1

1

Google+ Followers

sábado, 29 de outubro de 2016

Resultado da Quina 4221, sábado, 29/10/2016

Resultado da Quina 4221, sábado, 29/10/2016

O resultado da Quina 4221 será divulgado no GIGA-SENA dia 29/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas.

A Quina 4221 ocorrerá no dia 29 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 2.600.000,00 para quem acertar o resultado da Quina 4221. Quem acertar a QUADRA com 4 números, o TERNO com 3 números ou o DUQUE com 2 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 5 números no resultado da Quina concurso 4221 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Quina.
Os valores de cada prêmio da Quina 4221 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 4221 DATA 29/10/2016
01
08
18
36
53
 
QUINAQUADRATERNODUQUE
prêmio
0,004.419,7681,652,07
ganhadores
x 0x 91x 7.407x 159.939
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 31/10/2016Prêmio Estimado: R$ 3.400.000,00
[AVISO] A QUINA AGORA PAGA 2 ACERTOS!

Resultado da Mega Sena 1871, sábado, 29/10/2016

Resultado da Mega Sena 1871, sábado, 29/10/2016

O resultado da Mega Sena 1871 será divulgado no GIGA-SENA dia 29/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas direto do Caminhão da Sorte.

A Mega Sena 1871 ocorrerá no dia 29 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 75.000.000,00 para quem acertar o resultado da Mega Sena 1871. Quem acertar a QUINA com 5 números ou a QUADRA com 4 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 6 números no resultado da Mega Sena concurso 1871 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Mega Sena.
Os valores de cada prêmio da Mega Sena 1871 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 1871 DATA 29/10/2016
03
11
17
33
52
58
 
SENAQUINAQUADRA
prêmio
76.548.193,3120.893,81527,52
ganhadores
x 1x 275x 15.560
Próximo Sorteio: 03/11/2016Prêmio Estimado: R$ 2.500.000,00

Resultado da Dupla Sena 1563, sábado, 29/10/2016

Resultado da Dupla Sena 1563, sábado, 29/10/2016

O resultado da Dupla Sena 1563 será divulgado no GIGA-SENA dia 29/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas.

A Dupla Sena 1563 ocorrerá no dia 29 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 1.200.000,00 para quem acertar o resultado da Dupla Sena 1563 no primeiro sorteio. Quem acertar a QUINA com 5 números, a QUADRA com 4 números ou o TERNO com 3 números em qualquer um dos dois sorteios também ganha prêmio de menor valor. Se não houver ganhador com 6 números no resultado da Dupla Sena concurso 1563 em qualquer um dos dois sorteios o prêmio acumula para o primeiro sorteio do próximo concurso da Dupla Sena.
Os valores de cada prêmio da Dupla Sena 1563 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 1563 DATA 29/10/2016
1º Sorteio
10
34
42
45
47
48
 
SENAQUINAQUADRATERNO
prêmio
0,008.424,8194,082,19
ganhadores
x 0x 6x 614x 13.160
ACUMULOU!
2º Sorteio
09
21
27
36
49
50
SENAQUINAQUADRATERNO
0,003.499,5469,771,98
x 0x 13x 828x 14.558
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 01/11/2016Prêmio Estimado: R$ 1.400.000,00
[AVISO] A DUPLA-SENA AGORA PAGA 3 ACERTOS!

Resultado da Timemania 949, sábado, 29/10/2016

Resultado da Timemania 949, sábado, 29/10/2016

O resultado da Timemania 949 será divulgado no GIGA-SENA dia 29/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas.

