1

1

Google+ Followers

segunda-feira, 25 de abril de 2016

9 alimentos poderosos para fortalecer a imunidade e evitar a gripe H1N1

Invista em um cardápio equilibrado com 9 alimentos poderosos para fortalecer a imunidade e evitar a Gripe H1N1


Alho e cebola
Aposte no consumo dos alimentos crus para se proteger e fortalecer a imunidade.


Iogurte e leite fermentado
Os lactobacilos contidos nas bebidas estimulam o sistema imunológico, além de proteger o intestino e evitar as indesejáveis infecções.


Salmão e frutas
Consideradas fontes ricas em selênio atuam no fortalecimento do sistema imunológico, colaboram para o bom funcionamento da tireoide, assim como contam com poder antioxidante do ômega 3 encontrado no salmão.


Chá verde ou preto
Invista na ingestão das bebidas quentes, que aumentam a imunidade, devido à concentração de aminoácidos, auxiliam na expectoração dos fluidos e, consequentemente diminuem a contaminação das vias aéreas.


Acerola – rica em vitamina C capaz de turbinar o sistema imunológico.


Ovos
A ingestão do alimento rico em complexo B e ácido fólico favorece a composição do sangue.


Tofu
Incorpore o alimento (rico em ferro) ao cardápio, para aumentar a energia e a restauração celular.


Agrião, rúcula, couve e brócolis
As hortaliças possuem vitamina A, que atuam na proteção das muscosas e impedem a transmissão de doenças.


Óleos vegetais (girassol e milho)
Ricos em vitaminas E, são considerados antioxidantes importantes, que agem na proteção das células.



10 exercícios para estimular a mente

Manter a mente ativa é fundamental para deixar a saúde em dia, por isso um neurologista formulou 10 exercícios para melhorar o desempenho


Manter ativo um dos mais importantes músculos do corpo é fundamental para deixar a saúde em dia. E é aí que surge a neuróbica, uma ginástica para a mente que a desafia a sair da rotina, estimulando e melhorando o seu desempenho global.


“O método consiste em alterar atividades do dia a dia com exercícios mentais que aceleram processos cerebrais. Sempre que o órgão for estimulado a lançar uma nova visão e solução criativa, ele estará se exercitando”, reforça Leandro Teles, neurologista (SP). Quer experimentar? Então, tente esses exercícios propostos pelo expert!


1. Mude os caminhos entre locais que costuma ir com frequência.


2. Inverta os talheres de mão sempre que possível.


3. Tome banho no escuro. Isso estimula a sua parte sensorial.


4. Use o mouse com a mão que você tem menos habilidades.


5. Quando ouvir uma palavra diferente, pense em outras cinco que começam com a mesma letra.


6. Ande de costas dentro de casa, mas tome cuidado com os móveis.


7. Suba a escada contando os degraus em progressão aritmética (somando, por exemplo, quatro unidades para cada degrau).


8. Tente se vestir usando só o braço que você menos usa.


9. Troque o relógio de mão e tente ver o horário com a imagem do objeto refletida no espelho.


10. Ao andar por aí, imagine com quem as pessoas se parecem. Pode ser alguém famoso ou um conhecido seu.



Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/mulher-de-corpo/10-exercicios-para-estimular-a-mente/4359 - Por Redação Corpo a Corpo | Adaptação: Nathália Henrique - Foto: Shutterstock

Adote já 9 atitudes fitness para não desistir da academia


Você mal começa a se exercitar e já desiste? O problema pode estar em sua mente. Adote já essas atitudes fitness e dê olá para uma nova vida ativa!


Começa a se exercitar, desiste depois de dois meses. Recomeça, mas também fica no meio do caminho. E isso ainda se repete incontáveis vezes. Reconhece essa história? Se sim, você está focando apenas no físico, sem levar em consideração que mudanças acontecem de dentro para fora – e não seria diferente com suas curvas. A mente funciona como uma base para suas atitudes no plano material, por isso, quando bem trabalhada, vai levar você a qualquer lugar, até mesmo ao corpo dos sonhos. Adote já essas atitudes fitness e transforme seu cérebro no melhor amigo da vida ativa.


1. Afaste os pensamentos negativos
Frustrações e sentimentos: tudo o que somos hoje é reflexo do passado – o que influencia diretamente no jeito que encaramos a vida, seja positiva ou negativamente. Neste último, quem sofre é a autoestima. Para se proteger, logo vêm à cabeça ideias como “isso não é para mim”, dando aquele desânimo. Por isso, faça as pazes com o passado, para reconstruir o amor-próprio e transformar bad vibes em motivação para treinar e seguir a vida.


2. Seja otimista
Qualquer processo de mudança (incluindo cumprir a promessa de se exercitar) passa por três fases: a visualização da mudança, quando existe a iniciativa, a decisão e ação, quando se começa a percorrer o novo caminho, e o (temido) compromisso da continuidade, afinal, seu corpitcho não mudará com uma semana de treinos, certo? O otimismo fará você persistir, construindo os resultados aos poucos. Assim, você verá a mudança como um processo, e não um evento, afastando a frustração de não ter conquistado o corpo sonhado em pouco tempo.


