1

1

Google+ Followers

quinta-feira, 16 de abril de 2015

19-04 --DIA DO ÍNDIO - 50 ATIVIDADES E DESENHOS PARA COLORIR

Atividades e desenhos - Dia do Índio - 19 de abril
EDUCAÇÃO S/A

ÍNDIOS AMERICANOS.

Muito antes de Cristovão Colombo descobrir a América o continente americano era habitado pelos índios. Para você ter uma ideia os historiadores relatam que no Séc. XV existiam no mínimo oito milhões de pessoas distribuídas em diferentes tribos indígenasna América.

Atualmente esse caiu significativamente por vários: doenças trazidas pelos europeus desde a colonização, matança indiscriminada para a conquista de terras, trabalho escravo, entre outros. 

Ao longo da história, todos os países da América provocaram de alguma forma a extinção de muitas tribos indígenas, mas nada foi tão marcante quanto as guerra travada contra os índios nos Estados Unidos. Neste país a perseguição foi acirrada durante anos e a violência até mesmo com mulheres e crianças foi extrema.

Riqueza Cultural

Cada tribo tem grande diversidade e riqueza cultural e é interessante conhecer as principais.

Os Mapuches se concentravam no Chile e Argentina. Falam língua Mapudungun, que em português significa “som da terra”. Assim a terra dá sentido à vida dessa tribo, isso não implica apenas o aspecto material, mas também espiritual.

Os Maias representam o grupo de povos indígenas que habitou o México e grande parte da Guatemala. Alcançaram um sofisticado grau de desenvolvimento social e econômico.

Os Incas representavam uma pequena tribo situada no Peru. A agricultura era seu ponto forte. Essas duas culturas foram destruídas após a invasão espanhola, mas muitos historiadores se interessam em estudá-las principalmente por representarem duas das culturas mais desenvolvidas entre os povos indígenas.

Para conhecer mais sobre os Maias e os Incas visite nosso especialsobre o tema.

Outro grupo indígena que habitou a região do México foram os Astecas. Eles tinham como característica o fato de possuírem um sistema primitivo de escrita em que se exprimiam ideias por meio de cenas figuradas ou simbólicas, sistema este chamado de pictográfico.

Aqui no Brasil os Guaranis representam um dos grupos indígenas mais antigos. Não possuíam linguagem escrita e sua história estava vinculada transmissão do conhecimento através da tradição oral, portanto mais difícil de ser estudada.

Pesquise mais sobre os índios brasileiros em nosso site.

Nos Estados Unidos, entre os vários grupos existentes antes da colonização, destacam-se osApaches que na realidade é o nome dado a diversas tribos nativas daquele país e que são culturalmente relacionadas entre si. Um aspecto interessante dos apaches é que por serem grandes guerreiros e precisassem se locomover com frequência, suas tendas eram feitas de lã e gravetos, para montar e desmontar de forma rápida, portanto podiam sumir rapidamente e sem deixar vestígios.

Curiosidade

A ONU – Organização das Nações Unidas instituiu o dia 09 de agosto com Dia Internacional do Índio, data importante para provocar reflexões a respeito das condições atuais de vida desses povos.

Decorrente das várias discussões a este respeito, a mesma organização elaborou 


http://www.un.org/esa/socdev/unpfii/documents/DRIPS_pt.pdf

ÍNDIOS BRASILEIROS

Imaginem como deve ter sido o encontro entre portugueses e indígenas na ocasião do descobrimento do Brasil!

Duas culturas completamente diferentes, sem nem mesmo ter palavras semelhantes, que servissem de referência para a comunicação, mas que precisavam que conviver no mesmo espaço... 

