1

1

Google+ Followers

domingo, 24 de abril de 2016

Pessoas mais jovens e obesas estão suscetíveis a ataques cardíacos

As vítimas de um infarto do coração, ou ataque cardíaco, estão se tornando mais jovens e mais obesas. Isso é o que revela um novo estudo apresentado no congresso anual do American College of Cardiology em Chicago, Estados Unidos.


A idade média das pessoas que sofrem mais ataques cardíacos fatais caiu de 64 anos para 60 anos de idade ao longo das últimas duas décadas, informam os pesquisadores da Cleveland Clinic em seu relatório. E obesidade está agora implicada em 40% dos ataques cardíacos graves.


Aqueles que sofrem um infarto do coração também são mais propensos a fumar e ter a pressão arterial elevada, diabetes e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) do que os pacientes de 20 anos atrás, descobriram os pesquisadores.


Para o estudo, os investigadores analisaram fatores de risco de doença cardíaca entre os mais de 3.900 pacientes tratados por ataques cardíacos com elevação do segmento ST ao eletrocardiograma (STEMI). Descobriu-se que de 1995 a 2014, a idade média dos doentes com STEMI caiu de 64 para 60, e a prevalência da obesidade aumentou de 31% para 40%.


Além disso, a proporção de doentes com ataque cardíaco e com diabetes aumentou de 24% para 31%. A pressão arterial elevada foi relatada em quase quatro em cada cinco casos, acima dos 55%. E a DPOC, geralmente o resultado de fumar, aumentou de 5% para 12%. As novas descobertas são consistentes com outros dados recentes sobre pacientes que apresentaram um ataque cardíaco.



Fonte: http://www.boasaude.com.br/noticias/11115/pessoas-mais-jovens-e-obesas-estao-suscetiveis-a-ataques-cardiacos.html - American College of Cardiology 2016 Scientific Sessions, Chicago.

Cinco consequências da falta de sono

Dormir bem é fundamental à saúde física e mental. Saiba quais são os riscos associados às noites mal dormidas.


Especialistas confirmam: dormimos cada vez menos.


“Os problemas de sono constituem uma epidemia global que ameaça a saúde e a qualidade de vida de mais de 45 porcento da população mundial”, diz a Associação Mundial de Medicina do Sono (WASM, na sigla em inglês).


“Dormir bem é um dos três pilares fundamentais para ter uma boa saúde, ao lado de uma dieta equilibrada e exercício regular”, completa a associação em nota informativa.


Para Shirley Cramer, diretora executiva da Sociedade Real de Saúde Pública da Espanha, muitos dizem dormir de quatro a cinco horas por dia, mas isso não é algo de que se gabar.


Cramer diz que a falta de sono possui impactos altamente nocivos na saúde física e mental. “Sabemos, por várias pesquisas, que quem tem privação de sono possui risco muito mais alto de ter doenças cardiovasculares, câncer, diabetes e depressão.”


Estas são algumas formas pelas quais dormir pouco pode afetar sua saúde:
1. Dieta ruim
“A falta de sono faz com que nos alimentemos pior”, diz Cramer.
De acordo com um estudo do órgão espanhol, mais de um terço das pessoas come mal quando dorme pouco.
O motivo, segundo a especialista, é que nessa situação costumamos comer alimentos pouco saudáveis, e por isso a falta de sono está vinculada ao aumento de peso.
A comunidade científica também associa a falta de sono à obesidade e ao diabetes.
Segundo estudo realizado em 2015 por pesquisadores no Catar, dormir pouco aumenta o apetite e a resistência à insulina.
Dormir bem, afirma a Sociedade Real de Saúde Pública da Espanha, é “essencial para a regulação do metabolismo, sobretudo em crianças, e há evidências da relação entre horas de sono e incidência de obesidade infantil”.
Em resumo, a orientação é “se dormir bem comerá melhor”.


2. Saúde mental afetada
Dormir pouco tem relação com uma variedade de transtornos físicos, mentais e de comportamento.
“A saúde mental é uma questão particular e, de certo modo, é um círculo vicioso: se tem problemas mentais, dorme pouco, e vice-versa. E se sente cada vez pior.”
A privação do sono eleva o risco de transtornos mentais
Para Cramer, buscar ajuda psicológica é “vital” nesses casos. O conselho dela para casos de insônia é buscar tratamentos com medicamentos específicos ou terapia comportamental, que demonstra, diz, ser “altamente eficaz”.
Segundo a organização espanhola Instituto de Medicina do Sono, a falta de sono está associada a problemas psicológicos, depressão e ansiedade.


3. Risco de acidentes
A possibilidade de sofrer acidentes cresce com a ausência de sono.
“Um em cada cinco acidentes tem a ver com a falta de sono”, afirma Cramer.
Órgão de segurança das estradas nos EUA estima que 40 mil pessoas por ano sofram acidentes relacionados à privação de sono no país
Segundo o órgão de segurança de estradas dos EUA (NHTSA, na sigla em inglês), 40 mil pessoas se ferem por ano no país por problemas relacionados à falta de sono, e 1.550 pessoas morrem nesses tipos de acidentes.
Estudo da Harvard Medical School já apontou que 250 mil condutores dormem ao volante por dia nos EUA.
Mas o perigo não está somente nas ruas, diz Cramer, que cita o risco de acidentes domésticos. “Dormir pouco põe em risco nossa saúde em muitos aspectos.”


4. Menor rendimento físico
Dormir bem é importante para ter energia durante o dia.
Trata-se, de fato, de um aspecto fundamental para o funcionamento de nosso cotidiano, apontam especialistas.
Atletas profissionais podem dormir pouco e ainda assim apresentar bom rendimento, mas é fundamental descansar por tempo suficiente após a prática de exercícios.
O sono tem impacto significativo no bem-estar físico e mental porque tem função regenerativa
O problema da falta de sono é o impacto no rendimento físico, pois o corpo precisa de um mínimo de horas de descanso.
“O processo de regeneração de tecidos cerebrais e físicos ocorre à noite. Se não há descanso não há recuperação correta, e isso afeta o rendimento físico e intelectual”, diz Madrid Mateus, coordenador de educação física.
Além disso, praticar exercícios físicos estimula um sono melhor, daí a combinação perfeita entre as atividades.


5. Limitação cognitiva
“Sabemos que a falta de sono ou má qualidade do sono tem grande impacto negativo na saúde, em curto e longo prazo”, afirmam especialistas da WASM.
Os efeitos impactam a capacidade de atenção, a recuperação da memória e a aprendizagem.
“Deveríamos entender o sono do mesmo modo que entendemos outras coisas que beneficiam nossa saúde, como boa dieta e atividade física”, lembra Cramer.
Para a pesquisadora, o ato de dormir bem muitas vezes é subestimado, mas é algo que deveria preocupar a todos. “É uma questão de saúde pública.”

