1

1

Google+ Followers

quarta-feira, 27 de julho de 2016

http://turminhado4ano.blogspot.com.br/2011/07/resposta-ao-comentario-do-kevin.html

Situações problema!!! :D Vamos estudar!!!

01. Numa gincana, as equipes deveriam recolher latinhas de alumínio. Uma equipe recolheu 5 sacos de 100 latinhas cada e outra equipe recolheu 3 sacos de 50 latinhas cada. Quanta latinhas foram recolhidas ao todo?

(A) 100
(B) 150
(C) 500
(D) 650

02. Em um prédio, 42 pessoas estão esperando para tomar o elevador. Sabe-se que o elevador só comporta 4 pessoas por vez. Qual o número mínimo de viagens que o elevador deverá fazer para levar todas as pessoas?

03. Márcia deu certa quantia, em reais, para sua filha Juliana comprar 15 presentes para a Páscoa. Juliana gastou exatamente 21 reais em cada presente e voltou para casa com 3 reais. Quanto Márcia havia dado para Juliana?

04. Alberto, Márcia, Carlos e Daniel participaram de uma gincana. Descubra a ordem de classificação de cada um. Carlos não é o quarto colocado, Márcia não é segunda colocada, nem terceira, nem quarta, Carlos e Alberto não foram o primeiro nem o segundo colocados, Daniel teve uma boa classificação, mas não foi o primeiro.

05. As poltronas de um teatro estão arrumadas em 3 grupos. Cada grupo tem 10 fileiras.

No grupo A, cada fileira tem 3 poltronas.
No grupo B, há 10 poltronas por fileira.
No grupo C, há 2 poltronas a mais em cada fileira que no grupo A.

a) Quantas poltronas há no grupo A?

b) Quantas poltronas podem ser ocupadas no grupo B?

c) O grupo C pode ser ocupado, no máximo, por quantas pessoas?

d) Se 215 pessoas quiserem entrar, quantas terão de esperar a sessão seguinte?

06. A promoção do parque de diversões.

Um parque de diversões decidiu fazer uma grande promoção de ingressos. Veja o cartaz:




De acordo com a promoção:
* Se você comprar 5 ingressos, receberá no total 6 ingressos.
* Se você comprar 10 ingressos, receberá no total 12 ingressos.
* Se você comprar 15 ingressos, receberá ingressos para 18 pessoas.

Vamos, então, resolver o problema abaixo:

A turma de Larissa aproveitou a promoção do parque de diversões. A turma tem 38 alunos. Os alunos combinaram com a professora e com 3 mães para os acompanharem nesse passeio.

a) Quantas pessoas foram ao passeio?
b) Quantos ingressos foram comprados?
c) Quantos ingressos foram recebidos gratuitamente?

Desafio matemático!!!



http://turminhado4ano.blogspot.com.br/2011/11/desafio-matematico.html

Atividades números decimais!




http://turminhado4ano.blogspot.com.br/search?updated-min=2011-01-01T00:00:00-02:00&updated-max=2012-01-01T00:00:00-02:00&max-results=36

Passo a Passo da Leitura Literária -- DOM CASMURRO



DOM CASMURRO – Capítulo 31

AS CURIOSIDADES DE CAPITU

Capitu preferia tudo ao seminário. Em vez de ficar abatida com a ameaça da larga separação, se vingasse a ideia da Europa, mostrou-se satisfeita. E quando eu lhe contei o meu sonho imperial:

– Não, Bentinho, deixemos o Imperador sossegado, replicou; fiquemos por ora com a promessa de José Dias. Quando é que ele disse que falaria a sua mãe?

– Não marcou dia, prometeu que ia ver, que falaria logo que pudesse, e que me pegasse com Deus.

Capitu quis que lhe repetisse as respostas todas do agregado, as alterações do gesto e até a pirueta, que apenas lhe contara. Pedia o som das palavras. Era minuciosa e atenta; a narração e o diálogo, tudo parecia remoer consigo. Também se pode dizer que conferia, rotulava e pregava na memória a minha exposição. Esta imagem é porventura melhor que a outra, mas a ótima delas é nenhuma. Capitu era Capitu, isto é, uma criatura mui particular, mais mulher do que eu era homem. Se ainda o não disse, aí fica. Se disse, fica também. Há conceitos que se devem incutir na alma do leitor, à força de repetição.

