1

1

Google+ Followers

domingo, 8 de janeiro de 2017

1ª consulta do menino / O que é consulta andrológica? / Quais são as etapas da consulta andrológica?

Chegou a hora de se consultar!

A adolescência, como todo mundo diz, é uma fase cheia de mudanças e é nessa fase que começamos a prestar mais atenção no nosso corpo. Começamos a cuidar mais do nosso corpo sem precisar de outras pessoas para dizer o que fazer, mas começamos também a ter muitas dúvidas sobre esse corpo novo, diferente e sobre como cuidar dele.

Uma das principais dificuldades de nós, adolescentes homens, é procurar um médico para verificar como está o desenvolvimento do nosso corpo, por exemplo. Pensando nisso pesquisamos e escrevemos aqui as principais informações sobre a consulta andrológica do menino e sua importância esclarecer nossas dúvidas, cuidar da nossa saúde e perder o medo de procurar um serviço de saúde.


O que é consulta andrológica?

A consulta andrológica abrange todos os problemas do aparelho genital e urológico masculino. Nos adolescentes, os primeiros exames médicos geram ansiedade e grande expectativa. O médico deve esclarecer todas as etapas da consulta e do exame físico, além de informar sobre o direito ao sigilo, da possibilidade de ser atendido sem a presença dos pais ou responsáveis e solicitar sempre o consentimento verbal para realização do exame físico.

Caso você solicite, outro profissional de saúde ou mesmo alguém da sua família, pode estar presente durante a consulta e o exame físico. Embora muitas vezes é neste momento que podem surgir várias dúvidas ou preocupações que você queira conversar somente com o/a profissional médico/a.


Quais são as etapas da consulta andrológica?



Consiste basicamente em duas etapas:

1. Anaminese: Etapa onde o médico vai conhecer o histórico da sua saúde com intuito de conhecer o(s) motivo(s) da consulta.

2. Exame Físico: O exame físico consiste em duas etapas:

a) Realização de um exame físico geral no corpo, com destaque para o estágio de desenvolvimento puberal (fases da adolescência) em que o adolescente se encontra, onde são examinados o crescimento dos pêlos nas axilas e no genital, assim como o tamanho dos testículos e do pênis.

b) Realização de exame detalhado dos órgãos genitais masculinos externos, avaliando todas as características destes órgãos, além de possibilitar a identificação de possíveis problemas, entre eles:

Fimose: dificuldade de expor a glande do pênis.

Hipospádia: Meato uretral (orifício da uretra) localizado na face ventral do pênis.

Criptorquidia: Quando os testículos não estão localizados na bolsa escrotal.

Doença sexualmente transmissível;

Infecção da glande e do prepúcio: relacionado à má higiene ou à masturbação;

Orquite: inflamação de um ou ambos os testículos;

Epididimite: inflamação ou infecção do epidídimo;

Torção do cordão espermático, que é uma urgência urológica que põe em grave risco a fertilidade do adolescente, e tem indicação cirúrgica imediata;

Hidrocele: acúmulo de líquido no saco escrotal, conseqüência de uma epididimite, orquite ou de um trauma;

Hematocele: presença de sangue na bolsa escrotal, causada na maioria das vezes por traumatismos;

Varicocele: varizes que aparecem na bolsa escrotal, assintomático na maioria dos casos, presente em 15% das consultas de rotina;

Hérnia inguinal ou inguinoescrotal. 






O que é Ginecomastia?

A ginecomastia ocorre quando há um desequilíbrio entre dois hormônios (estrógeno e andrógeno), sendo que este aumento pode ser:
Fisiológico - Quando ocorre no nascimento, durante a adolescência ou na senilidade (processo do envelhecimento)
Patológico - Podendo ser causado por:


Uso de medicamentos, hormônios exógenos ou anabolizantes;


Uso de drogas em geral (maconha, heroína, anfetaminas e abuso de álcool);


Doenças crônicas;


Doenças genéticas;


Doenças genitais (varicocele, orquite etc);


Tumores.

Também faz parte da consulta andrológica a orientação sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST, HIV/AIDS, sendo que caso o motivo da consulta seja esse, o(a) profissional deve assegurar o sigilo profissional, alem de todas as orientações e processos necessários neste caso.