Diferença entre o H1N1 e a gripe comum

Fique por dentro sobre a diferença entre o H1N1 e a gripe comum, segundo explicação de um especialista


Os sintomas são semelhantes, mas segundo Renato Ferneda de Souza, infectologista hospitalar, não há muita diferença entre o H1N1 e a gripe comum. “É importante ficar atento. Ao observar que após três dias os sintomas estão mais intensos:febre constante, tosse e falta de ar, procure a orientação de um especialista, pois tais sintomas podem ser considerados da Gripe H1N1”, conclui.



Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/diferenca-entre-o-h1n1-e-a-gripe-comum/6120/ - *Por Kelly Miyazzato | Foto Shutterstock | Agradecimentos ao Renato Ferneda de Souza, infectologista hospitalar e à Doctoralia.

Benefícios das frutas vermelhas: saiba como elas ajudam a emagrecer.

As frutas vermelhas são ricas em duas substâncias que oferecem muitos benefícios à saúde e, de quebra, ajudam a emagrecer. Saiba mais sobre elas


Está cansada de comer sempre as mesmas frutas no lanchinho da tarde? Experimente substituí-las por frutas vermelhas, o quinteto morango, amora, mirtilo, cereja e framboesa – ele não só é uma delícia, como também oferece um montão de benefícios à saúde. “Essas frutas são ricas em antocianinas, substâncias que, além de conferir a cor vermelha aos alimentos, são potentes antioxidantes, eficazes no combate ao envelhecimento precoce e na eliminação de toxinas prejudiciais ao organismo”, afirma a nutricionista Regina Lúcia Moraes Teixeira, de São Paulo.


Segundo um estudo realizado pela Universidade do Estado de Washington, nos Estados Unidos, esse grupo também tem em comum em sua composição um polifenol denominado resveratrol, que ajuda a transformar a gordura branca, acumulada pelo excesso de comida e falta de exercícios físicos, em gordura bege, responsável por manter o organismo equilibrado e o peso sob controle, uma vez que queima calorias em vez de acumulá-las.


Em outras palavras, ele ajuda a emagrecer. “Outro fator que contribui para a perda de peso é a presença de fibras, que ajudam no funcionamento do intestino, combatem o inchaço e aumentam a saciedade”, acrescenta a nutricionista Viviane Scheifer, de São Paulo. Como se não bastasse, as frutas vermelhas auxiliam na redução do colesterol, previnem diabetes, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer e melhoram a circulação sanguínea, a memória e o sistema imunológico.



Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br//dieta/nutricao/beneficios-das-frutas-vermelhas-saiba-como-elas-ajudam-a-emagrecer/10045 - Texto Fernanda Lima | Edição Helô Oliveira | Adaptação Ana Araujo - Foto: Shutterstock

Quanto aeróbico você precisa para emagrecer ou tonificar os músculos?

Nada de ficar horas na esteira: cada objetivo pede uma quantidade de aeróbicos específica. Saiba quanto tempo dedicar para emagrecer, tonificar os músculos e ser mais saudável.


Aeróbicos são extremamente importantes para manter a silhueta enxuta e jamais devem ficar de fora da sua rotina de treinos. Mas a quantidade de exercícios que você fará depende muito do objetivo que pretende alcançar. Fique de olho nas dicas dos experts José Kawazoe Lazzoli, especialista em medicina do esporte membro da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, do Rio de Janeiro, e Luiz Riani, médico do esporte, de São Paulo, e aproveite ao máximo o que o cardio pode lhe oferecer.


Fazer aeróbicos para emagrecer
Faça, no mínimo, 45 minutos de cardio, cinco vezes por semana. Aulas mais longas e leves fazem o corpo usar a gordura periférica (distribuída em todas as partes do corpo) como fonte de energia, o que contribui para o emagrecimento. Contudo, o grande segredo para ficar sequinha é variar o tempo e a intensidade dos exercícios. “Aposte no HIIT, treino intervalado de alta intensidade. Além de queimar mais calorias do que uma aula tradicional, ele extermina aquela gordura abdominal”, explica Riani.


Fazer aeróbicos para tonificar os músculos
Sabe aquela história de fugir de aeróbicos para ganhar músculos? Muita calma. De fato, por pedirem bastante energia, a massa magra acaba servindo de fonte para o corpo, levando à sua perda. Mas isso não é desculpa para pular o cardio: basta caprichar na alimentação pré e pós-treino – se estiver bem alimentada, você cobre o gasto calórico demandado numa boa. “O ideal é priorizar treinos de força e encaixar os exercícios aeróbicos na planilha com inteligência. Cento e cinquenta minutos de cardio por semana já são suficientes”, ensina Riani. Segundo ele, o segredo é evitar fazer os dois treinos em horários próximos e, se possível, no mesmo dia. Se não tiver jeito, comece pela musculação e finalize com um aeróbico de intensidade leve.


Fazer aeróbicos para manter a saúde em dia
Você precisa de 150 minutos de cardio com intensidade moderada ou de 75 minutos com alta intensidade, por semana – que podem ser divididos em 30 ou 20 minutos por dia, cinco vezes por semana, respectivamente, de acordo com o American College of Sports Medicine (ACSM), entidade norte-americana cujas recomendações também são adotadas no Brasil. Esse tempo é suficiente para melhorar o funcionamento do sistema cardiovascular, reduzir a pressão arterial, controlar os níveis de colesterol, diminuir o estresse, melhorar o sono e a disposição, dar aquela força ao sistema imunológico e minimizar o risco de ter doenças alérgicas ou inflamatórias (ufa!).



Café: aposte nos benefícios da bebida para ajudar a prevenir doenças.

Vamos combinar que não tem nada melhor que sentir o aroma do cafezinho quando está sendo preparado? Hummm... Aposte já nos benefícios da bebida para ajudar a prevenir doenças, além de melhorar a disposição e o bem-estar.


Apreciado, amplamente consumido, saboreado de várias maneiras, o café faz parte da alimentação brasileira. Mesmo quem não toma costuma apreciar seu cheirinho agradável. E quem toma normalmente o faz diariamente. Puro, com leite, de manhã, de tarde, de noite, com sorvete, quente, morno, frio.


O café está no topo dos alimentos mais consumidos. No mundo todo, só as plantas para fazer refrigerantes de cola e o chá ficam no mesmo patamar do café em termos de vegetais campeões de consumo. Assim, nada mais útil do que entender um pouco aquelas xícaras esfumaçadas e saber quais são suas propriedades e efeitos para a saúde. “Café não é remédio, mas a comunidade médico-científica já considera a planta como funcional — que previne doenças — ou mesmo nutracêutica — nutricional e farmacêutica.


Isso porque o café não possui apenas cafeína, mas também outros componentes”, atesta a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, em São Paulo. Embora seja o componente mais conhecido do café, a cafeína constitui apenas uma parte de sua composição total. E é menos do que muita gente pensa, pois um grão normal tem de 0,8% a 2,5% de cafeína. Nem por isso deixa de ser parte importante desse alimento, com sua devida participação sobre os efeitos no metabolismo e nas reações orgânicas.


