1

1

Google+ Followers

quarta-feira, 18 de maio de 2016

10 curiosidades e mitos sobre cervejas


1 – Apesar de em quase 100% das vezes ser o melhor, nem todas as cervejas devem ser servidas extremamente geladas, tudo depende do tipo dela. Por exemplo, na Alemanha, muitas cervejas são servidas à temperatura ambiente, sendo que se estiverem geladas demais não são consideradas boas para serem bebidas.


2 – Existe um mito que diz que só cervejas recentes devem ser bebidas. Isso não é verdade, pois beber cervejas que estão armazenadas há algum tempo não vai fazer mal algum – é claro, desde que estejam conservadas adequadamente. Inclusive, cervejas caseiras que são armazenadas por bastante tempo desenvolvem novos sabores e tons, o que com certeza é interessante.


3 – Existem algumas pessoas que dizem que cervejas em latas são ruins, já que podem perder um pouco do gosto. Na verdade, as latinhas são muito boas, pois protegem o líquido dos raios solares, são leves e ecologicamente amigáveis, além de proteger a bebida do possível contato com oxigênio (que pode danificar a cerveja) – ou seja, os pontos positivos são muitos.


4 – Ao contrário do que muitos pensam, as cervejas não devem ser sempre amargas. Existem diversas marcas que trabalham com cervejas frutadas e com sabores inesperados, como Lambics, Krieks e Guezes, só para nomear algumas. O interessante é não ficar restrito a somente um gosto de cerveja, já que as possibilidades são inúmeras.


5 – Outro conceito um tanto errado é o de que as cervejas devem estar sempre cristalinas e reluzentes. Muitas marcas trazem o líquido de modo bastante claro, porém, se o inverso ocorrer, não é algo negativo – principalmente porque as bebidas passam por um agressivo processo de filtragem que, além de clareá-las, pode tirar um pouco do sabor também. Alguns estilos de cervejas são propositalmente pensados para serem mais escuros e embaçados, já que isso ocorre devido aos próprios ingredientes.


6 – Bolhas que aparecem nas laterais dos copos de cerveja não são algo bom, pois atestam que o vidro está sujo. Se elas se aglomeram somente de um lado, isso é reflexo de partículas que fazem com que as bolhas fiquem concentradas em determinada região do copo. Portanto, fique atento.


7 – Apesar de a Heineken ser comercializada em garrafas verdes, alguns estudiosos indicam que esse é o pior tipo de recipiente em que uma cerveja pode ser armazenada. O vidro verde permite que raios UV cheguem à bebida e afetem o gosto dela – claro, se as garrafas forem expostas ao sol por um longo período. Garrafas de vidro que sejam marrons ou as próprias latinhas são mais indicadas para preservar a cerveja por mais tempo.


8 – É verdade que muitas pessoas bebem cervejas direto das garrafas, porém isso não é indicado se você quiser apreciar o líquido de modo mais profundo. Para sentir o máximo do sabor e dos aromas presentes na bebida, beba em copos ou taças de vidro – isso dará mais oportunidades para você sentir o gosto real do líquido. Desse modo, você também pode evitar possíveis gostos metálicos que existem nas garrafas e que se originam quando as tampas são retiradas.


9 – Não é preciso frisar isso, mas não custa nada lembrar: beber em excesso vai fazer mal a você – e muito. Por outro lado, beber regularmente, porém de modo moderado, não traz problemas ou riscos iminentes à saúde – o segredo é a moderação. Inclusive, alguns estudos comprovam que beber algo alcoólico de vez em quando é até saudável ao organismo, desde que você não extrapole.


10 – As cervejas artesanais ganharam muito mais espaço no mercado nos últimos anos, sendo que é possível encontrar os mais variados tipos para todos os gostos. Existem marcas que misturam frutas em seus ingredientes, aquelas possuem baixíssima porcentagem de álcool (só com 0,5%, como é o caso da Nanny State) e outras que são extremamente fortes (como a The End of History, com teor alcoólico de 55%).


Fonte: Mega Curioso (Via Brewdog)