1

1

Google+ Followers

domingo, 29 de janeiro de 2017

Atividade e física e alimentação, as melhores armas contra a obesidade

Por Danilo Meira

Uma das grandes preocupações da humanidade é quanto ao combate à obesidade. Não raro, pessoas tentam métodos “mirabolantes” para entrar em forma. Mas, é sabido, não há nada melhor do que fazer exercícios, que trazem ganhos não só para a qualidade de vida, mas para a saúde da pessoa como um todo.

“É importante tratar as crianças hoje, para não deixá-las serem adultos obesos e com problemas” Helio

Sobre isso, conversamos com o professor Hélio, da academia Start & Walk, que é especializado na área da saúde, mais especificamente em obesidade e emagrecimento. “A obesidade hoje é um caos na área da saúde”, explicou o professor, antes de ressaltar que já há crianças hoje que estão com hipertensão mesmo tendo apenas seis anos de idade. “É importante tratar as crianças hoje, para não deixá-las serem adultos obesos e com problemas”, completou. Além disso, há a carga genética: “pais gordos têm 80% de chance de filhos gordos. Se um dos dois for obeso, esse índice é de 50%”.

Hélio afirma que é preferível fazer a prevenção a ter que tomar medidas mais drásticas no futuro, como a execução de cirurgias bariátricas, que causam muitos problemas pós-cirúrgicos: “conheço pessoas de um grupo no Hospital das Clínicas que estão até mais obesas do que antes da cirurgia”, explicou. Outro problema também está nos medicamentos: “Não adianta tomar remédios para emagrecer sem saber a conseqüência que eles podem trazer. E outra: eles só funcionam enquanto estão sendo tomados. Depois que se para, acaba engordando-se mais do que antes do uso”.

Por isso, é fundamental a alimentação balanceada: “as pessoas comem muito e sem qualidade e, por isso, se tornam obesas e acabam por ter problemas de saúde”. Aliás, diga-se de passagem, comer pouco também não é saudável: “pelo contrário, o corpo é preparado para absorver gordura, mesmo com pouca alimentação”, explica.

Hélio ressalta que hoje a busca por resultados imediatos é prejudicial: “as pessoas não se preocupam com a qualidade de vida e sim com a estética”. Isso posto, é seguro dizer que não há milagres, mas sim a combinação de trabalho, paciência e alimentação adequada: “não se pode esquecer que temos órgãos no corpo que só ficarão saudáveis com atividade física”, ressaltou.

Poder Público – Para Hélio, é importante educar as pessoas, desde a infância a respeito da boa alimentação. “apesar da maioria das escolas terem nutricionistas, falta verificar a questão da quantidade. A criança toma café em casa, 9h tem uma refeição na escola e meio dia almoça. Sempre em grande quantidade. Não há orientação correta”. Ele ressalta a importância da existência de campanhas de incentivo à boa alimentação e contra o sedentarismo. “Hoje, a OMS fala que para deixar essa condição é necessária a prática de atividades físicas ao menos cinco vezes por semana”.

Para isso, como candidato a vereador, pretende lutar por saúde e qualidade de vida para a população: “uma luta minha é oferecer opções esportivas nos bairros com professores orientando para a execução correta dos exercícios. Colocar academias ao ar livre, sem orientação é temerário. O índice de acidentes em pessoas que fazem exercícios sem orientação é grande. Sem contar que é preciso manutenção adequada”, explicou. “Também quero lutar por mais incentivo ao esporte, especialmente o amador”.

Cerca de 30% dos brasileiros têm mau hálito

De acordo com Associação Brasileira de Halitose (ABHA), cerca de 30% da população brasileira, aproximadamente 50 milhões de pessoas têm Halitose, o popular mau hálito.

Entre outras causas da halitose, estão a TPM e a prisão de ventre

Trata-se da liberação de odores desagradáveis pela boca ou pela respiração. Apesar de ser considerado uma doença pode mostrar que há algo de errado no organismo.

A Halitose crônica geralmente é causada pela doença periodontal, resultado da má higienização bucal. A falta de higiene pode acumular placas bacterianas nos dentes, amígdalas, gengivas e na língua, causando sangramento, gengivite e periodontite.

