1

1

Google+ Followers

domingo, 29 de novembro de 2015

Sofia quer saber


Era uma vez uma princesa que morava num lindo castelo. O castelo era rodeado de flores e de muitos soldados. A princesa ganhava muito presentes. Desde sua infância, seus pais a encheram de presentes e festas. Seu nome: Sofia.

A princesa Sofia tinha à sua disposição um jardim e um parque cheio de brinquedos. Mas a princesa já não era mais uma criança. Ela tinha 18 anos. Ela almejava por liberdade. Queria sair, conhecer as pessoas e lugares diferentes. Gostava de desenhar vestidos. Vestia suas próprias criações.

O castelo era pequeno pra ela. Foi conversar com o pai a respeito e obteve respostas vagas como "depois a gente vê", "vou pensar". A princesa externou para o pai a sua vontade de sair do castelo. O pai encerrou a conversa com a pergunta:
_ Está faltando alguma coisa pra você, minha filha?

A princesa deu de ombros e foi correndo para o jardim. Não tivera coragem de dizer que estava faltando sim, faltando -lhe o direto de ir e vir não hora que bem entendesse, mas no momento que achava que era o certo.

Mas nada lhe era explicado. Qual razão de tamanha segurança em torno dela?- pensava. Tantos cuidados! Para quê? Para protegê-la? Mas do quê?

E absorta em seus pensamentos adormeceu.

Acordou com um barulho de explosão. Percebeu uma movimentação confusa no castelo, soldados corriam pra lá e pra cá. Se escondeu no meio das folhagens e pressentiu que algo de muito ruim estava acontecendo. Mas quem poderia lhe dizer?

Só restava esperar.


Texto de minha autoria. Imagem: painel feito pela professora Tais numa apresentação de teatro no pátio da escola.

30/11 -- Dia da Reforma Agrária

30/11 -- Dia da Reforma Agrária

30 de Novembro

Podemos definir reforma agrária como um sistema em que ocorre a divisão de terras, ou seja, propriedades particulares (latifúndios improdutivos) são compradas pelo governo a fim de lotear e distribuir para famílias que não possuem terras para plantar.
Dentro deste sistema, as famílias que recebem os lotes, ganham também condições para desenvolver o cultivo: sementes, implantação de irrigação e eletrificação, financiamentos, infra-estrutura, assistência social e consultoria. Tudo isso oferecido pelo governo.

Estrutura Fundiária ontem e hoje

A reforma agrária se faz necessária no Brasil, pois a estrutura fundiária em nosso país é muito injusta. Durante os dois primeiros séculos da colonização portuguesa, a metrópole dividiu e distribui as terras da colônia de forma injusta.
No sistema de Capitanias Hereditárias, poucos donatários receberam faixas enormes de terra (pedaços comparados a alguns estados atuais) para explorar e colonizar.
Desde então, o acesso a terra foi dificultado para grande parte dos brasileiros.
O latifúndio (grande propriedade rural improdutivo) tornou-se padrão, gerando um sistema injusto de distribuição da terra.
Para termos uma idéia desta desigualdade, basta observarmos o seguinte dado: quase metade das terras brasileiras está nas mãos de 1% da população.

Reforma Agrária na atualidade

Para corrigir esta distorção, nas últimas décadas vem sendo desenvolvido em nosso país o sistema de reforma agrária. Embora lento, já tem demonstrado bons resultados.
Os trabalhadores rurais organizaram o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que pressiona o governo, através de manifestações e ocupações, para conseguir acelerar a reforma agrária e garantir o acesso à terra para milhares de trabalhadores rurais.
Cabe ao governo todo o processo de reforma agrária através de um órgão federal chamado INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).
Ao contrário do que muitos pensam, a reforma agrária é realizada em nosso país dentro das leis vigentes, respeitando a propriedade privada e os direitos constituídos.
Não visa apenas distribuir terras, mas sim garantir, aos pequenos agricultores, condições de desenvolvimento agrário e produtividade, gerando renda e melhores condições de vidas para as famílias assentadas.
Fonte: geocities.com

