1

1

Google+ Followers

sábado, 15 de outubro de 2016

Resultado da Quina 4209, sábado, 15/10/2016

Resultado da Quina 4209, sábado, 15/10/2016

O resultado da Quina 4209 será divulgado no GIGA-SENA dia 15/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas.

A Quina 4209 ocorrerá no dia 15 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 600.000,00 para quem acertar o resultado da Quina 4209. Quem acertar a QUADRA com 4 números, o TERNO com 3 números ou o DUQUE com 2 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 5 números no resultado da Quina concurso 4209 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Quina.
Os valores de cada prêmio da Quina 4209 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 4209 DATA 15/10/2016
27
49
55
62
74
 
QUINAQUADRATERNODUQUE
prêmio
0,005.412,03127,882,97
ganhadores
x 0x 64x 4.073x 96.331
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 17/10/2016Prêmio Estimado: R$ 1.400.000,00
[AVISO] A QUINA AGORA PAGA 2 ACERTOS!

Resultado da Mega Sena 1866, sábado, 15/10/2016

Resultado da Mega Sena 1866, sábado, 15/10/2016

O resultado da Mega Sena 1866 será divulgado no GIGA-SENA dia 15/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas direto do Caminhão da Sorte.

A Mega Sena 1866 ocorrerá no dia 15 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 27.000.000,00 para quem acertar o resultado da Mega Sena 1866. Quem acertar a QUINA com 5 números ou a QUADRA com 4 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 6 números no resultado da Mega Sena concurso 1866 o prêmio principal acumula para opróximo concurso da Mega Sena.
Os valores de cada prêmio da Mega Sena 1866 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 1866 DATA 15/10/2016
14
17
36
38
44
60
 
SENAQUINAQUADRA
prêmio
0,0020.175,94601,15
ganhadores
x 0x 129x 6.185
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 18/10/2016Prêmio Estimado: R$ 33.000.000,00

Resultado da Dupla Sena 1557, sábado, 15/10/2016

Resultado da Dupla Sena 1557, sábado, 15/10/2016

O resultado da Dupla Sena 1557 será divulgado no GIGA-SENA dia 15/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas.

A Dupla Sena 1557 ocorrerá no dia 15 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 1.000.000,00 para quem acertar o resultado da Dupla Sena 1557 no primeiro sorteio. Quem acertar a QUINA com 5 números, a QUADRA com 4 números ou o TERNO com 3 números em qualquer um dos dois sorteios também ganha prêmio de menor valor. Se não houver ganhador com 6 números no resultado da Dupla Sena concurso 1557 em qualquer um dos dois sorteios o prêmio acumula para o primeiro sorteio do próximo concurso da Dupla Sena.
Os valores de cada prêmio da Dupla Sena 1557 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 1557 DATA 15/10/2016
1º Sorteio
04
10
25
27
41
50
 
SENAQUINAQUADRATERNO
prêmio
997.028,901.379,9646,051,82
ganhadores
x 1x 41x 1.404x 17.675
2º Sorteio
02
06
20
27
39
49
SENAQUINAQUADRATERNO
0,003.637,1892,632,22
x 0x 14x 698x 14.523
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 18/10/2016Prêmio Estimado: R$ 160.000,00
[AVISO] A DUPLA-SENA AGORA PAGA 3 ACERTOS!

Resultado da Timemania 943, sábado, 15/10/2016

Resultado da Timemania 943, sábado, 15/10/2016

O resultado da Timemania 943 será divulgado no GIGA-SENA dia 15/10/2016, sábado, a partir das 20:00 horas.

A Timemania 943 ocorrerá no dia 15 de outubro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 400.000,00 para quem acertar o resultado da Timemania 943. Quem acertar 6, 5, 4 ou 3 números, ou o Time do Coração, também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 7 números no resultado da Timemania concurso 943 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Timemania.
Os valores de cada prêmio da Timemania 943 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 943 DATA 15/10/2016
04
27
38
52
53
69
72
Time do Coração
SÃO CAETANO/SP
 
7 acertos6 acertos5 acertos4 acertos3 acertosTime
prêmio
0,0068.590,591.053,616,002,005,00
ganhadores
x 0x 1x 93x 1.979x 20.342x 4.345
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 18/10/2016Prêmio Estimado: R$ 600.000,00

Arritmias cardíacas: veja os cuidados ao praticar exercícios...

Consulta médica, entender ritmo e intensidade e atenção à medicação são fundamentais


No Brasil, são cerca de 40 milhões de pessoas convivendo com o problema, de acordo com a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC). Batimento cardíaco irregular, palpitações, sensação de esmagamento ou aceleração cardíaca. Esses são os principais sintomas da arritmia cardíaca, uma alteração que surge em função de um distúrbio do sistema elétrico do coração, que faz com que as contrações musculares aconteçam de forma desordenada. Quando a arritmia está presente, o batimento pode ser muito lento, muito rápido ou irregular, prejudicando o funcionamento do órgão e, podendo trazer consequências, como angina (dor no peito), infarto, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC) e até morte súbita.