“Para evitar problema bucal, o ideal é ter uma boa escovação nos dentes, gengiva e língua pelo menos três vezes ao dia, além de utilizar o fio dental. A visita regular ao dentista também é fundamental nesses casos, principalmente se o paciente tiver problemas com caries”, explica o Dr Edson Takashi Ohmori, cirurgião destista.

Muitas pessoas não sabem, mas entre outras causas da halitose, estão a TPM e a prisão de ventre. A tensão emocional causada no período pré-menstrual pode provocar diminuição da salivação e aumentar a saburra lingual ocasionando o mau hálito.
Alguns os alimentos também podem ser os vilões da chamada halitose transitória, aquela que se manifesta de repente e desaparece pouco tempo depois, como cebola e alho. Mas por outro lado outros alimentos, aliados a ações saudáveis, podem ajudar a combater a halitose. Os principais, que diminuem e evitam a halitose, são os que ajudam o sistema digestivo e que têm poder adstringente.

“Não podemos esquecer que existem outros problemas que causam o mau hálito, então se você costuma cuidar bem da sua higiene bucal, visitar regularmente o dentista e mesmo assim o problema persiste pode ser algo ligado a alimentação ou estomago, nesses casos deve-se procurar imediatamente a orientação de outro especialista”, ressalta Ohmori.
Avisar alguém que está com mau hálito é uma das situações mais constrangedoras que existe. Para ajudar nesta tarefa meio ingrata, a ABHA criou o serviço “SOS Mau Hálito”, que avisa, por meio de e-mail ou carta, quem possivelmente está com o problema sem revelar quem mandou a informação.

Por Carla Legner

Gordura Masculina X Feminina

Existe diferença entre o acúmulo de gordura no corpo do homem e no da mulher? Essa dúvida é muito comum entre os profissionais da área de estética e até mesmo entre os clientes. E a verdade é que, por ser determinada por fatores genéticos, ambientais e até mesmo sexuais, devido à ação dos hormônios, pode-se afirmar que existe sim distinção entre a gordura corporal masculina e feminina.

O acúmulo de gordura depende do biótipo de cada indivíduo

Dessa forma, a distribuição e a concentração do excesso de gordura determinam as características da composição física entre os diferentes sexos, sendo o tipo ginoide (formato pêra) mais encontrado entre as mulheres e o tipo androide (formato maçã) mais comum nos homens.

A ação dos estrogênios é responsável por algumas características do biotipo ginoide, fazendo com que a gordura se deposite principalmente na metade inferior do corpo, nos glúteos, coxa e quadril, sendo comum também a presença de FEG (Fibro Edema Ginoide), popularmente conhecida como celulite. Por fatores intrínsecos ao organismo, essas regiões acumulam gordura com mais facilidade do que perdem, por isso é considerada mais resistente. Para combatê-la, é preciso evitar períodos de jejum prolongado, bem como preferir alimentos com baixo índice de açúcar, pois sua alta concentração no sangue pré-dispõe a adiposidade na coxa, por exemplo.

Já a ação da testosterona e dos corticóides faz com que o corpo masculino tenha maior probabilidade de armazenar gordura na região central, como abdômen, cintura, tronco e pescoço, ou seja, o biótipo andróide. A localização desse tipo de gordura também é comum na mulher acima dos 40 anos, principalmente após a menopausa, justamente porque nesse período há uma redução na produção de estrogênio, podendo fazer com que o acúmulo de gordura até então comum nos glúteos, coxas e quadril migre para a cintura, interferindo na quantidade de gordura abdominal.

O trabalho estético na eliminação desse tipo de gordura teoricamente pode ser considerado mais simples e rápido, desde que aliado a cuidados como menor consumo de bebida alcoólica, que interfere no acúmulo de gordura nesse região, e evitar jejum por longo tempo, fator que afeta a redução de gordura, além de investir em atividades físicas, para elevar o gasto calórico.

