1

1

Google+ Followers

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Resultado da Quina 4070, quinta, 28/04/2016

Resultado da Quina 4070, quinta, 28/04/2016

O resultado da Quina 4070 será divulgado no GIGA-SENA dia 28/04/2016, quinta-feira, a partir das 20:30 horas.

A Quina 4070 ocorrerá no dia 28 de abril de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 500.000,00para quem acertar o resultado da Quina 4070. Quem acertar a QUADRA com 4 números ou o TERNO com 3 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 5 números no resultado da Quina concurso 4070 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Quina.
Os valores de cada prêmio da Quina 4070 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 4070 DATA 28/04/2016
02
15
37
46
52
 
QUINAQUADRATERNO
prêmio
0,007.107,82164,52
ganhadores
x 0x 53x 3.271
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 29/04/2016Prêmio Estimado: R$ 1.200.000,00

Resultado da Timemania 871, quinta, 28/04/2016

Resultado da Timemania 871, quinta, 28/04/2016

O resultado da Timemania 871 será divulgado no GIGA-SENA dia 28/04/2016, quinta-feira, a partir das 20:30 horas.

A Timemania 871 ocorrerá no dia 28 de abril de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 3.300.000,00 para quem acertar o resultado da Timemania 871. Quem acertar 6, 5, 4 ou 3 números, ou o Time do Coração, também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 7 números no resultado da Timemania concurso 871 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Timemania.
Os valores de cada prêmio da Timemania 871 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 871 DATA 28/04/2016
08
13
28
31
36
75
80
Time do Coração
CRB/AL
 
7 acertos6 acertos5 acertos4 acertos3 acertosTime
prêmio
0,0012.836,98698,616,002,005,00
ganhadores
x 0x 8x 210x 4.060x 35.341x 6.517
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 30/04/2016Prêmio Estimado: R$ 3.600.000,00

Palmadas estimulam agressividade em crianças, diz estudo

A criança que apanha (leves palmadas no bumbum ou em outra extremidade) é mais propensa a desafiar seus pais, ter um comportamento antissocial, a ser mais agressivas, ter problemas de saúde mental e dificuldades cognitivas. A conclusão é de um estudo publicado recentemente no periódico científico Journal of Family Psychology.


Pesquisadores da Universidade do Texas em Austin e da Universidade de Michigan, ambas nos Estados Unidos, revisaram estudos desenvolvidos ao longo de 50 anos sobre o assunto, envolvendo mais de 160.000 crianças.


"Descobrimos que a palmada foi associada a resultados negativos não intencionais. Não foi associada com obediência imediata nem de longo prazo", disse Elizabeth Gershoff, da Universidade do Texas em Austin e principal autora do estudo.


Para Andrew Grogan-Kaylor, da Universidade de Michigan, a mensagem deste estudo é que bater em crianças aumenta, na verdade, a probabilidade de resultados indesejados e tem um efeito oposto ao que os pais desejam com o ato.


Lei da Palmada
A Lei da Palmada entrou em vigor no Brasil em 2014. Na prática, a lei impede a aplicação de castigos cruéis e degradantes contra crianças e adolescentes. Mas o texto abre espaço para impedir até palmadas ou beliscões ditos "educativos". Cabe ao Conselho Tutelar receber denúncias de suspeita ou confirmação de castigo físico e aplicar multas a profissionais da saúde, professores ou funcionários públicos que não comunicarem às autoridades notícias de maus tratos contra crianças e adolescentes.


A proposta foi inspirada em um estudo da Universidade de São Paulo, que concluiu que crianças submetidas a castigos chegavam à vida adulta traumatizadas e agressivas em situações comuns do dia a dia. A proibição total de castigos em crianças já ocorre em países como Israel, Nova Zelândia e Costa Rica.


Fonte: Veja

Saiba como manter seu currículo atraente

Em tempos de mercado de trabalho desaquecido, a pilha de currículos diante dos recrutadores cresce.

Para que seu documento se destaque, seja claro e conciso. No histórico profissional, descreva os resultados que alcançou nas empresas. "Isso ajuda a determinar se você tem as habilidades necessárias para a vaga", diz Luciana Tegon, recrutadora e coach.

Atualização
Não deixe para preparar o currículo quando for procurar emprego. Sempre que finalizar projetos importantes na empresa ou fizer um curso relevante para sua carreira, inclua no documento


Bilíngue
Hoje em dia, saber falar inglês é mais relevante que uma pós-graduação para quem visa uma empresa multinacional ou de grande porte. Se tiver interesse em um terceiro idioma, invista em aulas de espanhol

Sucinto
O maior pecado dos currículos ainda é a falta de concisão e de clareza. Em vez de listar cada tarefa realizada, concentre-se nos grandes projetos. Nos cursos, cite apenas os que têm relação direta com a vaga

Cursos
Todo conhecimento é bem visto, seja um curso livre ou um MBA. Na hora de escolher, pense no médio prazo. Procure temas que possam qualificá-lo para o cargo que você almeja ocupar em cinco anos


Fonte: Folha.com

Fumaça de incenso pode ser mais tóxica que a de cigarro, alerta pesquisa

Em breve, as embalagens de incenso podem vir com advertências do Ministério da Saúde bem parecidas com as que encontramos hoje nos maços de cigarro. Ao menos é o que se pode deduzir de uma pesquisa inédita realizada pela Universidade de Tecnologia do Sul da China, publicada no periódico Environmental Chemistry Letters. O estudo avaliou os riscos à saúde proporcionados pelo uso de incenso em ambientes fechados e também fez uma comparação com os efeitos do cigarro no organismo.