Existem vários tipos de arritmia cardíaca, algumas delas apresentam alto risco outras são benignas e mais fáceis de conviver. O cardiologista Adalberto Lorga, presidente da SOBRAC, explica que a prevenção é sempre o melhor remédio quando se trata do tratamento de arritmia cardíaca. Uma das formas de evitar complicações é praticando exercícios físicos - sempre bem feitos, com moderação e responsabilidade. O exercício moderado e de baixa intensidade melhora a hipertensão e a circulação, ajudando a reduzir as chances de arritmia, explica o cardiologista Adalberto. Pode começar a treinar, mas antes tome todos os cuidados necessários para evitar problemas. Veja quais são a seguir.


Consulta médica e exames
"Se o portador de arritmias cardíacas deve ou não fazer exercícios físicos é uma decisão que deve ser feita sempre em conjunto com o médico", recomenda Adalberto Lorga. O cardiologista é o profissional ideal para identificar se há arritmias e de que tipo ela é. Essa recomendação vale para qualquer indivíduo, mesmo que ele não desconfie que tem arritmias. Isso porque existem arritmias silenciosas, como a Síndrome do QT longo e a Síndrome de Brugada, que quando percebidas podem provocar danos irreversíveis, causando infartos fulminantes.


"Caso alguém na família, principalmente pais e avós, já tiveram arritmias cardíacas, insuficiência cardíaca, infarto, AVC, outras doenças cardiovasculares (como hipertensão) e até morte súbita, deve redobrar a atenção antes de fazer exercícios físicos", explica o cardiologista Leandro Zimerman. A genética pode ter influencia no aparecimento dessas alterações, aumentando as chance de arritmias cardíacas.


O médico poderá pedir exames como o eletrocardiograma, que através de eletrodos colocados na pele detecta como estão sendo transmitidos os impulsos elétricos do coração. O teste de esforço, que também pode ser solicitado, é feito com análise do comportamento do coração enquanto o paciente caminha e corre numa esteira. Por vezes é feita a análise Holter, que avalia a frequência e ritmo cardíaco por 24 horas, enquanto a pessoa avaliada anota num diário todas as atividades deste dia. Tudo isso irá auxiliar o médico a identificar qual é a frequência e a intensidade dos exercícios praticados de forma segura.


Caso você use medicação betabloqueadora
Os remédios betabloqueadores são usados para arritmias cardíacas e agem inibindo que o coração cardíaco chegue a picos de frequência cardíaca. "Quem usa esse tipo de remédio não deve se basear na frequência cardíaca, que estará naturalmente alterada", explica o cardiologista Adalberto. Nesse caso o exercício físico não está contraindicado, mas sua intensidade deve ser avaliada através de outros métodos que não a frequência cardíaca. A principal delas é percepção do esforço: "a pessoa não pode se cansar e não deve nunca ultrapassar seus limites, o exercício tem que ser leve", explica Adalberto. Abre-se uma exceção para os casos em que a atividade é acompanhada por um profissional, educador físico ou fisioterapeuta, especializado em reabilitação cardíaca. Nesse caso o profissional avaliará o paciente, através de testes específicos que identificam a frequência cardíaca que pode ser atingida com o uso de medicamentos e outras variáveis, e o acompanhará durante a rotina de atividades, garantindo a segurança.


Intensidade e tempo com que o exercício deve ser feito
A intensidade, o tempo e a frequência da atividade física dependem inicialmente da determinação do risco do paciente. "Indivíduos com arritmias de baixo risco, como a extrassístole supraventricular, podem fazer o exercício que quiserem, sem restrições, desde que com avaliação médica", explica Leandro Zimerman.


Já para pessoas com arritmia de riscos um pouco mais altos, o cardiologista Adalberto Lorga explica que o ideal é sempre começar a atividade de acordo com a recomendação médica ou por atividades mais leves, como a caminhada com duração de 30 a 40 minutos três ou quatro vezes por semana. A partir da recomendação do médico, fisioterapeuta ou educador físico o exercício pode se tornar mais forte. O mais importante é que ele seja sempre mantido abaixo da zona de frequência e ritmo do coração que apresentam riscos.


Sintomas que merecem atenção
Caso você já saiba que tem arritmia cardíaca, a atenção a alguns sintomas que podem aparecer durante o exercício físico merece ainda mais atenção. Dor torácica, palpitações, vertigem, tontura, sudorese excessiva - maior do que você costuma ter -, falta de ar, palidez, coração acelerado, batidas do coração fora do ritmo são sinais de que você deve interromper a atividade física. Em seguida é hora de procurar o médico. O cardiologista Leandro Zimerman explica que o médico avaliará o motivo pelo qual se deu a alteração e indicará se o paciente deve parar os exercícios físicos ou se deve alterar o ritmo. "Em alguns casos, quando a alteração é bem suportada pelo paciente e não apresenta riscos à saúde, ele pode até ser mantido, mas sempre depois de consulta médica", esclarece o cardiologista Leandro.