Era também curiosa. As curiosidades de Capitu dão para um capítulo. Eram de várias espécies, explicáveis e inexplicáveis, assim úteis como inúteis, umas graves, outras frívolas; gostava de saber tudo. No colégio onde, desde os sete anos, aprendera a ler, escrever e contar, francês, doutrina e obras de agulha, não aprendeu, por exemplo, a fazer renda; por isso mesmo, quis que prima Justina lhe ensinasse. Se não estudou latim com o Padre Cabral foi porque o padre, depois de lhe propor gracejando, acabou dizendo que latim não era língua de meninas. Capitu confessou-me um dia que esta razão acendeu nela o desejo de o saber. Em compensação, quis aprender inglês com um velho professor amigo do pai e parceiro deste ao solo, mas não foi adiante. Tio Cosme ensinou-lhe gamão1.

– Anda apanhar um capotinho, Capitu, dizia-lhe ele.

Capitu obedecia e jogava com facilidade, com atenção, não sei se diga com amor. Um dia fui achá-la desenhando a lápis um retrato; dava os últimos rasgos, e pediu-me que esperasse para ver se estava parecido. Era o de meu pai, copiado da tela que minha mãe tinha na sala e que ainda agora está comigo. Perfeição não era; ao contrário, os olhos saíram esbugalhados, e os cabelos eram pequenos círculos uns sobre os outros. Mas, não tendo ela rudimento algum de arte, e havendo feito aquilo de memória em poucos minutos, achei que era obra de muito merecimento; descontai-me a idade e a simpatia. Ainda assim, estou que aprenderia facilmente pintura, como aprendeu música mais tarde. Já então namorava o piano da nossa casa, velho traste inútil, apenas de estimação. Lia os nossos romances, folheava os nossos livros de gravuras, querendo saber das ruínas, das pessoas, das campanhas, o nome, a história, o lugar. José Dias dava-lhe essas notícias com certo orgulho de erudito. A erudição deste não avultava muito mais que a sua homeopatia de Cantagalo.

Um dia Capitu quis saber o que eram as figuras da sala de visitas. O agregado disse-lhe sumariamente, demorando-se um pouco mais em César, com exclamações e latins:

– César! Júlio César! Grande homem! Ta quoque, Brute2!

Capitu não achava bonito o perfil de César, mas as ações citadas por José Dias davam-lhe gestos de admiração. Ficou muito tempo com a cara virada para ele. Um homem que podia tudo! Que fazia tudo! Um homem que dava a uma senhora uma pérola do valor de seis milhões de sestércios3!

– E quanto valia cada sestércio?

José Dias, não tendo presente o valor do sestércio, respondeu entusiasmado:

– É o maior homem da História!

A pérola de César acendia o olhos de Capitu. Foi nessa ocasião que ela perguntou a minha mãe por que é que já não usava as jóias do retrato; referia-se ao que estava na sala, com o de meu pai; tinha um grande colar, um diadema e brincos.

– São jóias viúvas, como eu, Capitu.

– Quando é que botou estas?

– Foi pelas festas da Coroação4.

– Oh! Conte-me as festas da Coroação!

Sabia já o que os pais lhe haviam dito, mas naturalmente tinha para si que eles pouco mais conheceriam do que o que se passou nas ruas. Queria a notícia das tribunas da Capela Imperial e dos salões dos bailes. Nascera muito depois daquelas festas célebres. Ouvindo falar várias vezes da Maioridade, teimou um dia em saber o que fora este acontecimento; disseram-lhe, e achou que o Imperador fizera muito bem em querer subir ao trono aos quinze anos. Tudo era matéria às curiosidades de Capitu, mobílias antigas, alfaias velhas, costumes, notícias de Itaguaí, a infância e a mocidade de minha mãe, um dito daqui, uma lembrança dali, um adágio dacolá…