Deve ter sido realmente uma aventura!
Os estudos históricos a respeito da população indígena na época do descobrimento concluem que haviam uma população aproximada de cinco milhões de índios no território brasileiro e agrupados de acordo com a língua pela qual se comunicavam: tupis-guaranis habitavam o litoral, macro-jê ou tapuias na região do planalto central e os aruaques e caraíbas na região amazônica.
A divisão da língua indígena
Entre os índios há grande diversidade linguística e os especialistas neste assunto, os linguistas, expressam essas semelhanças e diferenças através do agrupamento em troncos e famílias linguísticas. Isso quer dizer que há línguas cuja origem comum está situada há milhares de anos. Entre línguas de uma mesma família, as semelhanças são maiores, resultado de separações ocorridas há menos tempo.
Com relação aos índios brasileiros, os historiadores apontam dois grandes troncos: o Tupi eMacro-Jê, com 19 famílias linguísticas que não apresentam semelhança necessária para ser agrupadas nos troncos.
Um grande número de palavras da língua portuguesa tem origem no tupi-guarani. Veja alguns exemplos: arara, capim, catapora, cipó, cuia, cumbuca, cupim, jabuti, jacaré, jiboia, mandioca, mingau, minhoca, paçoca, peteca, pindaíba, pipoca, tamanduá, taquara, toca, traíra... E muitas outras!
Cultura indígena
Os índios vivem de forma muito organizada e harmônica. Cada tribo tem um cacique, que é o chefe e um pajé, que é uma espécie de médico para eles. Os pajés conhecem tudo sobre males do corpo e do espírito e também quais as plantas e ervas que podem ser utilizadas em cada caso. 
A aldeia onde vivem é chamada de taba e nela existem dois tipos de casas: as simples, onde vivem apenas uma família e são chamadas de ocas e as casas coletivas, que são chamadas de malocas.
As casas são construídas com uma mistura de barro e sua estrutura é sustentada por pedaços de madeira. Para fazer os telhados, os índios utilizam palha trançada ou grandes folhas de árvores.
Esta forma de construção é barata e segura para algumas regiões sem muitas variações climáticas, por isso é utilizada em alguns locais do Brasil, principalmente no Nordeste e na Amazônia. São as casas de pau-a-pique.
Apesar de não ser comum na atualidade, algumas tribos brasileiras praticavam o canibalismo, ou seja, se alimentavam de carne humana. A tribo dos tupinambás, que habitavam o litoral da região sudeste do Brasil, tinham essa prática. Eles acreditavam que ao comerem carne humana do inimigo estariam incorporando sua sabedoria, valentia e conhecimentos. Essa prática era acompanhada de rituais simbólicos.
Alimentação saudável
Os índios retiram da mata tudo o que precisam para sua alimentação, além de plantar também o que necessitam. Os principais alimentos consumidos entre os povos indígenas são: mandioca, batata- doce, cará, milho, pimenta, cana-de-açúcar, algodão e banana. Além disso, criam animais, como galinhas e porcos e pescam com frequência, aliás, peixe assado na folha de bananeira é um alimento típico indígena que o homem branco aprovou! Hummm! Que delícia!
Como os índios sempre dependeram da natureza para seu sustento, desde muito cedo aprendem a cuidar e valorizar o meio ambiente. Respeitam as áreas de plantio e a fase de reprodução dos peixes que serão utilizados como alimento. Com certeza respeitam e valorizam o meio ambiente muito mais do que nós!
Brincadeiras interessantes
As crianças indígenas brincam muito e através das brincadeiras aprendem várias funções que terão que desempenhar quando adultos: caçar, pescar, plantar, fazer panelas de barro, trançar cestos e várias outras coisas.
Os pais costumam fabricar miniaturas de objetos do uso cotidiano para que, além de brincar, elas também sejam educados para a vida adulta.
Também fazem jogos e brincadeiras em grupos, conheça algumas delas:
Mojarutap Myrytsiowit
Este é um jogo parecido com a “Cama de Gato”: o jogador forma figuras com um cordão trançado nas duas mãos. Os índios usam um cordão de tucum (tipo de palmeira) e criam diversas figuras, como morcegos e peixes. Já foram registradas aproximadamente dez figuras diferentes durante o jogo. Este é uma brincadeira que mostra a criatividade e excepcional habilidade manual dos índios.
Adugo
É um jogo de tabuleiro bem fácil de fazer, veja só: é jogado no chão, com o tabuleiro traçado na areia e usando-se pedras como peças: uma peça representa a onça e 14 outras (iguais entre si) representam os cachorros. Dois jogadores jogam e um deles atua como onça, com o objetivo de capturar as peças do adversário. A captura é feita como no jogo de Damas. O jogador que atua com os cachorros tem o objetivo de encurralar a onça e deixá-la sem possibilidade de movimentação.