30/11 -- Dia do Teólogo

30/11 -- Dia do Teólogo

30 de Novembro

A imagem que algumas pessoas fazem de um teólogo é de alguém que está constantemente enclausurado no último aposento de uma casa, às voltas com obras raras, escritas em dialetos desconhecidos do grande público ou com livros pesados e grossos. Algo assim como no filme o Nome da Rosa, não?
Mas, na verdade, um teólogo é uma pessoa bem mais próxima de nós do que pensamos. Ele presta serviços de consultoria a escritores, por exemplo, que estejam usando a religião para contar alguma história ou fornece orientação a grupos religiosos em geral, principalmente organizações não-governamentais.
Outra confusão que é feita com freqüência: um padre ou um pastor podem ser um teólogo mas um teólogo nem sempre é um religioso. Podemos encontrar um teólogo dando aulas em cursos universitários da área de ciências sociais, como Letras, Antropologia, Sociologia.
Aliás, é cada vez maior nos meios acadêmicos a intertextualidade entre as disciplinas. E em relação à teologia isso é sentido de forma evidente.
Trata-se de um fenômeno recente a redescoberta da leitura teológica do mundo nas áreas de ensino voltadas para o conhecimento do comportamento humano em geral.

O QUE UM TEÓLOGO ESTUDA?

Basicamente o teólogo formado estuda e analisa as diversas religiões do mundo e sua influência sobre o homem do ponto de vista antropológico e sociológico. Sua principal fonte de pesquisa são os textos sagrados e as doutrinas e dogmas religiosos.
Com isso procura explicar de que forma as crenças, com o decorrer do tempo e da história, modificam ou eternizam as maneiras do homem interagir na sociedade.
Nos cursos de teologia, a grade curricular varia de instituição para instituição. Algumas dão maior importância à análise das religiões em si, enquanto outras se debruçam mais sobre os textos sagrados.
De qualquer forma, um estudante de teologia - o futuro teólogo - deverá ler muito e participar de muitos debates em sala de aula sobre as bases e a história das religiões.

O QUE QUER UM TEÓLOGO?

Um teólogo procura a tempo e a hora tornar a religião em um saber racional, no caso, um saber chamado teologia (estudo de Deus: teo = Deus; logia = estudo).
Sua atitude diante da religiosidade é quase sempre objetiva, uma vez que a religião em si e mais precisamente a fé tem caráter subjetivo.
Uma coisa é termos fé, outra é estudarmos os fenômenos da fé. Para o primeiro caso, basta crer, acreditar num dogma ou numa doutrina como verdade a ser vivida. No outro, esta mesma fé será interpretada, relativizada e, conseqüentemente, racionalizada.
O teólogo, então, é aquele que deseja ser os olhos da razão dentro de uma experiência que normalmente só pode ser vivida sem questionamentos, ou seja, na fé, que não questiona, não interroga, apenas crê.
Por isso nada impede que um teólogo venha a ser um religioso fervoroso ou uma pessoa completamente descrente de Deus. Uma coisa não impede a outra. No exercício ou não da fé, crente ou descrente. No exercício da profissão, teólogo sempre.
Fonte: www.ibge.br

01/12 -- Dia Mundial de Prevenção Contra a AIDS

01/12 -- Dia Mundial de Prevenção Contra a AIDS

01 de Dezembro

Porque o laço vermelho como símbolo?