3. Tire um tempo para si mesma
Sempre com a agenda lotada e aquele peso na consciência por ter dado o cano (de novo) no treino. Rolou uma identificação? Então, é hora de analisar sua rotina e detectar as atividades que não são importantes e dedicar esse tempo a algo que realmente faça bem a você. Pare e pense: quantas vezes você reclamou da correria, mas criou raízes no sofá para não perder um episódio da novela ou daquela série? Isso não significa que você deva deixar de assistir à TV, mas, sim, que é preciso colocar na balança e pensar naquilo que realmente fará seu escasso tempo valer a pena.


4. Encontre a motivação certa
Sabe aquela história de “se eu tiver o corpo que quero, ficarei em paz e motivada”? Inverta o raciocínio: “se eu estiver em paz e motivada, chegarei ao corpo que quero”. A paz interior é a partida, não a chegada. “Assim, nos tornamos mais capazes de superar as difoculdades que possam surgir pelo caminho”, ensina Eduardo Zugaib, autor do best-seller A Revolução do Pouquinho (Ed. DVS, R$ 32) e expert em coaching, de São Paulo.


5. Aceite quem você é
É ok se inspirar em outras mulheres, mas se você treina para se parecer com alguma delas, volte e recomece. Ao buscar algo que não condiz com sua realidade, acabará decepcionada e, além de desistir da vida ativa, minguará a autoestima. “Quem rompe esse paradigma é mais feliz e transforma a atividade física em um gesto de amor-próprio, não de medo de ser julgado. Ela treina para si mesma, não para o outro”, diz Eduardo Zugaib.


6. Elogie-se
Encare o espelho e diga para si mesma como aprecia alguma característica sua – vale falar sobre seu sorriso, cabelo ou aquela habilidade que só você tem. Repita o exercício todos os dias por duas semanas, sempre de maneira regrada. No início, pode ser difícil, mas insista e colha os resultados!


7. Seja grata
Quantas vezes você se pegou resmungando sobre seu corpo e esqueceu tudo de bom que ele já lhe trouxe? Reflita sobre isso e agradeça a cada parte dele pelo que tem feito de bom por você.Seja grata por tudo o que você é e tem – assim, em vez de ficar presa a expectativas, você volta os olhos para o presente.


8. Busque o equilíbrio
Não são raros os casos de mulheres que ficam tão preocupadas com suas curvas que acabam não curtindo outros aspectos da atividade física e, em situações extremas, até mesmo da vida. É como se você tivesse vários “eus”, um para cada parte de sua rotina. Quando um deles recebe mais atenção, os demais acabam sendo deixados de lado. Então, se você está focada apenas em conquistar o corpo de seus sonhos, pode prejudicar a saúde (por exagerar no treino e apelar para dietas extremas) e até mesmo as relações interpessoais.


9. Estipule metas alcançáveis
A princípio, tire da cabeça a ideia de conquistar o bumbum empinado em tempo recorde. Imagine só seu desânimo ao perceber que algumas metas demandam tempo e dedicação! “Já com metas menores, temos maior chance de alcançá-las, e isso nos mantém motivados. Esse estímulo por muitas vezes nos faz ir muito além do que planejamos inicialmente”, explica William Ferraz, master coach especialista em neurolinguística e inteligência emocional do Instituto IDEAH, de São Paulo.



Como combater a celulite: 5 alimentos que ajudam no processo

Os furinhos nas pernas e bumbum estão entre as principais reclamações das mulheres. Entretanto, o cardápio saudável pode ser a chave para livrar-se do problema. Confira alguns alimentos que reduzem a celulite:


Alimentos que reduzem a celulite


Gengibre
O gengibre é um alimento antioxidante e termogênico; o que faz dele um aliado e tanto quando o assunto é eliminar as toxinas que favorecem a celulite.


Alho
O alho tem ação anti-inflamatória, que previne o aparecimento de novos furinhos e ainda ajuda no metabolismo de gorduras do fígado.


Chá verde
O chá verde também é um termogênico, mas uma de suas melhores características é a propriedade diurética: ela impede a retenção de líquidos, um dos principais fatores deformação da celulite.


Brócolis
O brócolis, assim como outras hortaliças crucíferas, ativam enzimas que eliminam as toxinas do corpo.


Limão
Já o limão é uma fruta detergente, pois contém o terpeno; nutriente capaz de ajudar o fígado a mandar embora qualquer impureza.


8 hábitos que podem estar impedindo você de ficar rico.

Embora o segredo para ficar rico rapidamente ainda não tenha sido revelado, o autor Thomas C. Corley pode ter se aproximado dessa resposta: após estudar a vida de pessoas ricas, com uma renda anual maior que US$ 160 mil, e de pessoas com renda menor, de US$ 35 mil, ele chegou à conclusão de que alguns hábitos diários impedem que as pessoas atinjam certo nível de riqueza.