Já se sabia que o processo de queima do incenso libera partículas no ar que podem ser inaladas e provocar reações inflamatórias nos pulmões. Mas desta vez, os pesquisadores chegaram a resultados ainda mais surpreendentes. Os testes com as duas fumaças foram feitos em amostras de bactéria Salmonella e em células do ovário de hamsters chineses.


A fumaça resultante do incenso se mostrou mais tóxica em três aspectos: ela é mais mutagênica, ou seja, suas propriedades químicas podem causar mutações genéticas no DNA; ela também é mais citotóxica e genotóxica, causando maiores danos às células, sobretudo ao material genético. Todas essas toxinas estão relacionadas ao desenvolvimento de câncer.


As quatro amostras de incenso testadas eram feitas à base de sândalo e agar e continham ao todo 64 compostos. A maioria deles só provoca irritações ou são levemente danosos, mas ingredientes contidos em duas das amostras eram altamente tóxicos. Vale frisar que o estudo foi feito em parceria com uma empresa de tabaco chinesa, o que já levanta algumas suspeitas sobre sua credibilidade. O conteúdo do artigo, entretanto, aparenta ser isento.


Para o líder da pesquisa, Rong Zhou, ainda não é possível concluir que a fumaça de incenso é mais tóxica que a de cigarro, pois a amostra avaliada é muito pequena se comparada com a imensa variedade de produtos disponível no mercado. O fato de que não se fuma incenso também deve ser levado em consideração.


Mas para ele, esta é uma oportunidade de ampliar o debate sobre o assunto, que até então não recebeu grande atenção nem por parte da sociedade, nem da comunidade científica. "Claramente, deve haver uma maior conscientização e manejo dos riscos à saúde associados com a queima de incenso em ambientes internos", disse Zhou em um comunicado à imprensa.


Fonte: Galileu

Salário mínimo cresceu 77% desde 2002, diz Ministério do Trabalho


O salário mínimo aumentou 77,18% acima da inflação desde 2002, passando de R$ 496 (valor atualizado de acordo com a inflação) para R$ 880 em 2016. Os dados foram divulgados neste domingo (1º) pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a valorização alcança diretamente 48,3 milhões de pessoas, que têm seus rendimentos referenciados no mínimo.


Em 2017, o salário mínimo deve ser reajustado para R$ 946, conforme a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias. Somente neste ano, de acordo com Dieese, o reajuste deve injetar R$ 57 bilhões na economia brasileira.


Em mensagem divulgada hoje, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, diz que a classe trabalhadora teve "direitos importantes melhorados" e ressalta que "este 1º de maio será um dia de luta pela democracia e pelos direitos sociais conquistados".


"O salário mínimo tem garantido uma política de valorização, que fez com que ao longo desses últimos anos crescesse mais de 80% acima da inflação e por iniciativa da presidenta Dilma [Rousseff], esta política de valorização de crescimento e garantia do salário mínimo, está garantida até 2019. A renda do nosso povo, em média, subiu mais do que 60% acima da inflação. Todos ganharam", enfatiza o ministro na mensagem.


Previdência Social
De acordo com o ministério, a política de valorização do mínimo também impacta diretamente os benefícios da Previdência Social, já que cerca de 70% dos beneficiários recebem o piso - contingente de 22,5 milhões de pessoas. Em dez anos, o valor médio das aposentadorias, por exemplo, já acumula ganho real de 34,7%.


"A Previdência Social ampliou, acolheu mais e mais trabalhadores e trabalhadoras. Em março deste ano, 33 milhões de brasileiros e brasileiras receberam benefícios sociais.", afirma Rossetto.


Em 2014, caso os benefícios da Previdência Social não fossem pagos, 26 milhões de pessoas entrariam na faixa da pobreza - e não teria ocorrido uma redução de 13,3% entre os mais pobres. Os dados são de estudo do Departamento do Regime Geral de Previdência Social, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2014.


"Tivemos um ano de 2015 difícil, nossa economia parou de crescer. Problemas provocados pela crise internacional, problemas internos e por essa artificial e irresponsável crise política não ajudaram em nada o nosso país. Mesmo diante dessas dificuldades, temos que comemorar as nossas conquistas, que foram muitas, temos que trabalhar para que elas sejam preservadas. Não vamos aceitar que interesses políticos, interesses econômicos, que não são os interesses da classe trabalhadora destruam aquilo que foi conquistado com muito trabalho e com muita dedicação", diz Rossetto.


Fonte: UOL

Sua saúde: Aprenda como inserir lanches na sua rotina

Ingerir lanches entre as três refeições principais contribui para uma alimentação saudável e a perda de peso. "Uma das vantagens de se alimentar a cada três horas é evitar ataques de fome. Ficar longos períodos sem se alimentar aumenta os níveis dos hormônios relacionados à fome (grelina) e acarretam aumento da ingestão de alimentos processados e industrializados na próxima refeição", explica a endocrinologista Adriana Pessôa da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Por isso, selecionamos algumas dicas para que as pessoas consigam inserir lanches no cotidiano, sem que isso tome muito tempo e de forma que eles proporcionem benefícios para a saúde e seja aliados da dieta.


Crie técnicas de alertas
É importante ter horários definidos para consumir os lanches. "Isto porque a célula do tecido gorduroso encontra-se sob o controle do gene Clock (gene relógio). Quando não existe uma regularidade nos horários da ingestão de alimentos as chances do indivíduo ganhar peso e se tornar obeso aumentam", constata a endocrinologista Adriana Pessôa da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.


A tecnologia é uma grande aliada para conseguir comer em horários corretos. "Vale usar o alarme do computador, do celular, aplicativos próprios, entre outros. Para quem não quer usar tecnologias, deixar um lembrete em algum lugar visível na mesa do escritório também é uma ótima ideia", orienta a nutricionista Daniela Spimpolo, especializada em Nutrição Esportiva.

