1

1

Google+ Followers

quinta-feira, 23 de março de 2017

Atividades de Ordem Crescente e Decrescente






Deixar o carregador do celular na tomada pode incendiar a minha casa?

Vamos ser sinceros: você se preocupa em retirar o carregador do celular da tomada após a carga ser completa? Vira e mexe o boato de que um carregador deixado largado em uma tomada causou incêndio em uma residência pinta no WhatsApp. Isso é uma realidade ou paranoia exagerada?


O UOL Tecnologia consultou dois especialistas para entender melhor a questão. A resposta não é definitiva. Na verdade, dependerá muito do carregador que você usa no seu celular – o ideal é sempre optar por originais ou ao menos homologados pela Anatel.


"A história é mais boato. Isso pode acontecer se for carregador pirata. O carregador original só fornece energia se está conectado [ao celular], os outros não têm nenhuma proteção", diz João Carlos Lopes Fernandes, professor de engenharia elétrica e de computação do Instituto Mauá de Tecnologia


Ele diz que os carregadores piratas são perigosos até se há pessoas na residência e que esse tipo de problema é "mais comum do que o normal".


Em suma, alguns desses carregadores não entendem que não há um dispositivo conectado e continuam consumindo corrente elétrica – algo que não ocorre nos originais, a não ser que haja uma luz LED no carregador.


Rede elétrica da sua casa também pode ser vilã
Antonio Carlos Gianoto, professor do departamento de engenharia elétrica da FEI, também acha que é boato a história de que um carregador original pode incendiar sua casa. Ele alerta, no entanto, contra possíveis problemas na rede elétrica da casa que possam ocasionar incêndios.


"Precisa ver as condições, tem muita residência detonada. Mas a chance de entrar em curto é pequena. O carregador ligado na tomada sem celular conectado é como se você tivesse um interruptor sem a lâmpada. Não vai haver consumo de corrente. Se houver, não foi ele que provocou. Uma oscilação na rede elétrica é mais provável", afirma.


Original ou pirata? Deixe sempre fora da tomada
Mesmo com a probabilidade pequena de acidentes ocorrerem com carregadores originais, a dica dos dois especialistas é a mesma: sempre retire o carregador da tomada após encerado o uso. Isso vale tanto para o risco de um raio atingir a rede elétrica da casa e gerar um curto como por uma precaução mesmo.


"O recomendado é mesmo sendo original deixar fora da tomada. E evitar o máximo os carregadores piratas. Isso é risco de vida, risco de perder o aparelho. Aquele de carro pode até complicar a parte elétrica do carro. A cara dele pode ser igual, mas o que ele faz não é", avisa o professor João Carlos.


A gente sabe que o preço dos carregadores originais é absurdo e até já comentamos sobre isso. Mas às vezes vale investir um pouco mais em prol de sua segurança.


Fonte: UOL

Anvisa proíbe venda de paçoca por alto teor de substância cancerígena

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou nesta segunda-feira, 20, um lote de paçoca rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia (GO). Os produtos interditados excediam o limite permitido de aflatoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos que podem causar câncer.

Segundo a resolução, o lote 0027, fabricado em 18 de novembro do ano passado, com validade até 18 de novembro deste ano, estava impróprio para o consumo. O alimento é distribuído pela Indústria e Logística Westhonklauss Constante Ltda.

O laudo do Laboratório de Análise Micotoxicológicas, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, atestou teores de aflatoxinas acima do limite máximo tolerado para amendoim com casca, descascado, cru ou tostado, pasta de amendoim ou manteiga de amendoim.

A interdição vale para todo o território nacional.

Por e-mail, a empresa disse que recebeu com surpresa a informação de que um dos produtos da Dicel está fora de conformidade e que não foi notificada pela Anvisa. A Dicel informa, ainda, que prima pela qualidade de sua linha de produtos e que seguirá as devidas orientações da Anvisa.


Fonte: Estadão

Limão ajuda a emagrecer? Veja mitos e verdades

Você já deve ter ouvido falar ou mesmo feito a famosa dieta do limão para perder alguns quilinhos. Apesar de bastante difundidos, os métodos que envolvem o consumo da fruta --seja tomar o suco em jejum, antes das refeições ou ir aumentando a quantidade ao longo dos dias-- não são eficazes para a perda de peso.