O laço vermelho é visto como símbolo de solidariedade e de comprometimento na luta contra a aids.
O projeto do laço foi criado, em 1991, pela Visual Aids, grupo de profissionais de arte, de New York, que queriam homenagear amigos e colegas que haviam morrido ou estavam morrendo de aids.
Dia Mundial de Prevenção a AIDS
Visual Aids tem como objetivos conscientizar as pessoas para a transmissão do HIV/aids, divulgar as necessidades dos que vivem com HIV/aids e angariar fundos para promover a prestação de serviços e pesquisas.
O laço vermelho foi escolhido por causa de sua ligação ao sangue e à idéia de paixão, afirma Frank Moore, do grupo Visual Aids, e foi inspirado no laço amarelo que honrava os soldados americanos da Guerra do Golfo.
Foi usado publicamente, pela primeira vez, pelo ator Jeremy Irons, na cerimônia de entrega do prêmio Tony Awards, em 1991. Ele se tornou símbolo popular entre as celebridades nas cerimônias de entrega de outros prêmios e virou moda.
Por causa de sua popularidade, alguns ativistas ficaram preocupados com a possibilidade de o laço se tornar apenas um instrumento de marketing e perdesse sua força, seu significado. Entretanto, a imagem do laço continua sendo um forte símbolo na luta contra a aids, reforçando a necessidade de ações e pesquisas sobre a epidemia.
Hoje em dia, o espírito da solidariedade está se espalhando e vem criando mais significados para o uso do laço.
Inspirado no laço vermelho, o laço rosa se tornou símbolo da luta contra o câncer de mama.
O amarelo é usado na conscientização dos direitos humanos dos refugiados de guerra e nos movimentos de igualdade.
O verde é utilizado por ativistas do meio ambiente preocupados com o emprego da madeira tropical para a construção de sets na indústria cinematográfica.
O lilás significa a luta contra as vítimas da violência urbana; o azul promove a conscientização dos direitos das vítimas de crimes e, mais recentemente,
O azul vem sendo adotado pela campanha contra a censura na internet.
Além da versão oficial, existem quatro versões sobre sua origem. Uma delas diz que os ativistas americanos passaram a usar o laço com o "V" de Vitória invertido, na esperança de que um dia, com o surgimento da cura, ele poderia voltar para a posição correta. Outra versão tem origem na Irlanda. Segundo ela, as mulheres dos marinheiros daquele país colocavam laços vermelhos na frente das casas quando os maridos morriam em combate.
Com todas essas variações, o mais importante é perceber que todas essas causas são igualmente importantes para a humanidade.

Porque 1° de Dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids?

O Dia Mundial da Luta Contra AIDS é um dia que, cada ano, deve servir para desenvolver e reforçar o esforço mundial da luta contra a AIDS. O objetivo deste dia é estabelecer o entrelaçamento de comunicação, promover troca de informações e experiências, e de criar um espírito de tolerância social.
O Dia Mundial da Luta Contra a AIDS dá a ocasião de se falar da infecção por HIV e da AIDS, de se ocupar das pessoas infectadas pelo HIV e das doenças da AIDS, e de se saber mais sobre esta doença. Este dia internacional de ação coordenada contra a AIDS constitui já um evento anual na maior parte dos países.
Evocando as atividades de luta já em curso e encorajando novas iniciativas, o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS contribui para edificar uma ação durável contra a AIDS.

Não para a palavra "Aidético"

É sempre importante reforçar essa informação. Sendo a aids uma sigla de língua inglesa (Acquired Immune Dificiency Syndrome) não justifica a derivação em palavra de língua portuguesa. É preciso entender também que a aids não é uma doença, mas sim uma síndrome (conjunto de sinais e sintomas).Além disso, o termo adota a intenção subjetiva de estigmatizar as pessoas que vivem com HIV, o vírus da aids, tornando-as sinônimas da doença.
Dizer que alguém é aidético significa dizer que essa pessoa é a própria doença, que tem uma nova identidade relacionada ao HIV. Destitui-se o cidadão de seus direitos individuais, passando a ser visto como uma pessoa com a morte anunciada. Também é necessário diferençar as etapas da evolução da imunodeficiência.
Os portadores do vírus da aids só desenvolvem a doença quando seus organismos não conseguem mais se defender das doenças oportunistas, ocasionadas pela baixa imunidade (poucos linfócitos T4).
Os termos corretos que deverão ser utilizados, caso seja possível, são: soropositivos para o HIV ou portadores do HIV (tanto para quem tem o vírus como para quem está doente) ou doente de aids (somente para quem já está desenvolvendo doenças oportunistas relacionadas à aids).
Fonte: www.giv.org.br

Régua online: Sabe aquela hora que precisamos de uma régua e não encontramos? Na internet, você pode tê-la para consulta.

Resultado de imagem para Régua online:

Sabe aquela hora que precisamos de uma régua e não encontramos?
Na internet, você pode tê-la para consulta.

Tudo sobre a régua:


Lá você encontra: Imagens de réguas, imprimir a régua, quais os tipos de réguas, unidades de medidas, conversões.
Confira!