Descanse depois
Para que o coração se recupere do esforço, é muito importante permitir que o músculo retome os batimentos normais ao final do exercício. O cardiologista Leandro Zimerman orienta que nos últimos dez a 15 minutos finais, o ritmo seja progressivamente diminuído até a parada. "Essa medida já ajuda o coração a retornar a seu ritmo norma", explica Leandro. Logo após o exercício, caso você se sinta cansado, descanse até que se sinta pronto para continuar as rotinas do dia. Além disso, o coração precisa de um tempo de descanso até que seja submetido a um novo esforço. Espere ao menos um dia até se submeter ao exercício novamente.


Casos específicos
"Pessoas com arritmia cardíaca que já tenham insuficiência cardíaca ou doenças das artérias coronárias - os vasos que levam o sangue ao coração e que podem ser facilmente entupidas - estão, salvo aval médico, proibidas de fazer atividades, principalmente sem o acompanhamento de um profissional", explica o cardiologista Adalberto. Essa restrição acontece porque os riscos são muito maiores nesses casos. Podem surgir falta de ar durante e após a atividade física, palpitações, pulso irregular, fadiga, fraqueza, dor no peito e desmaios.



Descubra a característica masculina mais atraente que beleza e bom humor

A maioria das pessoas pensam que, se não é beleza que torna um homem mais atraente para as mulheres, então deve ser definitivamente seu senso de humor. Porém, estudos mostram consistentemente que o altruísmo é uma qualidade superior quando o assunto é atrair as mulheres que estejam à procura de um relacionamento.


E um novo estudo publicado no British Journal of Psychology descobriu que os homens altruístas também podem fazer mais sexo. Os pesquisadores perguntaram a adultos canadenses solteiros quantas boas ações eles fizeram, como dar dinheiro para caridade ou ajudar alguém a tirar o seu carro da neve. Então, os participantes tiveram que responder quantas vezes eles tiveram relações sexuais e quantas parceiras tiveram.


Há um momento do mês no qual homens acham mulheres mais atraentes
Homens que relataram mais atos altruístas faziam mais sexo – e tinham mais parceiros. Para aqueles que estavam em relacionamentos, homens de bom coração também eram mais propensos a ter mais relações sexuais nos últimos 30 dias.


No segundo experimento do estudo, os pesquisadores perguntaram a alunos de graduação se eles gostariam de doar dinheiro para a caridade o dinheiro que eles poderiam receber para participar do estudo. Aqueles que disseram que doariam também tinham tendência a fazer mais sexo casual, mais sexo nos relacionamentos e tinham mais parceiros sexuais ao longo da vida.


Altruísmo é melhor do que boa aparência?
Outro estudo, publicado em janeiro passado na revista Evolutionary Psychology, apresentou a 202 mulheres homens diferentes para escolher. As diferentes combinações de opções eram atraente ou não e se eles fizeram uma boa ação ou não.
As mulheres escolheram os homens egoístas, mas atraentes para um caso de uma noite. Mas, para um relacionamento de longo prazo, eles escolheram o homem altruísta – quer ele fosse atraente ou não.


Matemática do amor: a lógica que rege relacionamentos longos e ficadas
Um estudo um pouco mais antigo, publicado no The Journal of Social Psychology em 2013, foi a fundo na questão e concluiu que as mulheres valorizam o altruísmo acima de outras características como uma medida para saber se um parceiro em potencial seria um bom pai. As mulheres também disseram que o altruísmo era importante em relacionamentos de curto prazo, mas significativamente mais mulheres disseram que a característica importava para o longo prazo.
Outro estudo, ainda, publicado na Social Psychological and Personality Science em julho de 2015, analisou respostas de alemães a uma grande pesquisa anual. Pessoas solteiras que relataram fazer boas ações eram muito mais propensas a dizer que estavam em um relacionamento no ano seguinte. Elas também levaram menos tempo para encontrar um parceiro do que as não-altruístas.


O que mais conta?
Tudo isso não quer dizer que outras características não são importantes. Pesquisadores descobriram que o humor também é definitivo para as mulheres na hora de escolher um parceiro, já que as mulheres assumem que um homem bem humorado é mais inteligente.
O senso de humor também é um bom indicador de atividade sexual. Em um estudo, homens que as mulheres classificaram como mais engraçados relataram ter mais relações sexuais com mais parceiras.
No entanto, quando o assunto é a construção de relacionamentos de longo prazo, os pesquisadores continuam chegando à conclusão que o altruísmo é uma característica crucial e altamente desejável.


Cautela com os dados
Psicólogos ainda não colocaram humor versus altruísmo em um estudo, mas é importante ter em mente que muitas destas pesquisas são pequenas e que as pessoas muitas vezes se comportam de forma diferente em um ambiente de laboratório ou ao responder a um questionário. Especialmente quando relatam experiências positivas como trabalho de caridade ou sexo, os homens podem ser mais propensos a superestimar o quanto eles realmente fazem dessas coisas.