Uma das ações da cafeína se dá sobre os quadros de depressão. E, nesse sentido, o café parece ser um aliado importante no combate à doença. “A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central e, em pequenas doses, pode trazer uma sensação de bem-estar, disposição e ânimo”, pondera Ricardo Borges, nutrólogo e coordenador do Centro de Nutrologia e Nutrição Clínica de Ribeirão Preto.


Saiba mais sobre o café
- A cafeína já foi considerada doping no esporte. Hoje em dia, a Agência Mundial Antidoping permite seu uso. Nos treinos e competições, a capacidade estimulante da cafeína é aproveitada pelos atletas, que a ingerem por meio de cápsulas ou produtos como energéticos.
- A cafeína causa dilatação dos vasos cerebrais, aumentando o fluxo de sangue para a região. É por isso que muitos medicamentos para dor de cabeça são administrados em associação com a cafeína, pois assim o remédio é levado em quantidades maiores apara o cérebro.
- A quantidade letal de cafeína para um adulto de 70 kg é de 10 g. Isso equivale a cerca de 100 xícaras de café, 200 latas de Coca-cola, 125 copos de chá ou 50 kg de chocolate. Como é impensável que um ser humano consuma de uma só vez essas quantidades, deduz-se que as intoxicações por cafeína ocorrem por via de medicamentos e não de alimentação.



Dinheiro é o melhor remédio para prolongar a sua vida

De acordo com uma nova pesquisa (que envolveu a Universidade de Stanford, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e a Universidade de Harvard), ter uma renda maior pode aumentar sua expectativa de vida.


Os cientistas analisaram quanta diferença a renda fazia na expectativa de vida, bem como a forma como isso muda por localização geográfica, através dos Estados Unidos.


Para isso, usaram os dados de impostos declarados entre 1999 e 2014 de 1,4 bilhões de indivíduos, com idades entre 40 a 76 anos. Destes, cerca de 4 milhões de homens e 2,7 milhões de mulheres morreram.


Mais dinheiro, mais vida
Os resultados foram bastante impressionantes. Os pesquisadores descobriram que os 1% mais ricos viviam uma média de 14,6 anos a mais (no caso dos homens) e 10,1 anos a mais (no caso das mulheres), em comparação com os 1% mais pobres.
Para colocar isso em contexto, enquanto um homem no topo 1% pode esperar viver até a idade de 87,3 anos, e uma mulher até 88,9 anos, seus compatriotas na ponta de baixo da tabela só esperam viver até aos 72,7 e 78,8 anos de idade, respectivamente.
Além disso, a diferença entre renda e expectativa de vida piorou ao longo do tempo. Entre 2001 e 2014, os 5% mais ricos tiveram um aumento de expectativa de vida de cerca de 2,5 anos (2,34 para homens e 2,91 para mulheres), enquanto a expectativa de vida para aqueles 5% mais pobres aumentou 0,32 anos para os homens e 0,04 anos para as mulheres.


Em cidades mais ricas, os pobres vivem mais
A expectativa de vida também variou entre as áreas geográficas. A diferença entre a maior e a menor expectativa de vida foi de aproximadamente 4,5 anos em diferentes cidades, em uma população de mesma renda (no caso, os 20% mais pobres).
Os pesquisadores queriam analisar por que isso acontecia, e descobriram que as diferenças diminuíam entre as cidades se você tinha uma população maior de imigrantes, mais pessoas graduadas e mais gastos do governo.
Por exemplo, os indivíduos de baixa renda tendiam a viver mais tempo em cidades com populações altamente qualificadas, rendimentos elevados e altos níveis de gastos do governo, como Nova York e San Francisco.
Nessas cidades, a expectativa de vida para os indivíduos 5% mais pobres foi de aproximadamente 80 anos. Em contraste, em cidades como Gary, no estado de Indiana, e Detroit, em Michigan, a expectativa foi de aproximadamente 75 anos. Indivíduos de baixa renda que viviam em cidades com populações altamente qualificadas também apresentaram os maiores ganhos na expectativa de vida durante os anos 2000.


Ações para aumentar a expectativa de vida
Das 10 áreas metropolitanas dos Estados Unidos com a maior expectativa de vida para os pobres, seis estavam na Califórnia. As outras quatro eram Miami, Nova Iorque, Newark e Boston.
Embora essas cidades apresentem grande desigualdade de renda, também são cidades com boas políticas de saúde pública, como a proibição de fumar. Pode ser que elas tenham políticas específicas que ajudem a população de baixa renda.
São necessários mais estudos para ver o que essas áreas fazem de diferente que poderia contribuir para uma maior expectativa de vida, a fim de saber se é possível aplicar os mesmos conceitos em outros locais. [MedicalXpress]

H1N1: conheça os verdadeiros riscos e saiba como se prevenir


H1N1 apresenta sintomas mais intensos que a gripe comum e pode ser prevenida


A lavagem das mãos e o cuidado de cobrir a boca e o nariz quando tossir ou espirrar são medidas fundamentais de prevenção


As epidemias de zika e dengue têm tirado o sono de boa parte da população, mas elas não são as únicas. Outra doença vem ganhando destaque nos noticiários: a gripe influenza H1N1.


O surto da doença tem, inclusive, intrigado os médicos. Isto porque, a gripe influenza é sazonal (própria de uma estação) e acontece normalmente nos meses mais frios, de outono e inverno. Porém, as pessoas começaram a ser infectadas mais cedo, em dias quentes do verão, e não existe ainda explicação para esse fenômeno.


O H1N1 é uma variação da gripe comum. Vale destacar que o vírus da gripe é muito suscetível a sofrer mutações e, assim, ao longo dos anos, o ser humano pode adquirir essas “variações” da gripe. Como no caso do H1N1 que, estima-se, surgiu em 2009, com sua transmissão primeiramente em suínos, o que popularizou a doença como “gripe suína”.


Raquel Muarrek, infectologista do Hospital São Luiz Morumbi, destaca que a gripe H1N1 é transmitida de pessoa para pessoa através de tosse ou espirro. E algumas pessoas podem se infectar entrando em contato com objetos contaminados, acrescenta a infectologista.


“O vírus da influenza pode afetar qualquer pessoa. Mas os grupos que possuem maiores riscos são os idosos, gestantes e crianças novas”, destaca Raquel.


Sintomas da gripe H1N1
Os sintomas são basicamente os mesmos de uma gripe comum, porém, costumam ser mais intensos. Desta forma, na gripe H1N1 podem/costumam ser observados:
Tosse;
Febre alta;
Dor de garganta;
Dor de cabeça intensa;
Dor no corpo;
Calafrios;
Cansaço/Fraqueza;
Diarreia;
Vômito;
Secreção nasal;
Falta de ar;
Dores no peito;
Tontura;
Confusão mental;
Desidratação.
“Em crianças, o batimento de asa do nariz, que mostra uma dificuldade respiratória, e a recusa em ingerir líquido podem aparecer”, acrescenta a infectologista Raquel.
“Ao iniciar a febre e o desconforto respiratório, o médico deve ser procurado, lembrando que, quanto mais breve, melhor a elucidação do diagnóstico”, destaca Raquel.