Cuidar da sua saúde é um direito seu, exerça-o!

http://www.adolescencia.org.br/site-pt-br/consulta-de-saude-do-menino

1ª consulta da menina / Chegou a hora de se consultar! Quando devo procurar um/a ginecologista?


Chegou a hora de se consultar!

A adolescência, como todo mundo diz, é uma fase cheia de mudanças e é nessa fase que começamos a prestar mais atenção no nosso corpo. Começamos a cuidar mais do nosso corpo sem precisar de outras pessoas para dizer o que fazer, mas começamos também a ter muitas dúvidas sobre esse corpo novo, diferente e sobre como cuidar dele.

Uma das principais angústias de nós, adolescentes, é como e quando acontece a 1ª consulta ginecológica. Pensando nisso resolvemos pesquisar o que acontece em uma consulta com o/a ginecologista, mas não pense que são só nós adolescentes que ficamos preocupadas com isso, muitas mulheres adultas também ficam ansiosas, com medo e constrangidas.

Quando devo procurar um/a ginecologista?

Toda mulher que tem ou já teve relações sexuais, adolescente ou não, deve fazer uma avaliação ginecológica pelo menos uma vez ao ano. Além dessa avaliação anual, sempre que surgir algum problema, ou dúvida, podemos fazer uma consulta com um(a) ginecologista, independentemente de ter iniciado ou não a vida sexual.

Estes são alguns dos sintomas importantes para procurar um ginecologista:


Dor no baixo ventre (Parte baixa da barriga)


Corrimento vaginal, coceira na vagina, cheiro ruim.


Dor nas mamas, secreção pelos mamilos, mudanças no tamanho das mamas.


Cólica menstrual forte ou menstruação irregular


Sangue na urina, dor para urinar


Gravidez


Risco ou exposição a alguma doença sexualmente transmissível.




Se você quer fazer uma consulta ginecológica, escolher o(a) médico(a) certo(a) é muito importante. Tem que ser um(a) profissional que você se sinta segura e confortável para fazer perguntas e discutir questões pessoais.

Como escolher a(o) médica(o)?

Muitas vezes, conhecemos o(a) ginecologista da mãe ou de algum parente, ou até mesmo a escola pode ajudar na escolha do(a) médico(a); outras vezes, uma visita ao centro de saúde pode ajudar a decidir.

Independentemente de quem seja o(a) profissional, é muito importante que ele(a) entenda as características e necessidades das adolescentes.




Depois de escolher o(a) profissional de saúde marcamos o dia da consulta.

Marcando o dia da consulta

Uma "dica" é marcar a consulta fora do período menstrual e não fazer ducha vaginal nem usar cremes vaginais 72 horas antes do exame porque, se for o caso, será colhido material para o exame de citologia oncótica (exame de prevenção de câncer de colo do útero). Para o dia da consulta é legal:


Fazer uma lista de perguntas, para não esquecer nada no dia:


Pode ser sobre problemas de saúde ou não; é uma oportunidade para tirar dúvidas sobre o corpo, sexualidade, anticoncepção ou doenças sexualmente transmissíveis, por exemplo.


É importante lembrar que o(a) profissional de saúde não vai julgar ou aconselhar, mas sim ouvir as dúvidas, orientar e atender as pessoas em suas necessidades de saúde. É você quem decide o que fazer com a ajuda do médico(a).


Conversar com os pais ou familiares sobre sua história de saúde:


Se teve algum problema de saúde durante a infância ou não, cirurgias, alergias, se o esquema de vacinação está em dia.


Perguntar também sobre os problemas de saúde na família. Aliás, é uma boa oportunidade para a adolescente conhecer um pouco mais sobre sua família.


Tentar lembrar e anotar a idade da primeira menstruação (se já teve a primeira menstruação), como são os ciclos menstruais e a data da última menstruação. Essas são questões que certamente o(a) profissional deverá perguntar.

Conversando com a(o) profissional de saúde

Todas as vezes que fazemos uma consulta médica, o(a) médico(a) faz várias perguntas sobre nossa saúde e na consulta ginecológica não é diferente. Na consulta ginecológica, as questões de sexualidade e corpo naturalmente são discutidas com mais profundidade. É importante saber que as perguntas mais íntimas que poderão fazer com que a adolescente sinta-se desconfortável serão feitas não por curiosidade, mas sim para ajudar as adolescentes a cuidar de sua saúde. Assim, é fundamental que as perguntas feitas pelo(a) profissional de saúde sejam respondidas honestamente e com tranqüilidade.