_________________________________________________________________

Notas explicativas.
gamão – é um jogo de azar e de algum cálculo, entre dois parceiros, que se joga com quinze tabelas por cada parceiro, sobre um tabuleiro dividido dos dois lados em dois compartimentos com seis subdivisões ou casas cada um.
Júlio César (101-44 a.C.) – ditador romano. Um dos mais astuciosos generais da Antiguidade e autor dos célebres Comentáriosacerca da guerra que travou contra a Gália, entre 59 e 51 a.C. Depois da campanha gaulesa, regressou a Roma e transformou-se em seu ditador. Morreu assassinado em consequência duma conspiração do Senado romano. Notando a presença de Bruto entre seus matadores, diz as palavras referidas no texto: “Até tu, Bruto!”
Sestércio – é uma “pequena moeda metálica dos antigos romanos que valia dois asses e meio ou um quarto de dinheiro, empregada como unidade monetária, desde as origens de Roma até Constantino; como moeda, foi usada durante a República e em grande parte do Império Romano.
Coroação – D. Pedro I, abdicando em 1831 em favor de seu filho, ainda criança, deu origem ao chamado Período Regencial que durou até 1840, quando a situação política, no Brasil, obrigou a considerar D. Pedro II maior e, portanto, apto a governar. Era a Maioridade. As festas da Coroação revestiram-se de brilho nunca antes visto, nem mesmo na coroação de D. João VI.

_________________________________________________________ 

Responda às questões baseado no texto.

1. Por que Capitu “mostrou-se satisfeita” com a ideia de Bentinho ir para a Europa?

2. Bentinho descreve Capitu como curiosa. O dicionário define esta palavra como alguém que se interessa pela vida alheia, bisbilhoteira, indiscreta. O texto, entretanto, nos leva a concluir que Capitu era curiosa no sentido de _________________________

___________________________________________________________________

GABARITO.

1. Porque Bentinho poderia voltar e casar-se com ela; a ida para o seminário tiraria essa possibilidade uma vez que ele se tornaria padre e não poderia casar-se.

2. … aprender coisas novas, ter conhecimento intelectual.

http://portugues.camerapro.com.br/category/literatura-brasileira/passo-a-passo-da-leitura-literaria/

Exercícios sobre a Ditadura Militar. Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre a Ditadura Militar e veja a resolução comentada.

  • Questão 1
    (FUVEST-SP/2002) “Na presidência da República, em regime que atribui ampla autoridade e poder pessoal ao chefe de governo, o Sr. João Goulart constituir-se-á, sem dúvida alguma, no mais evidente incentivo a todos aqueles que desejam ver o país mergulhado no caos, na anarquia, na luta civil.” (Manifesto dos ministros militares à Nação, em 29 de agosto de 1961).
    Esse Manifesto revela que os militares
    a) estavam excluídos de qualquer poder no regime de democracia presidencial.
    b) eram favoráveis à manutenção do regime democrático e parlamentarista.
    c) justificavam uma possibilidade de intervenção armada em regime democrático.
    d) apoiavam a interferência externa nas questões de política interna do país.
    e) eram contrários ao regime socialista implantado pelo presidente em exercício.

  • Questão 2
    (Mack-SP/2004) A “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, em março de 1964, na cidade de São Paulo, foi:
    a) uma demonstração de forças conservadoras de direita contra o que chamavam de esquerdismo e comunismo do governo João Goulart.
    b) uma manifestação de apoio das famílias de trabalhadores brasileiros ao governo do presidente Goulart.
    c) uma resposta das massas populares, apoiando as Reformas de Base, após o Comício na Central do Brasil (RJ/março de 1964).
    d) uma demonstração de repúdio das classes trabalhadoras a uma possível intervenção militar, com apoio norte-americano, ao governo de Goulart.
    e) uma manifestação, de setores conservadores da sociedade brasileira, de revolta contra a tentativa de se derrubar o governo constitucional.

  • Questão 3
    (FGV-SP/1998) Em relação ao Golpe Militar de 1964 no Brasil, pode-se dizer:
    I- Foi fruto de uma conspiração civil-militar alarmada com os rumos nacionalistas do governo João Goulart.
    II- Foi a forma encontrada pelos comandos militares para garantir a posse do novo presidente.
    III- Representou a repulsa de setores da sociedade brasileira à tentativa de João Goulart de aumentar a presença do capital estrangeiro no país.
    IV- Evitou a tentativa do Partido Comunista Brasileiro, de sindicatos de trabalhadores e de setores do Partido Trabalhista Brasileiro de exigir do presidente, a implementação imediata das “reformas de base”.
    Estão corretas as frases:
    a) III e IV. b) III e V. c) I, II e III. d) I, IV. e) II, III e IV.