Tenha um espaço para armazenar o lancheTer um lugar onde armazenar o lanche é importante para que a pessoa consiga inserir o novo hábito alimentar no cotidiano. Muitas empresas oferecem geladeira onde os alimentos podem ser guardados, as lancheiras térmicas também são boas alternativas. Alimentos secos, como cookies integrais, barrinhas e oleaginosas podem ser armazenados na gaveta do escritório. "Evite levar iogurtes probióticos para o trabalho, pois os lactobacilos são sensíveis e não duram muito tempo fora da geladeira", explica a nutricionista Vivian Ragasso, nutricionista esportiva do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.



É preciso tomar alguns cuidados ao armazenar os lanches no local de trabalho. "Mantenha refrigerados queijos processados, iogurtes, cenoura baby e tomate cereja. Já as bolachas, barrinhas, frutas secas ou desidratadas precisam ficar sempre em ambiente fresco e arejado. E manter bem fechadas as embalagens após abertos esses produtos", diz Spimpolo.


Ter os alimentos por perto, como na gaveta, pode fazer com que a pessoa fique beliscando entre os lanches, mas isto deve ser evitado. "Muitas vezes o indivíduo acha que por ter algo saudável na gaveta pode comer à vontade, mas isso irá prejudicar a dieta e também pode levar ao ganho de peso", alerta Ragasso.


Os melhores lanches
Frutas são ótimas alternativas. "A ingestão de frutas deve ser de 3 a 5 porções por dia, então incluir esses alimentos nos lanches ajuda a consumir a quantidade diária recomendada", afirma Ragasso.


Outras boas opções são as frutas secas, oleaginosas sem sal ou açúcar, biscoitos e cookies integrais, palitinhos de fibras, barrinhas de frutas ou de proteínas, sementes de abóbora e iogurtes desnatados.


Lanches naturais também podem ser alternativas, procure prepará-los com pão integral, uma proteína magra, como o queijo branco, e incluir vegetais como a cenoura ralada e o tomate, se quiser colocar atum prefira o conservado em água e não em óleo e troque a maionese por ricota.


Pense na qualidade nutricional
Ao ingerir um alimento é importante pensar na qualidade nutricional dele. Por isso, fique atento a algumas substâncias na tabela nutricional. Ao ler o rótulo note o valor calórico, a quantidade de gordura, saturada e trans, e sódio, é melhor que estas substâncias não sejam abundantes. Observe também o quanto de fibras o alimento tem, neste caso o interessante é que ele tenha bastante. Segundo a recomendação da Anvisa, para ser fonte de fibra um alimento precisa apresentar 2,5 g por porção, e para ser rico 5g por porção. Além disso, é importante atentar-se para o valor calórico do lanche. "Tente não passar de aproximadamente 100 calorias em cada lanche", diz Ragasso.


Preste atenção nas quantidades
Além de optar por alimentos saudáveis é necessário ficar atento também às quantidades. Em cada lanche a orientação é ingerir cerca de um punhado, mais ou menos 100 gramas, do alimento, especialmente no caso das frutas em que os tamanhos variam muito.


Quanto aos produtos industrializados, como as barrinhas de frutas ou de proteínas, iogurtes desnatados, cookie integral, entre outros, calcule a quantidade que tenha cerca de 100 calorias.


No caso das oleaginosas, opte por cerca de sete ou oito delas. "Um bom kit é aquele com duas castanhas do pará, uma noz, duas castanhas de caju e duas amêndoas é uma ótima alternativa para um lanche", conta Ragasso.


Pense na praticidade
Os lanches não precisam tomar muito o seu tempo. Existem diversas opções saudáveis e simples, especialmente nos casos das frutas. "Maçã, pera e pêssego são alternativas práticas e muito boas para a saúde", ressalta Pessôa. Comer a fruta in natura é muito mais simples do que preparar um vitamina, por exemplo.


As oleaginosas, bolachas integrais em pacotes individuais, palitinhos de fibras e sementes de abóbora também são alternativas salgadas mais simples do que preparar um sanduíche natural.


Faça as combinações certas
Ao longo do dia geralmente serão ingeridos cerca de três lanches. É bom variar entre o que é consumido em cada um deles. "O ideal é que no mínimo um dos lanches seja fruta, se conseguir dois é ótimo, os outros podem ser um iogurte desnatado e alguma opção seca, como barrinha de frutas ou proteína, oleaginosa, granola light, entre outros", afirma Ragasso.


As combinações também podem variar de acordo com a rotina e necessidades da pessoa. "Por exemplo, falta tempo? Opte por 6 a 10 amêndoas, ou qualquer outra noz sem sal. Vai para academia? Um sanduíche com pão integral peito de peru e queijo branco é uma excelente fonte de proteína. Se a fome não for grande, uma maçã pode ser suficiente", orienta Pessôa.


O melhor lanche para cada horário
Normalmente os lanches são divididos entre o da manhã, aquele do meio da tarde e a ceia, em cada um desses momentos há uma opção mais indicada. "O lanche da manhã pode ser mais leve, uma fruta é o ideal. As nozes e castanhas também são uma boa opção, pois diminuem a grelina, hormônio da fome", ressalta Pessôa.


Durante a tarde o que será ingerido vai depender do tempo entre o almoço e o jantar. "Uma excelente opção seria iogurte desnatado com fruta fresca cortada e uma colher de sobremesa de semente de chia, fonte de fibras e ômega 3 ou uma fatia de pão integral com queijo", diz Pessôa. Já na ceia podem ser ingeridas castanhas do pará, pois elas são ricas em triptofano, aminoácido necessário para a produção de serotonina, um dos hormônios que influenciam o sono.