Entretanto, incluir o limão no hábito alimentar --associado a uma alimentação equilibrada e exercício físico-- traz outras vantagens para a saúde, mas que nada tem a ver com emagrecimento.


A seguir, veja mitos e verdades sobre os benefícios da fruta:


Desintoxica o organismo
Mito. O limão possui antioxidantes, mas isso não significa que sua ingestão irá desintoxicar o corpo. De acordo com Carina Müller, nutricionista e chef de cozinha, isso quer dizer que ele evita a oxidação, quando um radical livre --substâncias geradas pelo próprio organismo-- agride células e tecidos, causando o envelhecimento celular.


Fortalece o sistema imunológico
Verdade. A fruta é rica em vitamina C, que atua diretamente no sistema imunológico. Desta forma, consumir a fruta auxilia na prevenção de doenças oportunas, como os resfriados. Para conseguir tal benefício, Anita Sanchs, nutricionista e professora da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, reforça que o limão deve ser espremido e consumido em seguida. "Como a vitamina C é sensível à luz, após meia hora o suco perde os benefícios desse nutriente."

Com água morna auxilia o emagrecimento
Mito. O único benefício de consumi-lo com água morna, segundo Carina Müller, é que a mistura terá uma absorção mais rápida por estar na mesma temperatura do organismo.

Ajuda na digestão
Verdade. O limão é um alimento rico em ácido cítrico e, ao ser consumido em jejum, estimula a produção de fluidos digestivos oriundos do estômago, fígado e pâncreas. "Quando incluído na rotina, o limão ajuda a amenizar sintomas da má digestão, empachamento e azia, por exemplo", afirma Carina Müller.

Combate a absorção de gordura
Mito. As pessoas têm a falsa ideia de que frutas cítricas, como limão e abacaxi, agem como "detergentes" na gordura consumida. De acordo com os especialistas, consumi-lo pela manhã deixa o organismo preparado para uma melhor digestão, como dito no item anterior, mas não quebra a absorção da gordura.

Agrava problemas gastrointestinais
Mito. De acordo com Ricardo Zanuto, nutricionista e educador físico, existe associação do limão, por ser uma fruta ácida, a problemas como gastrite e úlcera, por exemplo, mas isso não é verdade. "Ao entrar em nosso corpo, o pH muda e ele passa a ser alcalinizante, o oposto de ácido. Em vários casos, isso pode até ser benéfico para condições gástricas". No entanto, Zanuto diz que as pessoas que apresentam sensibilidade à ingestão de frutas ácidas devem consultar o médico para evitar riscos.


É benéfico para a dieta
Verdade. Embora não atue diretamente na perda de peso, consumir o limão é uma boa alternativa por se tratar de uma fruta de baixíssimo valor calórico. Os especialistas entrevistados pelo UOL, entretanto, fazem a ressalva de que nada em excesso é saudável. Por isso, não substitua nenhuma refeição pelo consumo abusivo da fruta. "Substituir bebidas açucaradas por suco de limão sem açúcar é uma opção nutritiva para ser integrada à dieta", afirma Ricardo Zanuto. Além disso, o especialista dá a dica de trocar o sal pelo limão como tempero. "Três colheres de sopa de suco de limão possuem apenas 11 calorias".


Evita retenção de líquido
Verdade. Associado à ingestão de água, o limão, que é rico em potássio, ajuda a manter o equilíbrio líquido corporal. Desta forma, também ajuda a eliminar mais facilmente a urina, o que reflete o bom funcionamento dos rins. "Ter sódio em excesso e potássio em deficiência no organismo causa retenção hídrica e problemas de circulação", explica Carina Müller.


Fonte: UOL

Governo volta atrás e reforma da Previdência excluirá servidor estadual e municipal

Os únicos servidores públicos afetadas pela proposta de reforma da Previdência serão os servidores federais. O presidente Michel Temer anunciou ao lado de líderes no Congresso que servidores de Estados e municípios ficarão fora da reforma.

Temer afirmou que tomou a decisão após recentes reuniões e que a medida foi tomada, segundo ele, em respeito ao pacto federativo. O presidente disse que mudanças para os servidores de Estados e municípios dependerão das manifestações dos governos e dos Legislativos locais.