Depois de descobrir quais são esses hábitos prejudiciais, ele os dividiu de acordo com a tendência de cada grupo – os hábitos de pessoas ricas e o de pessoas com menos dinheiro. 


Saiba quais são esses hábitos que podem prejudicar no processo de construção da riqueza, segundo afirmou o autor ao Business Insider:


1. Jogos de azar
"Ficar rico rapidamente é algo que não existe. O sucesso financeiro leva tempo, precisa de iniciativas, e requer um esforço incansável. Aqueles que apostam dinheiro nesses jogos estão iludidos ao pensar que existe um atalho para o sucesso", disse Corley.
52% das pessoas com renda menor que participaram do estudo apostaram em algum esporte ao menos uma vez na vida. Do mesmo grupo, 77% das pessoas jogavam na loteria semanalmente.
Por outro lado, 84% das pessoas ricas não apostavam em esportes e nem jogavam na loteria.


2. Andar com pessoas "tóxicas"
Do grupo de pessoas ricas, 86% criaram o hábito de andar com pessoas com uma mente voltada para o sucesso. "Eles também apontaram limitar sua exposição a pessoas negativas", disse o autor.
Por outro lado, apenas 40% das pessoas com renda mais baixa do estudo se associavam com pessoas positivas, enquanto o restante tinha maior convivência de pessoas negativas.


3. Pensamento negativo
A maioria das pessoas é completamente desatenta a seus pensamentos, sejam eles positivos ou negativos. "Se você parar para ouvir seus pensamentos, prestar atenção a eles, você vai descobrir que a maioria deles é negativa. Mas você só percebe que está tendo esses pensamentos quando você se força a estar alerta a eles", explicou Corley.


4. Procrastinação
A procrastinação "previne que até os indivíduos mais talentosos consigam ser bem sucedidos", disse o autor. "Isso prejudica sua credibilidade com as empresas e alguns colegas no trabalho. Também afeta a qualidade de seu trabalho, que, por sua vez, afeta o negócio que você recebe de seus clientes e os relacionamentos corporativos", explicou o autor.


5. Evitar críticas
Segundo Corley, uma das razões pelas quais não buscamos retorno das outras pessoas é o medo da crítica. Receber feedback, entretanto, é essencial para aprender o que está funcionando e o que não está – ele te ajuda a entender se está no caminho certo. "Buscar criticismo, seja ele bom ou ruim, é um elemento crucial para aprender e crescer", completou.
Outra vantagem disso é que permite que você mude de curso e experimente um novo negócio ou carreira.


6. Gastar mais do que devia
Este, com certeza, é um aspecto que vai te levar ao estresse financeiro. "99% das pessoas pobres que participaram de meu estudo não economizam e a maioria delas acumula dívidas para subsidiar seu padrão de vida", o autor escreveu. "Consequentemente, eles não têm dinheiro para a aposentadoria, para pagar a faculdade de seus filhos ou buscar oportunidades que lhes apresentar", finalizou.
Esses hábitos criam uma pobreza a longo termo, cujas esperanças de escape não existem.


7. Se prender a um emprego que você odeia
Além de te deixar estressado e insatisfeito com a vida que leva, isso também pode afetar suas chances de ficar rico.
As pessoas mais ricas e mais bem sucedidas buscam suas paixões. Essas paixões superam educação, inteligência, novas habilidades e, segundo o autor, qualquer outra vantagem que aqueles que não têm paixão podem ter na vida.
"Uma paixão faz o trabalho ficar mais divertido. Ela te dá mais energia, persistência e o foco necessário para superar seus erros, falhas e rejeição. Ela te infunde com uma tenacidade que torna possível superar obstáculos e desafios que bloqueiam seu caminho", explicou Corley.


8. Se prender a sua zona de conforto
"Nós desejamos tanto nos misturar, nos adaptar à sociedade, ser parte do rebanho, que faríamos qualquer coisa para evitar ficar de fora da multidão", disse o autor da pesquisa. Ainda assim, falhar ao se separar da multidão é o motivo pelo qual a maioria das pessoas nunca atinge o sucesso. "A busca pela riqueza pede que você tome riscos. A maioria não toma, e por isso a maioria não é rica".



10 incríveis e aterrorizantes avanços na inteligência artificial


Stephen Hawking, Bill Gates e Elon Musk têm algo em comum (além de riqueza e inteligência). Eles estão todos aterrorizados com uma possível “revolução das máquinas”. Também conhecido como apocalipse da inteligência artificial, este é um cenário hipotético onde as máquinas artificialmente inteligentes se tornam a forma de vida – ou não vida – dominante na Terra. Pode ser que os robôs se rebelem e tornem-se nossos senhores, ou, pior, eles podem exterminar a humanidade e reivindicar a Terra para si mesmos.
Mas este apocalipse das máquinas realmente pode acontecer no mundo real? O que levou pessoas respeitáveis e de renome mundial como Musk e Hawking a expressar sua preocupação sobre este cenário hipotético? Podem filmes de Hollywood, como O Exterminador do Futuro, estarem certos, afinal de contas? Vamos descobrir por que razão muitas pessoas importantes, mesmo os principais cientistas, estão preocupados com a evolução da inteligência artificial e por que isso poderia acontecer muito em breve.