H1N1 X gripe comum X dengue X zika
Raquel explica que a gripe comum inicia-se repentinamente, caracterizada por calafrios, febre, dor de garganta, dores musculares e de cabeça, tosse, espirro, irritação nos olhos, congestão nasal e fadiga. Porém, nem sempre se desenvolvem todos os sintomas.
No caso de H1N1, os sintomas são praticamente os mesmos da gripe comum, porém, costumam ser mais intensos.
Para entender por que o H1N1 é mais agressivo do que a gripe comum, basta saber que, quando o vírus da gripe sofre mutações, ele mantém algumas proteínas que formam a sua estrutura. Se a pessoa já tem imunidade para o vírus anterior, está mais preparada para combater a nova variação. Porém, alguns tipos epidêmicos se rearranjam em proteínas que as pessoas não têm resistência, tornando algumas mutações mais desconhecidas ao sistema imunológico, como é o caso do H1N1.
Em relação à dengue, a infectologista destaca que os sintomas da doença e da gripe H1N1 são parecidos. Mas, no caso da dengue, não há coriza, tosse, nem dor de garganta.
“No caso da zika, pode haver a presença de coceira de pele, conjuntivite, aumento dos gânglios. Já a gripe H1N1 apresenta dor de cabeça intensa, calafrios, tosse e secreção nasal”, diz a médica.


Tratamento para H1N1
Raquel explica que o tratamento é focado em aliviar os sintomas e evitar a desidratação. “Inclui também o uso de medicamentos específicos para combater o vírus desta doença, como o Tamiflu. Tais medicamentos devem ser tomados de 24 a 72 horas após o início dos sintomas”, diz.
A infectologista explica que atualmente existem duas vacinas disponíveis: a trivalente e a tetravalente. “Na trivalente, há prevenção para A (H1N1), A (H3N2), Influenza B do subtipo Brisbane. Na quadrivalente, a prevenção é para A (H1N1); A (H3N2); e para 2 vírus Influenza B (os subtipos Brisbane e Phuket)”, diz.
Raquel reforça que a proteção contra o H1N1 está contida nas duas. “As vacinas estão indicadas para todas as pessoas, menos para bebês com menos de 6 meses. Mas, dependendo do fabricante da vacina, a indicação para crianças é modificada”, explica.
A infectologista destaca que, caso a gripe H1N1 não seja tratada, a evolução pode incluir formas graves da doença, com pneumonia e falência respiratória, podendo levar à morte. “O H1N1 pode causar também uma piora de doenças crônicas já existentes”, alerta.
Abaixo você confere um quadro comparativo entre a gripe H1N1, a gripe comum e a dengue, em relação aos sintomas que mais costumam causar dúvidas.




Como prevenir a gripe H1N1
Fernando Gatti de Menezes, infectologista do Hospital Albert Einstein, explica que para evitar a transmissão de vírus respiratórios, principalmente o vírus Influenza, as pessoas devem se atentar às seguintes medidas:
Fazer a adequada higiene das mãos. Podendo ser feita com água e sabão (durante 40 a 60 segundos) ou com uso de produto alcoólico (gel alcoólico ou álcool gel), por 20 a 30 segundos. Isso deve ser feito sempre após contato com superfícies ou após o cumprimento entre pessoas. É prática fundamental para evitar a disseminação de vírus.
Evitar aglomerações em épocas de surto de influenza.
Evitar contato com pessoas que apresentem sintomas respiratórios.
Evitar ao máximo o compartilhamento de utensílios domésticos, como copos, pratos e talheres com pessoas com sintomas respiratórios.
Ao tossir ou espirrar, lembrar-se de cobrir a região da boca e nariz com lenço de papel descartável, tendo como prática, em seguida, a higienização das mãos.
Lembrar-se da importância da hidratação, para reduzir os efeitos da baixa umidade relativa do ar nos meses de outono e inverno (período de maior circulação do vírus influenza).
Ter uma boa alimentação, não pulando refeições e seguindo uma nutrição balanceada com verduras, legumes, carnes e carboidratos.
Dormir bem.
Praticar atividades físicas.
Controlar o estresse.
Tentar não tocar superfícies que podem estar contaminadas com o vírus da gripe (como lugares em que várias pessoas tocam ao longo do dia). Ou, lavar as mãos logo em seguida.
Orientações específicas para pessoas que apresentam sintomas da gripe, de acordo com o Ministério da Saúde, são:
Se tiver o quadro gripal, evitar visitar pacientes nos hospitais pelo risco de transmissão.
Seguir sempre as orientações passadas por seu médico caso já esteja com o quadro gripal.
Evitar sair de casa no período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas).
Evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados.
Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.
Procurar o serviço de saúde imediatamente caso apresente: dificuldade para respirar, lábios com coloração azulada ou roxeada, dor ou pressão abdominal ou no peito, tontura ou vertigem, vômito persistente, convulsão.
Lembre-se sempre que a prevenção é a melhor arma contra qualquer doença, e não é diferente no caso da gripe H1N1, que tem preocupado tanta gente. Adote o hábito de higienizar as mãos e também a “etiqueta da tosse”: usar o antebraço, tecido ou papel quando ocorrer tosse ou espirro, evitando assim a contaminação de outras pessoas. Além disso, mantenha-se saudável, adotando a prática de exercícios, alimentação balanceada e ingestão de bastantes líquidos.

5 causas da queda de cabelo


Você sabia que a falta de nutrientes, assim como as alterações hormonais podem algumas das causas da queda de cabelo? Fique por dentro!


1. Deficiência nutricional: a falta de determinados nutrientes gera consequências no organismo, o que afeta a estrutura capilar. Metais específicos como zinco, ferro e cobre, por exemplo, se relacionam às quedas.


2. Alterações hormonais: disfunções ligadas ao funcionamento da glândula tireoide ou aos hormônios sexuais alteram o crescimento natural do cabelo. Aqui, a recomendação é tratar a doença-base.


3. Genética: fios finos e de crescimento demorado podem ser reflexo de uma predisposição genética específica.


4. Oleosidade excessiva: é natural que o couro cabeludo produza óleo, e ele é necessário para a saúde dos cabelos, mas o excesso pode causar inflamação no couro cabeludo e, com isso, quedas.


5. Procedimentos químicos: seja tintura, seja alisamento, qualquer intervenção pode danificar a estrutura capilar e provocar queda e quebra dos fios.



Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/5-causas-da-queda-de-cabelo/6115/ - *Letícia Roche | Fontes Instituto Nacional de Câncer (INCA); Gil Prando, Hairtyle do ICabelos | Foto: Shutterstock | Adaptação Kelly Miyazzato.

Os maiores artilheiros de futebol dos clubes brasileiros


Pelé - Santos - 1.091 gols – jogou de 1995 a 1974.


Roberto Dinamite - Vasco - 702 gols – jogou de 1971 a 1988, 1989 e 1990 a 1992.


Zico - Flamengo - 508 gols – jogou de 1972 a 1983 e 1985 a 1989.


Carlitos - Internacional - 485 gols – jogou de 1938 a 1951.