  • Questão 4
    (UFC-CE/2001) “Chefes altamente qualificados do Movimento de Março de 64 preferem chamá-lo contra revolução. Com efeito, houve uma reação ao rumo desordenado e ameaçador das liberdades democráticas que a Nação tomava sob Goulart. (...) Março de 64 é, pois, uma resposta e não um projeto autônomo. Por isso, foi feito em nome do Anti: anticomunismo, antipeleguismo, anticorrupção”. (Jarbas Passarinho, Folha de São Paulo, 31/03/1982).
    “Com efeito, o governo de Jango não caiu por seus defeitos... ele foi derrubado por suas virtudes. Essencialmente porque representava uma ameaça inadmissível para as classes dominantes. Quem viveu aqueles últimos meses de tensão recordará tanto a animosidade e o ódio que se alastraram por toda a casta de privilegiados contra o governo nacionalista e sindicalista, como o entusiástico apoio popular ao governo trabalhista e reformista”. (Darcy Ribeiro, Folha de São Paulo, 30/03/1982).
    Com base nos testemunhos acima citados, faça o que é pedido abaixo.
    a) Identifique os pontos de vista de cada um dos autores citados com relação ao golpe militar de 1964.
    b) Compare os projetos políticos para o Brasil que estão implícitos nos dois trechos acima citados.

  • Questão 5
    (Unicamp-SP/1996) “A palavra revolução tem sido empregada de modo a provocar confusões... No essencial, porém, há pouca confusão quanto ao seu significado central: sabe-se que a palavra se aplica para designar mudanças drásticas e violentas na estrutura da sociedade.” (FLORESTAN Fernandes. O que é Revolução. SP: Brasiliense, 1981, p.7 e 8.)
    Explique por que, segundo o conceito proposto por Florestan Fernandes, o movimento político de 1964 não foi uma revolução.





Respostas


  • Resposta Questão 1
    Letra C. Por meio deste documento, é possível ver que o interesse dos militares em assumir o governo federal já se desenhava muito antes do golpe, ocorrido em 1964. Ao falar da ameaça contra a ordem, buscavam projetar um cenário político e econômico visivelmente influenciado pelo discurso comunista. De tal forma, preparavam a aceitação do golpe, arquitetando o desenvolvimento de uma tensão que transformava a intervenção militar em atitude necessária.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 2
    Letra A. Realizada após o “Comício da Central do Brasil”, a marcha representou a mobilização dos setores civis conservadores do país. Em âmbito geral, a manifestação contou com a presença de grupos da classe média, empresários e setores ligados à Igreja Católica. Sendo contrários às medidas anunciadas por João Goulart no “Comício da Central”, os participantes dessa manifestação acabaram oferecendo o respaldo necessário para que as forças militares articulassem o golpe militar de 1964.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 3
    Letra D. Observando atentamente as informações sobre a deflagração do golpe de 1964, podemos ver que os militares mostravam-se nitidamente desconfortáveis com a orientação nacionalista e trabalhista que o governo de João Goulart assumia. Sob esse contexto, acreditavam que as “reformas de base” seriam um primeiro passo para que setores de esquerda e os sindicatos ampliassem as suas esferas de atuação política no Brasil.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 4
    GABARITO A: Realizando a leitura dos textos acima, notamos a construção de duas argumentações antagônicas com relação ao golpe de 1964. Por um lado, o militar Jarbas Passarinho aponta o evento como uma reação contra as ameaças que tomavam conta de um governo influenciado pelo ideário comunista. Em contrapartida, o acadêmico Darcy Ribeiro entende que esse mesmo golpe foi um atentado contra uma série de mudanças que partiam da demanda popular e buscavam ser atendidas pelo governo de João Goulart.
    GABARITO B: No primeiro documento, vemos um projeto preocupado em defender a nação de uma revolução que se perfilava através do desordenamento das liberdades democráticas. Já no segundo, esse mesmo governo é tomado como importante fio condutor de uma série de reformas, preocupadas em defender os interesses nacionais e atender as várias demandas da classe trabalhadora brasileira.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 5
    O movimento de 1964 não pode ser visto como uma revolução, na medida em que ele não estabelece a inversão da hierarquia social e econômica que se desenvolvia no país naquele período. De fato, observando as ações tomadas pelos militares ao longo das duas décadas que estiveram no poder, notamos que as ações autoritárias tinham amplo interesse em preservar as políticas e relações econômicas exploratórias que dominavam a nação.
  • http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-ditadura-militar.htm

Exercícios sobre a Constituição de 1988... Realize exercícios sobre a Constituição de 1988 e teste seus conhecimentos sobre esta carta que garantiu direitos democráticos aos cidadãos brasileiros.