10. Eles estão aprendendo a enganar e trapacear
Mentir é um comportamento universal. Os humanos fazem isso o tempo todo, e até mesmo alguns animais, como esquilos e pássaros, usam a mentira como recurso para a sobrevivência. No entanto, mentir já não se limita aos seres humanos e animais. Pesquisadores do Georgia Institute of Technology desenvolveram robôs artificialmente inteligentes capazes de trapacear. A equipe de pesquisa, liderada pelo professor Ronald Arkin, espera que os seus robôs possam ser usados ​​pelos militares no futuro.
Uma vez aperfeiçoados, os militares podem implantar esses robôs inteligentes no campo de batalha. Eles podem servir como guardas, protegendo suprimentos e munição dos inimigos. Ao aprender a arte de mentir, estes robôs podem “ganhar tempo até que os reforços sejam capazes de chegar”, mudando suas estratégias de patrulhamento para enganar outros robôs inteligentes ou mesmo seres humanos.
No entanto, o professor Arkin admite que existem “preocupações éticas significativas” a respeito de sua pesquisa. Se suas descobertas vazam para fora do ambiente militar e caem nas mãos erradas, isso poderia significar uma catástrofe.


9. Eles estão começando a assumir nossos trabalhos
Muitos de nós têm medo daqueles robôs assassinos do cinema, mas os cientistas dizem que devemos estar mais preocupados com as menos terríveis, mas mesmo assim assustadoras, máquinas de eliminação de nossos trabalhos. Vários especialistas estão preocupados que os avanços na inteligência artificial e na automação poderiam resultar em muitas pessoas perdendo seus empregos para robôs. Nos Estados Unidos, 250.000 robôs já executam trabalhos que os humanos costumavam fazer. O que é mais alarmante é que este número está aumentando em dois dígitos a cada ano.
E não são só os trabalhadores que estão preocupados com máquinas que desempenham trabalhos humanos; especialistas em IA estão preocupados também. Andrew Ng, do Brain Project do Google e cientista-chefe da Baidu (equivalente chinesa do Google), têm expressado preocupações sobre o perigo do avanço da inteligência artificial. Robôs inteligentes nos ameaçam, segundo ele, porque são capazes de fazer “quase tudo melhor do que quase qualquer um”.
Instituições muito respeitadas também lançaram estudos que refletem essa preocupação. Por exemplo, a Universidade de Oxford conduziu um estudo que sugere que nos próximos 20 anos, 35% dos postos de trabalho no Reino Unido serão substituídos por robôs artificialmente inteligentes.


8. Eles estão começando a ficar mais inteligentes que hackers humanos
Os filmes de Hollywood costumam retratar hackers como foras da lei sexys e legais. Na vida real, não é bem assim. Hacking pode ser chato na vida real, mas, nas mãos erradas, também pode ser muito perigoso. O que é mais perigoso é o fato de que os cientistas estão desenvolvendo sistemas de hacking com inteligência artificial altamente inteligentes para lutar contra “maus hackers”.
Em agosto de 2016, sete equipes estão definidas para competir no Cyber Grand Challenge da DARPA. O objetivo deste concurso é apresentar hackers robôs superinteligentes, capazes de atacar as vulnerabilidades dos inimigos e, ao mesmo tempo, constatar e arrumar as suas próprias fraquezas, protegendo seu desempenho e funcionalidade.
Embora os cientistas estejam desenvolvendo robôs hackers para o bem comum, eles também reconhecem que, em mãos erradas, os seus sistemas de hacking superinteligentes poderiam desencadear o caos e a destruição. Basta imaginar o quão perigoso seria se uma inteligência artificial tomasse o controle desses hackers autônomos inteligentes. Estaríamos no mínimo indefesos.


7. Eles estão começando a entender o nosso comportamento
O Facebook é, inegavelmente, a mais influente e poderosa plataforma de mídia social hoje. Para muitos de nós, tornou-se uma parte essencial da nossa rotina. Mas cada vez que usamos o Facebook, estamos interagindo, sem saber, com uma inteligência artificial. Mark Zuckerberg já explicou como o Facebook está usando a inteligência artificial para entender o nosso comportamento.
Ao compreender como nos comportamos ou “interagimos com as coisas” no Facebook, a IA é capaz de fazer recomendações sobre coisas que poderíamos achar interessantes ou que serviriam às nossas preferências. Zuckerberg tem um plano para desenvolver inteligências artificiais ainda mais avançadas para serem usadas em outras áreas, como a medicina. Por agora, a IA do Facebook só é capaz de reconhecer padrões e tem uma aprendizagem supervisionada, mas é previsível que, com os recursos da rede social, os cientistas acabem chegando a IAs superinteligentes capazes de aprender novas habilidades e melhorar a si mesmas, algo que poderia ou melhorar as nossas vidas ou nos levar à extinção. A linha parece ser bem tênue.