A Timemania 949 ocorrerá no dia 29 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 1.600.000,00 para quem acertar o resultado da Timemania 949. Quem acertar 6, 5, 4 ou 3 números, ou o Time do Coração, também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 7 números no resultado da Timemania concurso 949 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Timemania.
Os valores de cada prêmio da Timemania 949 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 949 DATA 29/10/2016
09
15
17
43
69
72
78
Time do Coração
PORTUGUESA/SP
 
7 acertos6 acertos5 acertos4 acertos3 acertosTime
prêmio
0,008.733,49635,746,002,005,00
ganhadores
x 0x 8x 157x 2.482x 23.093x 5.658
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 01/11/2016Prêmio Estimado: R$ 1.900.000,00

WhatsApp começa a testar recurso de chamada de vídeo

O WhatsApp acaba de ganhar o tão esperado recurso de videochamada, com um pouco de atraso em relação a outros aplicativos de mensagens tais como o Skype e o próprio Messenger. O app começa a testar a nova função cerca de 18 meses após liberar as chamadas de voz para os seus usuários.


A opção está disponível na versão beta 2.16.318 para Android, mas, em breve, deve ser liberada para o público em geral. O que não se sabe é se o recurso vai ou não ser liberado para iOS, muito menos quando.


Para fazer as chamadas com vídeo, basta entrar na aba chamadas, ir em contatos (menu com o símbolo de um telefone e um +, no canto superior direito), selecionar o amigo com quem deseja conversar e apertar o ícone em formato de uma filmadora.


Vale lembrar que o recurso só funciona caso o contato também tenha instalado a nova versão do WhatsApp. Caso contrário, o usuário receberá a seguinte mensagem: "Chamada não completada. Não foi possível realizar a chamada. Fulano precisa atualizar o WhatsApp para receber chamadas de vídeo."


Durante os testes do UOL Tecnologia, as videochamadas se mostraram bastante instáveis. Na maioria das vezes, foi possível completar a chamada, mas a imagem acabava ficando congelada por problemas de conexão. Sem contar o delay --falta de sincronia entre o que é dito e o que é ouvido em uma ligação--, comum em chamadas pela internet.


Outro fator importante que o usuário deve ter em conta é que a videochamada consome dados do plano de internet móvel.


Como instalar a versão de teste do WhatsApp
Para receber as atualizações do WhatsApp em primeira mão, basta baixar versão de teste para Android, tradicionalmente, via apk. Entre no site oficial do app e, em seguida, clique no botão "Become a tester".


A mensagem "You are now a tester" indicará que você já faz parte do programa beta do aplicativo. Por fim, entre na Google Play Store, localize o WhatsApp e atualize o aplicativo já com a sua mais recente versão beta.


Fonte: UOL

É ansioso? Saiba como controlar um dos males do século...

A ansiedade é um dos males desse século. A pressão e cobrança diárias em diferentes esferas da vida, aliadas a um excesso de informação, colaboram para que haja uma sobrecarga da mente, que reflete também na saúde física. Segundo a psicoterapeuta e líder coach, Maura de Albanesi, a pessoa ansiosa sofre pelo o que vai acontecer e não vive o momento. “É preciso saber que isso não é algo relacionado à personalidade, na verdade, se trata de um hábito e, portanto, há como controlar a ansiedade”, esclarece.


Como controlar a ansiedade?
A especialista explica que o que mais caracteriza a doença é o medo de viver o presente e a necessidade de controlar tudo o que acontece. “Essas pessoas não querem se surpreender com nada, elas têm esse medo de viver, e a vida é uma surpresa diariamente. Para os ansiosos, tudo tem de estar pré-definido. Como nem sempre é possível essa programação, os ansiosos sofrem com a indefinição dos fatos e a impossibilidade de controlar o que pode ocorrer“, explica.


O grande problema disso é o fato da pessoa não focar no presente, o que pode prejudicar, inclusive, relacionamentos e a vida profissional. “O ansioso foca apenas no que ele quer alcançar no futuro, e então, a pessoa não consegue se organizar com o que precisa ser feito no presente. Tudo isso gera mais ansiedade. Ela vê que o tempo está passando e as coisas não estão acontecendo”, destaca.