Se for o caso, a adolescente pode e deve deixar claro para o(a) profissional que é a sua primeira consulta ginecológica e aproveitar o momento para informar-se sobre o exame ginecológico: o que é, como é feito, para que serve.

Este é um momento muito importante para discutir dúvidas, ansiedades e medos; e também, para receber as orientações sobre os motivos da consulta.

O exame ginecológico

Não é em todas as consultas ginecológicas que o(a) profissional de saúde faz o exame ginecológico; às vezes você quer simplesmente tirar uma dúvida. No caso de fazer o exame uma dica muito importante: o exame pélvico sempre deve ser executado pelo(a) profissional na presença de uma outra pessoa, geralmente um(a) profissional de enfermagem. A mulher/adolescente não precisa estar sozinha com o(a) médico(a) neste momento.

Para fazer o exame, o(a) profissional vai pedir que você troque a sua roupa por um avental em um lugar reservado. Depois de trocar de roupa, o(a) profissional de saúde deverá fazer um exame geral, para avaliar a sua saúde: medir a pressão, o pulso, a temperatura, avaliar o peso, a altura, examinar os pulmões, o coração e o abdômen. O exame ginecológico pode ser um pouquinho diferente de pessoa para pessoa, mas em geral divide-se em: exame das mamas e exame pélvico.

Exame das mamas

O exame das mamas é muito importante para a prevenção e/ou diagnóstico das doenças mamárias. É muito parecido com o auto-exame das mamas, aliás, este é um ótimo momento para você aprender a fazer o auto-exame das mamas.

Primeiro sentada de frente para o(a) profissional, e depois deitada sobre a mesa de exame, ele(a) irá movimentar os dedos em torno de toda a mama pressionando-a levemente para tentar identificar caroços ou qualquer outra alteração. Depois disso, deverá apertar levemente o mamilo para ver se há secreções, palpar as axilas e ver se há alterações na pele da mama e diferenças de tamanho entre elas. O exame é feito nas duas mamas, demora poucos minutos e não dói nada.

O exame pélvico

Este é o momento da consulta no qual muitas mulheres e adolescentes sentem-se desconfortáveis, mas não precisa ser assim, pois serão três procedimentos/ etapas:
O exame dos genitais externos
O exame especular
O toque vaginal

Para fazer este exame, o(a) profissional pede que você fique deitada, afaste os joelhos e coloque os pés (ou as pernas) nos estribos, que são dois suportes, um em cada lado da mesa. O(A) médico(a) ou auxiliar deverá cobrir o seu corpo com um lençol para que se sinta mais relaxada e menos exposta.

O exame dos genitais externos

Durante esse exame você pode aproveitar para aprender um pouco mais sobre os seus órgãos genitais externos e tirar suas dúvidas. Com a mão enluvada, o(a) profissional irá examinar a vulva com cuidado, procurando por sinais como vermelhidão, irritação, feridas, caroços, verrugas ou outras anormalidades. Esta parte do exame é rápida e não dói.

O exame especular

O exame especular não é necessariamente realizado na primeira consulta; depende da queixa e se a adolescente já teve ou não relações sexuais. O exame consiste na introdução, dentro da vagina, de um instrumento chamado espéculo, conhecido popularmente como “bico-de-pato”. O espéculo pode ser de metal ou de plástico rígido, sendo que os espéculos de plástico são descartáveis, ou seja, não podem ser reaproveitados. A colocação do espéculo geralmente é indolor, mas é importante ficar bem relaxada para que o incômodo seja o mínimo possível. O exame especular permite a visualização da vagina para a observação de secreções ou lesões em suas paredes. Também permite a visualização do colo do útero e a coleta de material para a prevenção do câncer de colo uterino, se for o caso.

O toque vaginal

O toque vaginal é realizado em seguida mas, assim como o exame especular, não é necessariamente realizado na primeira consulta. Com uma mão enluvada e lubrificada, o(a) profissional de saúde introduz um ou dois dedos dentro da vagina; com a outra mão, pressiona suavemente a barriga para sentir, através da palpação, os órgãos genitais internos: útero, ovários e trompas. Normalmente este exame é indolor; porém, se a mulher/adolescente sentir dor, ela deve informar imediatamente o examinador.


