1

1

Google+ Followers

terça-feira, 12 de maio de 2015

Dilma comete várias gafes em discurso de entrega de casas no Rio

A presidente Dilma Rousseff não economizou nas gafes ao discursar durante entrega de moradias do programa Minha Casa, Minha Vida, na zona oeste do Rio. Logo no início do discurso, ela chamou o ministro interino de Esportes, Ricardo Leyser, de "ministro dos Transportes". Ao tentar consertar, disse que tinha "promovido" Leyser e em seguida corrigiu. "Promover? Não, não precisa promover porque o Esporte é muito importante e vamos ter a melhor de todas as Olimpíadas", disse a presidente.
Logo depois, ao citar que muitos beneficiados com a casa nova pagavam entre R$ 300 e R$ 400 de aluguel, a presidente se confundiu. "Muitos pagavam 300 mil a 400 mil (reais). Agora vocês vão pagar prestação muito menor", disse Dilma, provocando burburinho na plateia formada por famílias que foram receber as chaves.
A presidente também trocou o nome do condomínio Vivenda das Gaivotas e chamou o local de Recanto das Gaivotas.
No discurso, a presidente anunciou que lançará em breve a terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida, com a meta de construção de 3 milhões de novas moradias, com algumas modificações como o aumento do tamanho dos quartos e da área de serviço. "A gente escuta muita sugestão. As modificações são sempre para melhor. O objetivo é que em torno de 27 milhões de brasileiros e brasileiras tenham tido acesso ao Minha Casa, Minha Vida (até o fim do mandato, em dezembro de 2018)." 
Segundo Dilma, seu governo já entregou 2,182 milhões de moradias e outro 1,670 milhão estão contratadas e em construção. A presidente disse que essas habitações se somam a 1 milhão de casas entregues no governo Lula.

Estadão Conteúdo

10 motivos para você abandonar o refri de uma vez -- Nutricionista do Sesc explica por que você deve abandonar o refrigerante

10 motivos para você abandonar o refri de uma vez -- Nutricionista do Sesc explica por que você deve abandonar o refrigerante


Foto: Brent Hofacker / Shutterstock

Mais de 80 litros de refri por ano são consumidos pelos brasileiros. O dado é referente ao ano de 2012 e foi produzido pela empresa Nielsen. Mas o alto consumo não é motivo para comemorar.

Cheinho de calorias vazias, em média, 150 por latinha, o refrigerante deve ser reduzido na dieta! Deixe-o somente como opção para um evento social, por exemplo. A nutricionista do Sesc Centro Deise Réus explica por que você deve abandonar o consumo desta bebida.


1. Calorias vazias


As calorias dos refrigerantes, umas 150 por lata, não têm nenhum nutriente. Por isso, são chamadas de vazias, o que significa que seu consumo não agrega nenhuma vitamina, só tem valor calórico.


2. Obesidade

O refri normal é rico em açúcar. Pesquisas científicas o apontam como um dos vilões da obesidade infantil, especialmente, no Brasil. 

3. Adoçante


Refri zero/light é cheio de aspartame. Seu uso excessivo faz mal à saúde porque causa dor de cabeça, perda de memória, perda neurológica e alergias. 


4. Aumenta a vontade de comer doce


O aspartame desperta necessidade maior de consumo de açúcar. Portanto, quem toma o refri zero vai acabar com a maior vontade de se atirar num docinho depois.


5. Causa celulite


O refrigerante potencializa a retenção de líquidos no corpo. Com isso, a pessoa terá de fazer mais exercícios para conseguir liberar este líquido do corpo. Com esta dificuldade, a celulite acaba instalando-se e fazendo a festa.


6. Não mata a sede


Refri não mata a sede. Ele só dá a sensação devido à diferença de temperatura _ geralmente, a gente toma o refri bem gelado. A médio e curto prazos, ele vai acabar desidratando ainda mais o organismo por causa do açúcar, e o corpo vai precisar de mais água para manter o equilíbrio.


7. Falta de nutrientes



As 150 calorias da latinha equivalem a um copo de leite ou de frutas bem elaborado. A diferença aqui é que estas outras opções vão trazer nutrientes.


8. Cafeína

Se você toma o refri para ficar "ligado", prefira o café. Sem açúcar, de preferência.

9. Dependência


Não pare imediatamente de beber refri porque é mais difícil. Vá aos poucos: bebendo só em eventos sociais, por exemplo, até parar por completo. 