Até bebês apreciam altruísmo
E, por causa da maneira que estes tipos de estudos são concebidos, eles não podem dizer conclusivamente que é o altruísmo, especificamente, que é atraente. Pode haver outros traços associados com altruísmo ou um homem que já é atraente por outras razões e podem acabar também sendo altruísta.
Porém, o grande número de estudos e os resultados consistentes em favor do altruísmo reforçando a tese de que há alguns benefícios colaterais de fazer boas ações. Ou seja, se você é um homem que está procurando por uma mulher – especialmente para um relacionamento sério – ajudar os outros não faz mal a ninguém. [I Fucking Love Science]



6 hábitos que podem prevenir a perda de memória

Atividades físicas aliadas a uma boa alimentação são medidas fundamentais


Ao falarmos em perda de memória, logo nos vem à cabeça o Alzheimer, doença generativa do cérebro, que acomete cerca de um milhão de pessoas no Brasil, especialmente, entre os 60 a 90 anos.


Mas, conforme destaca Ivan Okamoto, neurologista do Núcleo de Memória do Hospital Albert Einstein, é importante entender a diferença entre a doença e a “perda de memória” própria da idade, que é decorrente do envelhecimento. “Na verdade, não devemos chamar de uma ‘perda’ de memória, mas sim de uma ‘mudança’ de memória, que passa a ser processada mais lentamente, a partir dos 60 a 65 anos”, diz. Neste segundo caso, não há sentido falar de métodos preventivos, já este que é um processo natural.


Em relação à doença de Alzheimer, Ivan Okamoto destaca que ainda não existe nada totalmente comprovado, mas alguns estudos sugerem que alguns hábitos (citados abaixo) parecem estar relacionados à sua prevenção:


1. Atividades físicas


Entre os vários benefícios que as atividades físicas oferecem está também o fato de manter o nosso cérebro saudável.
“Muitos estudos indicaram que a prevenção da doença esteja relacionada à prática de atividades físicas aeróbicas, no mínimo, três vezes por semana”, explica o neurologista Okamoto.


2. Alimentação balanceada


Ainda de acordo com o médico, manter uma alimentação bem balanceada – com a presença equilibrada de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas etc. – parece importante para prevenir a doença de Alzheimer.
“Acredita-se que associar as atividades físicas a uma boa alimentação, com a presença de legumes e peixes – que contêm ômega 3 -, sem abusar de carboidratos e outros alimentos, é importante para a prevenção da doença”, destaca Ivan Okamoto.


3. Prevenção de fatores de riscos vasculares


O neurologista acrescenta que, pessoas que “se protegem” contra diabetes, hipertensão, obesidade e colesterol – considerados fatores de riscos vasculares – também estão no caminho de tentar prevenir a doença de Alzheimer.
Para isso, além de uma alimentação balanceada associada a atividades físicas, é muito importante fazer visitas regulares a médicos e realizar todos os exames pedidos pelos profissionais.


4. Manter a atividade intelectual ativa


Você já deve ter ouvido falar que fazer palavras cruzadas e jogar xadrez são medidas importantes, que podem ajudar a prevenir a perda de memória. O neurologista Ivan Okamoto explica que este não é mito, mas que esta dentro de uma ideia mais ampla: de manter a atividade intelectual ativa, balanceada com o lazer.
“Palavras cruzadas, xadrez, jogos de videogame podem até ajudar. Mas sugiro ainda ir ao cinema, ler, assistir a espetáculos no teatro. Tudo isso está dentro da ideia de manter a atividade intelectual”, explica o médico.


5. Tratar corretamente um caso de depressão


De acordo com o neurologista Okamoto, uma depressão não curada pode estar associada a queixas de falta de concentração e, posteriormente, de memória.
Portanto, em casos de depressão, o problema deve ser tratado com acompanhamento médico e a pessoa nunca deverá ignorar essa questão e muito menos se automedicar.


6. Dormir bem


“É durante o sono que a gente consolida nossas memórias. Ou seja, ela é construída, organizada neste período”, explica o neurologista Okamoto. Por isso é muito importante ter boas noites de sono.


O que evitar?


Ivan Okamoto destaca que é fundamental evitar álcool, drogas e algumas medicações. Inclusive, o ato de se automedicar. Pois esses hábitos interferem na capacidade de concentração e podem estar relacionados à perda de memória.


Doença de Alzheimer: sintomas, diagnóstico e tratamento


Os primeiros sinais da doença de Alzheimer são a perda de memória e o comportamento alterado do indivíduo. Mas vale destacar que não é qualquer perda de memória que é preocupante, mas, sim, aquela que se repete e começa a comprometer o dia a dia da pessoa.
O diagnóstico se dá com a entrevista médica e a exclusão de outras doenças, por meio de exames de sangue e de imagem (tomografia ou ressonância magnética).
Quanto ao tratamento, existem, atualmente, medicações que estabilizam a doença ou diminuem a velocidade de perda funcional em cerca de cinco anos ou mais, podendo, assim, oferecer mais tempo com qualidade de vida ao paciente e aos familiares.
Agora você já sabe mais sobre a doença e, principalmente, que uma alimentação bem balanceada, associada à prevenção de fatores de riscos vasculares (hipertensão, diabetes, obesidade) e à prática de atividades físicas aeróbicas, no mínimo, três vezes por semana, é a melhor maneira de se tentar prevenir a doença.



É sinusite, resfriado ou alergia? Como diferenciar?