Além disso, a ansiedade ainda ocasiona danos à saúde física, podendo gerar elevação da pressão arterial, um descompasso cardíaco, e comprometer os processos respiratórios. “Esses sintomas surgem devido ao estresse que essa pessoa sente. O ansioso vive sempre cheio de adrenalina e emite um comando/ordem para a mente, numa pressão constante”, explica Maura. Essa aceleração da mente gera um estresse e um cansaço que afetam a energia psíquica da pessoa.


Aos primeiros sinais de crises de ansiedade, a melhor atitude a se tomar é procurar um psicoterapeuta. Isso porque, através do processo de autoconhecimento e autodesenvolvimento, é possível identificar e combater a causa-raiz do problema. Já quando a doença alcança níveis mais altos, a ajuda de um psiquiatra pode ser necessária. “É melhor procurar esse tipo de ajuda profissional quando o ansioso percebe que mal consegue dormir e não produz, pelo fato de haver um turbilhão de informações em sua mente. Assim, o psiquiatra e pode receitar um medicamento”, afirma.


Dicas para o dia-a-dia
Para quem está sofrendo de ansiedade e não sabe como lidar com o problema, Maura de Albanesi dá três dicas que podem ajudar quando a crise surgir. Anote:


1 – Atenção quanto à respiração
“Na prática, a respiração coloca a pessoa em contato com ela mesma e em contato com o presente. É importante respirar bem fundo – de forma lenta – inspirando e expirando, isso tudo acalma”.


2 – Crie listas
“A pessoa pode anotar as questões que precisa priorizar, mas é essencial cumpri-las passo a passo, sem pular etapas [ansiosos tendem a fazer isso]. O segredo é ter planejamento, pois o ansioso tem uma tendência a se desorganizar. Quando a pessoa coloca esse futuro no papel, ela o traz para o presente e isso flui bem”, declara.


3 – Faça meditação
“Meditar e realizar exercícios de foco e atenção são ações muito úteis para ajudar na redução das ondas vibracionais mentais que estão a todo vapor dentro de uma pessoa ansiosa”, afirma. A meditação, por exemplo, ajuda a acalmar e diminui o estresse. Vários estudos comprovam sua eficácia quanto ao controle da ansiedade, além de questões como pânico – ou mesmo – depressão”.


Fonte: Doutíssima

A Lava Jato deve ir até o fim. Mesmo que leve ao fim do mundo



Tenho visto muita gente inteligente pedir o fim das investigações da Lava Jato, o fim das delações premiadas, o fim da prisão de empresários e políticos envolvidos em corrupção para que o país volte à ''estabilidade'' e encontre um ambiente ''favorável ao crescimento''.


Discordo. Faço coro com aqueles que pensam que o fio do novelo deve ir até o fim, doa a quem doer, atingindo lideranças políticas e econômicas, de todos os partidos envolvidos e não apenas em um ou outro. E venho dizendo isto neste espaço muito antes da Lava Jato existir. Uma presidente foi defenestrada. Que se defenestre outro baseado se forem apresentadas o mesmo tipo de ''provas'' apresentadas contra sua antecessora. Se a delação de um peixe grande, como Eduardo Cunha, representar o fim do mundo, que venha o meteoro.


Porque só assim o país terá uma chance de encontrar um ambiente favorável ao crescimento, não apenas de sua economia, mas também de sua democracia. Em que todos realmente serão iguais perante à lei, independentemente de sua política ser mais ou menos afinada com o mercado.


Momentos como este, mais do que uma catarse coletiva ou um show de pirotecnia, devem servir para darmos saltos como sociedade. Além de consolidar a proibição de doações de campanha por parte de empresas, seria fundamental avançarmos com a responsabilização criminal de pessoas jurídicas e não apenas de seus representantes. Num mundo em que o mercado insiste em garantir às empresas mais direitos que as pessoas, nada mais justo que elas possam ser criminalmente responsabilizadas como gente. Chega de princípios voluntários de direitos humanos empresariais! Que venham regras obrigando a empresas a serem responsáveis em termos de direitos fundamentais.


Temos que ir até o fim das investigações não apenas por conta dos crimes relacionados à corrupção, mas por todos os outros conectados a ele.