Na estética, ativos como a Cafeisilane C (cafeína vetorizada) e o Pheoslim, associados a outros ativos drenantes e à termoterapia, são altamente indicados, pois atuam diretamente na gordura abdominal, promovendo redução significativa.


Isabel Luiza Piatti

técnica em Estética e diretora de Pesquisa

da Buona Vita Cosméticos

Dores nas costas? Siga algumas dicas e cuide-se melhor

Por Izabel Ferré

Cuidar da postura é fundamental, e deve ser feito diariamente. Pensando no assunto, o Jornal Mais Notícias preparou algumas dicas, para os leitores cuidarem melhor da saúde dos seus ossos.

Mantenha sua postura correta e melhore seu dia

Os que trabalham em escritório, devem regular suas cadeiras logo pela manhã. Procure uma posição neutra e confortável, o que deve aliviar a pressão nos discos intervertebrais. A principal curvatura é a lombar, a que fica entre a metade das costas e a cintura, onde há a maior incidência de problemas.

Algumas cadeiras contam com um apoio lombar, o qual deve ser utilizado para firmar a coluna. Mantenha a região lombar sempre apoiada no encosto da cadeira ou em um suporte para as costas. Se não existir esse apoio, improvise. Use um cobertor enrolado, por exemplo.

Cuidados com a cabeça, pescoço e ombros também devem ser tomados. Permaneça em posição ereta, com ombros relaxados e alinhados com o topo ou centro da tela do monitor que, por sua vez, deve estar posicionando na mesma altura dos olhos. Para ajudar no posicionamento, procure manter uma distância de45 cma65 cm, mais ou menos de um braço.

Em relação aos braços, os cotovelos devem ser mantidos sempre junto ao corpo, ou seja, nem projetados para frente no caso esticados, e nem com os cotovelos erguidos. Inflamações nos ombros, cotovelos e punhos são consequências de mau posicionamento diante do computador. Utilize apoios de mouse e teclado, pois, eles mantêm o punho estável.

Para melhor circulação sanguínea das pernas, o ideal é manter a perna levemente esticada, o que também pode ser feito é utilizar o apoio de pernas. Evitar ficar com a perna dobrada ou se sentar sobre ela, isso mantém a circulação adequada.

Facilite seu dia, todos os objetos utilizados devem estar ao seu alcance, mas sem comprometer seu espaço. Caso seja necessário escrever enquanto está diante do computador afaste o teclado evitando posicionamento errado dos pulsos.

O indicado, se possível, é trabalhar em mesas com bordas arredondadas. Caso contrário, providencie um suporte almofadado para evitar que a quina da mesa interrompa a circulação sanguínea dos braços.

Para que o trabalho seja cada vez mais agradável, e produtivo tome algumas atitudes e previna lesões, cansaço e até mesmo doenças ósseos musculares. Seguindo um simples cronograma, é possível manter uma vida saudável e equilibrada.

Dicas – Evite ficar muito tempo na mesma atividade. A cada duas ou três horas, levante e dê uma volta, ou penas mude o que está fazendo. É importante fazer exercícios simples com frequência para minimizar as chances de dores no punho e na coluna cervical. É recomendado parar de hora em hora, durante cinco minutos, para fazer alongamentos.

Para se alongar, comece esticando o braço e puxe a ponta dos dedos para cima durante dez a quinze segundos, repetindo de três a quatro vezes. Puxe a ponta dos dedos para baixo, também segurando durante dez a quinze segundos. Esse exercício fortalece a musculatura do antebraço.

Para a coluna, encoste o queixo no osso da clavícula e faça uma leve pressão na nuca durante dez a quinze segundos. Troque o lado e repita o exercício. Não é necessário grande esforço, apenas o suficiente para sentir o relaxamento.

Lembre-se, siga um ritmo de trabalho adequado, sua saúde mental e física depende disso.