Dor de cabeça, espirros, congestão nasal ou coriza são sintomas comuns de condições bastante diferentes: sinusite, resfriados e alergias. Nem sempre é simples identificar o problema, mas a diferenciação é essencial para apostar no tratamento adequado. Confira os principais sintomas de cada um e aprenda a distinguir:


Sintomas de sinusite
Congestão nasal com dores no centro do rosto, coriza verde ou amarelada, dor nos dentes, mau hálito, febre e dor de cabeças são os principais sintomas da sinusite, que pode ser desencadeada por vírus, bactérias ou mesmo alergias e resfriados. O problema pode desaparecer sozinho ou com ajuda de medicamentos simples. Se os sintomas ultrapassam uma semana, um médico talvez precise receitar antibióticos.


Sintomas de resfriado
Nariz entupido, coriza incolor, tosse, dores de cabeça e cansaço são alguns dos principais sintomas do resfriado provocado por um vírus. Chás naturais ou mesmo remédios simples podem combater o problema, mas se os sintomas ultrapassam o prazo de 7 dias vale realizar uma nova consulta com um médico.


Sintomas de alergia
Alguns dos principais sintomas de alergia são excesso de espirros, coceira no nariz e nos olhos, coriza aquosa e incolor e, em alguns casos, congestão nasal. A condição pode aparecer e desaparecer durante todo o ano ou em determinadas estações, de acordo com o tipo pessoal de alergia e normalmente é combatida com medicamentos antialérgicos receitados pelo médico.



Fonte: http://www.vix.com/pt/saude/522638/e-sinusite-resfriado-ou-alergia-como-diferenciar - ESCRITO POR PAULO NOBUO - SOLGAS/SHUTTERSTOCK

Pense nisso.

Foto

8 alimentos poderosos para emagrecer

Alguns alimentos têm quase "poderes mágicos" e devem fazer parte do cardápio para emagrecer. E o melhor: todos ao seu alcance! Descubra os segredos deles


Emagrecer é um desafio para muitas pessoas que sofrem com o sobrepeso ou que só querem eliminar alguns quilos para ficarem mais leves para a corrida. O segredo para emagrecer é apostar no equilíbrio e na seleção de alimentos que contêm propriedades específicas para esse fim. Veja o que incluir no carrinho do seu supermercado para emagrecer com saúde:


1. Cogumelos
Eles são ricos em proteína e fibra e pobres em gordura e sódio. Essa é a equação perfeita para quem quer emagrecer, pois o alimento proporciona saciedade sem fornecer muitas calorias ou provocar inchaço por causa do sal. Um estudo da Universidade Johns Hopkins (EUA) mostrou que as pessoas que optaram por pratos feitos com cogumelos se sentiram tão satisfeitas quanto aquelas que escolheram receitas baseadas em carne vermelha, embora tenham ingerido uma quantidade muito menor de calorias e gorduras.
Outro trabalho da Universidade de Buffalo (EUA), revelou um benefício específico do cogumelo do tipo Portobello. Segundos os pesquisadores, ele ajuda a regular os níveis de glicose do organismo, fazendo com que a pessoa se sinta satisfeita por um período mais longo. Por isso, ele é uma boa opção para a turma que precisa de energia por mais tempo para encarar a malhação, por exemplo, e ainda evita picos de insulina, o que pode provocar uma maior estocagem de gordura corporal e desencadear problemas metabólicos que costumam resultar em doenças, como diabetes, colesterol alto e problemas coronários.
Mas para obter todos esses benefícios é preciso ter alguns cuidados na hora do preparo. Nada de pesar a mão na manteiga e muito cuidado ao colocar o sal ou o shoyu, pois esse alimento funciona como uma esponja e pode acabar absorvendo sódio demais. E prefira a versão cozida, pois o processo retira a água e concentra os nutrientes e o sabor.


2. Chia
São capazes de dar uma grande ajuda para quem quer emagrecer. Elas são riquíssimas em ômega-3, uma gordura que desinflama as células e coloca em cheque processos inflamatórios que podem emperrar o funcionamento do metabolismo. Em conjunto com alguns minerais que também estão presentes no alimento, esse nutriente ainda equilibra o nível do hormônio cortisol, o que melhora a queima de gorduras. E como se não bastasse tudo isso, a chia ainda contém muita fibra, o que melhora o funcionamento do intestino, diminuindo o inchaço abdominal, reduz o apetite, diminui a absorção de açúcares e gorduras e estabiliza os níveis de açúcar no sangue, evitando picos de insulina.
A chia ainda é capaz de absorver até 20 vezes o seu tamanho em líquido, o que forma um volume dentro do estômago, fazendo com que a pessoa se sinta satisfeita mais rápido. O ideal é consumir uma a duas colheres de sopa misturadas em sucos, vitaminas ou iogurtes.