Opções saborosas
Também é possível consumir doces saudáveis e gostosas. "A bananinha sem adição de açúcar e o chocolate 70% cacau ou mais, quanto maior a concentração de cacau maior a saciedade, são boas alternativas", diz Spimpolo. Há também barrinhas de frutas com cobertura de chocolate.


As barras de alfarroba e o mel também são opções para quem gosta de doce. "Frutas secas são outras escolhas, especialmente o damasco, que ajuda a diminuir o desejo por doces", ressalta Ragasso.


Fonte: Minha Vida

Justiça de Sergipe revoga bloqueio e libera o WhatsApp em todo o Brasil

O desembargador Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima, do Tribunal de Justiça de Sergipe, decidiu nesta terça-feira (3) revogar a proibição do WhatsApp no Brasil –o magistrado reconsiderou a decisão do colega plantonista Cezário Siqueira Neto, que durante a madrugada negou recurso impetrado pela empresa para liberar o uso da ferramenta.


Como as operadoras de telefonia foram as citadas no processo, e não o WhatsApp em si, o tempo de retorno do sistema depende de cada uma dessas companhias. Aparentemente, na Vivo o serviço começou a ser restabelecido


Não foram divulgados detalhes sobre a decisão de Lima, em razão de, segundo a assessoria de imprensa do tribunal, o caso correr em segredo de Justiça. A instituição informa apenas que o magistrado atendeu "a um pedido de reconsideração impetrado pelos advogados do WhatsApp".


"A decisão já foi disponibilizada no site do TJ-SE para dar ciência às partes e autoridades interessadas", diz o órgão, em comunicado. A página, porém, está fora do ar desde ontem, após ação de grupo de hackers do grupo Anonymous Brasil contra o bloqueio do aplicativo.


Neto, que analisou o caso porque o mandado de segurança da empresa chegou durante o período de plantão, havia mantido o bloqueio à ferramenta, concordando com a decisão do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto (SE) –foi ele quem inicialmente determinou que operadoras de telefonia tirassem o aplicativo do ar, em razão de a corporação não repassar dados para investigações sobre uma quadrilha de tráfico de drogas na cidade.


"Por certo que a decisão ora impugnada vai desagradar a maioria dos brasileiros, que desconhecem os reais motivos de sua prolação", disse Neto, ao justificar a manutenção da proibição. Ele chegou inclusive a ratificar uma lista de apps alternativos indicada por Montalvão.


"Deve-se considerar que existem inúmeros outros aplicativos com funções semelhantes à do Whatsapp, a exemplo daqueles citados pelo julgador de primeiro grau (Viber, Hangouts, Skype, Kakaotalk, Line, Kik Messenger, Wechat, GroupMe, Facebook Messenger, Telegram etc.)"
SP sem WhatsApp


"Ninguém mais liga hoje em dia, só manda áudio, foto", diz Fernanda Alves, 19, sócia de um restaurante: ela temia perder pedidos por causa do bloqueio ao aplicativo


Os donos do aplicativo argumentam que não podem informar os dados à Justiça por não possui-los. Antes, a empresa dizia manter apenas o número de telefone dos usuários, dado necessário para usar a ferramenta, e não armazenar as conversas. E, em abril, a ferramenta terminou o processo de implementação do sistema de criptografia "end-to-end" (no qual apenas as pessoas na conversa podem ler as mensagens). Com isso, afirma, é impossível divulgar os dados.


Entenda
O processo que culminou na determinação de Montalvão é o mesmo que justificou, em março, a prisão de Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook, empresa dona do app, para a América Latina. O magistrado quer que a companhia repasse informações sobre uma quadrilha interestadual de drogas para uma investigação da Polícia Federal, o que a companhia se nega a fazer.


As cinco operadoras —TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel— decidiram acatar a decisão judicial. Em caso de descumprimento, estariam sujeitas a multa diária de R$ 500 mil.


Para o presidente da Anatel,João Rezende, o bloqueio do Whatsapp foi uma "decisão desproporcional porque acaba punindo todos os usuários".


Para ele, o "WhatsApp deve cumprir as determinações judiciais dentro das condições técnicas que ele tem. Mas, evidentemente, o bloqueio não é a solução".


Apesar de as teles e o aplicativo travarem uma disputa comercial, o bloqueio é um transtorno para as operadoras. O WhatsApp funciona com mudança de registro de computadores e isso torna o trabalho de bloqueio bastante complicado para as teles, que podem ser punidas caso não consigam implementar o bloqueio plenamente.


Da última vez, a Claro foi uma das operadoras que reclamou de que o WhatsApp se valia desta particularidade técnica do serviço para furar o bloqueio intencionalmente. O aplicativo teria mudado rapidamente os registros para dificultar o bloqueio.


Histórico
Em dezembro, o WhatsApp havia sido bloqueado no Brasil por 48 horas devido a uma investigação criminal. Na ocasião, as teles receberam a determinação judicial com surpresa, mas a decisão não durou 48 horas.


O bloqueio foi uma represália da Justiça contra o WhatsApp por ter se recusado a cumprir determinação de quebrar o sigilo de dados trocados entre investigados criminais. O aplicativo pertence ao Facebook.


Em fevereiro, um caso parecido ocorreu no Piauí, quando um juiz também determinou o bloqueio do WhatsApp no Brasil. O objetivo era forçar a empresa dona do aplicativo a colaborar com investigações da polícia do Estado relacionadas a casos de pedofilia.


A decisão foi suspensa por um desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí após analisar mandado de segurança impetrado pelas teles.


Fonte: Folha.com

Janot pede ao STF para investigar Aécio, Paes e Carlos Sampaio

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para abrir um segundo inquérito para investigar o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), na Operação Lava Jato. Também são alvos do mesmo pedido o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) e o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB).


