos ricos em gorduras;
Evitar usar sal para temperar alimentos.
Dicas

Em vez de usar sal para temperar alimentos, pois piora a inflamação do ouvido, você pode utilizar ervas aromáticas como o alecrim e o orégano. Também é recomendado comer de três em três horas e tomar de 1,5 a 2 litros de água por dia.
Fontes: DiVertigo, Vida Funcional
A graviola possui diversos benefícios que auxiliam na manutenção de uma vida mais saudável

"Soursop fruit on the tree" por Tatters ❀ está licenciado sob CC BY 2.0

A graviola é uma planta de clima tropical da família das anonáceas, proveniente da região amazônica e muito encontrada no Norte e Nordeste do país. Ela possui uma casca verde com espinhos protuberantes por fora, e uma polpa clara e macia por dentro. Muito se fala sobre os benefícios da graviola para a saúde, principalmente na prevenção do câncer.
Propriedades

Na polpa está concentrada grande parte dos nutrientes da graviola. A partir da polpa é possível fazer sucos, batidas, sorvetes e outras sobremesas deliciosas, já que a fruta possui um sabor doce e levemente ácido.

Nela podem ser encontradas vitaminas do complexo B, importantes na manutenção do metabolismo e nervos; saponinas, que agem no controle do colesterol e no ganho de massa muscular; flavonoides, já muito conhecidos por suas ações anti-inflamatórias, antivirais, antimicrobianas e antioxidantes; e sais minerais como o cálcio, magnésio e potássio, que auxiliam no controle da pressão arterial, na saúde dos ossos e no controle da contração muscular, sendo muito bom para evitar câimbras.
Advertências

O consumo de graviola não é recomendado para hipotensos (quem sofre de pressão baixa) e para pessoas com insuficiência renal (devido à quantidade considerável de potássio presente). Diabéticos devem consumi-la com moderação, já que a fruta é rica em açúcares naturais.
A graviola e o combate ao câncer

Existem estudos sobre os efeitos da graviola na prevenção de câncer. Um trabalho da Universidade Patos de Minas, que estudou as propriedades da graviola em tumores de drosófilas, concluiu que ela não é efetiva na prevenção do câncer devido à citotoxicidade da fruta. No entanto, poderia ser utilizada como complemento no tratamento da doença já estabelecida. Segundo a autora e seu orientador, suas propriedades antimicrobianas possuem inibidores de crescimento utilizados em tratamentos quimioterápicos. No entanto, não existem conclusões concretas com relação ao seu uso no combate à doença, já que não foram realizados testes em seres humanos.
Suco de graviola

O suco de graviola é muito popular devido ao seu caráter refrescante e sabor agridoce. Para fazê-lo é muito fácil.
Você vai precisar de:
Uma graviola;
Água;
Peneira;
Liquidificador;
Açúcar (opcional).
Modo de preparo:
Descasque a graviola e coloque a polpa no liquidificador;
Cubra de água. A quantidade de água vai depender da quantidade de polpa. O ideal é adicionar até atingir a textura desejada;
Não é preciso bater por muito tempo, já que o fruto é bem macio;
Peneirar o líquido e remover as sementes;
Açúcar à gosto.

Adicionar limão e gel o pode deixar o suco mais refrescante. E se você preferir bater a polpa com leite também é uma opção deliciosa. 

Sementes de girassol: descubra os benefícios de adicioná-las à dieta


Descubra os benefícios das sementes de girassol, que podem ser muito benéficas para o nosso organismo


Além de serem baratas e encontradas com relativa facilidade em mercados, as sementes de girassol são ricas em nutrientes que fazem bem para o nosso organismo. Confira na lista abaixo os benefícios das sementes de girassol:
Aliviam o estresse:

Por conterem magnésio, as sementes de girassol acalmam, aliviam estresse e enxaquecas. As sementes também contêm triptofano e colina, que ajudam no combate à ansiedade e à depressão; a colina também melhora a função cerebral e auxilia a memória.
Combatem o câncer:

As sementes de girassol têm selênio que previnem câncer, aumentando a reparação do DNA e impedindo a multiplicação de células cancerosas. O óleo de girassol também é rico em carotenoides que ajudam no controle de danos celulares, evitando o risco de desenvolvimento de cânceres de pulmão, de pele e de útero.
Reduzem o risco de infecções em bebês:

As sementes de girassol reduzem o risco de infecção em lactantes e previnem distúrbios como o parto prematuro e baixo peso ao nascer. Bebês prematuros têm mais chances de desenvolverem infecções por conta de seus órgãos subdesenvolvidos.
Previnem o envelhecimento precoce:

A vitamina E presente nas sementes de girassol ajuda na prevenção dos danos dos radicais livres à pele e danos causados pelo sol; previne também as cicatrizes e aparência de rugas. O betacaroteno presente nas sementes de girassol torna a pele menos sensível ao sol e outros oxidantes presentes protegem a pele de danos ambientais, evitando sinais de envelhecimento.
Têm propriedade hidratante:

O óleo de semente de girassol age como hidratante.
Previnem a perda de cabelo:

As sementes de girassol contêm vitamina B6, que previne a perda de cabelo, pois aumenta o suprimento de oxigênio para o couro cabeludo.
Estimulam o crescimento de cabelo:

Por conterem zinco, as sementes de girassol promovem o crescimento do cabelo. A vitamina E também estimula o crescimento do cabelo pois aumenta a circulação sanguínea para o couro cabeludo, porém deve ser consumida com moderação (excesso de zinco e vitamina E pode causar perda de cabelo).
Hidratam o cabelo:

O óleo de semente de girassol possui ácidos graxos ômega 6 que evitam o desgaste do cabelo, sendo um hidratante natural.
Protegem a pele:

A vitamina E presente nas sementes de girassol ajudam a proteger a pele dos raios ultravioletas prejudiciais e proporciona uma pele brilhante e jovem.
Ajudam na manutenção da pele:

O cobre presente nas sementes de girassol mantêm a pele saudável e a protege contra os raios ultravioletas.
Combatem acne e problemas de pele:

O óleo de semente de girassol possui ácidos graxos essenciais, como os ácidos linoleico, palmítico, esteárico e oleico, estimulando a formação de colágeno e elastina e tornando a pele macia e suave. Os ácidos graxos têm propriedades antibacterianas que protegem a pele de bactérias, reduzindo a acne. O óleo de semente de girassol pode aliviar eczemas e dermatite, protege também a pele de bebês nascidos prematuramente, reduzindo os riscos de infecção de pele.
Previnem danos de radicais livres:

A vitamina E presente nas sementes de girassol é um antioxidante solúvel em gordura que neutraliza os radicais livres e os impede de danificarem as células cerebrais, as membranas celulares e o colesterol - ajuda também a manter a circulação sanguínea e a produção de glóbulos vermelhos.
Promovem a formação de células:

O girassol contém ácido fólico, essencial para a produção de um novo DNA, que é necessário para a formação de novas células. O óleo e a semente de girassol são muito recomendados para o consumo das mulheres grávidas por este motivo.
Previnem a artrite:

O óleo de semente de girassol reduz os sintomas da artrite, além de prevenir e ajudar no tratamento da artrite reumatoide.
Previnem a asma:

A semente de girassol ajuda a prevenir a asma e sintomas relacionados.
Previnem a catarata:

Por ser rica em carotenoides, a semente de girassol ajuda na prevenção de cataratas. O óleo contém vitamina A, que ajuda na saúde ocular.
Previnem a osteoporose:

As sementes de girassol contêm proteínas que ajudam na reparação do tecido muscular e auxiliam em várias funções enzimáticas do corpo. A proteína também é essencial para o desenvolvimento ósseo e, por conta disso, previne a osteoporose, ajudando no desenvolvimento adequado da matriz óssea, auxiliando na força óssea.
Ajudam na digestão:

Por conter um alto teor de fibras dietéticas, a semente crua de girassol pode ajudar na digestão e curar a constipação.
Previnem doenças cardiovasculares:

A vitamina C, presente nas sementes de girassol, ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares e a vitamina E impede que os radicais livres oxidem o colesterol. Se oxidado, o colesterol adere às paredes dos vasos sanguíneos e provoca aterosclerose, que pode levar a ataques cardíacos, artérias bloqueadas ou AVC.
Reduzem o colesterol:

A semente de girassol tem um alto teor de fitoesteróis, fibras ou compostos que reduzem o colesterol.
Aliviam a congestão no peito:

A semente de girassol serve como remédio natural para ter alívio da congestão do peito.
Produzem energia:

As sementes de girassol contêm a vitamina B1, que estimula os catalisadores celulares ou enzimas para reações químicas, sendo requerido pelo corpo para derivar energia dos alimentos. Os girassóis contêm cobre, que ajudam na produção de energia a nível celular.
Mantêm o sistema imunológico saudável:

Por conter zinco, as sementes de girassol ajudam a manter o sistema imunológico saudável, sendo úteis também na cicatrização de feridas, além de manterem afiados os sentidos olfativo ou degustativo.
Mantêm o sistema digestivo saudável:

A semente de girassol contém vitaminas B, que são essenciais para um sistema digestivo saudável e para a produção de energia.
Relaxam os nervos:

Por conter magnésio, as sementes de girassol fazem com que nossos nervos fiquem relaxados.
São fontes de antioxidantes:

Antioxidantes como o selênio e a vitamina E estão presentes na semente de girassol - eles impedem ou limitam o dano oxidativo às células, protegendo de doenças como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares.
 