  • Questão 1
    A Constituição vigente no Brasil foi promulgada em outubro de 1988 e garantiu uma série de direitos à população brasileira. Sobre as características da estrutura do Estado expressa na Constituição de 1988, indique a alternativa incorreta.
    a)      Existência de três poderes independentes: executivo, legislativo e judiciário;
    b)      Poder executivo organizado em formato presidencialista;
    c)      Poder executivo organizado em formato parlamentarista;
    d)     Eleição direta para os cargos dos poderes executivos e legislativos.

  • Questão 2
    Explique sucintamente o que a conquista da garantia da liberdade de imprensa, pensamento e organização, prevista na constituição, representou para a participação política da população brasileira.

  • Questão 3
    No que diz respeito ao direito à propriedade da terra expresso na Constituição de 1988, é incorreto afirmar que:
    a)      Os povos indígenas teriam direito à demarcação de suas terras;
    b)      Os povos quilombolas teriam direito à demarcação de suas terras;
    c)      A propriedade privada da terra é inviolável, desde que cumpra sua função social;
    d)     A propriedade privada da terra é inviolável, independente de cumprir ou não sua função social.

  • Questão 4
    A Constituição de 1988, conhecida como “constituição cidadã”, foi considerada uma grande conquista democrática após mais de duas décadas de regimes militares por garantir amplos direitos à população brasileira, em vários âmbitos da vida social. Aponte, dentre as alternativas abaixo, qual direito não está garantido na Constituição de 1988.
    a)      Direito de voto a toda a população, incluindo analfabetos e adolescentes maiores de 16 anos.
    b)      Direito ao acesso à Previdência Social pelos trabalhadores do campo.
    c)      Garantia do direito amplo de greve aos trabalhadores
    d)     Direito das forças policiais de praticarem a tortura para obter confissões.





Respostas


  • Resposta Questão 1
    Letra c. O formato de organização do poder executivo estipulado na Constituição foi o presidencialismo, centrado no cargo do presidente da República. O parlamentarismo tem como centro da organização do executivo o parlamento (no Brasil, o Congresso Nacional). A Constituição de 1988 previu a realização de um plebiscito em 1993 para a escolha da forma de governo, vencendo o presidencialismo.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 2
    A liberdade de imprensa, pensamento e organização prevista na Constituição de 1988 foi considerada uma vitória por garantir um direito de expressão de ideias, de projetos políticos e de organização social que haviam sido proibidos com a chegada dos militares ao poder em 1964. A censura instituída durante a ditadura controlava o conteúdo veiculado na imprensa e proibia diversas formas de organização social, nomeadamente os partidos políticos. Essas medidas garantiriam que a participação política se realizasse com uma liberdade maior que a existente anteriormente.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 3
    Letra d. A Constituição de 1988 garantiu o direito à propriedade desde que cumprisse sua função social, como ser uma terra destinada à agricultura que é usada produtivamente, ou um terreno em área urbana a ser utilizado para moradia ou para alguma função econômica. Essa medida visava a garantir o processo de reforma agrária e evitar os problemas habitacionais no país, sem que o direito à propriedade privada fosse retirado.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 4
    Letra d. Para combater uma prática do anterior regime ditatorial, a constituição proibiu veementemente a prática de tortura, tornando-a crime inafiançável.
http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-constituicao-1988.htm

Exercícios sobre a Constituição de 1891... A Constituição de 1891 no Brasil promoveu algumas mudanças que não geraram grandes mudanças para a camada popular.