A suruba institucionalizada no poder público (do PT ao PSDB, passando sempre pelo eterno PMDB e congêneres) tem comprometido a qualidade de vida de milhões de brasileiros. Por exemplo, na construção civil, a vida em comunidades tradicionais em grandes obras de engenharia (rodovias, ferrovias, hidrelétricas e demais rolo-compressores feitos sem o devido planejamento e consulta pública), a dignidade de trabalhadores envolvidos na construção de casas, apartamentos e centros empresariais (trabalho escravo já foi encontrado no ''Minha Casa, Minha Vida'', do governo federal, e em obras da CDHU, do governo paulista), isso sem falar no fato de que a construção civil é um dos principais vetores do desmatamento da Amazônia (você acha que a madeira da floresta vira, preferencialmente, mesa de jantar na sala de europeu e não entra na construção do seu prédio? Sabe de nada, inocente).


Indignar-se com corrupção é fundamental, mas fácil. Quero ver é aproveitarmos esse momento para aplicarmos mecanismos a fim de combater a cesta de tragédias causadas pela liberdade dada dinheiro no Brasil. Que, executando uma visão messiânica de progresso elaborada pelo Estado em conjunto com o mercado, maltrata quem vive à margem dos direitos em nome do ''bem estar'' do restante da sociedade.


Desde sua fundação, o Brasil serve aos interesses de uma elite dominante, que sempre considerou o Estado uma continuidade de suas posses. Foi assim nas capitanias hereditárias, na época da Casa Grande das fazendas de cana-de-açúcar e café e para os coronéis do sertão e, hoje, aos da política e da comunicação.


Com a redemocratização na década de 80, aumentou o número de casos de corrupção que chegam ao conhecimento popular, seja por intermédio da mídia ou por instituições como o Ministério Público e o próprio poder Legislativo. Não porque, necessariamente, a coisa piorou, mas porque o acesso à informação melhorou. Essa grande quantidade de casos divulgados e a sensação (real) de que boa parte deles permanece impune foi levando a sociedade a perder a confiança no Estado e na política. Essa descrença somada aos exemplos históricos faz com que a população passe a acreditar, erroneamente, que a corrupção já está forjada em nossa nação e que não há nada a ser feito.


Mas quando a população perceber que governo e Justiça funcionam e que as instituições falham menos do que o aceitável, vai ser mais raro usar a parte ruim do chamado “jeitinho brasileiro” para conseguir ter uma reivindicação atendida de forma mais célere no dia a dia. Por exemplo, a implantação do Código de Defesa do Consumidor – um dos mais avançados do mundo – substituiu a necessidade de se ter uma boa relação com o comerciante para trocar um produto defeituoso por um suporte legal. O brasileiro percebeu que esse instrumento funcionava e passou a se utilizar das vias corretas para a solução dos seus problemas. A ação rápida de Procons e do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) também ajudaram nessa conscientização do consumidor.


Respeitamos as leis porque elas vêm acompanhadas de ameaças de sanções a quem transgredi-las. Para entender melhor, basta lembrar o que acontece no cotidiano. A população da cidade de São Paulo passou a utilizar o cinto de segurança não pelo fato de considerá-lo um item de segurança importante, mas pelo medo da multa. E se o retrocesso não baixar a partir de Primeiro de Janeiro, haverá tempo para entendermos que podemos ir mais devagar nas marginais que, mesmo assim, chegaremos em casa e, ainda por cima, salvaremos vidas.


Ao mesmo tempo, o papel fiscalizador da imprensa precisa ser aprimorado. É praticamente impossível que certos veículos de comunicação tragam à tona denúncias de corrupção uma vez que eles estão nas mãos das mesmas famílias que há décadas ditam os rumos da política. Isso acontece tanto no Nordeste (os Magalhães, na Bahia, os Sarney, no Maranhão, os Collor, em Alagoas) quanto no Sudeste. Isso se repete em certos veículos de alcance nacional também, é claro.