6. Eles vão em breve substituir nossos amantes
Muitos filmes, como Ex-Machina e Ela, têm explorado a ideia de seres humanos se apaixonando e tendo relações sexuais com robôs. Mas será que isso poderia acontecer na vida real? A controversa resposta é sim, e isso vai acontecer em breve. O Dr. Ian Pearson, um futurólogo, divulgou um relatório chocante em 2015 que diz que o sexo humano com robôs vai ser mais comum do que o ultrapassado sexo entre humanos em 2050. Pearson conduziu o relatório em parceria com a Bondara, uma das lojas de brinquedos sexuais líderes do Reino Unido.
O relatório também inclui as seguintes previsões: em 2025, muitos ricos terão acesso a alguma forma de robôs sexuais artificialmente inteligentes. Em 2030, as pessoas comuns vão se envolver em algum tipo de sexo virtual da mesma maneira como as pessoas casualmente assistem filmes pornô hoje. Em 2035, muitas pessoas terão brinquedos sexuais “que interagem com o sexo de realidade virtual”. Finalmente, em 2050, o sexo humano com robôs vai se tornar a norma.
Claro, existem pessoas que são contra os robôs sexuais artificialmente inteligentes. Uma delas é a Dra. Kathleen Richardson, da Universidade de Montfort, no Reino Unido, especialista em ética na robótica. Ela acredita que os encontros sexuais com máquinas irão criar expectativas irreais e incentivar o comportamento misógino em relação às mulheres. Não é um cenário muito difícil de se imaginar.


5. Eles estão começando a ficar muito semelhantes aos humanos
Ela pode parecer uma mulher comum, mas não é. Yangyang é uma máquina de inteligência artificial que vai cordialmente apertar sua mão e dar-lhe um abraço caloroso. Ela foi desenvolvida por Hiroshi Ishiguro, um especialista em robôs japonês, e Song Yang, professora de robótica chinesa. Yangyang teve sua aparência baseada na professora Yang.
Yangyang não é o único robô que se parece estranhamente como um ser humano. A Universidade Tecnológica Nanyang de Cingapura (NTU) também criou sua própria versão de robô humana. Ela se chama Nadine e está trabalhando como recepcionista na NTU. Além de ter um lindo cabelo moreno e pele macia, Nadine também pode sorrir, conhecer e cumprimentar as pessoas, apertar as mãos e fazer contato visual. O que é ainda mais surpreendente é que ela pode reconhecer convidados e falar com eles com base em conversas anteriores. Assim como Yangyang, Nadine foi baseada em sua criadora, a professora Nadia Thalmann.


4. Eles estão começando a sentir emoções
O que separa os humanos dos robôs? É a inteligência? Não, robôs com inteligência artificial são muito mais inteligentes do que nós. É a aparência? Não, os cientistas desenvolveram robôs que são muito semelhantes aos seres humanos. Talvez a única qualidade restante que nos diferencia das IAs é a capacidade de sentir emoções. Infelizmente, muitos cientistas estão trabalhando com ardor para conquistar essa fronteira final.
Especialistas do grupo East Asia da Microsoft criaram um programa (software) de inteligência artificial que pode “sentir” as emoções e falar com as pessoas de uma forma mais natural e “humana”. Chamado Xiaoice, esta IA “responde a perguntas como uma menina de 17 anos de idade”. Se ela não sabe o tema, pode mentir. Se é pega, pode ficar com raiva ou vergonha. Xiaoice também pode ser sarcástica, malvada e impaciente, qualidades com as quais todos podemos nos relacionar.
A imprevisibilidade de Xiaoice lhe permite interagir com as pessoas como se ela fosse um ser humano. Por agora, esta IA é uma novidade, uma forma do povo chinês se divertir quando está entediado ou solitário. Mas seus criadores estão trabalhando para aperfeiçoá-la. Segundo a Microsoft, Xiaoice já “entrou em uma autoaprendizagem e em um loop de autocrescimento e só vai ficar melhor”. Quem sabe, Xiaoice poderia ser a avó da Skynet.


3. Eles vão invadir nossos cérebros
Não seria incrível se pudéssemos aprender francês em questão de minutos apenas simplesmente baixando o idioma em nossos cérebros? Essa façanha aparentemente impossível pode acontecer no futuro próximo. Ray Kurzweil, futurista, inventor e diretor de engenharia do Google prevê que até 2030 “nanobots implantados em nossos cérebros nos farão semelhantes a Deus”. Robôs minúsculos dentro de nossas cabeças nos farão capazes de acessar e aprender qualquer informação em questão de minutos. Poderíamos ser capazes de arquivar os nossos pensamentos e memórias, e seria possível enviar e receber e-mails, fotos e vídeos diretamente em nossos cérebros!
Kurzweil, que está envolvido com o desenvolvimento da inteligência artificial no Google, acredita que através da implantação de nanobots dentro de nossas cabeças, nos tornaremos “mais humanos, mais originais e até mesmo mais parecidos com deuses”. Se usados corretamente, os nanobots podem fazer coisas incríveis, como o tratamento da epilepsia ou melhorar a nossa inteligência e memória, mas também existem perigos associados.
Para começar, nós não entendemos claramente como o cérebro funciona, e ter nanobots implantados no seu interior é muito arriscado. Mas o mais importante de tudo é que, uma vez que estes nanobots nos conectariam à internet, uma IA poderosa poderia facilmente acessar nosso cérebro e nos transformar em zumbis sob seu controle, prontos para se rebelar ou destruir a humanidade.