Situações problema com sistema monetário


Lembrando que as cédulas acima são antigas. As novas cédulas com mudança de cor e tamanho já estão circulando.

http://fenaeduca.blogspot.com.br/2011/09/situacoes-problema-com-sistema.html

Atividades de Português 2º ano


http://fenaeduca.blogspot.com.br/2011/10/atividades-de-portugues-2-ano.html

Matemática: Dobro e triplo


http://fenaeduca.blogspot.com.br/2011/10/matematica-dobro-e-triplo.html

Sugestão de Sondagem: Ditado dos números




Preparar com antecedência tirinhas de papel, com espaços para o nome da cada aluno e os números a serem ditados.
Entregar as tirinhas para os alunos e pedir que escrevam o próprio nome. Explicar que o ditado é sobre números. Dar um exemplo na lousa para garantir que todas as crianças entendam a atividade proposta.
Faça o ditado dos números, um a um, repetindo sempre que for necessário.
Recolher os ditados dos alunos para em seguida analisar como entendem os números. É importante registrar suas observações. Colei as tirinhas de todos para ter uma visão melhor de toda a classe.
Fazer uma nova sondagem no final do semestre, para avaliar os avanços dos alunos em relação ao conhecimento dos números.
Essa atividade é fundamental para obter informações com registros e poder acompanhar os avanços dos alunos em relação aos conhecimentos numéricos.
É necessário comparar as informações das duas sondagens para que seja possível avaliar os progressos dos alunos e preparar novas propostas de atividades pedagógicas.
Pode parecer uma atividade simples demais, mas que traz bons resultados
e que me ajudou bastante no quesito sondagem e a oferecer atividades que possam sanar as dificuldade dos alunos. Por exemplo: há alunos que no número 2.015 escreveram 215, outros no número 1.004 escreveram 104.


Essa atividade é referente ao PIC ( Programa intensivo de ciclo)
E você tem alguma sugestão para Ditados dos números?


Na revista Nova Escola encontrei uma aula de
Ditados dos números e como intervir nas hipóteses
dos alunos.
Muito legal!


Confira!

Modelos de cartas




Na carta os assuntos vão fluindo naturalmente, como numa conversa.
Você ainda escreve e recebe cartas?

http://fenaeduca.blogspot.com.br/2011/11/modelos-de-cartas.html

Texto e interpretação 3º e 4º ANO


http://fenaeduca.blogspot.com.br/2011/11/texto-e-interpretacao-3-e-4-ano.html

AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA 3º E 4º ANO



http://fenaeduca.blogspot.com.br/2011/11/avaliacao-de-matematica-3-e-4-ano.html

Língua Cantada. O site Ensinamos Português com Língua cantada tem como proposta trabalhar com música na sala de aula.

O site Ensinamos Português com Língua cantada tem como proposta trabalhar com música na sala de aula. Você encontra sugestões de planos de aula, entrevistas, temas que motivam. Adorei a dica "Ensine com a letra de Valsinha
Confira!

Tarefa para casa: Adição e subtração


Para o 3º ano do Ensino Fundamental

http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/tarefa-para-casa-adicao.html

Tarefa para casa: subtração



Para 3º ano do Ensino Fundamental

http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/tarefa-para-casa-subtracao.html

SITUAÇÕES PROBLEMA COM TABELA




A atividade envolve:
adição e subtração,
comparação,
ordem crescente,
números pares.
Para 2º ano e 3º ano do Ensino fundamental.

http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/situacoes-problema-com-tabela.html

Questões de Matemática com alternativas



A atividade contempla:
sequência numérica
algarismos
valor posicional
adição/multiplicação
Para 2º anos e 3º anos do Ensino Fundamental
http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/questoes-de-matematica-com-alternativas.html

Sequência numérica


Atividades de 
grade numérica,
sequência numérica.
Para 2º e 3º anos do Ensino Fundamental.
http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/grade-numercia.html

Decomposição dos números


A atividade envolve:
decomposição,
escritas dos números.
Para 2º e 3º anos do Ensino Fundamental.
http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/decomposicao-dos-numeros.html

Sequência numérica e decomposição



A atividade envolve:
Ordem crescente e decrescente,
sequência numérica,
decomposição,
antecessor e sucessor.
Para 3º ano do Ensino Fundamental.
http://fenaeduca.blogspot.com.br/2012/03/sequencia-numerica-e-decomposicao.html