Por fim, a palavra nepotismo vem do latim ''nepote'', que significa neto ou sobrinho e ela começou a ser utilizada para designar os privilégios que os papas concediam a seus familiares. A prática de irmãos, primos, cunhados garantindo cargos públicos é rejeitada pela sociedade, mas é uma das expressões mais conhecidas da relação que a elite brasileira estabeleceu com o Estado.


Muitos parlamentares e governantes consideram normal colocar parentes em cargos que requerem confiança e dependem de nomeação.


A solução para o problema passa em reduzir o número de cargos de confiança, garantindo que o acesso a mais e mais funções se dê por concurso público, por mérito, e não indicação. Cria-se, dessa forma, um corpo burocrático permanente de qualidade, independente do poder de plantão. O atual governo federal prometeu que reduziria cargos de confiança, mas não cumpriu.


Só por curiosidade: em 2000, um deputado federal defendeu ''limitar'' o abuso, criando uma ''cota'' para o número de familiares que poderiam ser contratados como cargos de confiança no serviço público.''Poder contratar para as funções um ou dois parentes não é escandaloso'', afirmou.


Ele não é mais deputado.


Hoje é presidente da República.


Por: Leonardo Sakamoto


Fonte: Blog do Sakamoto/UOL

Lava Jato: Odebrecht afirma que José Serra recebeu caixa dois em conta na Suíça

A Odebrecht apontou à força-tarefa da Operação Lava Jato dois nomes que teriam atuado como operadores de R$ 23 milhões em caixa dois para a campanha presidencial do atual chanceler brasileiro, José Serra (PSDB), em 2010. Parte do dinheiro teria sido transferido por meio de conta na Suíça. As informações são da Folha de S. Paulo.


As articulações do repasse da propina teriam sido acertadas com o ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (ex-PSDB, hoje PSD), que integrava a coordenação política da campanha de Serra. Além dele, o nome de Márcio Fortes (PSDB-RJ) também foi apontado como negociador do esquema.


As afirmações foram feitas por dois executivos da Odebrecht durante as negociações para o acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e com os procuradores da Lava Jato. Um dos possíveis delatores é Pedro Novis, presidente da empresa entre 2002 e 2009 e membro do conselho administrativo. O segundo é Carlos Armando Paschoal, o CAP, que atuava no contato junto a políticos de São Paulo.


Os dois integram o grupo de 80 funcionários que negociam a colaboração premiada. Mais de 40 deles já estão com os termos definidos, como multas e penas a serem pagas, faltando apenas a assinatura dos acordos.


Os delatores pretendem entregar comprovantes de depósito feitos no exterior e no Brasil para comprovar a denúncia.


Pedro Novis e José Serra são amigos de longa data. O chanceler é chamado de "vizinho" em documentos internos da Odebrecht por conta de já ter sido vizinho do executivo. O tucano também era conhecido como "careca" em algumas ocasiões.


Outro lado
O Ministro das Relações Exteriores, José Serra, disse, através da assessoria, que "não vai se pronunciar sobre supostos vazamentos de supostas delações relativas a doações feitas ao partido em suas campanhas", reiterando que não cometeu irregularidades.


O advogado de Ronaldo Cezar Coelho disse que o cliente participou da campanha de 2010, mas não arrecadou dinheiro para o tucano. "Como fundador do PSDB, Ronaldo Cezar Coelho participou de todas as campanhas presidenciais da sigla", disse o criminalista Mariz de Oliveira.


A reportagem tentou contato com o ex-deputado Márcio Fortes por meio de telefone celular e de sua empresa, mas não obteve resposta até a conclusão desta edição.


A Odebrecht afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá se manifestar sobre a reportagem.


Fonte: Diário do Nordeste

Proposta por Temer, mesmo aposentado beneficiário do INSS será obrigado a contribuir com Previdência

A equipe responsável pela proposta de reforma da Previdência em estudos no governo, subordinada ao presidente Michel Temer, estuda mudar a Constituição para abrir caminho para a cobrança de contribuição previdenciária de todos os aposentados.