  • Questão 1
    Em 15 de novembro de 1889, o Brasil elaborou uma nova constituição que foi promulgada no dia 24 de fevereiro de 1891. Marque a alternativa correta sobre esse momento histórico do Brasil.
    a) A Constituição de 1891 decretou a soberania da Igreja Católica no Brasil, ficando o Estado submisso às ordens papais.
    b) Essa Constituição decretou uma política reformista que contribuiu para o fim do coronelismo e dos latifundiários no Brasil.
    c) Essa nova constituição adotou a forma de governo presidencialista, garantindo às antigas províncias mais autonomia política.
    d) A nova constituição adotou o presidencialismo como forma de governo, mas não possibilitou mais autonomia política para os estados, que se afundaram em revoltas contra a República.

  • Questão 2
    Marque a alternativa que contém algumas das mudanças provocadas pela Constituição de 1891.
    a) O Estado brasileiro passou a ter três poderes independentes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Além disso, eliminou-se o voto censitário. Homens a partir de 21 anos poderiam votar, porém analfabetos e mulheres continuaram sem o direito ao voto.
    b) O Estado brasileiro passou a ter três poderes independentes: Executivo, Legislativo e Judiciário. O voto censitário permaneceu para os eleitores e as mulheres passaram a ter o direito ao voto.
    c) O regime político passou a ser o presidencialista. A maioria da população passou a ter acesso ao voto livre e secreto, e o Estado adotou um regime dividido em três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.
    d) Excetuando as mulheres, o restante da população com idade acima de 21 anos poderia votar. A Igreja passou a ter maior controle sobre os patrimônios públicos e sobre o Estado. O voto passou a ser secreto.

  • Questão 3
    “Para o historiador José Murilo de Carvalho, a república consolidou-se excluindo o envolvimento popular no governo”. (Vicentino, Claudio. História para o Ensino Médio: história geral e do Brasil: volume único. – São Paulo: Scipione, 2001.p, 387.)
    Discorra sobre essa frase quanto à exclusão popular na formação da República no Brasil.

  • Questão 4
    Comente sobre a relação da Igreja católica com o Estado no início da República.





Respostas


  • Resposta Questão 1
    Letra C.
    A adoção de um regime presidencialista e a garantia de mais autonomia política para os estados foram uma das principais características da Constituição brasileira de 1891, o que representou uma grande mudança em relação ao regime anterior, pois durante o Período Imperial, o poder político era centralizado na figura do Imperador. Esta característica do Império deflagrou várias revoltas, entre elas, a Sabinada e Farroupilha que reivindicaram mais força política para as suas regiões.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 2
    Letra A. A Constituição brasileira de 1891 promoveu várias mudanças, porém, algumas não surtiram grande efeito. Entre elas, destacou-se o fim do voto censitário, que eliminou a exigência de o eleitor ter uma renda mínima para votar, mas os analfabetos e as mulheres continuaram excluídos de seus direitos eleitorais. Assim, a maioria da população continuou sem acesso ao processo eleitoral, uma vez que as leis contribuíram para isso. Por outro lado, o Estado eliminou o poder moderador, que representava o poder do Imperador, e instalou a divisão dos poderes em Executivo (Presidentes e Ministros), Legislativo (Congresso Nacional) e Judiciário (Supremo Tribunal Federal). Essa medida política gerou uma maior autonomia para os estados brasileiros.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 3
    A frase do historiador José Murilo de Carvalho mostrou que a proclamação da República veio acompanhada de certo receio por parte das elites quanto à participação popular na política. Os governantes temiam que o povo realizasse revoluções contra as mudanças políticas e constitucionais elaboradas nos primeiros anos da República e, por isso, as discussões ficaram restritas à classe abastada. Desse modo, a falta de informação perante as camadas populares e o seu papel figurante durante esse período evidenciaram as mudanças estratégicas do Império para a República.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 4
    Com a proclamação da República, a relação entre Estado e Igreja passou por transformações. A mais clara foi o fim do regime do padroado em que o Estado controlava a Igreja. Por outro lado, o catolicismo deixou de ser a religião oficial, originando o surgimento de um Estado laico. Dessa forma, foram criados o registro civil de nascimento e o casamento civil realizado pelos serviços públicos.
  • http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-constituicao-1891.htm

Exercícios sobre a Constituição de 1824... Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre a Constituição de 1824 e veja a resolução comentada.

  • Questão 1
    Aponte qual o mais importante dilema político que marcou as discussões estabelecidas entre os participantes da Assembleia Constituinte de 1823.