3. Maçã
Diz o ditado que comer uma maçã por dia mantém o médico longe. E não faltam razões para mostrar que a fruta também ajuda na perda de peso. Uma delas é a sua grande quantidade de fibras, em especial a pectina. Uma unidade média contém cerca de 4 g desse nutriente. Um estudo recente publicado no periódico científico Journal of Nutrition mostrou que esse tipo de substância ajuda a evitar o ganho de peso e até dá uma força no emagrecimento. Isso acontece porque ela faz com que o esvaziamento gástrico fique mais lento, diminuindo o apetite por mais tempo, reduz a absorção do açúcar, diminuindo a estocagem de gordura, controla os picos de glicose no sangue e ajuda no combate do mal colesterol.
O fato de a maçã ser tão crocante também ajuda, pois exige que a pessoa mastigue cada mordida por mais tempo, fazendo com que nosso cérebro receba mais estímulos para sinalizar a saciedade. Isso sem falar que ela tem ação adstringente, o que beneficia o funcionamento do fígado, ajudando na eliminação de impurezas e toxinas, e tem ação diurética, graças ao seu alto teor de potássio que contribui para a eliminação do excesso de sódio, combatendo o inchaço provocado pela retenção de líquido.
A fruta ainda tem uma boa porção de polifenóis, compostos antioxidantes que, segundo um estudo da Universidade de Ciências do Esporte Nippon (Japão), possuem ação lipolítica, ou seja, ajudam a promover a perda de gordura corporal. Uma boa dica é comer uma unidade de 15 min a 20 min antes das refeições, ajudando a controlar a fome, mas sem retirar a casca, pois é lá que está boa parte dos seus nutrientes.


4. Abacate
O abacate auxilia a emagrecer exatamente por causa da sua alta concentração de gorduras benéficas, do tipo monoinsaturado, que prolongam a saciedade, efeito que é reforçado pelas fibras presentes no alimento. Alguns estudos já mostraram que o seu consumo, associado a fontes de carboidrato, diminui o índice glicêmico da refeição, reduzindo os picos de insulina que aumentam as chances de a pessoa engordar e ter problemas de saúde, como diabetes.
O abacate ainda conta com ômega-9, outro tipo de gordura saudável que, de acordo com estudos, diminui a formação de pneuzinhos na região abdominal e ativa um hormônio chamado adiponectina, o qual comanda o corpo a produzir a energia de que precisa a partir dos depósitos de gordura. Para terminar, ele ainda estimula a produção de colágeno, melhorando o aspecto da pele, auxilia na recuperação muscular após o treino e mata a vontade de comer um docinho.


5. Ovo
Esse alimento sempre foi mal visto por causa da sua fama de aumentar o colesterol ruim, mas vários estudos recentes colocaram isso por terra e ainda mostraram que ele é uma ótima opção para a perda de peso. Um estudo recente publicado no periódico científico International Journal of Obesity revelou que quem come ovos no café da manhã reduz a sua ingestão calórica ao longo do dia, chegando a comer até 400 cal a menos. Isso porque essas pessoas se sentem mais satisfeitas, especialmente na hora do almoço, e têm menos vontade de ficar beliscando entre as refeições.
Outro trabalho realizado na Universidade de Louisiana (EUA) comprovou esse efeito, mostrando que quem colocou dois ovos no seu cardápio matutino diário durante três meses perdeu 65% mais peso e 61% mais gordura corporal do que aqueles que optaram por pão e ainda sentiram um aumento na sua energia. E nada de ficar só com a clara. Evidências científicas já demonstraram que a gema tem proteínas que estimulam a liberação do hormônio glucagon, que melhora a queima de gordura e combate a formação de pneuzinhos na região da barriga.


6. Amêndoas
Mastigar bem um punhado de amêndoas com cerca de 50 g ajuda a cortar a fome. Essa foi a conclusão publicada no periódico científico American Journal of Clinical Nutrition por uma equipe de pesquisadores da Universidade Purdue (EUA), que descobriu que quanto mais o alimento é mastigado, melhor é a liberação da sua gordura monoinsaturada, considerada o tipo “do bem”. Essa substância ativa hormônios que aumentam a sensação de saciedade e, junto com o selênio e a vitamina E, que também estão presentes nas amêndoas, atua como antioxidante e regeneradora das células do fígado, processo que, além de combater os radicais livres, tem ação anti-inflamatória, ajudando no processo de emagrecimento.
O alimento ainda é rico em magnésio, que ajuda a combater o estresse. Além de melhorar o humor, isso diminui na circulação a quantidade de cortisol, hormônio liberado quando estamos com os nervos à flor da pele e que favorece o ganho de peso. E ele ainda tem B12, uma vitamina que garante um gás extra.




7. Iogurte
Contém proteína de alta qualidade, que mantém a saúde da massa magra e aumenta a saciedade, e uma grande quantidade de cálcio, que além de deixar os ossos e os dentes fortes, ajuda no sistema nervoso autônomo, o que favorece o aumento do metabolismo e facilita a queima de gordura para a obtenção de energia.
Durante o seu processo de fabricação, o iogurte recebe uma mistura de bactérias benéficas (os lactobacilos são uma delas), que ajudam a reduzir a absorção e gordura pelo corpo e melhoram a sua digestão. Elas ainda eliminam o excesso de micro-organismos prejudiciais do intestino, provenientes de hábitos alimentares ruins, melhorando o seu funcionamento e evitando a formação de gases, o que ajuda a deixar a barriga menos inchada.
Como se não bastassem todos esses benefícios, uma pesquisa publicada na revista científica Nature no ano passado não deixou dúvidas de que esse equilíbrio na flora bacteriana é indispensável para a manutenção do peso corporal. O ideal é consumir a versão natural, processada sem açúcar, adoçantes e corantes, ingredientes que reduzem a ação dos lactobacilos.