A ideia é que o governo federal, os Estados e os municípios tenham autonomia para estabelecer a cobrança. Isso pode impactar tanto segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) quanto servidores públicos.


Atualmente, a Constituição prevê que a contribuição deve ser paga apenas por inativos que recebem acima do teto do INSS (R$ 5.189,82). Ou seja, na prática só funcionários públicos são cobrados.


A cobrança, hoje, incide somente sobre o valor que excede o teto do INSS, e a alíquota deve ser igual à da ativa.


Servidores da União e da maioria dos Estados pagam contribuição de 11% na ativa. Em alguns casos, ela pode chegar a 14%. No INSS, há três alíquotas, a depender do salário do trabalhador, de 8%, 9% e 11%. Os militares, que têm regras próprias, pagam 7,5% na ativa e na reserva.


De acordo com a proposta da equipe de Temer, a Constituição passaria a prever que União, Estados e municípios terão competência de, por meio de leis, instituir essa tributação. Cada ente poderia estabelecer qual será a alíquota e taxar até quem recebe o piso previdenciário.


Para cobrar dos aposentados do INSS, que hoje não pagam a contribuição, caberia ao governo federal enviar ao Congresso um projeto de lei.


O trabalhador do setor privado que recebe um salário mínimo, por exemplo, paga R$ 70,40 de INSS (alíquota de 8%) e fica com R$ 809,60 líquidos. Ao se aposentar, deixa de pagar essa taxa e fica integralmente com os R$ 880.


Segundo um funcionário do governo que participa das discussões, a avaliação é que, como hoje o valor líquido na aposentadoria é maior que o salário da ativa, as pessoas são estimuladas a aposentar.


Segundo essa fonte, a situação atual vai contra um dos princípios da reforma: o de que a pessoa, ao aposentar, não deve receber valor acima do que recebia na ativa.


Mais trabalho
Um dos objetivos do governo com a reforma da Previdência é fazer com que os brasileiros passem mais tempo no mercado de trabalho.


A justificativa é que a expectativa de vida tem aumentado, a população jovem está diminuindo e a Previdência tem registrado resultados cada vez mais deficitários.


Antes de tomar a decisão de incluir ou não esse dispositivo na reforma, a expectativa é que Temer consulte os governadores, que têm enfrentado dificuldades financeiras.


O entendimento é que, se os governadores formalizarem apoio, o Planalto garante mais votos no Congresso.


O tema, no entanto, deve provocar mais reações contra a reforma, pois a eventual cobrança também atingiria quem se aposentou antes da possível aprovação dessa regra. Além disso, haveria uma queda imediata na renda de todos os aposentados.


A maioria das mudanças previstas terá impacto apenas para quem ainda não se aposentou –como as novas regras de acesso ao benefício.


O governo quer adotar idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, com pelo menos 25 anos de contribuição. As novas regras devem valer para homens com menos de 50 anos de idade e mulheres com menos de 45.


Fonte: Folha.com

Os 10 alimentos mais perigosos para as crianças

A Sociedade Brasileira de Pediatria elaborou uma lista dos dez alimentos mais perigosos para as crianças. Muitos partilham a ameaça de perigos físicos, potências alergênicas e/ou tóxicas, que podem se tornar um grande problema na hora da refeição.


Confira lista completa:


1. Amendoim
O maior perigo não é comer, mas seu filho aspirar um amendoim. Mas existem outros riscos: se uma criança coloca muitos na boca de uma vez só, ou se come rápido demais, há mais chances dela engasgar com um amendoim que não foi mastigado direito. Do ponto de vista nutricional, esse é um grão com muita gordura saturada, que é mais difícil de eliminar do corpo e a responsável por problemas como, por exemplo, hipertensão – mas isso apenas em casos extremos. Ele também é o que mais causa alergia alimentar nos Estados Unidos. Quando você oferecer ao seu filho, sirva poucos - e de pouquinho.