O toque retal

O toque retal não é feito na rotina do exame ginecológico, mas pode ser necessário e importante para algumas situações muito específicas. Com a mão enluvada e lubrificada, o(a) profissional introduz um dedo através do reto, para conseguir desta maneira palpar a região entre o reto e a vagina.

Bem, estas são as etapas do exame ginecológico. Não é tão difícil como pode parecer para as adolescentes que ainda não o fizeram, mas é um exame muito importante para a saúde de todas as mulheres e que irá acompanhá-las por toda a vida.


Cuidar da sua saúde é um direito seu, exerça-o!

http://www.adolescencia.org.br/site-pt-br/corpopuberdade

motivos para consulta de adolescentes






http://www.adolescencia.org.br/site-pt-br/7-motivos-para-consulta-de-adolescentes

Corpo do Menino / Conhecendo o corpo dos meninos / Quer saber por que isso acontece? /

Corpo do Menino

Conhecendo o corpo dos meninos

Você já parou para pensar que quando somos crianças, o corpo dos meninos tem bastante semelhança com o corpo das meninas, a diferença que percebemos está nos órgãos genitais (pênis e vagina) também conhecidos por outros nomes populares.

Porém, quando vai chegando a adolescência o nosso corpo começa a se transformar, nossa voz vai mudando, os pelos aparecendo, crescemos rapidamente, nossos pensamentos, desejos e sentimentos já não são mais os mesmos e, é claro, estranhamos tudo isso. Mas o que será que está acontecendo? São normais todas essas mudanças?

Quer saber por que isso acontece?

Com certeza você já deve ter ouvido falar que o nosso corpo produz substâncias chamadas hormônios. Os hormônios são “mensageiros químicos” muito importantes que influenciam na transformação do nosso corpo, por exemplo, a Somatotrofina, que é um hormônio responsável pelo crescimento, desenvolvimento de nossas células e que tem a missão de fornecer as proteínas que precisamos. Outro hormônio importante é a Testosterona, produzida nos testículos, responsável em desenvolver nossa massa muscular e o desejo sexual.

Existem muitos outros hormônios, como a prolactina e os andrógenos, presentes tanto no corpo masculino quanto no corpo feminino, em diferentes quantidades, que também são responsáveis pela transformação de um corpo de criança, passando pela adolescência até chegar a ser um corpo de adulto. Neste processo, existem também outras substâncias chamadas de neurotransmissores que tem a função de, como a palavra já diz, transmitir os impulsos nervosos de uma célula a outro contribuindo assim, com as mudanças e transformações do nosso corpo.

Agora, vamos saber um pouco mais sobre essas mudanças?

Lembre-se que algumas mudanças são internas, não conseguimos ver e muitas vezes nem perceber, enquanto outras são externas, ou seja, logo vemos acontecer!


As principais mudanças no corpo do menino são:

O pênis cresce em diâmetro e comprimento;

Os testículos se desenvolvem;

Começam a crescer os pelos do rosto (barba), das axilas e de todo corpo;

Mais ou menos entre os 13 e 14 anos ocorre a primeira ejaculação; (lembrando que cada adolescente tem o seu próprio tempo para que isto acontecer, podendo ser antes ou depois dessa idade);

Crescimento da laringe;

A voz começa a engrossar;

Entre 11 e 16 anos acontece um crescimento muito rápido em altura (chamado "estirão do crescimento").

Não se esqueça de que essas mudanças acontecem durante a adolescência, mas não pense que as mudanças no nosso corpo ocorrem somente neste período da vida, afinal desde que o espermatozoide fecunda o óvulo da mulher, nosso corpo começa a se desenvolver e essas mudanças seguem acontecendo na idade adulta.


Vamos conhecer agora o desenvolvimento do pênis e o crescimento dos pelos pubianos



Pênis - 1 pré-pubere (infantil), 2 aumento do escroto e dos testiculos, sem aumento do pênis. Pele da bolsa escotal fina e rosada, 3 aumento do pênis em comprimento continuando o aumento de testiculos e escroto, 4 aumento do diâmetro do pênis e desenvolvimento da glande. Continua o aumento de testiculos e excroto, cuja, pele escurece e engrossa, 5 genital adulto em tamanho e forma.
Pelos - 1 pré-púbere (infantil), 2 pelos longos, finos e lisos na base do pênis, 3 pelos mais escuros, mais espessos e encaracolados sobre o púbis, 4 pelos escuros, espessos e encaracolados, cobrindo totalmente o púbis, sem atingir as raízes das coxas, 5 pelos estendendo-se até as raízes das coxas.