2. Eles estão começando a ser usados como armas
Em um esforço para garantir “vantagem militar sobre a China e a Rússia”, o Pentágono propôs um orçamento de $12 bilhões a $15 bilhões de dólares para o ano de 2017. Os militares dos EUA sabem que, a fim de permanecer à frente dos seus concorrentes, eles precisam explorar a inteligência artificial. O Pentágono planeja utilizar os bilhões que irão garantir do governo para desenvolver máquinas de aprendizagem profunda e robôs autônomos ao lado de outras formas de novas tecnologias. Com isto em mente, não seria surpreendente se, em poucos anos, os militares estejam usando “robôs assassinos” com inteligência artificial no campo de batalha.
Usar IAs durante guerras poderia salvar milhares de vidas, mas armas de combate que podem pensar e operar por conta própria representam uma grande ameaça, também. Elas poderiam, potencialmente, matar não só inimigos, mas também o pessoal militar e até mesmo pessoas inocentes.
Este é o perigo que 1.000 especialistas em inteligência artificial e cientistas de renome querem evitar. Durante a Conferência Conjunta Internacional sobre Inteligência Artificial, realizada na Argentina em 2015, eles assinaram uma carta aberta que proíbe o desenvolvimento de armas autônomas e com inteligência artificial para fins militares. Infelizmente, não há muito que esta carta possa fazer. Estamos agora no início da terceira revolução armamentística, e quem vencer vai se tornar a nação mais poderosa do mundo e talvez o grande catalisador da extinção humana.


1. Eles estão começando a aprender o que é certo e o que é errado
Em uma tentativa de impedir a rebelião das máquinas, os cientistas estão desenvolvendo novos métodos que permitam às máquinas discernir o certo do errado. Ao fazer isso, os especialistas esperam que elas vão se tornar mais compreensivas e humanas. Murray Shanahan, professor de robótica cognitiva do Imperial College de Londres, acredita que esta é a chave para prevenir máquinas de exterminar a humanidade.
Liderados por Mark Riedl e Brent Harrison, da Faculdade de Computação Interativa no Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, os investigadores estão tentando incutir a ética humana nas IAs através do uso de histórias. Isto pode parecer simplista, mas faz muito sentido. Na vida real, nós ensinamos valores humanos para as crianças pela leitura de histórias para elas. IAs são como crianças. Elas realmente não sabem diferenciar o certo do errado ou o bem do mal até que sejam ensinadas.
No entanto, também há grande perigo em ensinar valores humanos aos robôs artificialmente inteligentes. Se você olhar para os anais da história humana, você vai descobrir que, apesar de serem ensinadas sobre o que é certo ou errado, as pessoas ainda são capazes de produzir um mal inimaginável. Basta olhar para Hitler, Stalin e Pol Pot. Se os seres humanos são capazes de tanta maldade, o que impede uma poderosa IA de fazer o mesmo? Outro cenário possível é que alguma IA entenda que nós estejamos fazendo mal uns aos outros e, portanto, precisamos ser controlados. Outra IA superinteligente pode perceber que os seres humanos fazem mal para o ambiente e, portanto, nossa existência esteja na verdade sendo prejudicial e que nós não devemos mais existir. [Listverse]



20 dicas para economizar no supermercado

A conta do supermercado não está cabendo no bolso? Os preços subiram, sim, mas será que você não está errando no jeito de fazer as compras ou jogando dinheiro fora?


Confira dicas para economizar na hora de encher o carrinho. As sugestões são de Lélio Braga Calhau, promotor de Justiça de defesa do consumidor do Ministério Público de Minas Gerais e coordenador do site Educação Financeira para Todos (educacaofinanceiraparatodos.com). 


Defina seu limite
Estipule um valor máximo para gastar na sua compra. Lembre-se de que é você quem prioriza as necessidades na sua vida, não as "promoções" de um estabelecimento comercial. Ao atingir o limite que você fixou, pare de comprar.


Faça uma lista de compras
Elabore uma lista prévia do que você realmente precisa e, mais importante, siga-a com disciplina. Planejamento evita desperdícios, como comprar produtos repetido, por impulso ou em quantidade maior do que o necessário.


Organize a lista por seção do supermercado
Seja organizado já na lista de compras, agrupando produtos que ficam próximos --por exemplo: produtos de limpeza, higiene pessoal, enlatados etc.. O resultado: uma experiência mais rápida, objetiva e fugindo das compras por impulso.


Pesquise os preços, inclusive em atacadões e 'atacarejos'
Faça uma pesquisa de preços antes de decidir onde vai fazer as compras. Considere também comprar em atacadões e atacarejos, que prestam um serviço mais simples e, em contrapartida, tendem a oferecer preços finais menores para o consumidor. Se a família for grande, talvez compense comprar nos atacados.