10. Metabolismo


Que tal, no lugar do refri, beber água aromatizada? Misture casca de frutas e água com gás. Acrescente termogênicos como canela e gengibre para dar uma acelerada no metabolismo, o que não acontece quando você toma o refri.


DIÁRIO GAÚCHO

Quinoa com Legumes Salteados

Foi a primeira vez que fiz e comi quinoa e fiquei completamente rendida. Alem do seu alto valor nutricional e de facil preparacao ( assemelha-se a preparacao do arroz) e muito versatil e saborosa. Os graos depois de cozidos apresentam-se em espirais pequeninas e ao mastigarmos sentimos minusculas bolinhas a rebentar na boca. E muito engracada essa sensacao.
Em Potugal julgo ser vendida somente em casas de dietetica, dai a minha dificuldade em encontra-la e nunca a ter feito. Aqui ha em abundancia, vendendo-se em qualquer supermercado.
Nesta minha primeira experiencia resolvi seguir a simplicidade de execucao, nao descorando o sabor. Partilho pois convosco e aconselho vivamente a experimentarem, caso tenham facilidade em encontrarem a venda.
O que preparar ( para 4 pessoas):

1,5 cup de quinoa e o dobro da quantidade em agua;
1 maca descascada e cortada em cubos;
sumo de 1/2 laranja;
2 colheres de sopa de oleo vegetal;
100g de feijao verde cortado em pedacos pequenos;
100g de cogumelos fatiados;
100g de tomate seco;
1 colher de sopa de molho de soja;
1 colher de cha de maple syrup ou, alternativamente, de mel.

Como preparar:

Levar a quinoa e a agua ao lume num tacho e, quando comecar a ferver, contar 15 minutos. Retirar do lume e escorrer se ainda houver agua no tacho.Reservar.

Levar ao lume o oleo numa wok e juntar o feijao verde. Deixar frigir cerca de 5 minutos. Juntar os cogumelos, o tomate seco e a maca. Deixar frigir mais 3 minutos. Regar com o sumo da laranja e deixar fervilhar uns segundos. Retirar do lume e juntar a quinoa envolvento bem.

A parte, numa pequena tacinha, misturar o molho de sopa e o maple syrup. Deitar sobre a quinoa e mexer cuidadosamente ate o molho incorporar. Pode ser servido de seguida ou ser guardado no frigorifico para a marmita ou uma refeicao a ser comida mais tarde.

http://oficinadaspapitas.blogs.sapo.pt/101482.html

Banana Cake

É com todo o prazer que torno ao meu espaço há algum tempo abandonado, para partilhar convosco mais uma receita, com sucesso garantido. É mais uma participação no simpático grupo Dorie às Sextas.

Hesitei bastante pois, tenho de admitir que doces de banana não são, de todo, os meus favoritos. Mas, li e reli tantos "Mmmmm", em cada participação que entrava que achei que não deveria julgar por antecipação.

E cá está, um bolo muito bom, de fácil execução e que aconselho vivamente.

Segui a receita quase na íntegra, excepto na junção de leite de coco que substitui por iogurte. No final, com o bolo ainda quente, reguei-o com uma calda de rum com laranja. Excelente, creiam-me.

O que preparar:

2 2/3 chávenas de farinha

1 1/4 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de noz-moscada, ralada no momento
170 gramas (12 colheres de sopa) de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 chávena de açúcar amarelo ou açúcar mascavado
3/4 chávena de açúcar branco
2 ovos grandes, de preferência à temperatura ambiente
1 1/2 colheres de chá de extracto de baunilha
2 colheres de sopa de rum ou de Malibu
1 1/2 - 1 3/4 chávenas de bananas muito maduras, esmagadas (cerca de 4 bananas)
1/2 chávena de leite de coco não açucarado (pode usar-se normal, light ou, alternativamente, leite gordo, buttermilk, nata ácida ou iogurte natural)
1 chávena de coco ralado, de preferência tostado (ou igual quantidade de frutos secos, variedade húmida, como passas, alperces, arandos, mirtilios cerejas, ou combinação de coco e frutos secos)



Para a Calda de Rum ( opcional):



2 cups de água

2/3 de cup de açúcar

1 laranja

2 colheres de sopa de rum.