2. Azeitonas e caroços
Se você tem crianças em casa, prefira comprar azeitonas sem caroço. A possibilidade de elas morderem com força demais a azeitona e quebrarem ou lascarem um dente danificado existe sim. Isso sem falar no risco de engasgar. No caso de frutas com caroço, como a ameixa, é preferível servi-las já cortadas. Para as crianças que já comem bem sozinhas, uma boa recomendação para tomar cuidado deve ser o suficiente.


3. Balas
Balas são uma verdadeira paixão entre as crianças. São coloridas, docinhas e têm um monte de sabores deliciosos. Mas é bom ficar de olho nos pequenos para ter certeza de que não estão indo com muita vontade ao pote. Por serem feitas de açúcar, em excesso, elevam os ponteiros da balança, sem contar que podem provocar cáries - principalmente as mastigáveis, que costumam grudar nos dentes. Além disso, morder uma bala dura pode até mesmo comprometer a integridade dos dentes - e garantir uma visita especial ao dentista.


4. Bolachas e salgadinhos
Alimentos industrializados ricos em gordura, açúcar e sal trazem sérios riscos para as crianças, que podem sofrer com obesidade, hipertensão, colesterol ou triglicérides. Mais uma vez, a solução é não cometer exageros. Deixe a bolacha e o salgadinho para o fim de semana.


5. Fígado e outras vísceras
O fígado é o órgão responsável por eliminar toxinas do corpo, daí a possibilidade de que ele tenha uma alta concentração de substâncias estranhas ao organismo da criança. A boa notícia é que a maior parte delas é termosensível, o que significa que, se o fígado for bem cozido, as chances de infecção alimentar são mínimas. Vale lembrar que essa é uma das carnes mais ricas em ferro, nutriente essencial para evitar a anemia (falta de células vermelhas no sangue).


6. Mel
Não é só uma recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria, mas também da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o mel não deve ser dado a crianças antes de 1 ano de idade. Segundo a SBP, é ainda melhor esticar esse prazo até os 2 anos porque o mel pode estar contaminado com uma bactéria que causa o botulismo, doença que ataca o sistema nervoso e compromete o funcionamento dos músculos.


7. Ovo mal cozido
Quando for servir ovos em casa, garanta que eles estejam bem cozidos ou, se fritos, com a gema durinha. Cozinhar ou fritar bem os ovos afasta o perigo da contaminação por salmonela, doença que poder causar dores de barriga, diarreia e febre. No caso das crianças, que têm o sistema imunológico em formação, é até possível que haja algumas complicações e a necessidade de ir para o hospital.


8.Peixes com espinhas
Nesse caso, engasgar com as espinhas é a grande preocupação. Se o seu filho já se alimenta bem sozinho, oriente-o a comer o peixe aos poucos, em pedaços pequenos, mastigando muito bem e sem pressa. Se ele for pequeno, é a sua atenção que deve ser redobrada. Tire todos os espinhos que você encontrar antes de servir. Também é importante conhecer bem a qualidade do local onde você compra peixe. Não custa lembrar que ele precisa aparecer na mesa da sua casa por, no mínimo, três vezes por semana. Afinal, os benefícios dele ao nosso organismo são muitos. Peixes ajudam no desenvolvimento cerebral das crianças e ainda são fontes fartas de proteína, minerais e vitaminas.


9. Pipoca
Doce, salgada, branquinha ou colorida, é difícil não gostar de uma pipoca quentinha – ainda mais se acompanhada de um filme muito legal. O grande problema está, na verdade, no risco de engasgar com uma delas. Ensine seu filho a comer devagar, em pequenas porções, e a mastigar bem cada bocado, lembrando que pipocas, no mundo ideal, só devem ser consumidas a partir de 4 anos.


10. Refrigerantes
Além dos problemas mais conhecidos, como a obesidade e as cáries dentárias, os refrigerantes também trazem o risco de a criança desenvolver osteoporose quando mais velha. Os fosfatos presentes nas suas fórmulas aumentam a presença de fósforo no organismo, o que impede a absorção de cálcio, substância mais do que importante para a constituição dos ossos.