Conhecendo os órgãos genitais masculinos

Pelos Pubianos - Os pelos pubianos protegem o órgão genital, por isso existe uma grande concentração ao seu redor;
Pênis - O pênis é um órgão genital de três funções:


Função sexual - É o órgão do prazer durante a masturbação ou na relação sexual;


Função reprodutiva - É responsável pela fecundação;


Função urinária – É responsável pela saída da urina (xixi)

Essa é uma das diferenças importantes entre o homem e a mulher, pois a mulher tem órgãos diferentes para cada uma dessas funções.
O pênis é coberto por uma pele fina, formando uma prega na ponta, cobrindo assim o corpo e a glande do pênis;
Glande - A glande, também conhecida como cabeça do pênis, é a parte mais sensível do pênis, ela tem na sua ponta uma abertura por onde sai a urina ou o sêmen (ejaculação/gozo);
Bolsa Escrotal - A bolsa escrotal, também conhecida como saco escrotal, guardar dentro de si os testículos, os protegendo em uma temperatura ideal. A bolsa escrotal, também é coberta por pelos pelo lado de fora;
Testículos - Os testículos ficam dentro do saco escrotal, um de cada lado, eles são responsáveis pela produção do hormônio masculino (testosterona) e pela produção dos espermatozoides;
Uretra – A uretra, ou orifício uretral, nos homens, é o canal por onde passa a urina e o sêmen;
Epidídimo - O epidídimo recebe e guarda os espermatozóides produzidos pelos testículos, até que sejam liberados espaços nos canais deferentes para que eles possam sair;
Canais Deferentes - Os canais deferentes estão ligados aos testículos através do epidídimo e ao canal da uretra, eles são responsáveis por levar os espermatozóides até a próstata, onde junto com o sêmen serão ejaculados, durante a estimulação do pênis;


Seu corpo lhe pertence!

Como você pode perceber, todos os órgãos genitais masculinos ficam na parte externa do corpo do homem, diferente da mulher que tem quase todos os órgãos genitais femininos na parte interna. A parte do órgão feminino que conseguimos ver, chamamos de vulva.

Os meninos, geralmente são estimulados desde pequenos a se tocarem e descobrem rapidamente que o pênis é um órgão que os fazem sentir muito prazer, ao contrário das meninas que, por muito tempo e até hoje, não foram ensinadas a se conhecer, olhar e tocar em sua vagina, uma das áreas mais sensíveis do corpo da mulher que a faz sentir prazer. Por isso, é fundamental que você menino, homem, se conheça, se olhe, se toque e se sinta, para saber mais sobre você e poder se cuidar melhor!
De qualquer forma, se você tiver alguma dúvida, procure um profissional de saúde, pois ele pode dar boas orientações e te ajudar a enterder as mudanças que estão acontecendo.

Aproveite também para conhecer a "Caderneta de Saúde do Adolescente" um material elaborado pela Área Técnica da Súde do Adolescente e do Jovem do Ministério da Saúde, que traz informações importante sobre o corpo e a saúde dos adolescentes meninos. Clique na imagem abaixo para acessar a caderneta em PDF.

http://www.adolescencia.org.br/site-pt-br/corpo-do-menino

Conhecendo o corpo das meninas / Quer saber por que isso acontece? / Agora, vamos saber um pouco mais sobre essas mudanças?

Conhecendo o corpo das meninas

Quando somos crianças, o corpo das meninas tem bastante semelhança com o dos meninos, a diferença que percebemos são os órgãos genitais (vagina e pênis) ou por outros nomes populares que conhecemos.

Porém, quando vai chegando a adolescência o nosso corpo começa a se transformar, os seios começa a crescer, a primeira menstruação chega, os pelos aparecem, crescemos rapidamente, e nossos pensamentos, desejos e sentimentos já não são mais os mesmos e, é claro, estranhamos um pouco tudo isso e aparecem muitas dúvidas. Mas o que será que está acontecendo? É normal tudo isso?


Quer saber por que isso acontece?