Como preparar:




Centrar um tabuleiro o forno e pré-aquecê-lo a 175ºC. Untar com manteiga duas formas circulares de 23 cm (5 cm de altura), polvilhar com farinha e sacudir o excesso. Colocar as formas sobre uma base para biscoitos.
Misturar a farinha, o bicarbonato, o sal e a noz-moscada.
Com uma batedeira de pé, de preferência com a pá (paddle attachment), ou com a batedeira manual numa taça grande, bater a manteiga até ficar cremosa. Adicionar os açúcares e bater em velocidade média durante uns minutos, acrescentando em seguida os ovos um a um e batendo bem entre cada adição. Juntar em seguida o rum e o extracto de baunilha. A massa ficará sedosa. Diminuindo a velocidade, acrescentar as bananas, o que fará com que a massa talhe (o que não tem problema, já que irá ficar bem com os restantes ingredientes). Ainda em baixa velocidade, acrescentar os ingredientes secos e os líquidos alternadamente: a mistura da farinha em 3 vezes e o leite de coco em 2 vezes, começando-se e acabando com os ingredientes secos. Misturar apenas até estar tudo incorporado. Com uma espátula de borracha, envolver gentilmente o coco. Dividir a massa uniformemente pelas duas formas. Levar ao forno durante 45 minutos ou até os bolos estarem num tom castanho-dourado profundo. Deverão começar a despegar-se do lado das formas e uma faca inserida no centro deverá sair seca. Transferir os bolos para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer durante cinco minutos, desenformar e inverter para outro tabuleiro até ficar à temperatura ambiente, com o lado direito virado para cima.



Preparação da calda:



Levar ao lume, num tachinho, a água, o açúcar e a laranja descascada e cortada em rodelas. Quando começar a ferver, contar 8 minutos. Juntar o rum e contar mais 1 minuto.

Regar o bolo, ainda quente e previamente picado com um garfo com esta calda.



Sugestões



A Dorie sugere várias alternativas, seguem algumas: cobertura de natas frescas batidas com baunilha, rum ou Malibu e coco tostado OU creme de chocolate OU ganache OU embeber o bolo em xarope de rum OU polvilhar com açúcar em pó ou chocolate em pó, acompanhando com natas batidas ou gelado OU usar o bolo para fazer um sunday.



Tradução da Susana Figueiredo.



Mãos à obra.

http://oficinadaspapitas.blogs.sapo.pt/banana-cake-102359

Lentilhas Verdes com Salsichas/Frango e Molho de Tomate.

Sob uma chuva miúda, impertinente, mas que enchia a paisagem de uma inusitada e grave beleza, aveludando o verde das folhas e envernizando os troncos cinzentos dos bosques, aterrei na Escócia, deixando para trás o mundo que sempre foi o meu, arrastada pela saudade.

Saudade também deixei para trás, a saudade que durante alguns meses me sufocou sem roubar o ar, que me feriu sem fazer sangrar, que me esmagou sem me fazer doer.

E, ao longo dos primeiros meses, nenhuma força foi suficientemente poderosa para me descolar dos sentidos essa crosta sob a qual palpitava o que de inefável, de subtil, de apenas sugerido, se inoculou em mim como um veneno voluptuosamente activo.

Hoje, ultrapassado o "período experimental", começo a perceber a mensagem que uma amiga que também cá vive, me transmitiu aquando da minha vinda:

- O difícil é o primeiro ano. Depois, começamos a sentir esta terra como nossa e nunca mais queremos voltar”.

Começo a compreendê-la porque eu também me começo a deixar prender pelo irresistível sortilégio que se está a apoderar de mim e que se desprende destas verdejantes paisagens, destes lagos sem fim, deste povo tão organizado e que tão bem acolheu a mim e aos meus.

Começo a sentir-me em casa e com muita vontade de exclamar:

É bom viver na Escócia.

E depois desta minha já longa dissertação inicio assim a minha participação no projecto daSusana, uma menina que muito prezo, que tem dois fifis lindíssimos sendo que do mais novo, me sinto uma espécie de madrinha virtual pois assisti, praticamente, à sua gestação e nascimento. Beijinho ao Tiaguinho.

A essência do projecto é, em cada 15 dias, fazermos e publicarmos as receitas do Chef eleito nessa quinzena.

Para a estreia e durante quinze dias o eleito foi: Jamie Oliver.

O que preparar:

8 salsichas de tamanho médio, de boa qualidade, de preferência, salsichas italianas;

500g de brócolos ou espinafres ou nabiças;

Sumo de metade de um limão;

Azeite, sal e pimenta a gosto;

2 a 3 raminho de tomilho fresco.



Para o molho de tomate:

Azeite a gosto;

1 pequena cebola rouxa finamente picada;

3 dentes de alho finamente picados;

1 pequeno pau de canela.