Os três políticos são suspeitos de terem tentado ocultar da CPI dos Correios, em 2005, informações sobre o suposto esquema de compra de votos em troca de apoio parlamentar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais durante a gestão do ex-governador Eduardo Azeredo (1995-1999), o chamado mensalão do PSDB.


A CPI dos Correios investigou outro esquema de compra de votos, o mensalão do PT, que ocorreu durante o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


À época em que a CPI dos Correios investigou o mensalão do PT, Aécio era governador de Minas Gerais. Já Paes e Sampaio eram integrantes da bancada do PSDB na Câmara dos Deputados. O atual prefeito do Rio, inclusive, chegou a ocupar o cargo de subrelator da CPI dos Correios.


O pedido de Janot é baseado no termo de colaboração 18 da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), no qual ele indica supostas irregularidades para maquiar dados do extinto Banco Rural em relação ao mensalão mineiro na CPI dos Correios. Delcídio do Amaral era presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito.


Na última segunda-feira (2), o procurador-geral da República já havia pedido autorização ao Supremo, também com base em depoimentos de Delcídio, para investigar Aécio em outra denúncia, por suposto envolvimento dele em irregularidades em Furnas. Carlos Sampaio e Eduardo Paes, entretanto, ainda não eram alvos de inquéritos da Lava Jato.


Para que os três sejam formalmente investigados pela Procuradoria-Geral da República, a abertura de inquérito precisa ser autorizada pelo ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no STF.


O que dizem os suspeitos
Por meio nota, a assessoria de Aécio disse que as menções feitas por Delcídio são "improcedentes, caluniosas e sem qualquer tipo de comprovação".


No comunicado, Aécio também negou o suposto pedido para prorrogar prazo das informações do Banco Rural e apresentou uma certidão fornecida pela Secretaria Geral do Senado que atesta que não existe esse pedido (veja reprodução da certidão ao final desta reportagem).


O tucano ressalta ainda que Carlos Sampaio e Eduardo Paes foram os autores do "mais amplo pedido de informações sobre o Banco Rural" na CPI dos Correios. Aécio também negou que o relatório final da comissão parlamentar de inquérito tenha sido feito com dados maquiados e que tenha tratado de manipulação de informações com Delcídio (leia a íntegra da nota ao final da reportagem).


Também por meio de nota, o prefeito do Rio afirmou que "está à disposição da Justiça" para prestar esclarecimentos sobre o episódio relatado por Delcidio. Segundo Paes, "em nenhum momento" Aécio solicitou "qualquer tipo de benefício" nas investigações da CPI dos Correios.


No início da tarde desta quarta, Carlos Sampaio divulgou uma nota na qual destacou que o pedido de investigação de Janot "é um procedimento corriqueiro da PGR".


Mais tarde, o deputado do PSDB divulgou um novo comunicado à imprensa, desta vez para relatar que foi, na tarde desta quarta, à sede da Procuradoria Geral da República para apresentar explicações sobre os fatos relatados por Delcídio (leia ao final desta reportagem a íntegra da nota).


De acordo com Sampaio, após dar seus esclarecimentos, a PGR teria acolhido um pedido dele, soliticitando ao STF a devolução da solicitação de investigação, antes mesmo da instauração do inquérito, para que seja realizada uma nova análise dos fatos relatados pelo ex-líder do governo.


Segundo o G1 apurou, na audiência com Carlos Sampaio na tarde desta quarta, o procurador-geral da República afirmou ao tucano que iria analisar o caso, mas não decidiu ainda se irá pedir de volta ao Supremo a solicitação de abertura que inquérito.


Delação de Delcídio
Segundo a delação de Delcídio do Amaral, durante as investigações da CPI dos Correios, os parlamentares solicitaram a quebra de sigilos fiscais e bancários de pessoas e empresas. Entre os alvos dos requerimentos de quebra de sigilo estava o Banco Rural.


O delator da Lava Jato contou ainda que, no momento em que foi aprovada a quebra de sigilo da instituição financeira, integrantes do PSDB ficaram "incomodados".


Presidente da CPI dos Correios, Delcídio relatou aos procuradores da República que Aécio – então governador de Minas – enviou pedido por meio de Eduardo Paes para prorrogar prazos de entrega das quebras de sigilo. Na ocasião, além de ser subrelator da CPI, Paes era secretário-geral do PSDB.


"Foi com surpresa que o declarante [Delcídio] percebeu, a receber as respostas, que o tempo fora utilizado para maquiar os dados que recebera do Banco Rural; que, ficou sabendo que os dados eram maquiados porque isso lhe fora relatado por Eduardo Paes e o próprio Aécio Neves; que, os dados atingiriam em cheio as pessoas de Aécio Neves e Clésio Andrade, governador e vice-governador de Minas Gerais; que o declarante compreendeu a existência da maquiagem pelo fato de que a gênese do mensalão teria ocorrido em Minas Gerais", diz trecho da delação premiada de Delcídio.


O senador sul-matogrossense também contou à PGR que, além de Aécio e Paes, Carlos Sampaio também participou da maquiagem dos dados. Segundo ele, o relatório final da CPI dos Correios "foi feito com base neste dados maquiados".


"Que o declarante entende que o Banco Central possui os dados corretos e teria condições de apontar a maquiagem. Que o declarante não sabe dizer quais foram os responsáveis, no Banco Rural, pela maguiagem dos dados. Que outros parlamentares também sabiam que esses dados estavam sendo maquiados, podendo citar os deputados Carlos Sampaio e Eduardo Paes", ressalta outro trecho da delação do parlamentar do Mato Grosso do Sul.