Com certeza você já deve ter ouvido falar que nosso corpo produz substâncias chamadas hormônios. Os hormônios são “mensageiros químicos” muito importantes que influenciam na transformação do nosso corpo como, por exemplo, o hormônio do crescimento (Somatotrofina), produzido pelo celebro, assim como os hormônios sexuais, conhecidos como estrógeno e progesterona, que são produzidos pelo ovário da mulher.

Existem muitos outros hormônios, como a prolactina e os andrógenos, presentes tanto no corpo masculino quanto no corpo feminino, em diferentes quantidades, que também são responsáveis pela transformação de um corpo de criança, passando pela adolescência até chegar a ser um corpo de adulto. Neste processo, existem também outras substâncias chamadas de neurotransmissores que tem a função de, como a palavra já diz, transmitir os impulsos nervosos de uma célula a outro contribuindo assim com as mudanças e transformações do nosso corpo.


Agora, vamos saber um pouco mais sobre essas mudanças?

Lembre-se que algumas mudanças são internas, não conseguimos ver e muitas vezes nem percebemos elas acontecendo, enquanto que outras são externas, ou seja, logo vemos acontecer.


As principais mudanças no corpo da menina são:


O desenvolvimento das mamas (seios);


A cintura fica mais fina;


O quadril se desenvolve;


Começam aparecer pelos, principalmente embaixo das axilas e na região pubiana (da vagina);


Ocorre a primeira menstruação, chamada de "menarca", costuma acontecer entre os 10 a 12 anos de idade, lembrando pode ocorrer antes ou depois dessa idade;


A vagina fica com a parede mais espessa;


O útero aumenta de tamanho;


Aumenta a irrigação sanguínea do clitóris;


A voz também muda ficando um pouco mais fina;


O crescimento em altura acelera;



Não se esqueça de que essas mudanças acontecem durante o período da adolescência, mas não pense que as mudanças no corpo ocorrem somente neste período da vida. Afinal, desde que o espermatozoide fecunda o óvulo da mulher, nosso corpo começa a se desenvolver e mudar e essas mudanças seguem acontecendo na idade adulta ate nossa morte.


Vamos conhecer agora o desenvolvimento das mamas (seios) e o crescimento dos pelos pubianos




Mamas - 1 somente elevação da papila, 2 aparecimento do broto mamário, 3 aumento da mama e da aréola, sem separação dos seus contornos, 4 projetção da aréola saliente em relação ao contorno da mama, 5 aréola volta ao contorno da mama, saliência da papila (mama adulta)
Pelos - 1 ausência dos pelos, 2 aparecimento dos primeiros pelos longos, finos e lisos ao longo dos grandes lábios, 3 pelos mais escuros, mais espessos e encaracolados parcialmente sobre o púbis, 4 pelos mais escuros, espessos e encaracolados cobrindo totalmente o púbis, sem atingir as raízes das coxas, 5 pelos estendendo-se até as raízes das coxas.


Conhecendo os órgãos genitais femininos



parte externa
Pelos Pubianos - Os pelos pubianos protegem o órgão genital, por isso existe uma grande concentração ao seu redor;
Grandes Lábios - Os grandes lábios são as duas pregas de pele que protegem a região do canal da vagina, uretra e clitóris.
Pequenos Lábios - Os pequenos lábios também são duas pregas de pele menores e mais fechadas que protegem a região do canal da vagina, uretra e clitóris.
Canal da Vagina - A vagina é um canal de mais ou menos 7 a 9 cm, e tem sua abertura para fora do corpo, seu fundo está ligado ao colo do útero. Se colocarmos o dedo dentro da vagina, perceberemos que ela é toda enrugada e elástica, pois na hora da relação sexual essa elasticidade servirá para que ela se adapte ao tamanho do pênis. Outra mudança que ocorre na vagina na hora da relação sexual, é que durante a excitação ela se lubrifica, ficando assim molhada, o que facilita na hora da penetração.
Canal da Uretra - A uretra é o canal por onde sai a urina, ela começa na bexiga e termina com sua abertura entre o clitóris e a entrada da vagina.
Clitóris - O clitóris é o órgão do prazer sexual. Ele fica quase todo escondido dentro do corpo, e somente a sua ponta (chamada glande) aparece na parte de cima da vagina. A glande do clitóris é extremamente sensível à estimulação suave, enquanto que o corpo clitoriano responde a estímulos mais profundos como pressão e fricção.