8. Gengibre
Um trabalho feito na China mostrou que o seu consumo diário (cerca de 5 cm) pode aumentar o metabolismo em até 20%. Esse efeito acontece graças a algumas substâncias presentes no seu óleo essencial que fazem com que o tempero tenha ação termogênica, o que significa que ele ajuda o organismo a queimar a gordura armazenada no corpo, além de reduzir a resistência à insulina, melhorando o aproveitamento da glicose.
O gengibre ainda melhora a digestão e a motilidade gastrointestinal, fatores que juntos permitem que os nutrientes dos alimentos sejam melhor absorvidos, enquanto as toxinas que provocam inchaço e prisão de ventre são eliminadas com mais eficácia, mais um fator que contribui para a perda de peso e a redução do inchaço corporal. Ele pode ser ingerido sozinho, usado como tempero, na forma de chá ou para incrementar sucos e vitaminas.



Cabelos: 5 alimentos que previnem a queda

Quem corre, principalmente as mulheres, pode sofrer com cabelos fracos por conta da lavagem diária, exposição ao sol e outros fatores. Saiba quais alimentos previnem a queda e fortalecem os fios


A queda dos cabelos é um problema nada agradável de se encarar. Afinal, além de estarem ligados à autoestima, cabelos fracos e com um curto ciclo de vida podem indicar algo errado com a saúde. É fato que alguns hábitos também influenciam o enfraquecimento dos cabelos: no caso das corredoras e homens com cabelos compridos, por exemplo, lavar diariamente os fios, expô-los ao sol e ao suor também influenciam na queda.


Mas é possível resolver o problema com alimentação: os nutrientes certos vão dar aquele up no crescimento dos cabelos e na vitalidade. A dica é da nutricionista comportamental, Patrícia Cruz, ao comentar sobre o auxílio que a alimentação pode dar para impedir a queda dos fios.


Segundo a nutricionista, o que leva à queda de cabelo pode estar relacionado a uma má alimentação. Patrícia Cruz afirma que uma dieta desequilibrada, pobre em proteínas, vitaminas e minerais, pode causar alopecia. “Carências nutricionais, sem dúvida nenhuma, levam a queda dos fios”, diz Patrícia. Por isso, a especialista lista algumas dicas para manter um cabelo mais bonito e saudável tendo como base os alimentos que você consome. Confira:


Queda de cabelo x alimentação


Segundo a especialista, nenhum alimento é diretamente responsável pela queda de cabelo, mas uma alimentação desbalanceada, com pouca ingestão de água, rica em gordura e pobre em vitaminas e minerais, provoca carências nutricionais que causam queda dos cabelos. Além disso, um estilo de vida inadequado, com poucas horas de sono, sedentarismo, consumo excessivo de bebida alcoólica, tabagismo e a cafeína também podem agravar o problema. Alguns estudos mostram que o consumo excessivo de vitamina A e E podem fazer os fios caírem e não haver renovação.


Previnem a queda de cabelo:


Carne vermelha: fonte de ferro, sua deficiência está relacionada à queda de cabelos;


Gema de ovo: fonte de biotina atua no desenvolvimento do folículo piloso. Alguns estudos mostram que atua na síntese de queratina, sua deficiência causa queda de cabelos e fios quebradiços;


Castanha do Pará: fonte de selênio auxilia na integridade dos fios. Sua deficiência aumenta a queda de cabelo e despigmentação dos fios;


Laranja: fonte de vitamina C auxilia na síntese de colágeno. Sua deficiência está relacionada à alopecia;


Bife de fígado e coração de galinha: fontes de vitamina B12, responsável pela síntese de queratina, auxilia no crescimento e resistência dos fios.


Cabelo bonito e saudável


Os alimentos fontes de vitamina do complexo B (carne vermelha, ovos, fígado, peixe, coração, nozes, amendoim) ajudam a manter os cabelos fortes e saudáveis. Para quem quer cuidar das madeixas, Patrícia Cruz indica incluir na dieta:


– Vitamina C: limão, laranja, abacaxi, tangerina;


– Alimentos fontes de ferro: carne vermelha, leguminosas, vegetais verdes escuros;


– Muita água.


Patrícia também explica que é possível ajudar os fios de cabelo a crescerem mais fortes e saudáveis através da alimentação. “Podemos acrescentar em nossa dieta para auxiliar no crescimento de fios íntegros, castanha do Pará, carne vermelha, frutas cítricas (kiwi, mexerica, laranja, abacaxi), leite e derivados como queijos, iogurtes”, ensina a nutricionista.



5 dicas de especialista para planejar a lua de mel dos sonhos...

Escolher a data e o destino certos pode te ajudar a reduzir custos e aumentar o luxo da viagem


É verdade que um casal apaixonado pode tornar qualquer viagem inesquecível, mas um bom planejamento permite organizar a lua de mel dos sonhos sem começar a vida a dois com dívidas.