Amamentação: importante para a saúde do bebê e da mãe

Amamentação: importante para a saúde do bebê e da mãe
Por Izabel Ferré

Ser mãe é criar um laço eterno de amor e carinho. Essa ligação entre mãe e filho é estabelecida desde o começo dos tempos, fortalecida por um simples ato: amamentar.
O leite materno é tudo o que seu bebê precisa

O leite materno é considerado o alimento mais completo para o bebê. Ele contém agentes imunológicos que protegem a criança de inúmeras doenças infecciosas. A amamentação também fortalece a musculatura da face e da boca, o que contribui com a fala e o nascimento dos dentes.

“A amamentação também contribui para o desenvolvimento emocional do bebê, pois promove uma forte ligação com a mãe. A criança se sente segura, esse contato olho no olho é muito importante”, esclarece o Dr. Israel Zekcer, pediatra do Hospital Brasil.

É preciso incentivar as mães, “além de criar um laço materno, o leite possui todos os nutrientes que o bebê precisa. É considerado um antibiótico natural, pois cria uma proteção para a criança”, explica o especialista.

Doenças infantis também podem ser prevenidas com amamentação: “evita desidratação, muitos bebês sofrem com diarréias, aquelas que são amamentadas tem menor incidência. Outro fator positivo é a proteção contra as doenças respiratórias e alergias”, pontua o médico.

Os benefícios segundo o Dr. Israel Zekcer, se estendem às genitoras: “aquelas que amamentam perdem peso muito mais rápido. Além disso, o organismo trabalha criando uma barreira protetora contra doenças, por exemplo, câncer de mama e ovário”.

Uma questão que incomoda às mães é o tempo em que se deve amamentar a criança. O pediatra explica que “muitas pessoas tem uma ideia errada” sobre o assunto. Ele explica: “muitos pensam que até seis meses é o suficiente, mas na realidade o ideal é até um ano. Se puder, a mãe pode amamentar até três anos sem problema algum. É mito que o leite perde os nutrientes e fica fraco, isso não acontece. Pelo contrario, o leite se modifica conforme as necessidades”, afirmou o Dr. Zekcer.

Entretanto, como muitas mães trabalham, nem sempre isso é possível. O médico afirma que os empresários deveriam dar mais apoio às gestantes: “Em minha opinião, a volta a rotina de trabalho deveria ser mais apoiada pelas empresas, investir em creches seria uma boa solução. As mães poderiam trabalhar mais tranqüilas, o resultado seria com certeza um melhor empenho e qualidade nas tarefas desempenhadas. Para aquelas que infelizmente não podem contar com as creches nas firmas, o conselho é proporcionar o tempo que for possível o leite materno”.

Às mães que tem medo de flacidez, o pediatra desmente, “mais uma vez, a crença em mitos. As mulheres não devem se preocupar com as mamas, elas não caem porque os bebês mamam. Pelo contrário o seio fica até mais bonito”.

Saúde e qualidade de vida, os benefícios são muitos o aleitamento materno é fundamental para mãe e filho. Para ajudar o leitor o Jornal Mais Notícias preparou uma lista, confira abaixo.

Motivos para amamentar:

1. O leite materno é o alimento mais completo e equilibrado, atende todas as necessidades de nutrientes e sais minerais.

2. De fácil digestão, provoca menos cólicas nos bebês.

3. Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade, intolerância ao glúten.

4. Contém uma molécula chamada PSTI é responsável para proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos.

5. Aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas.

6. Previne a anemia.

7. A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê.

8. Amamentar por mais de seis meses faz bem à saúde mental da infância à adolescência, segundo estudo coordenado pela Universidade do Oeste da Austrália. Segundo os pesquisadores, substâncias presentes no leite (como a leptina) ajudam a combater o estresse. O contato e o vínculo entre mãe e filho promovido pelo aleitamento também têm um efeito positivo no desenvolvimento psicológico da criança

9. Quando o ômega três está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida.

10. Contribui para a volta do útero ao tamanho normal. Com isso, também evita o sangramento excessivo e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia.

11. Protege a mãe contra o câncer de mama e de ovário.

12. Estudo publicado na American Journal of Obstetrics revela que a amamentação reduz o risco de a mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para aquela que teve diabetes gestacional.

13. Ajuda a emagrecer, pois consome até 800 calorias por dia.

14. É de graça, natural, prático, e não desperdiça recursos naturais.