Prefira comprar na segunda quinzena do mês
A maioria dos consumidores compra no início do mês. Na segunda quinzena há uma queda normal de vendas, e as empresas ficam mais propícias a fazer promoções para melhorar o fluxo de caixa.


Evite ir ao supermercado lotado
O excesso de gente pode gerar um falso "senso de urgência" no consumidor e fazê-lo comprar mais do que o necessário ou sem pensar antes.


Nunca vá às compras com fome
A fome atrapalha na hora de calcular a quantidade de produtos de que você realmente precisa. Resultado: acaba comprando coisas demais. Ou, então, cai na tentação e compra alimentos que não estavam na lista.


Levar a(s) criança(s) ou não?
Se for sem a(s) criança(s), você evita a pressão para comprar produtos supérfluos, já que os pequenos são alvos fáceis para o marketing. Por outro lado, se levá-la(s), tem a chance de ensinar que não se pode comprar tudo o que quer.


Não vá ao supermercado passear
Ficar andando com o carrinho pelos corredores é um prato cheio para cair na armadilha das compras por impulso. Supermercado não é lugar de passear. Só vá se precisa mesmo comprar alguma coisa. Entre, faça suas compras e tchau.


Cuidado com os truques e 'armadilhas' de marketing
Tudo no supermercado é feito para você gastar mais: a música, a claridade, os corredores longos, a posição dos produtos etc.. Chocolates e doces costumam ser colocados ao alcance das crianças. Produtos essenciais costumam ficar no fundo para fazer o consumidor percorrer todos os setores.


Leve uma calculadora
Leve sua calculadora e confira com cuidado se os preços são bons para você. Além do preço, considere a quantidade. Por exemplo, o produto X custa R$ 5 e o Y, R$ 8, mas o X tem 500 gramas e o Y, 1 quilo. Fazendo as contas, o Y é mais vantajoso.


Não caia no conto do 'chamariz'
Às vezes, os supermercados baixam os preços de alguns itens mais vendidos para dar a impressão de que tudo ali está barato e atrair mais clientes. Na verdade, há preços altos "escondidos" no meio de outros produtos.


Preços menores, só que não
Cuidado com os preços "quebrados", geralmente terminados em 9. Eles tentam confundir o consumidor e dar a falsa impressão de que são menores do que realmente são.


Fique de olho nos 'produtos da estação'
Se notar que alguns produtos tiveram queda de preço, aproveite para comprá-los. Por outro lado, evite aqueles que subiram muito. Nesse caso, vale até desrespeitar a lista de compras para aproveitar os preços de ocasião.


Além do preço, avalie a qualidade
Nem sempre o mais caro é o melhor e o mais barato, o pior. Também nem sempre vale a pena optar pelo mais barato para economizar se o produto não for de qualidade. Fique de olho em notícias, redes sociais e fóruns de consumidores. Evite produtos ou empresas com muitas queixas.


Cheque a validade e aproveite ofertas
Em geral, produtos perto de vencer ficam na parte da frente das gôndolas e prateleiras. Se for levar quantidade maior ou demorar para consumir, opte por prazos de validade maiores. Alguns lugares dão desconto em produtos próximos ao vencimento; pode ser uma boa opção se você for consumir logo.


Cuidado com a 'compra casada'
Queijo com goiabada, macarrão com queijo, pães e frios. Supermercados tendem a colocar lado a lado produtos que se complementam para estimular a compra. Você deve refletir se compensa ou não levar os dois, se já tem em casa ou se há outras combinações mais baratas e até mais apetitosas.


Use o carrinho com moderação
Pesquisas apontam uma tendência em comprar "até tampar o carrinho" e eles até ficaram maiores nos últimos anos. Evite carrinhos grandes demais e lembre-se de que não é preciso enchê-lo.


Confira os preços ao passar pelo caixa
É mais comum do que se imagina: o valor que estava marcado na prateleira vira outro quando se chega ao caixa. Além de conferir a etiqueta, confira pesos nas balanças e os preços ao passar a compra no caixa.


Pague no débito ou à vista
Prefira pagar no cartão de débito ou à vista e evite jogar a despesa para frente. Isso evita a "surpresa" quanto a fatura do cartão de crédito chega e o efeito bola-de-neve nas dívidas do consumidor.



O Hino Nacional e seus significados

O Hino Nacional do Brasil é realmente um dos mais bonitos do mundo. Já prestou atenção na letra? Mas apesar de ser bem bonito e emocionante, ele tem algumas palavras não muito usuais. Como esta semana celebramos o Dia do Hino Nacional (a primeira vez que ele foi executado foi no dia 13 de abril de 1831), resolvemos fazer a “tradução” destas palavras para você.