  • Questão 2
    Qual foi a medida tomada por Dom Pedro I ao saber das intenções da constituinte em restringir seu poder de atuação?

  • Questão 3
    Explique em que medida a constituição de 1824 combinava características de natureza liberal e absolutista?

  • Questão 4
    De que modo o sistema eleitoral empreendido pela Constituição de 1824 determinou a exclusão política de grande parte da população?

  • Questão 5
    (FUVEST) O sistema eleitoral adotado no Império brasileiro estabelecia o voto censitário. Essa afirmação significa que:
    a) o sufrágio era indireto no que se referia às eleições gerais.
    b) para ser eleitor era necessário possuir determinada renda anual.
    c) as eleições eram efetuadas em dois turnos sucessivos.
    d) o voto não era extensivo aos analfabetos e às mulheres.
    e) por ocasião das eleições, realizava-se o recenseamento geral da população.





Respostas


  • Resposta Questão 1
    Nessa época, parte dos integrantes da constituinte era favorável a um projeto de lei que estabelecia a autonomia política das províncias e limitasse a atuação do poder imperial pela ação das leis. Por outro lado, uma parcela das lideranças envolvidas na criação dessa mesma constituição acreditava que a coesão política do recém-formado país só estaria garantida caso o imperador tivesse amplos poderes políticos.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 2
    Intimidado pela proposta da constituinte, Dom Pedro I ordenou a interrupção imediata dos trabalhos da Assembleia Constituinte. Em seu lugar, Dom Pedro I organizou um Conselho de Estado formado por dez lideranças políticas que o apoiavam. Em pouco tempo, os membros desse conselho trabalharam a fim de estabelecer uma carta constitucional que estivesse adequada aos interesses do imperador.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 3
    Analisando a Constituição de 1824, percebemos que uma parcela considerável de seu texto dialogava com os princípios do liberalismo ao empreender a criação dos três poderes e a realização de eleições para a ocupação de cargos executivos e legislativos. Em contrapartida, vemos que essa mesma carta constitucional era de natureza absolutista ao permitir que o imperador interferisse nas demais esferas de poder com a criação do Poder Moderador.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 4
    A exclusão política marca o texto da Constituição de 1824 a partir do momento em que a mesma determina a adoção do voto censitário. Por este sistema, o cidadão deveria comprovar uma renda mínima para exercer seus direitos políticos. No caso brasileiro, o direito de voto era estipulado a partir da comprovação de uma renda de 100 mil réis anuais. Mediante essa medida, somente as elites econômicas apresentavam condições para votarem nas eleições.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 5
    Letra b. Segundo as leis daquela época, era necessário que o eleitor comprovasse uma renda mínima anual para exercer os direitos políticos. Para ser eleitor em esfera local, ele deveria comprovar uma renda de 100 mil réis; para votar em âmbito provincial e nacional, 200 mil réis; para concorrer ao cargo de deputado, 400 mil réis; e de senador, a quantia de 800 mil réis.
  • http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-constituicao-1824.htm

Exercícios sobre a Conjuração Baiana... Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre a Conjuração Baiana e veja a resolução comentada.

  • Questão 1
    Qual o contexto social e econômico em que a Conjuração Baiana foi deflagrada?

  • Questão 2
    Indique quais desses acontecimentos inspiraram a Conjuração Baiana.
    a) A Viradeira, em Portugal.
    b) A Independência do Haiti.
    c) A expulsão dos holandeses do Brasil.
    d) A União Ibérica.
    e) A Revolução Mexicana.

  • Questão 3
    Qual a participação do grupo “Cavaleiros da Luz” no processo de organização da Conjuração Baiana?

  • Questão 4
    Por qual motivo os “Cavaleiros da Luz” acabaram se afastando do movimento que deu origem à Conjuração?

  • Questão 5
    Disserte sobre o desfecho tomado pela Conjuração Baiana.