Os músculos perivaginais, que ficam em torno da vagina, têm importante participação na função sexual. O bom condicionamento dessa musculatura melhora a intensidade tanto da excitação sexual como do orgasmo.

parte interna
Útero - O útero é um órgão interno, oco por dentro, responsável por receber o óvulo fecundado e gerar a gravidez; ele fica posicionado próximo à bacia da mulher e tem seu formato parecido com uma pêra. Sua parte mais fina está ligada com o colo do útero e a sua parte mais longa está ligada às trompas de falópio ou tubas uterinas.
Colo do Útero - O colo do útero faz a ligação do útero com o canal da vagina, é através de uma abertura (buraquinho) que a menstruação sai e os espermatozóides entram.
Trompas de Falópio - As trompas de Falópio, também conhecidas como tuba uterina, são dois tubos, um de cada lado do útero, que fazem a ligação do ovário com o útero. As suas pontas são como franjas que têm a função de agarrar o óvulo quando este é liberado pelo ovário, colocando-o dentro do tubo para que esse seja encaminhado até o útero. É nas trompas também que ocorre a fecundação, (encontro do óvulo com o espermatozoide).
Ovários - Os ovários são duas glândulas, do tamanho de azeitonas, localizadas uma de cada lado do útero. Eles são responsáveis pela produção dos hormônios femininos (estrogênio e a progesterona), armazenamento e amadurecimento dos óvulos. Os ovários começam a trabalhar a partir da primeira menstruação da mulher e se mantêm ativos até a ultima menstruação, quando a mulher entra na menopausa (ausência da menstruação).
Óvulo - O óvulo é a célula reprodutora da mulher, responsável pela fecundação. Após o óvulo ser liberado pelo ovário ele permanece com capacidade de ser fecundado por até 24 horas, perdendo sua ação após esse tempo e sendo absorvido normalmente pelo corpo, quando não fecundado. A cada ciclo menstrual, um óvulo é amadurecido e liberado por um ovário de forma alternada.
Ovulação - A ovulação é a saida do óvulo do ovário como podemos ver na imagem abaixo.


Endométrio - O endométrio é uma parece que recobre a parte interna da cavidade do útero. Durante o ciclo menstrual ele se prepara para receber o óvulo fecundado (ovo). Quando não ocorre a gravidez, essa camada se desprende da parede do útero saindo em forma de menstruação.


Agora, vamos conhecer sobre menstruação, ciclo menstrual e período fértil?

A menstruação ocorre devido à preparação do endométrio para receber o óvulo fecundado (ovo). Quando isso não ocorre, essa parede começa a se soltar, saindo em forma de sangramento. Isso pode provocar, em algumas mulheres, cólicas pré-menstruais. A menstruação é usada como um primeiro sinal para uma gravidez, se ocorrida normalmente pode significar que a mulher não está grávida, se atrasada, pode significar que a mulher está grávida, então é importante procurar um posto de saúde e fazer o teste de gravidez. Porém é importante sabermos que cada mulher tem um ciclo diferente, a menstruação pode adiantar ou atrasar em relação à data prevista, assim como mudar o fluxo e a cor entre uma menstruação e outra, entendeu a importância de se conhecer?

Ciclo Menstrual

O Ciclo menstrual é o período entre uma menstruação e outra, ou seja, começa no primeiro dia da menstruação e termina um dia antes da próxima menstruação ocorrer. Assim, se contarmos os dias entre uma menstruação e outra, teremos qual foi o período do ciclo menstrual.
Período Fértil

É o períodoem quer a mulher tem uma maior chance de engravidar, ele tem a duração de até 06 dias, sendo que a ovulação pode ocorrer 14 dias antes do primeiro dia da menstruação seguinte. Não tem como prever exatamente quando essa data irá ocorrer, pois o ciclo menstrual pode variar entre um mês e outro.


Seu corpo lhe pertence!

Como você pode perceber, quase todos os órgãos genitais femininos ficam dentro da mulher, diferente dos órgãos genitais masculinos que ficam quase todos na parte externa do corpo. Por muito tempo e até hoje, a maioria das mulheres não foram ensinadas a se conhecer, olhar e tocar em sua vagina, uma das áreas mais sensíveis do corpo ligada diretamente ao prazer sexual da mulher. Por isso, é fundamental que você menina, mulher, se conheça, se olhe, se toque e se sinta, assim você pode conhecer e cuidar cada vez mais e melhor do seu corpo, afinal ele te pertence!