Waldo - Fluminense - 320 gols – jogou de 1954 a 1961.


Quarentinha – Botafogo – 307 gols – jogou de 1954 a 1956 e 1957 a 1964.


Cláudio – Corinthians – 305 gols – jogou de 1945 a 1957.


Heitor – Palmeiras – 284 gols – jogou de 1916 a 1931.


Alcindo – Grêmio – 264 gols – jogou de 1963 a 1972 e 1977.


Reinaldo – Atlético Mineiro – 255 gols – jogou de 1973 a 1982.


Serginho – São Paulo – 242 gols – jogou de 1974 a 1982.


Tostão – Cruzeiro – 242 gols – jogou de 1963 a 1972.


Por Professor José Costa


Morre o cantor Prince, ícone do pop, aos 57 anos

Ícone incontestável do pop, o cantor Prince morreu aos 57 anos nesta quinta-feira (21) em sua casa de Paesley Park, em Minneapolis, confirmou sua assessora à agência AP. No dia 15 de abril ele havia sido internado em um hospital em função de uma forte gripe e foi liberado dois dias depois. Prince chegou a dar um concerto para mostrar que já estava em plena atividade, mas hoje foi divulgada a notícia da sua morte.


De acordo com informações do site TMZ na semana passada, Prince estava há várias semanas lutando contra uma persistente gripe que, no começo do mês, o obrigou a cancelar dois shows. Apesar de ainda não estar totalmente recuperado, o artista realizou a apresentação agendada em Atlanta em 14 de abril. No dia seguinte, entretanto, quando voltava para casa, seu avião precisou realizar um pouso de emergência em Moline, Illinois, onde foi tratado durante três horas em um hospital. A causa da emergência médica não foi informada. A previsão era de que Prince retomasse suas atividades nesta quinta-feira, de acordo com o TMZ.


Em novembro, Prince cancelou sua turnê europeia pelos atentados de Paris. “Devido aos trágicos acontecimentos de Paris, a ICO (agência organizadora da turnê europeia) nos comunicou sua decisão de adiar os shows de Prince na Europa até novo aviso”, explicou em um comunicado à imprensa a agência responsável na Espanha, Doctor Music. A turnê, chamada Prince Spotlight: Piano & A Microphone, foi anunciada pelo músico em Minnesota. Era uma turnê de formato inédito para ele, na qual se apresentaria sozinho, com um microfone e um piano de cauda.


O artista, cujo nome de nascimento era Prince Nelson, vivia no subúrbio de Minneapolis. Nos anos 90, Prince mudou seu nome pelo símbolo impronunciável “símbolo do amor” e tatuou em sua bochecha a palavra “escravo”, como forma de protesto pelas condições contratuais impostas por sua gravadora Warner. Também foi chamado “o artista antes conhecido como Prince” e pela abreviatura “TAFKAP”.


De qualquer forma, o músico foi uma figura incontestável da música popular dos últimos 30 anos. Não morre somente um grande músico. Graças à sua visão inovadora e à sua poderosa estética, era um verdadeiro símbolo do pop. Durante a década dos anos oitenta, foi um dos artistas mais importantes e inovadores, dando forma no começo da década ao que ficou conhecido como o som de Minneapolis, que se caracterizaria por sua influência do funk e R&B dentro de uma concepção pop. Foi sua grande contribuição na década na qual o pop dominou as listas de sucesso. Alcançaria o auge de sua popularidade com o álbum Purple Rain (1984), um dos discos mais emblemáticos de uma década que influenciaria toda uma legião de artistas e grupos nos anos seguintes.


A morte de Prince confirma um ano triste para a música pop, que vê como desaparecem alguns dos seus grandes ícones: David Bowie, Glenn Frey dos Eagles e Merle Haggard.


Fonte: El País

Fazer sexo com amigo melhora a amizade, revela pesquisa


Amigos desde a faculdade. Amizade pura mesmo, sem segundas intenções. Compartilham segredos, desabafam sobre novos e velhos amores, contam detalhadamente sobre a pegação da noite anterior (por que o sexo foi ruim – ou bom). Até que um dia, seja lá por qual motivo, vocês se agarram loucamente e terminam a noite juntos. E agora? Dá para levar a mesma amizade ou melou tudo?


Bem, a ciência diz que sim – e até recomenda que você o faça. A pesquisadora Heidi Reeder, da Universidade Estadual de Boise, nos Estados Unidos, perguntou a 300 pessoas, entre homens e mulheres, se já haviam feito sexo com amigo. Entre eles, 20% disseram que sim. E a maioria (76%) contou que a amizade melhorou depois do sexo – muitos deles até começaram a namorar depois. Os outros 24% devem ter sofrido de amor não correspondido.


E você, o que acha? Mesmo se não rolar um namoro, dá pra levar a amizade e ainda manter o bônus do sexo?


Fonte: Superinteressante

Solidão aumenta risco de infarto em quase 30%

Pessoas solitárias correm um risco aumentado de infarto e acidente vascular cerebral (AVC), em comparação com aquelas que têm fortes relações sociais. A descoberta é de um estudo publicado recentemente na revista científica Heart.


Pesquisadores da Universidade de York, na Grã-Bretanha, revisaram 23 estudos já existentes, envolvendo 181.000 pessoas saudáveis. Eles descobriram que a solidão - definida por um sentimento negativo em pessoas que estão infelizes com a falta de relacionamentos - está associada a um aumento de 29% no risco de ataque cardíaco e 32% de AVC. Isso faz com que a solidão seja considerada um fator de risco para doenças cardiovasculares, como a ansiedade e o stress no trabalho.


"Nosso trabalho sugere a solidão e o isolamento social podem ter um papel importante na prevenção de duas das principais causas de morbidade em países de alta renda. Combater essas condições pode ser uma estratégia de prevenção contra doença cardíaca e acidente vascular cerebral. Os profissionais de saúde têm um papel importante ao conscientizar seus pacientes sobre a importância das relações sociais.", disse Nicole Valtorta, líder do estudo.


Segundo Nicole, a solidão nos afeta por três caminhos diferentes: comportamental, biológico e psicológico. No que se refere ao fator comportamental, a autora afirma que pessoas isoladas ou sós seriam mais propensas à obesidade, ao sedentarismo, ao fumo e a evitar visitas periódicas aos médicos. Biologicamente, a solidão afeta o sistema imunológico e a resposta do organismo ao stress. Por fim, no quesito psicológico, a solidão está associada a maiores taxas de ansiedade e depressão.


Felizmente, estudos anteriores mostraram que o contrário também é verdade. Ou seja, ter amigos e manter fortes relações sociais faz bem à saúde do coração tanto quanto a prática de exercícios.


Fonte: Veja.com

STF quebra sigilos bancário e fiscal de Agripino Maia e familiares


O STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), do deputado Felipe Maia (DEM-RN), seu filho, e de mais 14 pessoas em inquérito que investiga um "complexo" esquema de corrupção e lavagem de dinheiro.