Fonte: G1

FATOS DO DIA -- 05 de maio

1949 - É criado o Conselho da Europa.
1961 - O astronauta Alan Shepard torna-se o primeiro norte-americano a viajar no espaço.
1968 - Estudantes franceses invadem a Universidade de Sorbonne. Cerca de 600 pessoas foram presas.


Nasceram neste dia…
1813 - Søren Kierkegaard, filósofo dinamarquês (m. 1865).
1818 - Karl Marx, filósofo e teórico político alemão (m. 1883).
1916 - Dalva de Oliveira (foto), cantora brasileira (m. 1972).


Morreram neste dia…
1821 - Napoleão Bonaparte, estadista francês (n. 1769).
1892 - August Wilhelm von Hofmann, químico alemão (n. 1818).
1995 - Mikhail Botvinnik, xadrezista soviético (n. 1911).


Fonte: Wikipédia

STF afasta Eduardo Cunha do mandato na Câmara

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki determinou nesta quinta-feira (5) o afastamento do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato de deputado federal.


Relator da Lava Jato, o ministro concedeu uma liminar em um pedido de afastamento feito pela Procuradoria-Geral da República. e apontou 11 situações que comprovariam o uso do cargo pelo deputado para "constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações". Na peça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a classificar o peemedebista de "delinquente".


O peemedebista foi transformado em réu no STF, por unanimidade, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro sob a acusação de integrar o esquema de corrupção da Petrobras, tendo recebido neste caso US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da estatal.


Na Lava Jato, o deputado é alvo de outra denúncia, de mais três inquéritos na Corte e de outros três pedidos de inquéritos que ainda aguardam autorização de Teori para serem abertos. As investigações apuram o recebimento de propina da Petrobras e o uso do mandato para supostas práticas criminosas.


"Ante o exposto, defiro a medida requerida, determinando a suspensão, pelo requerido, Eduardo Cosentino da Cunha, do exercício do mandato de deputado federal e, por consequência, da função de Presidente da Câmara dos Deputados", diz trecho da decisão.


Cunha será substituído por outro investigado na Lava Jato, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA).


Fonte: Folha.com

Após afastamento de Cunha, governo vai pedir anulação do impeachment de Dilma

O advogado-geral da União, ministro José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quinta-feira (5), que vai pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) a anulação do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff com base no afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).


"Nós já estamos pedindo e vou pedir. A decisão do Supremo mostra clarissimamente. Indiscutível. Eduardo Cunha agia em desvio de poder", afirmou Cardozo.


O afastamento do mandato de deputado federal de Cunha foi determinado nesta quinta pelo ministro do STF Teori Zavascki. Ele concedeu a liminar a partir de um pedido feito pela Procuradoria-Geral da República, em dezembro do ano passado, que afirmava que Cunha usa o cargo em "interesse próprio".


"Agora ficou evidenciado por uma decisão judicial aquilo que nós temos afirmado há muito tempo", disse Cardozo.


O governo alega que Cunha deu andamento ao processo de impeachment de Dilma após o PT se recusar a participar de uma manobra para evitar sua cassação na Câmara.


Cunha enfrenta um processo no Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar. Ele é acusado de ter mentido na CPI da Petrobras, ao dizer que não tinha contas no exterior. Se for condenado no Conselho, pode ter o mandato cassado.


"Foi ameaçando a presidente da República para que obtivesse os votos no Conselho de Ética e, ao não obtê-los, que o presidente Eduardo Cunha desencadeou esse processo [de impeachment]", disse Cardozo


"Não fosse o presidente Eduardo Cunha agindo desta forma, que levou ao seu afastamento hoje, esse processo não teria sido instaurado. Foi uma vingança. E isto qualifica o desvio de poder de Eduardo Cunha, hoje atestado por uma decisão judicial."


O processo de impeachment já foi aprovado pela Câmara e agora se encontra no Senado. Nesta quinta-feira, uma sessão da comissão especial do Senado vai discutir o parecer do relator. E, na próxima sexta-feira (6), o parecer será votado pela comissão, onde deve ser aprovado -- a bancada do governo tem apenas 5 integrantes dentre os 21 da comissão.


Em seguida, o parecer deve ser encaminhado ao plenário do Senado na próxima quarta-feira (11). Será aprovado se tiver o apoio da maioria simples dos membros (metade dos votos mais um). Caso contrário, o processo é arquivado.


Cardozo evitou dizer se o STF demorou para tomar a decisão do afastamento. "O Judiciário decide no tempo que acha que deve decidir. O importante é que se decida", declarou.


Fonte: UOL

11 a 0: Por unanimidade, Supremo confirma afastamento de Cunha da Câmara

Por unanimidade (11 a 0), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram nesta quinta-feira (5) manter a suspensão do mandato parlamentar e o afastamento por tempo indeterminado do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara.


A decisão ratificou liminar proferida nesta madrugada pelo ministro Teori Zavascki, ao analisar pedido da Procuradoria Geral da República (PGR). O órgão apontou o uso do cargo, por Cunha, para prejudicar investigações da Operação Lava Jato e o processo de cassação ao qual ele responde no Conselho de Ética da Câmara. Antes da decisão, a assessoria de Cunha informou que ele iria recorrer.


Acompanharam o relator os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli e Cámen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. Quase todos afirmaram se tratar de uma medida "excepcional".


Em seu pedido, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o afastamento era "fundamental" para o garantir o "regular funcionamento das instituições sem embaraços ou condutas espúrias", ante o risco do deputado praticar "novos ilícitos".


Veja aqui a íntegra da decisão de Teori Zavascki


O afastamento foi submetido ao plenário do ministro por afetar o presidente da Câmara. Daí a necessidade de ratificação ou rejeição pelo plenário do STF, formado por 11 ministros.