De qualquer forma, se você tiver alguma dúvida, procure um(a) profissional de saúde, pois ele(a) pode dar boas orientações e te ajudar a enterder as mudanças que estão acontecendo com seu corpo.

Aproveite também para conhecer a "Caderneta de Saúde da Adolescente" um material elaborado pela Área Técnica da Súde do Adolescente e do Jovem do Ministério da Saúde, que traz informações importante sobre o corpo e a saúde das adolescentes. Clique na imagem abaixo para acessar a cadernneta em pdf.

Saiba mais sobre como cuidar do seu corpo e como defender seus direitos, visitando as outras páginas do nosso portal.

http://www.adolescencia.org.br/site-pt-br/corpo-da-menina

Fase da vida? Faixa etária? Construção social? Afinal, o que é Adolescência?

Fase da vida? Faixa etária? Construção social?
Afinal, o que é Adolescência?


Se buscarmos a definição de adolescência, vamos descobrir que a origem da palavra vem do Latim “ADOLESCENTIA”, que significa período da vida humana entre a infância e a fase adulta. Vamos encontrar ainda quem defina adolescência como uma fase natural da vida marcada pelas transformações biológicas e comportamentais. Alguns pesquisadores vão entender e descrever a adolescência como um processo de construção social e histórico como sugerido no artigo “Adolescência como uma construção social – Ana Bock”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define adolescência como sendo o período da vida que começa aos 10 anos e termina aos 19 anos completos. Para a OMS, a adolescência é dividida em três fases:
Pré-adolescência – dos 10 aos 14 anos,
Adolescência – dos 15 aos 19 anos completos
Juventude – dos 15 aos 24 anos.

No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)considera a adolescência, a faixa etária dos 12 até os 18 anos de idade completos, sendo referência, desde 1990, para criação de leis e programas que asseguram os direitos desta população.

Como vimos, são muitas as definições que tentam explicar a adolescência. Algumas definições utilizam conceitos (embasados em estudos da psicologia, da educação, da filosofia, da medicina etc), outras definições utilizam recortes etários como é o caso da OMS. É importante saber que os conceitos existem e atendem a objetivos específicos de programas, pesquisas e políticas públicas. Entretanto não podemos reduzir esse período do desenvolvimento humano aos conceitos que os caracterizam, exatamente porque estamos falando de seres humanos, não é mesmo?

O que sabemos atualmente, é que a adolescência é o resultado de uma construção social, significada historicamente, que hoje se caracteriza, por exemplo, pela ampliação da tutela dos(as) filhos(as) em suas famílias. Ou seja, observando o contexto social, econômico e cultural do momento que vivemos hoje, os/as adolescentes, em geral, precisam de um período maior de estudos e de capacitação profissional para entrada no mercado de trabalho, o que exige deles e delas um tempo maior de dependência das famílias. Não podemos negar também que este período é marcado pelas transformações biológicas e comportamentais. E são essas mudanças que, muitas vezes, determinam a maneira como a sociedade olha para os(as) adolescentes e cria formas de agir com eles e elas, como por exemplo: a proibição do trabalho antes dos 16 anos, a tutela dos pais até os 18 anos, todo adolescente é “aborrescente” e tantas outras formas que acabam caracterizando, ou melhor, rotulando esse período da vida.

Esta discussão, sobre a construção histórica do conceito de adolescência, é importante porque possibilita a mudança de olhar para a própria adolescência e para o/a adolescente É importante desconstruir a visão de adolescência como uma fase de crise e olhar criticamente para o perfil rotulado do adolescente visto como “aborrecente”, intolerante, irresponsável, rebelde etc.

Nossa proposta, já que falamos de construção social, é construirmos uma nova visão em relação aos/as adolescentes e adotarmos comportamentos que promovam a sua participação nos vários espaços da sociedade, entendendo que os(as) adolescentes são sujeitos de direitos e de responsabilidades!

http://www.adolescencia.org.br/site-pt-br/adolescencia

CANÇÃO DO AMIGO... PARA SEMPRE AMIGO...


CANÇÃO DO AMIGO - LUDMILA FERBER



Nada na vida é por acaso


Nada na vida é por acaso



Amigos pela Fé - Anjos de Resgate... LINDA MÚSICA