A tecnologia é a maior aliada dos noivos na fase de pesquisa e idealização do roteiro. Usando as ferramentas online é possível não só encontrar promoções de passagens e diárias de hotel, mas também conhecer destinos românticos que estão fora do circuito com os locais preferidos pelos pombinhos.


Confira 5 dicas valiosas para planejar sua lua de mel:


1. Escolha o momento certo
A data do casamento interfere diretamente no custo da lua de mel. Vale a pena adiar um pouco a viagem para fugir da alta temporada. “Se a cerimônia acontecer durante as férias escolares, pode ser muito mais barato esperar para viajar quando elas terminarem. Algumas semanas de flexibilidade podem ajudar você a economizar bastante, sem falar que não vai precisar encontrar hotéis cheios de famílias com crianças e poderá aproveitar um ambiente mais propício ao romance”, aconselha Kaio Philipe, diretor do KAYAK Brasil, líder mundial em pesquisas de viagem online.


2. Fique atento a promoções executivas
É comum as companhias aéreas baixarem os preços das classes executivas para manter a capacidade máxima da aeronave. Por isso, fique atento a promoções de última hora. Cheque também se é possível fazer upgrade com seu programa de milhagens. Se não conseguir reservar um voo na primeira classe ou não conseguir um upgrade na hora do check-in, veja se a companhia aérea escolhida oferece serviços extras, como a possibilidade de reservar chocolates ou champagne. São pequenos mimos que tornam a viagem mais especial.


3. Considere destinos diferentes
Paris, Veneza e Fernando de Noronha são alguns dos destinos preferidos para lua de mel. Mas não são as únicas opções interessantes para a primeira viagem do casal. Amplie seus horizontes e considere destinos fora do radar dos noivos. Indonésia e África do Sul são algumas alternativas com paisagens encantadoras. Segundo o especialista, ao escolher destinos menos procurados você evitará ter que dividir sua lua de mel com incontáveis recém-casados e terá uma experiência muito mais autêntica.


4. Vá aonde seu dinheiro rende mais
Destinos na Ásia ou África podem ser excelentes substitutos para a viagem a Europa. Dê preferência a países onde o real seja mais forte que a moeda local. “Às vezes é possível ir mais longe, gastando um pouco mais com a passagem, mas sabendo que você terá mais luxo por um preço menor quando chegar ao destino”, aconselha Kaio Philipe.


5. Avise o hotel sobre a lua de mel
Ao reservar e ao fazer check-in no hotel, avise que está em lua de mel. É comum que os hotéis ofereçam regalias para tornar a estadia dos recém-casados ainda mais romântica: pode ser uma garrafa de champanhe, um tratamento gratuito no spa ou mesmo um quarto melhor. A mesma estratégia pode ser usada nos restaurantes. Um drinque ou uma sobremesa grátis sempre são bem vindos!



5 dicas para manter as unhas fortes e saudáveis

Estar com a manicure em dia nos faz sentir muito mais bonitas. Mas, para isso, é preciso cuidar bem das unhas. Como? A gente conta!


Muitas vezes, com as atividades do dia a dia, as unhas acabam ficando quebradiças, e as cutículas, com pelinhas levantadas. Driblar esses problemas é bem fácil. Tudo o que você precisa é adotar alguns hábitos e investir nos produtos certos! Você vai sentir a diferença em pouco tempo. Dá uma olhada.


1) Escolha o esmalte certo
É importante que o produto também cuide das suas unhas, além de colori-las. Procure por aqueles que possuem vitamina E, cálcio e proteínas da seda, que fortalecem e protegem da descamação. Se você é alérgica, atenção ao rótulo: o esmalte não pode conter tolueno, parabenos, formaldeído, cânfora e DBP.


2) Hidrate as cutículas
Ceras, óleos e hidratantes: esses produtinhos são ótimos para evitar que as pelinhas levantem e para fortalecer as unhas. Isso porque são ricos em ceramidas, ativos emolientes e vitamina E. Procure usá-los sempre que lavar as mãos e na hora de dormir. 

3) Alimentação do bem
O que você coloca no prato também pode ajudar a manter suas unhas saudáveis. Se elas estiverem quebradiças, por exemplo, invista nos alimentos ricos em cálcio, como o leite, o peixe e os vegetais escuros. Para fortalecê-las, muito ferro e vitaminas! Grãos integrais, laranja, morango, oleaginosas, espinafre, rúcula e almeirão são muito bem-vindos. 


4) Cuidado com o alicate
Tirar totalmente as cutículas é irresistível. Mas também perigoso. Sem essa proteção, as unhas ficam mais suscetíveis às bactérias, podendo inflamar. O ideal é ficar com as cutículas intactas e mantê-las hidratadas. Se a tentação for muito grande, procure tirar só o excesso, sem empurrá-las fundo, ok?


5) Dê um fim às unhas roídas
O hábito vai muito além da estética. Ele pode causar machucados e até inflamações. Por isso, experimente lançar mão de bases com sabor amargo - elas vão manter os dedos bem longe da boca. Outra forma é manter as unhas sempre bem-feitas e esmaltadas. Uma vez bonitas, você vai querê-las sempre assim. Força.