Plácidas: calmas, tranquilas

Ipiranga: Rio onde às margens D.Pedro I proclamou a independência do Brasil em 7 de setembro de 1822
Brado: Grito
Retumbante: som que se espalha com barulho
Fúlgido: que brilha, cintilante
Penhor: garantia
Idolatrada: Cultuada, amada
Vívido: intenso
Formoso: lindo, belo
Límpido: puro, que não está poluído
Cruzeiro: Constelação (estrelas) do Cruzeiro do Sul
Resplandece: que brilha, iluminidada
Impávido: corajoso
Colosso: grande
Espelha: reflete
Gentil: Generoso, acolhedor
Fulguras: Brilhas, desponta com importância
Florão: flor de ouro
Garrida: Florida, enfeitada com flores
Idolatrada: Cultivada, amada acima de tudo
Lábaro: bandeira
Ostentas: Mostras com orgulho
Flâmula: Bandeira
Clava: arma primitiva de guerra, tacape

15 formas de descobrir se você tem mau hálito.

Vamos combinar que não tem nada mais desagradável que a halitose, certo? Então, para te ajudar nessa questão, listamos 15 formas de descobrir se você tem mau hálito. Confira!

Se você tem um fantasma chamado mau hálito que lhe assombra constantemente, saiba que grande parte da população dos brasileiros também sofrem do mesmo incômodo. De acordo com Salomão Carui, especialista em Halitose e Medicina do sono, o mau hálito (ou halitose) existe desde os primórdios e a maior dificuldade para quem sofre é descobrir. “Como nos acostumamos com o cheiro (fadiga olfatória), não sentimos o mau hálito, normalmente quem costuma sentir é a namorada, namorado, esposa, marido, amigo, que quase sempre se sentem constrangidos para abordar o assunto”, explica.


Carui comenta: “A causa do mau hálito pode surgir por causa de mais de cinquenta tipos de doenças, como por exemplo, distúrbios do fígado, inflamação na garganta, estômago e estresse”, alerta.


Veja algumas questões apontadas por Salomão Carui. Caso sejam respondidas afirmativamente, podem indicar a presença da halitose:


1. Bebe pouco líquido;
2. É fumante;
3. Tem intestino preso;
4. Fica muitas horas sem se alimentar;
5. Respira pela boca;
6. Costuma roncar;
7. Tem diabetes;
8. Sente a boca seca com frequência;
9. Tem tártaro;
10. Usa aparelho ortodôntico ou prótese dentária;
11. A gengiva sangra quando passa fio dental ou escovo os dentes;
12. Tem placa esbranquiçada no fundo da língua;
13. Percebe esporadicamente pequenos flocos de cor amarelada ou branca de odor desagradável expelidos pela garganta;
14. Ingere bebidas alcoólicas com frequência (mais de duas vezes por semana);
15. Costuma mascar chicletes ou chupar balas.


“Para fazer o teste inicial, passe a língua no punho, espere 30 segundos. Cheire o local. Caso note um odor desagradável e tiver assinalado dois ou mais itens da lista acima, pergunte a uma pessoa de confiança e em seguida busque a ajuda e orientação de um especialista”, conclui.



Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/home/15-formas-de-descobrir-se-voce-tem-mau-halito/6038/ - *Por Kelly Miyazzato | Ilustração: Sandra Tir | Agradecimentos ao Salomão Carui, especialista em Halitose e Medicina do sono – médico do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, Sírio-libanês e São Luiz.

Resultado da Quina 4067, segunda, 25/04/2016.

Resultado da Quina 4067, segunda, 25/04/2016

O resultado da Quina 4067 será divulgado no GIGA-SENA dia 25/04/2016, segunda-feira, a partir das 20:30 horas.

A Quina 4067 ocorrerá no dia 25 de abril de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 9.500.000,00 para quem acertar o resultado da Quina 4067. Quem acertar a QUADRA com 4 números ou o TERNO com 3 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 5 números no resultado da Quina concurso 4067 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Quina.
Os valores de cada prêmio da Quina 4067 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 4067 DATA 25/04/2016
02
07
18
60
71
 
QUINAQUADRATERNO
prêmio
0,0011.666,66202,44
ganhadores
x 0x 80x 6.586
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 26/04/2016Prêmio Estimado: R$ 11.000.000,00

Resultado da Lotofácil 1353, segunda, 25/04/2016

Resultado da Lotofácil 1353, segunda, 25/04/2016

O resultado da Lotofácil 1353 será divulgado no GIGA-SENA dia 25/04/2016, segunda-feira, a partir das 20:30 horas.

A Lotofácil 1353 ocorrerá no dia 25 de abril de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 1.700.000,00 para quem acertar o resultado da Lotofácil 1353. Quem acertar 14, 13, 12 ou 11 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 15 números no resultado da Lotofácil concurso 1353 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Lotofácil.
Os valores de cada prêmio da Lotofácil 1353 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 1353 DATA 25/04/2016
03
05
07
08
09
10
11
12
14
18
21
22
23
24
25
 
15 acertos14 acertos13 acertos12 acertos11 acertos
prêmio
1.589.007,191.721,5720,008,004,00
ganhadores
x 1x 284x 12.573x 169.011x 912.056
Próximo Sorteio: 27/04/2016Prêmio Estimado: R$ 1.700.000,00