15. Pode ajudar seu filho a ter melhor desempenho nos estudos e aumentar a chance de ele frequentar uma faculdade, segundo uma pesquisa norte-americana. Eles analisaram o desempenho escolar de 126 irmãos de 59 famílias. O resultado sugeriu que aquele que recebeu um mês a mais de leite materno apresentou aumento de 0,019 pontos na média de pontuação no ensino médio e aumento de 0,014 na probabilidade de cursar o ensino superior.

16. Protege a mãe contra doenças cardiovasculares, segundo estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Para a pesquisa, foram analisadas 140 mil mulheres no período pós-menopausa, ou seja, com média de 63 anos, e o resultado mostrou que aquelas que amamentaram por mais de um ano tiveram 10% menos risco de sofrer com essas doenças, se comparado com aquelas que nunca amamentaram.

Obesidade infantil: lute contra essa epidemia

Por Izabel Ferré
Bebês “gordinhos” revelam sinal de saúde, certo? A resposta é não. Aqueles que pensam desta maneira estão enganados. Apostar em uma alimentação rápida, mais conhecida como “fast food” está resultando no aumento de crianças com problemas de obesidade.

Abra os olhos e cuide melhor da alimentação de seu filho.

Para mudar, é preciso repensar hábitos alimentares: “primeiro, o que deve ser valorizado desde o começo é a amamentação. O leite materno contém todos os nutrientes e proteínas que a criança necessita, não é preciso de forma alguma fazer mamadeira com farinha para complementar à alimentação”, explica o Dr. Israel Zekcer do Hospital Brasil.

Para manter seu filho saudável, é necessário cautela no preparo das papinhas. “Algumas mães voltam a trabalhar cedo e passam a introduzir os alimentos sólidos aos seus filhos. O que deve ser oferecido são alimentos ricos em legumes, sem óleo e sem farinha” orienta o pediatra.

Para o médico, o problema da obesidade está no excesso de alimentos artificiais. “A mãe passar a alimentar seu filho com as papas mais cedo não é o que resulta em crianças com problemas de peso, mas sim a baixa qualidade do alimento, bolachas e doces”.

Para evitar problemas futuros, como a alteração nos níveis da pressão arterial e doenças respiratórias, os pais devem procurar fazer acompanhamento médico seguindo sempre as orientações para preparar alimentos saudáveis e dentro da dieta que deve ser compatível com a idade da criança.

A água pode ser sua aliada na perda de peso

A água pode ser sua aliada na perda de peso
Por Marisa Walsick

Desde criança, todos aprendem que a água não é apenas importante, mas indispensável para a vida humana e, por isso, não podemos deixar de bebê-la. Ela é tão importante para o nosso corpo que representa 60% do peso dos humanos adultos e 70% das crianças.

A água ajuda a regular a temperatura do corpo, a pressão sanguínea, desintoxica, transporta nutrientes e oxigênio para as células, umidifica o ar dos pulmões, ajuda no metabolismo e na melhor absorção celular dos nutrientes, além de facilitar a comunicação neural, a memória, a concentração e a atenção.

E, para quem quer perder aqueles “quilinhos indesejáveis”, ela pode ser uma grande aliada. “A água ajuda na perda de peso e deve ser o principal componente da sua dieta, já que uma pessoa bem hidratada sente menos fome. Nosso organismo muitas vezes confunde sede com fome. Basta beber dois copos de água 30 minutos antes das refeições que a fome irá diminuir e fará com que a pessoa coma menos naturalmente”, explica a nutricionista Dra. Cristina de Almeida Prado, que elencou as principais funções da água no nosso corpo:

No sangue: É o maior meio de transporte de oxigênio, nutrientes, hormônios e outros componentes como a glicose (açúcar) e gorduras para o trabalho muscular.

Na urina: Elimina produtos de excreção do metabolismo. Quanto mais escura a urina, mais concentrados estão seus metabólitos (sódio, cloro e potássio).

No suor: Elimina o calor extra que o corpo produz através da pele, regulando a temperatura corporal.