1 a 2 dentes de malagueta seca, finamente picados;

1 colher de sopa de vinagre de vinho;

2 latas de 400g de tomate pelado;



Para as lentilhas:

400g de lentilhas verdes;

2 dentes de alho pelados;

1 folha de louro;

1 raminho de salsa picada;

1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto;

1 raminho de tomilho fresto. 



Como preparar:

Devemos começar por preparar o molho de tomate. Deitar um fio de azeite num tacho, juntar a cebola e alho, o pau de canela e a malagueta. Deixar fritar durante cerca de 10 minutos até a cebola estar mole e transparente. Aumentar a intensidade do lume e juntar o vinagre ( irá libertar-se bastante vapor ácido, mas é uma reacção normal). Quando o vapor se libertar, tornar a baixar a intensidade do lume e juntar o tomate pelado e cortado em pedaços pequenos. Deixar cozinha e apurar durante meia hora, lentamente e em lume muito baixo.

Entretanto, passemos às lentilhas e restantes intervenientes:

Ligar o forno a 200ºC.

Colocar as lentilhas dentro de um pote, cobri-las com água e juntar 2 dentes de alho, a folha de louro e alguns pés de salsa. Levar ao lume a ferver até aquelas estarem macias ( cerca de 20 minutos).

Colocar as salsichas num assador e levá-las ao forno pré aquecido durante cerca de 20 minutos para tostarem.

Colocar em água fervente os brócolos ou espinafres ou nabiças, deixar ferver poucos minutos e retirar do lume escorrendo a água. Colocar numa taça temperando com azeite e o sumo do meio limão. Reservar.

Uma vez as lentilhas cozinhadas, retirar a folha de louro, a salsa e escolher quase a totalidade da água de cozedura. Esmagar com as costas de uma colher os dentes de alho, deitar nas lentilhas e temperar com 4 colheres de sopa de azeite e 1 ou 2 colher de sopa de vinagre. Juntar a salsa picada e envolver tudo muito bem.

Empratar agora, por camadas:

Colocar as lentilhas no fundo do prato ou taça de servir, cobri-las com o molho de tomate e, colocar as salsichas no topo. A receita indica que as verduras sejam servidas como acompanhamento mas eu, inicialmente ,não entendi e juntei às lentilhas os espinafres que havia preparado e reservado. Gostei imenso e de uma próxima vez, fá-lo-ei da mesmo forma.

Finalmente, e como poderão constactar pela foto, substituí as salsichas por peitos de frango partidos em cubos e preparados da mesma forma. Acredito que as salsichas dêm um toque ainda mais especial a este prato mas, desde a data em que assisti a um programa conduzido precisamente por Jamie Oliver onde era explicado, passo a passo, a forma e os ingredientes constantes no enchimentos das salsichas, nunca mais consegui comer. 



A receita é de Jaime Oliver, publicada no seu livro “Jamie’s Italy” e por isso, inspirada na cozinha italiana. É uma refeição magnífica.



Se gostaram, mãos à obra.

http://oficinadaspapitas.blogs.sapo.pt/lentilhas-verdes-com-salsichasfrango-e-102481

Tarte em Camadas de Gelado e Chocolate


Parece que agora o meu blog anda movido a desafios. Tentarei daqui para a frente ser mais assídua nas publicações pois tenhos algumas coisas simpáticas para partilhar convosco.
Porém, como já é novamente sexta feira, e passados que foram quinze dias do último desafio do grupo Dorie às Sextas em que, apesar de ter feito a receita sugerida, não a publiquei aqui, venho partilhar um doce maravilhoso e que arrancou rasgados elogios cá por casa. Foi pensado para bolo de aniversário do meu filho, e por ser diferente dos bolos comuns de aniversário, pois não é bolo, surpreendeu pela positiva os convivas.
Parece muito complicado para quem lê a receita transversalmente dando vontade de po-la de lado; eu sei e foi isso que me aconteceu, também.
Mas dediquem-se a ler atentamente e verão que é muito,muito fácil. O único senão é o tempo de espera enquanto gela cada camada mas não é preciso ficarmos sentadas à espera. Simplesmente, de vez em quando, vamos "entornar" uma camada e voltar a colocar no congelador. Façam, pois garanto-vos que não se arrependerão.