O pedido da PGR não inclui a cassação do mandato de Cunha, decisão que só pode ser tomada pelo plenário da Câmara, formado por 513 deputados.


O afastamento pedido, no entanto, vale por tempo indeterminado, até o procurador-geral e o ministro considerarem que já não existe mais risco de interferência do deputado no caso.


Com o afastamento de Cunha, assumiu a presidência da Câmara o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), vice-presidente da Casa e aliado do peemedebista.


Posição de Teori
A sessão teve início com a leitura, por Teori Zavascki, da decisão, de 73 páginas, de suspender o mandato de Cunha e afastá-lo da presidência da Câmara.


Para o ministro, há "ponderáveis elementos indiciários" a apontar que Cunha "articulou uma rede de obstrução" às investigações.


"Além de representar risco para as investigações penais sediadas neste Supremo Tribunal Federal, [a permanência de Cunha] é um pejorativo que conspira contra a própria dignidade da instituição por ele liderada", escreveu Teori.


O relator afirmou ainda que Cunha "não tem condições pessoais mínimas" para ser presidente da Câmara, pois "não se qualifica" para eventualmente substituir o presidente da República, já que é réu de ação penal, acusado de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato.


"O exercício do cargo, nas circunstâncias indicadas, compromete a vontade da Constituição, sobretudo a que está manifestada nos princípios de probidade e moralidade que devem
governar o comportamento dos agentes políticos", afirmou também o ministro.


Demais ministros
Ao acompanhar Zavascki, o ministro Luís Roberto Barroso disse que recentemente ouviu de um presidente de centro acadêmico que não queria viver em outro país, mas em outro Brasil.


"Vendo esse voto do ministro Teori, essa frase me veio à cabeça. De modo que acompanho o voto do relator", disse o ministro.


Dias Toffoli, por sua vez, afirmou que a decisão de afastar um político do mandato é excepcional e não pode servir de “empoderamento” ao Poder Judiciário.


“Essa atuação de suspender um mandato popular por circunstâncias fundamentadas há de ocorrer em circunstâncias que sejam realmente as mais necessárias. As mais plausíveis possíveis. [...] Não é desejo de ninguém que isso passe a ser instrumento de valoração de um poder sobre o outro, de empoderamento do Poder Judiciário em relação aos poderes eleitos democraticamente pelo voto popular”, destacou.


Para Cármen Lúcia, "o Supremo Tribunal Federal nesta decisão não apenas defende e guarda a Constituição, como é da sua obrigação, como defende e guarda a própria Câmara dos Deputados para resguardar todos os princípios e regras que têm de ser aplicadas. Uma vez que a imunidade do cargo não pode ser confundida com impunidade".


Luiz Fux, também favorável ao afastamento, disse que a decisão não representa interferência de um poder sobre o outro. "Há inclusive uma previsão constitucional, que mutadis mutandis, se aplica analogicamente, que quando há o recebimento da denúncia ou queixa contra titular do poder Executivo central, há obrigatoriamente suspensão do exercício das funções políticas", disse.


Em sua manifestação, Gilmar Mendes também ressaltou o caráter expecional da medida e descartou interferência indevida em outro poder. "O respeito à institucionalidade exige que também haja um respeito por parte dos órgãos e das instituições em relação a esses valores éticos que subjazem ao Estado de Direito", afirmou.


O ministro Marco Aurélio Mello destacou que a imunidade parlamentar não pode servir para tornar o político “inalcançável” às leis. "A imunidade visa o exercício. E eu costumo dizer que o cargo é ocupado para servir ao semelhante, e não para que este ou aquele inadvertidamente ou não, mas se sentindo inalcançável, se beneficie desse mesmo cargo”.


Ao proferir seu voto, Celso de Mello, ministro com mais tempo de atuação no STF, destacou que o presidente da Câmara hoje “ostenta condição de réu criminal”. Ele afirmou que as investigações da Operação Lava Jato relacionadas a Cunha revelam que a corrupção “pode ter se impregnado no aparelho estatal, transformando-se em método de ação governamental e caracterizando-se como uma conduta endêmica”.


“Nenhum cidadão poderá viver com dignidade numa comunidade jurídica corrompida. Vejo que a República se vê corrompida quando prevalece entre os governantes o espírito de facção voltada para garantir privilégios”, afirmou.


O ministro Marco Aurélio Mello destacou que a imunidade parlamentar não pode servir para tornar o político “inalcançável” às leis. "A imunidade visa o exercício. E eu costumo dizer que o cargo é ocupado para servir ao semelhante, e não para que este ou aquele inadvertidamente ou não, mas se sentindo inalcançável, se beneficie desse mesmo cargo”, afirmou.


Último a votar, o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, rebateu a críticas de que a decisão de afastar Cunha é “tardia”. Nesta quinta (5), a presidente Dilma Rousseff reagiu à notícia da suspensão do mandato do peemedebista dizendo: “Antes tarde do que nunca”.


“Esse julgamento demonstra que o Poder Judiciário está atento aos acontecimentos que ocorrem no país e tem ofertado a sua prestação jurisdicional àqueles que o procuram em seu devido tempo. O tempo do Judiciário não é o tempo da política e não é o tempo da mídia. Temos ritos, procedimentos e prazos que devemos observar”, afirmou.


Lewandowski também destacou que eventual “cassação do mandato” de Cunha só pode ser tomada pela Câmara dos Deputados. “Eventual cassação do mandato continua sob a competência da Câmara dos Deputados, a quem caberá ser tomada se for necessária.”