Curiosidades:


Os bandeirantes se comunicavam em tupi. É por isso que tantos estados, municípios e rios têm nomes de origem indígena. Veja alguns exemplos: Paraná é "mar"; Pará é "rio"; Piauí é "rio de piaus", um tipo de peixe; Sergipe é "no rio do siri"; Paraíba é "rio ruim"; Tocantins é "bico de tucano"; Curitiba é "muito pinhão"; Pernambuco é "mar com fendas".
(fonte: Guia dos Curiosos)
http://www.smartkids.com.br/especiais/indios-brasileiros.html

19/04 - DIA DO ÍNDIO

Todo dia é dia de índio?

Sim, pois não adianta somente 
lembrar dos índios apenas um dia. 
Eles fazem parte de nossa história e têm muito a nos ensinar.
Mas, justamente por serem 
importantes, foi reservada uma data
no calendário anual para comemorar 
o Dia do Índio, que é 19 de abril.

Quer saber porque esse dia? Bem, é que nessa data, no ano de 1940, foi realizado o I Congresso Indígena da América Latina, no México, com objetivo 
de divulgar a cultura indígena em toda a América e também para que os governos criassem normas em relação à qualidade de vida dos povos indígenas, que ainda sofriam com a discriminação do homem branco.



Onde estão os índios brasileiros?
Vivem em áreas espalhadas por todos os Estados, mas a maior parte das terras e da população indígena está mesmo é na Amazônia.

Como vivem os índios?

Quando observamos uma aldeia indígena na televisão ou em revistas podemos perceber que o modo de vida dos índios é bem diferente do nosso, não é mesmo? Pois realmente é, mas com aspectos interessantes que valem a pena conhecer!

Os índios vivem de forma muito organizada e harmônica. Cada tribo tem um cacique, que é o chefe e um pajé, que é uma espécie de médico para eles. Os pajés conhecem tudo sobre males do corpo e do espírito e também quais as plantas e ervas que podem ser utilizadas em cada caso.

A aldeia onde vivem é chamada de taba e nela existem dois tipos de casas: as simples, onde vivem apenas uma família e são chamadas de ocas e as casas coletivas, que são chamadas de malocas.

As casas são construídas com uma mistura de barro e sua estrutura é sustentada por pedaços de madeira. Para fazer os telhados, os índios utilizam palha trançada ou grandes folhas de árvores.

Esta forma de construção é barata e segura para algumas regiões sem muitas variações climáticas, por isso é utilizada em alguns locais do Brasil, principalmente no Nordeste e na Amazônia. São as casas de pau-a-pique.

Armas

Os índios sempre foram valentes! Eles utilizam vários tipos de armas, confeccionadas pelos homens da tribo e que não tem apenas a finalidade de guerrear, mas também são utilizadas para a caça. As armas indígenas são bem diferentes das que conhecemos, pois não utilizam metais e sim materiais disponíveis na natureza, como madeira, ossos e principalmente pedras. Vamos conhecer algumas armas indígenas?

ARCO E FLECHA É a principal arma dos indíos. Devido à sua cultura, as atividade de caça são constantes entre os homens que, desde a infância, treinam com os arcos e adquirem grande habilidade em seu manejo. Os arcos são de madeira e o alcance da flecha pode atingir 30 metros.

BORDUNA Esta é uma arma importante para a guerra e só é usada nessas ocasiões, sendo muito diferente do arco e flecha que tem utilização diária. A borduna é uma arma muito simples: um pau pesado em uma extremidade, que causava danos pelo impacto direto.

LANÇA A lança é uma arma menos utilizada e tem também a função específica na caça e pesca. Existem lanças de uso a pé ou a cavalo.