A receita original e traduzida pela Susana foi copiada na íntegra. Naõ fiz alterações, excepto em não ter misturado as framboesas na totalidade do gelado, ie, usei metade da quantidade de framboesas recomendadas em metade do gelado de baunilha. A outra metade do gelado usei-o simples, somente com sabor a baunilha. Daí aparecer na foto uma camada de gelado cor de framboesa e a outra camada creme, cor de gelado de baunilha. Isto para além das camadas de chocolate, claro.
Por precaução, forrei o fundo amovível da forma com película aderente, para desenformar mais facilmente.

O que preparar:

200 g. de manteiga sem sal, cortada em pedaços
255 g. de chocolate amargo, cortado grosseiramente
1/2 chávena de açúcar
8 ovos grandes
285 gramas de framboesas congeladas em xarope, descongeladas - usei metade que misturei em metade da quantidade de gelado.
1 colher de sopa de licor de framboesa (opcional)- não usei
1 litro de gelado de baunilha
560 gramas de framboesas frescas, para decorar (opcional)




Como preparar:

Untar com óleo (ou óleo em spray) uma forma redonda, de mola, com entre 20 e 22 cm de diâmetro. Em banho-maria (em cima de um tacho com água a fervinhar), numa tigela resistente ao calor, derreter lentamente o chocolate e a manteiga, mexendo ocasionalmente. Ter cuidado para não aquecer demasiado a mistura, de modo a que o chocolate e a manteiga não se separem. Transferir a taça para o balcão, misturar o açúcar e deixar arrefecer durante cinco minutos. Incorporar os ovos na mistura de chocolate, um de cada vez, mexendo bem entre cada adição. Bater com a tigela no balcão de modo a tirar as bolhas da ganache e deitar 1/3 da mistura na forma. Congelar durante 30 minutos. Cobrir a restante ganache com película e manter no balcão.

Quando a primeira camada de ganache estiver sólida, começar a fazer o gelado. Triturar as framboesas até ficarem em puré (num processador de alimentos), juntar o licor (se for o caso) e pulsar até estar incorporado. Adicionar aos poucos o gelado, pulsando até incorporar o puré mas evitando fazê-lo durante demasiado tempo para não derreter o gelado. Deitar metade do gelado sobre a ganache, levando a forma novamente ao congelador durante pelo menos quinze minutos. Colocar o restante gelado numa tigela, cobrir com película e levar ao congelador. Não lavar já o processador, poderá ser necessário para amolecer o gelado, um pouco mais à frente.

Quando a camada de gelado tiver solidificado, cobrir com metade da restante ganache, levando a forma ao congelador por mais 30 minutos. Para a próxima camada de gelado, poderá ser necessário batê-lo com uma colher de pau ou, caso esteja muito sólido, levá-lo ao processador de alimentos, pulsando durante uns segundos. Deitar a camada seguinte de gelado sobre a ganache, levando ao congelador durante pelo menos quinze minutos. Terminar com a restante ganache sobre o gelado. Abanar a forma e alisar, se necessário. cobrir com a película, tendo o cuidado de não a deixar tocar no chocolate, levando ao congelador durante pelo menos seis horas.

Cerca de 30 minutos - ou até três horas - antes de servir, desenformar o bolo (aquecer os lados da forma com um secador de cabelo ou embrulhar a forma num pano de cozinha, molhado com água quente durante 10 segundos). Após desenformar, levar ao congelador durante mais 30 minutos para solidificar os lados. Imediatamente antes de servir, decorar o topo do bolo com as framboesas (opcional). Aquecer rapidamente o topo do chocolate com o secador de modo a que as framboesas adiram ao serem colocadas ou passar com uma faca aquecida em água quente na superfície do bolo. Servir.


Algumas sugestões alternativas: servir com natas batidas, molho de chocolate ou coulis de framboesa. Usar outros sabores de gelado, por exemplo, baunilha, baunilha com pepitas de chocolate, baunilha com fudge, café, morango (decorando com morangos frescos)... ou qualquer outra combinação que gostem!!!

Mãos à obra

http://oficinadaspapitas.blogs.sapo.pt/tarte-em-camadas-de-gelado-e-chocolate-102873

Ovos Mexidos




Foi, é, e será sempre a refeição do “desenrasca” . Desculpem-me a grosseira expressão, mas não há outra que mais se adeque aos clássicos ovinhos mexidos. Não conheço ninguém que não saiba, pelo menos, mexer uns ovos para uma refeição sem tempo, para um pequeno almoço reforçado, para por no pão para levar para a escola ou trabalho.