Respostas


  • Resposta Questão 1
    Desde a transferência da capital para o Rio de Janeiro, a cidade de Salvador enfrentava sérias dificuldades para superar a crise da economia açucareira e desenvolver outras atividades lucrativas. Ao mesmo tempo, a população vivia sobrecarregada com a cobrança de pesadas taxas e, em diversas ocasiões, contestava as exigências impostas pela metrópole.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 2
    Letra b. Tendo caráter visivelmente popular, a Conjuração Baiana contou com a participação de escravos e outros populares que se inspiraram na notícia da rebelião escrava que determinou o fim da dominação colonial no Haiti.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 3
    Tomados pelos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, os “Cavaleiros da Luz” discutiam os princípios e valores do pensamento iluminista como instrumento capaz de promover a formação de uma República mais justa e próspera no território baiano. Além dessas reuniões, os “Cavaleiros” foram responsáveis diretos pela produção de um farto conjunto de publicações que convocavam a população a participarem de um levante contra as autoridades metropolitanas.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 4
    O afastamento dos Cavaleiros da Luz acabou se dando na medida em que o movimento baiano foi ganhando conotações mais radicais e populares. Provenientes, em sua grande maioria, das elites locais, os Cavaleiros não concordavam com o fim da escravidão ou com a adoção de outras medidas que viessem a prejudicar seriamente os seus interesses econômicos.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 5
    Por meio de denúncias anônimas, a Conjuração Baiana acabou sendo desbaratada pelas autoridades metropolitanas e teve alguns de seus líderes presos. Apenas alguns líderes de procedência popular acabaram sendo enforcados, esquartejados e tendo seus restos mortais expostos em diferentes pontos da cidade.
http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-conjuracao-baiana.htm

Exercícios sobre a Cabanagem ... Questões sobre um dos mais violentos conflitos do período regencial.

  • Questão 1
    Aponte duas motivações fundamentais que impulsionaram a realização da Cabanagem, no Pará.

  • Questão 2
    Quais foram as primeiras ações tomadas pelos revoltosos quando o movimento se iniciou, em 1835?

  • Questão 3
    Por qual motivo o fazendeiro Félix Clemente Malcher acabou sendo deposto do cargo de governador pelos próprios revoltosos?

  • Questão 4
    Como o governo imperial conseguiu conter o movimento e recuperar sua autoridade na região paraense?

  • Questão 5
    (UNITAU) Sobre o Período Regencial (1831 - 1840), é incorreto afirmar que:
    a) foi um período de intensa agitação social, com a Cabanagem no Rio Grande do Sul e a guerra dos Farrapos no Rio de Janeiro;
    b) passou por três etapas: regência trina provisória, regência trina e regência una;
    c) foi criada a Guarda Nacional, formada por tropas controladas pelos grandes fazendeiros;
    d) através do Ato Adicional as províncias ganharam mais autonomia;
    e) cai a participação do açúcar entre os produtos exportados pelo Brasil e cresce a participação do café.





Respostas


  • Resposta Questão 1
    Entre as motivações apresentadas, podemos inicialmente destacar o fato de o governo imperial indicar governadores que não atendiam aos interesses das figuras políticas locais. Ao mesmo tempo, a situação de miséria e abandono também servia de pano de fundo para que a população paraense se mobilizasse contra a autoridade exercida pelo império na província.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 2
    Os revoltosos se organizaram para ocupar a cidade de Belém e realizar a deposição de Bernardo Lobo de Sousa, governador da província, que acabou sendo assassinado pelos participantes do evento conflituoso. Logo em seguida estabeleceram uma nova junta de governo sob a liderança do fazendeiro Félix Clemente Malcher.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 3
    Malcher acabou sendo deposto de seu governo porque foi acusado de se manter fiel às exigências do governo imperial e não atender prontamente às reivindicações realizadas pelos revoltosos. De tal modo, este foi deposto do governo, que acabou sendo controlado por Pedro Vinagre.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 4
    Para conter esse levante, a regência estabeleceu a contratação de mercenários estrangeiros e enviou tropas que reprimiram violentamente os envolvidos. Ao mesmo tempo, alguns dos participantes se entregaram e denunciaram as intenções dos cabanos que ainda se mantinham contra as autoridades do império brasileiro. Por fim, o levante acabou ceifando milhares de vidas ao longo dos cinco anos em que o movimento perdurou.
    voltar a questão

  • Resposta Questão 5
    Letra A. Como visto, a Cabanagem foi um movimento ocorrido no Pará e não no Rio Grande do Sul, conforme sugere a alternativa incorreta.
  • http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-cabanagem.htm