Fonte: O Povo

Eleições 2016: Saiba como justificar a ausência no segundo turno

Neste domingo (30), milhões de eleitores voltam às urnas para o segundo turno das eleições que vai eleger os chefes dos executivos municipais de 57 cidades. Se você estará fora do seu domicílio eleitoral, no dia da votação, fique atento às orientações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para tirar as suas dúvidas, confira uma lista de perguntas e resposta sobre o assunto.


Quem precisa fazer a justificativa eleitoral?
Devem justificar a ausência da votação todos os eleitores que estiverem fora dos domicílios eleitorais onde haverá disputa no segundo turno. Se na sua cidade as eleições para prefeito já foram decididas na primeira fase da disputa, o pleito já foi dado como encerrado.


Não estarei na cidade onde voto, o que fazer?
Quem estará fora do seu domicílio eleitoral precisa justificar a ausência do voto no dia da eleição. Nesse caso, o eleitor deve preencher e entregar o Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE) nos locais de justificativa. É necessário levar o título de eleitor e um documento com foto.


Como saber quais são os locais para justificar a ausência do voto?
Os locais de justificativa são definidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de cada estado. Os eleitores podem consultar os locais na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


É possível fazer a justificativa eleitoral na mesma cidade em que você vota?
Não. Só pode justificar a ausência aqueles que estiverem fora do seu domicílio eleitoral no dia das eleições. Caso contrário, o eleitor deve se dirigir para a sua zona eleitoral e exercer o direito do voto.


Onde retiro o Requerimento de Justificativa Eleitoral?
O formulário pode ser obtido gratuitamente nos postos de atendimento ao eleitor, em cartórios eleitorais, na página do TSE ou nas páginas dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). No dia da eleição, os locais de votação ou postos justificativa também disponibilizam o documento.


Posso justificar a ausência do voto depois da eleição?
Sim. O prazo para justificativa eleitoral é de 60 dias após as eleições. Nesse período, o eleitor deve se dirigir a um cartório eleitoral com o título de eleitor e um documento com foto, preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição), que pode ser retirado no próprio local gratuitamente. O cidadão ainda tem a opção de enviar o documento pelos correios ao juiz da sua zona eleitoral.


No caso de justificava após as eleições, além do requerimento, é preciso apresentar um documento que comprove a sua ausência. Por exemplo, bilhete da passagem, atestado médico. Neste ano, quem deixou de votar no primeiro turno tem até 1º de dezembro de 2016 para justificar. No caso do segundo turmo, o prazo vai até o dia 29 de dezembro de 2016.


Perdi todos os prazos para justificar a ausência, o que devo fazer?
O eleitor que não justifica a ausência no pleito dentro do prazo de 60 dias após a eleição, ele fica em débito com a Justiça Eleitoral. Para regularizar sua situação, primeiro ele deve solicitar a Guia de Recolhimento da União (GRU) em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor. Depois ele deve pagar uma multa, que varia de R$ 1,05 até R$ 3,51, por turno, para obter a certidão de quitação eleitoral.


O que acontece se o eleitor não pagar a multa?
O não pagamento da multa impede que o eleitor solicite a Certidão de Quitação Eleitoral. Em débito com a Justiça Eleitoral, o cidadão fica impedido de solicitar passaporte ou carteira de identidade, pedir empréstimo, participar de concurso público, inscrever-se em instituições públicas de ensino e, se tratando de funcionário público, a pessoa fica impedida de receber o salário.


Não votei no primeiro turno, posso votar no segundo?
Sim, pois de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, cada turno representa uma eleição. Mas é preciso que a sua situação com a Justiça eleitoral esteja regularizada e o título de eleitor não esteja cancelado ou suspenso. Isso porquê quando o eleitor que deixa de votar em três eleições seguidas, sem apresentar justificativa, o título é cancelado e ele fica impedido de votar.


Fonte: Agência Brasil