Porém, fazer uns bons ovos mexidos, fofinhos, húmidos e saborosos tem os seus pequenos truques. O Chef Henrique Sá Pessoa sempre na sua imensa simplicidade sempre com o seu toque pessoal, ensina-nos a fazer uns ovos mexidos dignos de mesa de rei. Esses ensinamentos reproduzo-os de seguida.

E é com esta simples mas tão saborosa refeição que participo, esta quinzena ,no “Quinze Dias Com…”. O Chef a mentorear este período é, como já devem ter percebido, Hennrique Sá Pessoa.
O que preparar:
2ovos por pessoa;
1 colher de chá de manteiga;
1 colher de chá de azeite;
1 colher de chá de natas;
sal e pimenta a gosto.

Como preparar:
Colocar numa pequena frigideira metade da quantidade de manteiga e a colher de chá de azeite. Numa tacinha, bater ligeiramente os ovos com um garfo ( basta misturar, sem bater muito). Levar a frigideira ao lume e, sem deixar aquecer muito, pois vamos cozinhar ovos mexidos e não uma omelete, deitar os ovos. Ir mexendo sempre em lume brando até solidificarem mas sem ficarem demasiado secos. Deitar por fim a restante manteiga e a colher de natas ( opcional). Mexer e, somente nessa altura, temperar com sal e um pouco de pimenta.
Eis que temos uns ovos mexidos fofos e deliciosos.
Portanto, principais conselhos a lembrar: Não deixar aquecer a frigideira nem as gorduras ( manteiga e azeite) antes de juntarmos os ovos; Ir mexendo sempre enquanto cozinham; Juntar o sal somente depois dos ovos cozinhados pois, se adicionamos antes, estes desidratam e ficam muito secos.
Mãos à obra.

http://oficinadaspapitas.blogs.sapo.pt/ovos-mexidos-103832

BOLO de Amêndoa e Limão

BOLO de Amêndoa e Limão
(receita adaptado do Grand Livre de Pâtisserie Facile, pág.
Ingredientes:
- 3 ovos
- 225 gramas de açúcar
- 200 gramas de farinha
- 60 gramas de amêndoa moída
- raspa de 2 limões
- 60 ml de sumo de limão
- 150 gramas de manteiga s/sal temperatura ambiente
- 250 gramas de ricotta (bater antes de usar)
- 1/2 tsp de bicarbonato de sódio
- 1 tsp de fermento em pó
- 1/4 tsp de sal
- 1 tsp de essência de amêndoa
- Amêndoas fileteadas tostadas

Para a glace de amêndoa:
- 5 colheres de sopa de açúcar em pó
- 2 gotas de essência de amêndoa
- 1 colher de sopa de leite ( mais se for necessário)
Colocar a essência de amêndoa, o açúcar e o leite e mexer bem. Se ficar muito espessa, juntar um pouquinho mais de leite, mas não em demasia para não ficar muito liquída. Reservar.

Execução:

Pré aquecer o forno a 180ºC.

Numa taça colocar a farinha, a amêndoa moída, o sal, o bicarbonato e o fermento. Reservar.

Colocar o açúcar numa taça e a raspa de limão. Com as pontas dos dedos, ir esfregando o açucar de maneira a que fique empregnado com a raspa de limão. Juntar a manteiga e bater com a batedeira, a velocidade média, durante 3 minutos, ou até obter uma mistura esponjosa.

Juntar os ovos um a um, batendo a uma velocidade média, entre cada adição. Juntar a essência de amêndoa e o sumo de limão envolvendo. Juntar um terço da mistura de farinha e bater a uma velocidade média até estar bem incorporada. Juntar metade do ricotta, baixando a velocidade, e envolvendo bem. Repetir esta operação com a restante farinha e o ricotta, devendo terminar com a farinha.

Deitar a massa na forma de bundt, devidamente untada e enfarinha, e levar ao forno, aproximadamente 40 minutos, ou até estar douradinho.

Retirar do forno e deixar arrefecer.

Depois de frio decorar com a glace de amêndoa e as amêndoas tostadas.




O cheirinho que se espalhou pela casa, foi algo de muito relaxante. De um lado o aroma da amêndoa e do limão e por outro uma mistura de especiarias.

Não, ainda não fiquei maluca de vez, mas nos dias de folga, aparte da minha pessoa que não tem descanso, o forno também não está apagado.

Ou seja, que havia aromas que prometem e que mais tarde aqui chegarão!