Na saliva e secreções gástricas: Ajuda a digerir os alimentos.

No corpo: Lubrifica as articulações e protege órgãos e tecidos.

Proteção: Fornecem materiais as células e protege os tecidos corporais;

Pressão: Controla a pressão do corpo, ou seja, a manutenção do balanço apropriado entre a água e os eletrólitos;

Participa das funções dos nossos sentidos como, por exemplo, visão e audição. Os olhos também são envolvidos por líquidos, que refletem a luz;

Mas não se esqueça que, mesmo com todos esses benefícios, não deve haver exagero: “Em casos extremos, o excesso de água pode provocar um sério desequilíbrio de vitaminas e minerais. A pessoa deve tomar a quantidade adequada de acordo com sua necessidade diária”, finaliza a Dra. Cristina.

Celular: um vício que pode causar grandes problemas de saúde

Por Marisa Walsick
Já há alguns anos o uso do celular é cada vez mais frequente na vida das pessoas. Se antes o aparelho servia apenas para fazer e receber ligações, hoje o aparelho é multiuso e até mesmo o melhor amigo de muitas pessoas.

Com certeza você já deve ter reparado inúmeras pessoas mexendo no celular dentro do ônibus, trem ou metrô, conectadas a alguma rede social, navegando pela internet ou até mesmo jogando que, por estarem entretidas no aparelho acabam nem percebendo o que ocorre em sua volta. Isso faz com que as pessoas criem o seu próprio mundo junto, é claro, do inseparável celular.

Algumas pessoas estão radicalizando tanto que não conseguem ficar sequer um minuto longe do seu aparelho e, por estarem tão ligadas aos seus celulares, mal percebem que ficar todo o tempo conectado ao telefone pode causar graves problemas de saúde. Há, inclusive, novas doenças que envolvem o uso do aparelho. Então não se espante se ao final de ler esta matéria você talvez perceba que está passando dos limites com o uso do celular.

Síndrome do toque fantasma

É quando você escuta ou sente o seu celular vibrar no seu bolso, e quando percebe, não há qualquer atualização ou chamada perdida no aparelho. Pior: muitas vezes o celular sequer está no bolso. Isso já começa a ser um sinal da sua dependência com o aparelho. Mas não fique preocupado: Segundo o Dr. Larry Rosen, autor do livro iDisorder isso é comum em cerca de 70% das pessoas.

Nomophobia

Isso ocorre quando a pessoa fica muito tempo sem usar o aparelho, ou quando o aparelho fica sem bateria, e gera um ataque de ansiedade. A nomophobia uma abreviatura da palavra “no-mobile phobia” (medo de ficar sem telefone móvel) é isso: o aumento acentuado da ansiedade que algumas pessoas sentem quando estão separadas de seus telefones.

Náusea Digital

Isso é causado quando as pessoas sentem náuseas ou vertigem quando estão interagindo com algum aparelho que tem vários ambientes digitais. As pessoas que sofrem disso acreditam que os ícones digitais podem estar em movimento em formato 3D podendo até sair do visor do aparelho, por conta disso o nosso cérebro fica enjoado por causa do movimento do visor. Isso aconteceu recentemente com os usuários de iPhones e iPads quando fizeram a atualização para a nova versão do sistema operacional dos aparelhos.

Depressão de Facebook

Antigamente a interação social acontecia em festas, almoços e jantares, onde estavam reunidas várias pessoas com o único objetivo de fazer novas amizades. Hoje, a maior ferramenta social é o Facebook, onde nem todas as pessoas que são seus amigos você conhece pessoalmente. Com isso, algumas pessoas acabam criando uma vida no qual queriam estar vivendo. Segundo o Dr. Rosen as pessoas que possuem vários amigos em redes sociais e tentam mostrar aquilo que não são têm menor incidência de tensão emocional, podendo se tornar depressivas.

Transtorno de Dependência da Internet

O Transtorno de Dependência da Internet (por vezes referido como Uso Problemático da Internet) se caracteriza pelo uso da rede sem objetivo, apenas passando de um site para o outro. Segundo a médica Kimberly Young, o vício de Internet geralmente pode ser atribuído a “baixa autoestima, baixa autossuficiência e habilidades ruins”.