A decisão é do ministro Luís Roberto Barroso, que atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República. Além dos dois políticos e empresas ligadas a eles, a medida atinge ainda outros familiares do senador, assessores, como seu motorista e chefe de gabinete, e servidores públicos. Os sigilos serão afastados entre 2010 e 2015.


Agripino é alvo de um inquérito que apura se o parlamentar negociou o pagamento de propina da empreiteira OAS durante a construção da Arena das Dunas, estádio em Natal usado na Copa do Mundo de 2014.


Para a procuradoria, há indícios de pagamento de propina ao senador, uma vez foram identificadas operações suspeitas de lavagem de dinheiro na época de campanhas eleitorais, em 2010 e 2014.


"Isso, igualmente, indica que os pedidos de doações eleitorais feitos pelo parlamentar à OAS, prontamente atendidos, podem constituir, na verdade, solicitações e repasses de propina, de forma dissimulada", completa a procuradoria.


Relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) apontou depósitos fragmentados e movimentação atípica. Em outubro de 2010, por exemplo, foram efetuados, no caixa, seis depósitos em espécie no valor de R$ 9.900 cada, totalizando R$ 59,4 mil, além de outros 44 depósitos em envelope no caixa eletrônico, cada um com R$ 2.500, totalizando R$ 110 mil. O relatório do órgão de fiscalização foi revelado pela Folha, em outubro de 2015.


Segundo o Coaf, tais operações sugerem "tentativa de burla dos mecanismos de controle e tentativa de ocultação da identidade do depositante."


Ao STF, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que as investigações revelam um "complexo esquema de recebimento de valores ilícitos para várias pessoas, mediante a utilização de diversas empresas, com a finalidade de ocultar a origem e o destino final dos recursos envolvidos".


Segundo Janot, a quebra é essencial para "para desvendar as particularidades das estratégias de lavagem de dinheiro possivelmente adotadas pelo senador".


A Procuradoria afirmou ao STF que informações prestadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), pelo Tribunal de Contas da União e pelo Tribunal de Contas do Rio Grande do Norte "evidenciam" que a obra do estádio, entre 2011 e 2014, passou por diversos entraves perante os órgãos de controle externo e o próprio agente público financiador, o que corrobora a suspeita de que o senador efetivamente atuou no sentido de agir nos bastidores para superar tais dificuldades, conforme diálogo por ele mantido com Léo Pinheiro, dono da OAS, diretamente interessado no assunto.


Em sua decisão, o ministro do STF afirmou que os elementos apresentados por Janot apontam "para a presença de indícios de condutas que, aparentemente, se subsumem à descrição de crimes de lavagem de dinheiro".


"Há nos autos informações de operações financeiras realizadas pelo investigado que consubstanciariam indícios da prática de lavagem de dinheiro. Como explicitado pelo procurador-geral da República, estes elementos, aliados aos demais indícios coletados, recomendam o aprofundamento da investigação com o deferimento da medida requerida".


Outro lado
Em nota, o senador José Agripino afirmou que a quebra vai agilizar os esclarecimentos dos fatos. "As providências requeridas vão acelerar o processo de esclarecimento dos fatos investigados. Tenho certeza que tornarão clara a improcedência da acusação que me é feita, de conduta irregular na construção da Arena das Dunas".


Fonte: Folha.com

STF recebe pedido de abertura de impeachment contra Temer.

O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu mais um pedido de abertura de processo de impeachment contra o vice-presidente Michel Temer. O novo pedido foi protocolado no sábado (16) pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG). O parlamentar alega que o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff deve ser analisado ao mesmo tempo que um processo contra Temer. Lopes aguarda que a liminar seja concedida ainda hoje, antes da votação sobre o processo contra Dilma.


"O governo da nação pode sair das mãos de quem foi democraticamente eleito pelo povo, indo para as mãos de uma pessoa que está sendo acusada de ter cometido exatamente os mesmos crimes. Não pode haver, em nenhuma situação possível e imaginável, risco maior para o povo brasileiro", afirmou o deputado.


O mandado de segurança protocolado por Reginaldo Lopes é relatado pelo ministro Marco Aurélio. No dia 5 de abril, o ministro determinou que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitasse pedido de abertura de processo de impeachment contra o vice-presidente Michel Temer.


O pedido foi protocolado pelo advogado Mariel Marley Marra, de Minas Gerais. De acordo com o advogado, há indícios de que o vice-presidente cometeu crimes de responsabilidade. O advogado tinha feito o mesmo pedido à Mesa da Câmara dos Deputados, mas a abertura foi rejeitada pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Na semana passada, sete dos 25 partidos com representação na Câmara dos Deputados indicaram nomes para compor a comissão especial que vai analisar o pedido de impeachment de Temer.


Após a decisão de ministro, a Mesa da Câmara dos Deputados recorreu à Corte e alegou que Temer não pode responder por crime de responsabilidade, porque sempre assumiu a Presidência da República eventualmente, na ausência da presidenta. Na semana passada, a Câmara apresentou primeiro recurso contra decisão do ministro.


Os advogados da Câmara também argumentam que o vice-presidente não pode ser responsabilizado pelos decretos que assinou sobre abertura de créditos suplementares. Segundo eles, Temer apenas deu continuidade às “iniciativas da presidente”.


Fonte: Agência Brasil

Após hiato de três anos, Kid Abelha anuncia oficialmente o fim da banda.

O Kid Abelha, ícone do rock brasileiro dos anos 1980, chegou oficialmente ao fim. A banda divulgou nesta sexta-feira (22) em suas redes sociais uma carta aos fãs anunciando o término das atividades. O grupo não se apresentava desde 2013, quando encerrou a turnê comemorativa de 30 anos.


"Optamos por um soft-ending, um final suave, evitando o sensacionalismo, com a convicção de que nossa trajetória vitoriosa sempre se deveu ao entusiasmo e dedicação sempre renovados a cada disco, cada turnê", diz o comunicado, assinado pelos três integrantes da banda: Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato.


Ex-vocalista, Paula Toller já falou sobre o fim do Kid Abelha em entrevistas, porém a banda nunca havia pronunciado a respeito. Desde 2007, o Kid Abelha fazia hiatos e reaparecia em turnês comemorativas. A última foi em 2011, para celebrar os 30 anos da banda, que não lançava um álbum com músicas inéditas havia 11 anos. O último, "Pega Vida", é de 2005.


Criada em 1981, Kid Abelha foi um dos expoentes do rock nacional e vendeu mais de 9 milhões de álbuns. O recordista, "Acústico MTV" (2002), teve mais de 2 milhões de cópias comercializadas. Entre os principais hits da banda, estão "Como Eu Quero", "Lágrimas e Chuva", "Fixação" e "Pintura Íntima".






http://www.blogcariri.com.br/

Críticos da corrupção na sessão do impeachment são alvos de denúncias

A deputada Raquel Muniz (PSD-MG) em sessão da Câmara

Alvo de pelo menos quatro inquéritos criminais, entre eles por suspeita de formação de quadrilha e tentativa de homicídio, o deputado André Moura (PSC-SE) iniciou seu voto em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff afirmando que o país vive o maior escândalo de corrupção da história.