Este é apenas o primeiro! Queria simplicidade, queria sabor e queria textura.
O meu maior problema é quando imagino. O meu maior dilema, é quando dou voltas e voltas, e complico o fácil. Daí que, hoje não quis complicar nada. Deixei-me levar e o resultado é aquele que eu imaginei.

http://asaventurasdeumamama.blogspot.com.br/

Pudim de Caramelo

Pudim de Caramelo (Caramel Pots de Crème)
(receita do livro Baking, de Dorie Greenspan, pág. 388)
Tradução: Susana Figueiredo


Ingredientes:
- 500 ml de natas MG>35%

- 250 ml leite gordo
- 150 gramas de açúcar
- 2 ovos grandes
- 5 gemas de ovos grandes

Execução:

Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-lo a 150º. Forrar um tabuleiro grande e alto com duas camadas de papel de cozinha. Colocar 8 taças de 120 ml no tabuleiro e ferver água numa chaleira.

Misturar as natas com o leite a aquecer no micro-ondas ou num tacho em lume médio. Reservar.

Medir 50 gramas de açúcar e reservar. 
Levar a lume médio-alto um tacho de tamanho médio e deitar duas colheres de sopa do restante açúcar. Quando começar a caramelizar, mexer e juntar mais duas colheres de açúcar, continuando a mexer até ficar escuro. 


Repetir o processo com o restante açúcar, juntando sempre 2 colheres de sopa de cada vez. Quando estiver escuro, da cor do mogno, juntar a mistura das natas com o leite. Cuidado, irá borbulhar e salpicar, mas é normal. Continuar a mexer até ficar suave. Retirar do lume.


Juntar numa taça os ovos, as gemas e o açúcar e bater com uma vara até ficar pálido e engrossar ligeiramente. Sem parar de bater, juntar um pouco do caramelo para aquecer os ovos de modo a não talharem. Continuar a bater e deitar lentamente o resto do caramelo. Retirar a espuma que se forma no cimo o creme e deitá-lo nas taças.
Encher o tabuleiro com água quente até subir a metade das taças. Cobrir o tabuleiro com película aderente, fazer dois furos nas extremidades da película e levar cuidadosamente ao forno.


Cozinhar entre 35 e 40 minutos, até escurecerem ligeiramente e abanarem apenas no centro. Retirar do forno e deixar arrefecer ainda na água durante 10 minutos. Retirar a película, tirar as taças da água e deixar arrefecer completamente.

Vou continuar a não perceber a diferença entre fazer um caramelo da maneira tradicional e, desta, em que vamos adicionando açúcar ao processo de caramelização. Ao fazer metade da receita, é mais complicado dar conta da diferença pela quantidade de açúcar que se usa, mas ainda assim tentei.


Eu e o caramelo só somos melhores amigos, depois de este estar feito! Enquanto o faço tenho muito respeito ao dito, visto já ter tido alguns altercatos com o mesmo. Mas ainda assim, faço e não lhe tenho medo! (risos) Porque afinal de contas, sou uma gulosa incorregível!

http://asaventurasdeumamama.blogspot.com.br/

Bolo de Maçã e Côco

Bolo de Maçã e Côco 
(Apple Coconut Family Cake do livro Baking de Dorie Greenspan)
Tradução da receita: Susana Figueiredo
Ingredientes:
- 130 gramas de farinha de trigo
- 2 colheres de chá de fermento
- 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
- 1/4 colher de chá de canela
- 1/4 colher de chá de sal
- 3 maçãs descascadas e descaroçadas
- 2 ovos grandes à temperatura ambiente
- 100 gramas + 2 colheres de sopa de açúcar
- 125 gramas de iogurte grego
- 6 colheres de sopa de um óleo sem sabor (canola ou cártamo, por exemplo)
- 2 colheres de chá de extrato de baunilha
- 50 gramas de coco ralado
- 1/2 chávena de geleia de maçã (usei geleia de marmelo)

Execução:
Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar uma forma de mola com 23 cm de diâmetro (usei um tabuleiro de 20x30 aprox.) e polvilhá-la com as 2 colheres de sopa de farinha. Reservar.

Misturar bem a farinha, o fermento, o bicarbonato, a canela e o sal. Cortar duas maçãs em cubos pequenos e uma em fatias finas. Rservar, cobrindo com película aderente.

Numa taça grande, bater os ovos com o açúcar durante um minuto. Juntar o iogurte, o óleo e a baunilha ebater durante mais um minuto. Envolver a mistura de farinha com uma espátula. Juntar a maçã em cubos e o coco, envolvendo bem, e deitar a massa na forma, alisando-a bem. 