Vício em jogos online

São aqueles jogos viciantes que faz as pessoas sentirem necessidade de passar horas durante o dia jogando e, caso não o façam, se sentem mal humoradas. De acordo com uma pesquisa feita pelo governo da Coréia do Sul, cerca de 18 % das pessoas tem o vicio em algum jogo da internet.

Cibercondria, ou hipocondria digital

A internet também acabou virando uma espécie de médico para algumas pessoas que, ao sentir qualquer sintoma logo pesquisam na internet e, sem o conhecimento devido, acabam por se “auto-diagnosticar”, sem perceber que isso pode causar graves problemas no futuro. Um deles é não sentir nenhum sintoma e acabar acreditar que, de fato, tem todos os sintomas de determinada doença.

O efeito Google

Isso ocorre com muitas pessoas acostumadas a acessar o Google para tudo. Isso gera uma espécie de preguiça mental, que as priva de pensar ou até mesmo memorizar algo justamente por saber que, com apenas em alguns cliques o serviço trará as respostas. Porém poucas pessoas sabem o perigo que isso pode causar quando realmente precisar usar o seu celebro e não tiver um acesso à Internet por perto.

Açúcar em excesso traz riscos à Saúde

Desde a infância, muitas pessoas têm o habito de ingerir açúcar, e algumas delas acabam exagerando na dose desse carboidrato que pode gerar grandes danos à saúde, já que seu consumo em excesso pode desencadear doenças crônicas como obesidade e diabetes tipo 2.
Cuidado com a quantidade de açúcar ingerida diariamente

Um estudo produzido pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e publicado recentemente na revista Journal of American Medical Association – JAMA, expõe uma associação entre o consumo excessivo de açúcar e o risco de morte por doenças cardíacas independentemente dos outros problemas de saúde causados pelo excesso de açúcar. Em 70% dos adultos investigados, 10% ou mais das calorias diárias ingeridas proveio de açúcar adicionado aos alimentos. Outros 10% de adultos ingerem 25% ou mais de suas calorias diárias provenientes do açúcar. Nestes dez por cento de pessoas que ingerem um quarto ou mais de suas calorias na forma de açúcar, o risco de morrer de doença cardiovascular é dobrado.

O consumo de açúcar às vezes é imperceptível por conta dos alimentos industrializados que contém açúcar. Muitas vezes, os doces não são os grandes vilões, já que existem muitos alimentos que contém açúcar em suas fórmulas e, suas quantidades somadas podem ocasionar diversos problemas de saúde.

Uma lata de 355 ml de refrigerante, por exemplo, contém, em média, 9 colheres de chá de açúcar, o que corresponde a 140 calorias. Isso posto, uma lata de refrigerante por dia já é suficiente para aumentar o risco de doenças. Os pesquisadores alertam que mesmo a pessoa ingerindo uma quantidade adequada de calorias diárias e não tendo sobrepeso, o refrigerante ou suco adoçado tomado diariamente pode ter grande impacto no risco de mortalidade por doença cardíaca. Se você quiser ter uma ideia sobre qual o ingrediente de maior quantidade em um produto, basta ver a ordem em que eles aparecem no rótulo, já que sempre aparecem em ordem decrescente. Ou seja: açúcar nas primeiras posições é sinal de perigo.

Por isso é de suma importância ler atentamente os rótulos das embalagens para poder saber o que você esta ingerindo. Procurar um médico, ter uma alimentação balanceada e fazer exames com frequencia ajudará a prevenir esses tipos de doenças, para você não ter surpresas desagradáveis no futuro.

Leite materno: importante aliado à saúde da criança

Quem é mãe, sabe: a hora da amamentação é um momento especial e único na relação com seu filho. Estudos indicam que o ato de amamentar cria um vínculo permanente entre mãe e bebê, além de assegurar uma série de vantagens para a saúde da criança ao longo da vida. Por tudo isso, nos primeiros sete dias de agosto, foi celebrada a Semana do Aleitamento Materno.