11 motivos
No pedido de afastamento, Janot listou 11 motivos que, segundo ele, justificam a medida:


1 - Eduardo Cunha fez uso de requerimentos para pressionar pagamento de propina do empresário Júlio Camargo e o grupo Mitsui. Já havia casos de requerimento para pressionar dirigentes de empresas de petróleo;
2 - Eduardo Cunha estava por trás de requerimentos e convocações feitas a fim de pressionar donos do grupo Schahin com apoio do doleiro Lúcio Funaro. Depoimentos de Salim Schahin confirmam isso. Lúcio Funaro pagou parte de carros em nome da empresa C3 Produções Artísticas, que pertence à família de Cunha;
3 - Eduardo Cunha atuou para convocar a advogada Beatriz Catta Preta na CPI da Petrobras para “intimidar quem ousou contrariar seus interesses”;
4 - Eduardo Cunha atuou para contratação da empresa de espionagem Kroll pela CPI da Petrobras, “empresa de investigação financeira com atuação controvertida no Brasil";
5 - Eduardo Cunha usou a CPI para convocação de parentes de Alberto Youssef, como forma de pressão;
6 - Eduardo Cunha abusou do poder com a finalidade de mudar a lei impedir que um delator corrija o depoimento;
7 - Eduardo Cunha mostrou que retalia quem o contraria com a demissão do diretor de informática da Câmara, Luiz Eira;
8 - Eduardo Cunha usou cargo de deputado para receber vantagens indevidas para aprovar parte de medida provisória de interesse do banco BTG;
9 - Eduardo Cunha fez "manobras espúrias" para evitar investigação na Câmara com obstrução da pauta com intuito de se beneficiar;
10 - Eduardo Cunha fez ameaças ao deputado Fausto Pinato (PRB-SP), ex-relator do processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara;
11 - Eduardo Cunha teria voltado a reiterar ameaças a Fausto Pinato;


Pedido da Rede
Ao final da sessão desta quinta, os ministros adiaram o julgamento de uma ação da Rede Sustentabilidade que, além do afastamento de Cunha, pedia que qualquer réu seja impedido de assumir a Presidência da República.


Relator do caso, o ministro Marco Aurélio disse que já não havia mais urgência de decidir sobre o caso, com o afastamento determinado a pedido da PGR. Também disse que já não existe mais o risco de algum sucessor na Presidência assumir o cargo, ao lembrar que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não teve denúncia recebida pelo STF.


Consulta ao TSE
No último dia 26, o deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) fez uma consulta ao TSE sobre a possibilidade de alguém que é réu em processo no Supremo assumir a Presidência da República. A consulta foi distribuída ao ministro Henrique Neves, que ainda não deu uma decisão.


Na consulta, o deputado menciona o artigo 86 da Constituição Federal, segundo o qual o presidente da República deve ser suspenso das funções se tiver denúncia por crime comum recebida pelo Supremo ou se tiver contra si processo de impeachment aberto pelo Senado.


Fonte: G1

'Sem chance de renúncia', diz Eduardo Cunha após decisão de afastá-lo


O presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta quinta-feira (5), por meio de sua assessoria de imprensa, que não há "chance de renúncia". Ele comentou a decisão liminar (provisória) do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavaski de afastá-lo do mandato parlamentar e do cargo de presidente da Câmara.


A medida foi analisada pelo plenário do Supremo nesta tarde. Por unanimidade, os ministros decidiram manter o afastamento de Cunha.


A expectativa é que Cunha dê uma entrevista coletiva para a imprensa na residência oficial da presidência da Câmara ainda nesta quinta.


Mais cedo, a assessoria do deputado disse que ele decidiu recorrer da decisão e informou ainda que Cunha está "tranquilo" e passará esta quinta-feira na residência oficial, recebendo aliados e advogados.


Decisão de Teori
O ministro Teori concedeu a liminar em ação pedida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em dezembro, que argumentou que Cunha estava atrapalhando as investigações da Lava Jato, na qual o deputado é réu em uma ação e investigado em vários procedimentos.


Antes de Teori divulgar sua decisão, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, havia marcado para a tarde desta quinta uma sessão no plenário para discutir outra ação sobre Cunha, apresentada pela Rede, que também pede o afastamento do cargo.


Cunha também é alvo de denúncia no Conselho de Ética da Câmara. O relator do processo, Marcos Rogério (DEM-RO), disse que o caso continuará tramitando normalmente mesmo com o afastamento do deputado.


Apesar da suspensão do mandato, Cunha mantém os direitos de parlamentar, como o foro privilegiado. Teori destacou que a Constituição assegura ao Congresso Nacional a decisão sobre a perda definitiva do cargo de um parlamentar, mesmo que ele tenha sido condenado pela Justiça sem mais direito a recursos.


Fonte: G1

MOLDE DE LEMBRANÇA ESPECIAL PARA AS MÃES

MOLDE DE LEMBRANÇA ESPECIAL PARA AS MÃES
http://ensinar-aprender.com.br/2011/05/molde-de-lembranca-especial-para-as.html

PRESENTE PARA DIA DAS MÃES COM CD USADO

PRESENTE PARA DIA DAS MÃES COM CD USADO

2013-04-08-16.57.242
Trago hoje para vocês uma sugestão de lembrancinha para o dia das mães, feita com CD velho e retalhos de pano, é um pequeno quadro circular com porta-recados, fica muito fofo pendurado na parede.
Estes são os que estamos fazendo em minha escola. Espero que gostem.
Encape 1 CD usado com um pedaço de tecido, de preferência malha.
Use cola quente ou cola de contato para colar.
 
Vai ficar assim:
 Encape outro CD também, faça as combinações de cores que quiser.
cole um putro pedaço de pano em uma das partes, fazendo um bolso.
Cole as pontas para a parte de trás do CD.
 
Junte as duas partes e cole para dar o acabamento.
http://ensinar-aprender.com.br/2013/04/presente-para-dia-das-maes-com-cd-usado.html