Decorar com as fatias de maçã e polvilhar com o açúcar. Levar ao forno durante 45-50 minutos ou até o topo estar caramelizado e uma faca inserida no centro sair seca. 
Retirar o forno e deixar arrefecer durante 20 minutos na forma. Entretanto, preparar a cobertura, aquecendo a geleia com um pouco de água até ficar líquida. 

Desenformar o bolo para um prato de servir e cobri-lo com a geleia.



Sou uma fanática do côco. É daquelas coisas que me fazem viajar no tempo e me trazem memórias de outras gulodices. Quando vi a receita na diagonal, tinha dito que não me podia escapar.

Os domingos constam no meu calendário como dia de trabalho e como tal, os meus domingos, são as quintas feiras. Pela rapidez, pela simplicidade e pelo resultado final, é um bolo que vale a pena fazer. 
http://asaventurasdeumamama.blogspot.com.br/search?updated-max=2015-05-03T10:00:00%2B02:00&max-results=2

Tarte de Chocolate e Caramelo

Tarte de Chocolate e Caramelo
(receita retirada da SAVEUR)
Ingredientes:

Para a massa:
- 130 gramas de farinha
- 60 gramas de amêndoa moída
- 40 gramas de cacau em pó s/açúcar
- 140 gramas de manteiga sem sal amolecida
- 60 gramas de açúcar em pó + 2 colheres de sopa
- 2 gemas
- 1/2 colher de chá de extracto de baunilha

Para o caramelo:
- 300 gramas de açúcar
- 3 colheres de sopa de glucosa (na receita original xarope de milho)*
- 6 colheres de sopa de água
- 1/4 de colher de chá de sal
- 6 colheres de sopa de nata MG> 30%
- 1 colher de sopa de crème frâiche espessa
- 85 gramas de manteiga sem sal temperatura ambiente

*(na falta de xarope de milho, traduzindo da receita, coloquei a glucosa. Não conhecendo o produto em si sugerido na receita, optei por usar a glucosa porque tinha em casa e porque sei que normalmente é usado para receitas de caramelo, para desta maneira impedir que cristalize, dando também uma textura muito mais compacta).

Para a ganache de chocolate:
- 125 ml de natas MG>30%
- 115 gramas de chocolate de 70%
- Flor de sal para servir

Execução:

Para a massa
Misturar a farinha, o cacau e o sal numa taça e reservar. Bater a manteiga com o açúcar até obter uma mistura pálida e esponjosa. Juntar o extracto de baunilha e as gemas de ovo. Adicionar a mistura seca. E mexer até incorporar bem.

Colocar esta massa directamente sobre uma forma com fundo amovível, rectangular no meu caso, ou redonda de 23 cm, polvilhada com farinha. Espalhar a massa com a ajuda de uma colher, tapando bem os cantos. Refrigerar durante 30 minutos.

Picar com um garfo a tarte e levar ao forno durante 20 minutos ou até que a massa esteja cozida.


Para o Caramelo:
Num tacho colocar o açúcar, a água, a glucosa, e o sal. Levar ao lume e deixar que comece a ferver. Mexer o tacho ocasionalmente e quando atingir 170ºC (naquela altura que tem uma cor dourada escura e começa a deitar fumo), retirar do lume e adicionar as natas, a crème fraiche e a manteiga.

É normal que salpique um pouco devido às diferenças de temperaturas. Mexer bem e incorporar estes ultimos elementos no caramelo. Colocar o caramelo dentro da forma de tarte e deixar repousar 4-5 horas.( Eu deixei repousar 1 hora no frigorífico arrefecendo ligeiramente o caramelo antes).


Para a ganache:
Picar o chocolate finamente e colocar numa taça. Ferver as natas e juntar ao chocolate. Deixar repousar durante um minuto e mexer em seguida com a ajuda de uma espátula de modo a obter uma textura homogénea e lisa.


Colocar a ganache sobre o caramelo e alisar a superfície com uma espátula. Deixar no frigorífico durante 4-5 horas. Servir frio e salpicado com flor de sal.
Desde que vi uma foto parecida com esta, que a minha alma inquieta não parou sossegada. E precisava só de um motivo... Ou a desculpa para isso! Ou precisava simplesmente de tempo e disposição, porque quando quero faço e já está. Seja pelo lado guloso, seja pelo lado mais didático, ou seja aprender alguma coisa nova. 

O chocolate nunca me decepciona. Mas se o misturamos com caramelo...

http://asaventurasdeumamama.blogspot.com.br/search?updated-max=2015-05-03T10:00:00%2B02:00&max-results=2