Um dos mais fiéis aliados do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado sergipano também é investigado por suposto desvio de recursos públicos.


Pelos menos 7 dos 70 parlamentares que citaram "corrupção" na tribuna durante a sessão de domingo respondem a inquéritos ou ações penais no STF (Supremo Tribunal Federal) que miram em delitos graves como corrupção e desperdício do dinheiro público.


O caso da deputada Raquel Muniz (PSD-MG) é emblemático. Favorável ao impeachment e investigada por crime contra a fé pública, ela disse no plenário que o Brasil tem jeito e deu como exemplo de correção seu marido, o prefeito de Montes Claros (MG), Ruy Muniz.


Menos de 24 horas depois, Muniz foi preso sob a acusação de tentar inviabilizar o funcionamento de hospitais públicos e filantrópicos concorrentes da unidade de saúde que pertence à família dele.

Alberto Fraga (DEM) encabeçou a lista dos mais votados no Distrito Federal em 2014. Da tribuna, ele bradou: "Se 342 votos eu tivesse, 342 votos eu daria para salvar o país dessa corrupção, dessa ladroagem que se chama PT. Meu voto é "sim".


No STF, Fraga aparece como suspeito de ter recebido R$ 350 mil em propina quando era secretário de Transportes do DF, durante a gestão do governador José Roberto Arruda, preso pela PF em 2010.


Eleito pelo PSB da Paraíba, Rômulo Gouvêia afirmou, na sessão do fim de semana, que a Câmara estava votando "o combate à corrupção". "É o fim da corrupção", decretou.


Gouveia responde a uma ação penal sob a acusação de ter dispensado de forma ilegal licitação para contratação de uma empresa de publicidade quando presidia a Assembleia Legislativa da Paraíba, em 2003.


Ele também é um dos alvos de inquérito do STF, em segredo de Justiça, que investiga fraude no programa de internet gratuita no Estado. O contrato sob suspeita teve verba destinada pelo deputado.


Já Duarte Nogueira (PSDB-SP) não figura na relação de alvos do Supremo, mas em janeiro foi apontado pelo ex-presidente da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar) Cássio Izaque Chebab como beneficiário da propina do esquema da merenda escolar.


Ele justificou seu voto em favor do afastamento de Dilma "pelo reencontro desse país maravilhoso com a esperança, porque não aguenta mais tanta afronta à Constituição, mentiras, impunidade e corrupção".


Um dos que pregaram a extinção "do projeto de poder e de corrupção" integra a lista de congressistas da Operação Lava Jato. Trata-se de Luiz Carlos Heinze (PP-RS).


O doleiro Alberto Yousseff citou o nome do parlamentar como um dos possíveis destinatários do suborno pago ao líder do PP à época. O dinheiro seria proveniente de desvios na Petrobras.


Não foi só a ala anti-Dilma que levantou a bandeira do fim dos malfeitos. A petista Érika Kokay (DF) afirmou votar contra a "corrupção que está sentada na presidência desta sessão [se referindo a Cunha]".


Ela responde no STF a inquérito por lavagem, corrupção e formação de quadrilha.


Outro lado
Deputados ouvidos pela Folha negaram participação em irregularidades.


André Moura argumenta que não foram encontradas provas contra ele. "Foram denúncias de um adversário político, afastado da prefeitura por corrupção, que admite não ter provas e que já mudou depoimentos. Fui inocentado pela Justiça de Sergipe".


Duarte Nogueira ressaltou que a corregedoria do Estado concluiu a primeira etapa da apuração das fraudes na merenda em São Paulo e concluiu que ele "não recebeu nenhuma vantagem indevida". "Meu nome foi citado de forma irresponsável e leviana", acrescenta o tucano.


Érika Kokay atribui a investigação a um falso testemunho encomendado por um adversário que ela investigou na Comissão de Ética. Luiz Carlos Heinze diz que a citação a ele feita por Alberto Youssef é frágil. "Mostraram uma imagem minha e perguntaram ao Youssef se eu recebia. Ele pestanejou e disse que 'para mim, recebia'".


A Folha não conseguiu falar com Rômulo Gouveia e Raquel Muniz. Alberto Fraga não quis comentar. Em manifestações anteriores, Gouveia e Fraga se declararam inocentes.


Em nota oficial, Raquel disse não ver razão jurídica para a prisão do marido.


Fonte: Folha.com

Anatel proíbe limites na internet de banda larga 'por prazo indeterminado'

O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu nesta sexta-feira (22) que as operadoras ficarão proibidas de limitar o acesso à internet de banda larga fixa "por tempo indeterminado". Nesta semana, o órgão havia determinado que as empresas cumprissem a ordem "em caráter preventivo", por 90 dias.


A proibição vai valer até que o Conselho da Anatel julgue a questão, o que não tem data para acontecer. Assim, as prestadoras "continuarão proibidas de reduzir a velocidade, suspender o serviço ou cobrar pelo tráfego excedente nos casos em que os consumidores utilizarem toda a franquia contratada, ainda que tais ações estejam previstas em contrato", diz o órgão.


Segundo a Anatel, a decisão considera que mudanças na cobrança desses serviços, mesmo as previstas por lei, "precisam ser feitas sem ferir os direitos do consumidor" e acrescentou que o órgão "não proíbe a oferta de planos ilimitados", que dependem de cada operadora.


Polêmica
Nas últimas semanas, gerou polêmica a informação de que as operadoras querem oferecer planos de internet fixa, usada nas residências e empresas, com limite de download, em que o serviço pode ser suspenso quando o usuário atinge uma determinada quantidade de arquivos e dados baixados.


Atualmente, esse serviço é cobrado de acordo com a velocidade de navegação contratada, sem teto de uso da internet. Já o sistema que limita a quantidade de dados baixados, ou seja, que fixa uma franquia, já funciona na internet móvel, dos celulares.


A primeira decisão da Anatel foi divulgada quatro dias depois de o Ministério das Comunicações ter cobrado da agência medidas para garantir que as empresas respeitem os direitos dos consumidores.


A Anatel já havia informado que comunicou às operadoras que pretendem oferecer internet fixa com franquia limitada que elas só poderão começar a interromper o serviço se garantirem aos consumidores ferramenta para acompanhar o consumo. Nesta segunda, no entanto, as exigências divulgadas foram maiores – e sujeitas a multa.


As novas determinações
O despacho da Superintendência de Relações com os Consumidores da Anatel, publicado na edição de segunda-feira (18) do "Diário Oficial da União", determina que as empresas de telefonia não podem reduzir a velocidade, suspender o serviço ou fazer cobrança de tráfego excedente após o esgotamento da franquia – mesmo se isso estiver previsto em contrato – até que cumpram as condições estabelecidas pela agência reguladora.


Entre as condições definidas pela Anatel está a comprovação, por parte da operadora, de que disponibilizou aos clientes ferramentas que permitam o acompanhamento do consumo do serviço, o histórico da utilização e a notificação quanto à proximidade do esgotamento da franquia, além da possibilidade de comparar preços.