Fontes:

Castanha-de-caju: propriedades, benefícios e riscos

Conheça as propriedades e benefícios da castanha-de-caju



Imagem: Pixabay / CC0


O cajueiro é uma árvore originária do Nordeste brasileiro que pode chegar a ter dez metros de altura. Ela produz um fruto (a castanha-de-caju) e um pseudofruto muito conhecido (o caju). Tanto o caju quanto a castanha-de-caju contêm diversas propriedades que oferecem diversos benefícios à saúde. Como mencionamos na matéria "Veja os benefícios que as deliciosas oleaginosas podem proporcionar", as oleaginosas podem ser pequenas, mas carregam dentro de si diversos nutrientes benéficos. A castanha-de-caju é uma delas. Conheça-a mais de perto.

Propriedades
Gorduras Insaturadas

Por ser uma oleaginosa, a castanha-de-caju possui possui gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, elas são conhecidas por ajudar a controlar os níveis de colesterol, reduzindo o LDL (colesterol ruim) e aumentando o HDL (colesterol bom). Além disso, as gorduras insaturadas são capazes de reduzir os triglicérides no corpo, estes são as gorduras presentes no corpo usadas para fornecer energia; quando em excesso, elas são armazenadas no tecido adiposo como reserva energética e se transformam nas conhecidas "gordurinhas". Por reduzirem os triglicérides e controlarem o colesterol, eles ajudam a melhorar a saúde do coração e a circulação sanguínea. Para entender melhor a gordura insaturada, confira a matéria "Gorduras saturada, insaturada e trans: quais as diferenças e riscos?".
Sais minerais

A castanha-de-caju possui muitos sais minerais essenciais, entre eles:
Cobre: está ligado a diversas funções do corpo. Junto com o ferro, ajuda na produção de hemoglobina e no transporte de oxigênio; auxilia a manter a saúde dos ossos, vasos sanguíneos e sistema imunológico;
Cálcio: um dos mais importantes minerais no corpo humano, ele ajuda a manter a saúde dos ossos e dentes, além de auxiliar em funções neuromusculares junto com o potássio e magnésio;
Magnésio: está presente em mais de 300 reações bioquímicas do corpo. Ajuda na manutenção das funções neuromusculares, no sistema imunológico, na produção de energia e proteína. Para saber mais, veja a matéria "Conheça a importância da ingestão de alimentos ricos em magnésio";
Ferro: essencial na produção de hemoglobina e auxilia no transporte de oxigênio;
Fósforo: sua principal função é a formação óssea. Tem um papel importante na maneira como o corpo usa carboidratos e gorduras, e auxilia no processo de produção de energia.
Potássio: é um tipo de eletrólito que auxilia a regular a quantidade de líquidos no corpo, além de ser importante para o crescimento do corpo, dos músculo e na quebra de carboidratos.
Zinco: é necessário no funcionamento do sistema imunológico. Importante na divisão e crescimento celular, na cicatrização de feridas e na quebra de carboidratos.
Vitaminas
Vitamina C: usada na produção de pele, tendões, ligamentos e vasos sanguíneos. cicatrização, reparação e manutenção de cartilagem e auxilia na absorção de ferro. Além disso, é um antioxidante;
Vitaminas do complexo B (B1,B2,B3,B6 e B9): auxiliam na produção de energia, na função cardiovascular e no sistema nervoso. Têm papel importante na manutenção de pele, sistema digestivo e função cerebral saudável, além de fazer a síntese de anticorpos;
Vitamina E: é um antioxidante, mantém o sistema imunológico forte contra vírus e bactérias. Auxilia o corpo no uso da vitamina K.
Vitamina K: tem ação anti-hemorrágica. Muitos recém-nascidos possuem pouca vitamina e recebem uma injeção dessa vitamina ao nascer. Aqueles com pouca vitamina K no corpo podem sangrar demais.
Benefícios

Em suma, a castanha-de-caju possui antioxidantes, substâncias que combatem os radicais livres que, quando em excesso, podem oxidar células saudáveis (para saber mais sobre antioxidantes, confira a matéria "O que são antioxidantes? Veja quais alimentos são ricos nessas substâncias e entenda por que é importante consumi-los").

Além disso, possui substâncias que proporcionam benefícios, como facilitação do transporte de oxigênio e nutrientes; melhora da saúde do coração e dos ossos, redução do colesterol ruim e aumento do colesterol bom, melhora do sistema imunológico, de funções neuromusculares e aumento de energia.
Cuidados

Certifique-se de que a castanha-de-caju que você for consumir não esteja crua ou mal torrada! Ela, no estado citado, pode ser tóxica devido a presença de urushiol, uma substância que, em pequenas concentrações, pode gerar inflamações na pele, mas em concentrações mais altas pode ser letal.