Utensílios domésticos
Existem algumas coisas que utilizamos em nosso cotidiano que nem damos mais muita importância, não é mesmo? Um colar, um pente ou mesmo uma vasilha para colocar o arroz. Quem se lembra desses utensílios com frequência e guarda como se fossem os únicos?

Pois os índios confeccionam todos esses objetos e dão muito valor a eles. Os índios acreditam que não são eles que produzem esses utensílios, mas uma força superior, que "comanda" as mãos deles durante a confecção. Assim eles dão muito valor a tudo que fazem, principalmente o que é usado nos rituais.

Veja quantos utensílios diferentes os índios produzem:

Cerâmicas feitas pelas mulheres, que usam barro adequado, muitas vezes misturam argila, grânulos diversos ou cacos velhos bem triturados. São utilizados para buscar, guardar e servir água, para preparar e servir bebidas fermentadas de milho e mandioca, para armazenar produtos e cozinhar os alimentos.

Ferramentas como machados, feitos em pedras que servem para a derrubada do mato.

Adornos* feitos com dentes, penas e unhas de animais ou com rodelas de casca de caramujos.

Como é a língua indígena?
Você acha que os índios falam outra língua? 
Não é bem assim!!! Os povos que habitavam o litoral do Brasil usavam principalmente a língua Tupi e muitas palavras da língua portuguesa tem origem no tupi-guarani. 

Quer conhcer algumas? Veja só: arara, capim, catapora, cipó, cuia, cumbuca, cupim, jabuti, jacaré, jibóia, jururu, mandioca, mingau, minhoca, paçoca, peteca, pindaíba, pipoca, preá, sarará, tamanduá, tapera, taquara, toca, traíra, xará... 

Muitas, não? E pode ter certeza que há muito mais!
http://www.smartkids.com.br/especiais/dia-do-indio.html

Por que o dia 19 de abril é o Dia do Índio?

Dia do Índio

Em 1940, o 1º Congresso Indigenista Interamericano, reunido em Patzcuaro, México, aprovou uma recomendação proposta por delegados indígenas do Panamá, Chile, Estados Unidos e México.

Essa recomendação, de nº 59, propunha:

1. o estabelecimento do Dia do Índio pelos governos dos países americanos, que seria dedicado ao estudo do problema do índio atual pelas diversas instituições de ensino;

2. que seria adotado o dia 19 de abril para comemorar o Dia do Índio, data em que os delegados indígenas se reuniram pela primeira vez em assembléia no Congresso Indigenista. Todos os países da América foram convidados a participar dessa celebração.

Pelo Decreto-lei nº 5.540, de 02 de junho de 1943, o Brasil adotou essa recomendação do Congresso Indigenista Interamericano. Assinado pelo Presidente Getúlio Vargas e pelos Ministros Apolônio Sales e Oswaldo Aranha, e o seguinte o texto do Decreto:

O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, e tendo em vista que o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, reunido no México, em 1940, propôs aos países da América a adoçãqo da data de 19 de abril para o "Dia do Índio", decreta:

Art. 1º - considerado - "Dia do Índio" - a data de 19 de abril.

Art. 2º- Revogam-se as disposições em contrário.

A recomendação de institucionalização do "Dia do Índio" tinha por objetivo geral, entre outros, outorgar aos governos americanos normas necessárias à orientação de suas políticas indigenistas. Já, em 1944, o Brasil celebrou a data, com solenidades, atividades educacionais e divulgação das culturas indígenas. Desde, então, existe a comemoração do "Dia do Índio", às vezes, estendida por uma semana, a "Semana do Índio".

EDUCAÇÃO  S/A

18/04 -- DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL - ATIVIDADES E DESENHOS III












EDUCAÇÃO S/A

18/04 -- DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL - ATIVIDADES E DESENHOS II

Atividades Dia Nacional do Livro Infantil – 18 de abril










EDUCAÇÃO S/A

18/04 -- DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL - ATIVIDADES E DESENHOS.

Atividades Dia Nacional do Livro Infantil – 18 de abril










EDUCAÇÃO S/A

ATIVIDADES ALFABETIZAÇÃO COM A LETRA A










EDUCAÇÃO S/A