Também é necessário, segundo a Anatel, que a operadora deixe explícito em sua oferta e nas publicidades a existência e o volume de eventual franquia nos mesmos termos e com mesmo destaque dado aos demais elementos essenciais da oferta, como a velocidade de conexão e o preço. As operadoras terão que comprovar à Anatel que adotaram as medidas.


Fonte: G1

Decisivo para impeachment, Senado já reverteu derrotas de Dilma na Câmara

Aprovado na Câmara dos Deputados, o pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT) segue agora para o Senado Federal. É lá que será decidido se o processo de afastamento da presidente será realmente aberto e, mais importante, se ela perderá mandato presidencial conquistado na eleição de 2014.


É no Senado também que o governo Dilma terá a chance de reverter a derrota mais importante já imposta a ele pela Câmara. A missão é difícil, mas o histórico mostra que é possível que senadores ajam contra deputados e a favor da presidente até mesmo sobre os assuntos mais polêmicos.


Desde que Dilma iniciou seu segundo mandato na Presidência, senadores já contrariaram deputados e colocaram-se ao lado do governo ao menos seis vezes. Em todos esses casos, a Câmara, presidida por Eduardo Cunha (PMDB), votou projetos de lei contra a orientação do Palácio do Planalto. Já o Senado, presidido por Renan Calheiros (PMDB), reformou esses projetos em favor da presidente ou agiu para minimizar eventuais prejuízos ao governo. Confira:


Redução da maioridade penal: a Câmara aprovou em agosto do ano passado a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos nos casos de crimes hediondos, como estupro, e para homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. A aprovação aconteceu após manobra de Cunha e à revelia do governo. A PEC seguiu para o Senado. Lá, acabou "engavetada". Renan diz ser contra a redução.


Financiamento privado de campanhas eleitorais: a Câmara manifestou-se mais de uma vez em favor do direito de empresas financiarem campanhas eleitorais no país. Em maio, deputados rejeitaram uma proposta que proibia as doações. Depois, aprovaram um projeto garantindo o direito às contribuições privadas. A proposta foi ao Senado, que votou contra. De volta à Câmara, o projeto foi novamente modificado para autorizar as contribuições de empresas. Dilma vetou a proposta. Os vetos foram analisados pelo Congresso Nacional e prevaleceu a posição do Senado e do governo, que proíbe as doações.


Reajuste de dívidas de Estados e municípios: Em abril de 2015, enquanto o governo federal tentava reequilibrar suas contas com um ajuste fiscal, a Câmara do Deputados aprovou um projeto de lei que revia os índices de correção de dívidas de Estados e municípios com a União. Na prática, a medida reduzia correções monetárias e comprometia a arrecadação federal, o que desagradava o governo. O projeto seguiu para o Senado. O então ministro da Fazenda Joaquim Levy negociou com senadores e incluiu na proposta um prazo para que o governo pudesse se adaptar. A alteração nos índices passou a vigorar apenas em janeiro.


Reajuste de salários de servidores do MP: Ainda durante as discussões do ajuste fiscal, a Câmara aprovou um projeto de lei que concedia reajustes salariais de até 59% aos servidores do MPF (Ministério Público Federal). O governo era contra o aumento. Quando a proposta foi ao Senado, ele agiu para que o índice de reajuste fosse revisto. O aumento salarial médio caiu para 41%, e seu pagamento ainda passou a ser parcelado até 2019.


Maior correção para o FGTS: Outro projeto de lei que desagradava o governo e que acabou aprovado pela Câmara dos Deputados foi o que aumentava o índice de correção do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) de trabalhadores. Hoje, o saldo das contas é corrigido em cerca de 3% ao ano. A Câmara determinou que a correção fosse de cerca de 6% ao ano, ou seja, igual à poupança. Para o governo, a mudança poderia inviabilizar programas como o Minha Casa, Minha Vida. Por isso, ele agiu para que a proposta não avançasse no Senado. O projeto está parado há mais de seis meses.


Projeto sobre a terceirização do trabalho: A Câmara também aprovou no ano passado um projeto que visa a estabelecer regras mais claras para a terceirização do trabalho em empresas. Sindicatos e movimentos sociais são historicamente contrários à medida e têm o apoio do governo federal nessa questão. Após aprovação pelos deputados, o projeto foi enviado ao Senado e não avançou.


Cenário mudou
Apesar de os senadores serem mais compreensivos com o governo Dilma do que deputados, isso não significa que a presidente terá mais chances de se livrar do afastamento no Senado. Cientistas políticos ouvidos pelo UOL apontam que o cenário político atual é incomparável com o de meses atrás, quando senadores livraram a presidente de derrotas na Câmara. Para eles, a tendência hoje é que senadores abram o processo de impeachment e tirem Dilma da Presidência ao menos temporariamente.


"O quadro mudou completamente. No cenário atual, o impeachment deve avançar no Senado", afirmou o cientista político Ricardo Ismael, professor da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio). "Em janeiro, víamos a Câmara, controlada por Cunha, fazendo oposição à Dilma. Já o Senado, presidido por Renan, estava mais neutro. Agora, cresce dia após dia a posição pró-impeachment no Senado. A compreensão de senadores está acabando."


A queda do apoio a Dilma no Senado também é observada pelo cientista político e diretor do Iuperj (Instituto Universitário de Pesquisas do Rio), Geraldo Tadeu Monteiro. "É difícil senadores segurarem essa onda contra a presidente que vem da Câmara", disse. "Eles são políticos e, claro, sensíveis à opinião pública. Não querem perder a credibilidade de seus eleitores. Com o impeachment aprovado por deputados, ele não deve ser barrado pelo Senado."


Fonte: UOL

Teori Zavascki determina investigação de planilhas de doações da Odebrecht

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki determinou a abertura de procedimento para apuração preliminar sobre planinhas apreendidas na Operação Lava Jato com nomes de políticos que teriam recebido doações da Odebrechet.


A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai analisar a lista e decidir se há ou não indícios para pedir ao STF a abertura de inquérito contra os políticos citados, de acordo com a assessoria de comunicação da Corte.


As planilhas foram apreendidas na casa de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, executivo da empreiteira Odebrecht, e listam mais de 200 políticos da oposição e do governo que teriam recebido repasses da empreiteira. O executivo foi alvo da 23ª fase da Operação Lava, conhecida como Acarajé. Nos documentos, não há juízo sobre a legalidade dos pagamentos feitos pela construtora, que é uma das maiores doadoras a políticos.


Teori Zavascki também decidiu devolver ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, responsável pelos processos da Lava Jato, duas investigações que haviam sido remetidas ao Supremo, as da 23ª e 26ª fases da Operação Lava Jato, denominadas Acarajé e Xepa.


Em março, Moro decidiu enviar ao STF os processos decorrentes das duas fases da operação, que incluem a lista que trata dos pagamentos feitos pela Odebrechet a políticos. Moro havia colocado a lista em segredo de Justiça em função do foro privilegiado de alguns dos citados.


Fonte: Agência Brasil