A campanha foi criada há mais de duas décadas pela Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação com o objetivo de alertar para a importância da amamentação e promover iniciativas para estimular a prática. Segundo recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), toda criança deve receber aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e continuar a ser amamentada até, pelo menos, os dois anos de idade.

Coordenadora da Pediatria do Hospital Rios D’Or, Maria Fernanda Motta explica que o aleitamento materno é uma importante fonte de proteção para a criança, especialmente em seus seis primeiros meses de vida, quando a maturidade imunológica ainda não foi alcançada.

“O aleitamento promove a passagem de anticorpos da mãe para o bebê através do leite, protegendo o bebê contra as doenças alérgicas e infecciosas no período em que ele é mais suscetível”, explica. “Além disso, o aleitamento ajuda na prevenção da obesidade e na criação do vínculo entre a mãe e o bebê, importante para a saúde emotiva da criança”, complementa a pediatra.

Para as mães que trabalham fora e nem sempre podem estar dedicadas inteiramente à hora da amamentação, Maria Fernanda lembra que o leite pode ser retirado e estocado diariamente, mantendo suas propriedades benéficas para o bebê.

“Quanto maior o estímulo do bebê através da sucção, maior é a produção da mãe. Esse leite pode ser retirado e armazenado por até um dia na geladeira ou duas semanas no freezer. É importante apenas tomar os devidos cuidados de higiene durante a retirada”, ensina a pediatra.

A prática pode, inclusive, auxiliar outros bebês, através da doação a bancos de leite materno.

Você sabe quem tem direito a isenções de tributos na compra de veículos 0km?

Todos os cidadãos portadores de doenças crônicas capazes de gerar diminuição da força ou sensibilidade de membros ou segmentos do corpo podem requerer os benefícios. A isenção é concedida à pessoa com necessidades especiais ou limitações físicas, seja ela a condutora do veículo ou não.

O deficiente condutor, está isento de IPI, IOF, ICMS, IPVA e rodízio municipal (deficiência física), já o deficiente não condutor, que tenha deficiência física, visual ou autismo, está isento de IPI e rodízio municipal.

A isenção é válida para qualquer pessoa portadora de deficiência, inclusive crianças. Neste caso, é necessário obter o laudo da Receita Federal assinado por um médico credenciado ao SUS (Sistema Único de Saúde).

Caso o paciente tenha deficiência mental, o exame precisa ser feito por um psiquiatra e um psicólogo. Em caso de deficiência física, o exame deve ser realizado por um neurocirurgião e um psicólogo. Nos dois casos, o laudo precisa ter a assinatura do responsável pela clínica ou hospital no qual o exame foi realizado.

Fique atento, pois o benefício da isenção poderá ser exercido apenas uma vez a cada dois anos, sem limite do número de aquisições, conforme a vigência da Lei nº 8.989, de 1995, prorrogada pela Lei 11.941/2009, art. 77, vigente até 31/12/2014.

Em casos de pessoas com necessidades especiais, mas que não são condutoras dos veículos, a isenção do IPI é menor, o que, em geral, reduz o valor do automóvel em até 15%.

Veja abaixo quais as deficiências, patologias e sintomas que possuem o direito à 
isenção:

Amputações

Artrite reumatoide

Artrodese

Artrose

AVC

AVE (acidente vascular encefálico)

Autismo

Alguns tipos de câncer

Doenças degenerativas

Deficiência Visual

Deficiência Mental (Severa ou Profunda)

Doenças neurológicas

Encurtamento de membros e más-formações

Esclerose múltipla

Escoliose acentuada

LER (lesão por esforço repetitivo)

Linfomas

Lesões com sequelas físicas

Maguito Rotador

Mastectomia (retirada da mama)

Nanismo (baixa estatura)

Neuropatias diabéticas

Paralisia

Paraplegia

Parkinson

Poliomielite

Próteses internas e externas

Problemas na Coluna

Quadrantomia

Renal crônico com uso de fístula

Síndrome do túnel do carpo

Talidomida

Tendinite crônica

Tetraparesia

Tetraplegia