A medida deve reduzir a pressão de professores e policiais contra a reforma da Previdência, duas categorias que vinham se posicionando publicamente contra a reforma.

Na semana passada, Temer já dava sinais de que admitiria mudar o conteúdo da reforma. “Haverá propostas de modificação num ou noutro ponto, é muito provável. […] O que não podemos é quebrar a espinha dorsal da (reforma da) Previdência.”


Para facilitar a aprovação da reforma da Previdência no Congresso, o governo articula a redação de um relatório de consenso entre deputados e senadores e deve anunciar ainda nesta semana “ajustes” à proposta enviada ao Legislativo, disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).


O Planalto entende que a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência terá impactos imediatos na recuperação econômica. A estratégia do relatório conjunto foi acertada em reunião nesta terça-feira no Palácio entre Temer e líderes nas duas Casas. “O dogma não é que nada pode ser mudado. O dogma é sair um texto equilibrado”, disse Jucá. “O restante sai no ‘relatório da consolidação’. Temos que anunciar algumas coisas até o final da semana.”


Segundo ele, o governo avalia quais pontos poderiam ser “ajustados” no texto da proposta, caso da contribuição de trabalhadores rurais, classificado pelo senador como um dos “calcanhares de Aquiles” da reforma.


O líder sugere que seja adotado um valor fixo de contribuição, algo mais simplificado do que estabelecer a cobrança por meio de porcentagem. A questão, porém, ainda não está fechada. Jucá também defende que seja mantida a idade mínima para a aposentadoria de homens e mulheres aos 65 anos.


O senador avalia ainda que é natural haver embate político sobre o tema, principalmente com a oposição, e promete rebater os argumentos contrários lembrando que mesmo a ex-presidente Dilma Rousseff chegou a se posicionar favorável a alterações na Previdência.


Defendeu, no entanto, que a base governista se empenhe na aprovação da proposta, de forma a melhorar o ambiente econômico, o que beneficiaria o clima político em geral. “A base será fortalecida se a economia mostrar resultados”, disse.


Fonte: Veja.com (Com Reuters)

Senado cria CPI para investigar desvios na Previdência Social

Com 61 assinaturas de senadores, segundo a Secretaria-Geral da Mesa Diretora do Senado, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com a finalidade de investigar eventuais fraudes e desvios de verba na Previdência Social foi criada nesta quarta-feira (22).


De acordo com o regimento do Senado, são necessárias pelo menos 27 assinaturas para criar uma CPI - o documento obteve 61. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), leu na sessão desta terça (21) o requerimento do senador Paulo Paim (PT-RS), com 58 assinaturas. A leitura em plenário é etapa obrigatória para criar a comissão.


Os senadores signatários tinham até meia-noite para retirar ou incluir assinaturas de apoio ao pedido. Como nenhum parlamentar retirou a assinatura do documento até o prazo limite, a CPI foi criada. Outros três parlamentares também assinaram o requerimento.


O próximo passo para que a CPI possa ser instalada e começar a entrar em funcionamento é a indicação, por parte dos líderes partidários, dos parlamentares que vão integrar a comissão.


De acordo com Paim, o objetivo da CPI é “combater a fraude, a sonegação e a corrupção” na Previdência Social. Além disso, o parlamentar espera que a CPI possa “provar para o Brasil, que a Previdência é superavitária”.


CPI
A CPI terá 7 senadores titulares e cinco suplentes e deverá concluir os trabalhos em um prazo de 120 dias após a instalação. O prazo pode ser prorrogado por mais 60 dias, caso o plenário do Senado aprove a prorrogação.


CPIs têm poderes de investigação equiparados aos das autoridades judiciais, como determinar diligências, quebrar sigilos, ouvir indiciados e inquirir testemunhas.


Além disso, as CPIs podem convocar autoridades a participarem de audiências. A comissão pode também sugerir a abertura de inquéritos.


Reforma
O pedido de criação da CPI da Previdência acontece no momento em que a Câmara dos Deputados analisa uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para mudar as regras previdenciárias.


Entre as mudanças, a PEC estabelece idade mínima de 65 anos para que um trabalhador, independente do sexo, possa se aposentar e tempo mínimo de contribuição de 49 anos para que a pessoa possa receber o benefício integral.


Fonte: G1