1

1

Google+ Followers

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Peugeot 2008 é oficialmente lançado no Brasil


O segmento de utilitários esportivos, que já contava com a presença de rivais fortes como Ford EcoSport (que dominou 46% do mercado de utilitários compactos em 2014), Renault Duster (42%) e Chevrolet Tracker (12%), engrossa com a chegada do Honda HR-V, do Jeep Renegade e, agora, do Peugeot 2008, definido como um crossover, reunindo características do hatch 208 (como o estilo moderno e o atraente pacote de equipamentos) com os atributos das minivans (aproveitamento do espaço interno) e dos SUVs (robustez e capacidade off-road).



Produzido em Porto Real (RJ) e também fabricado na França (Mulhouse) e China (Wuhan), o 2008 foi apresentado mundialmente em 2013, e apareceu pela no Brasil durante o Salão de São Paulo em outubro do ano passado. O modelo começa a chegar às concessionárias durante o mês de abril em três versões: Allure, Griffe e Griffe THP. Seu estilo é marcado pela grade "entalhada", pelos faróis com lente semielípticas e luzes diurnas em LED, além das rodas aro 16'' (com pneus 205/60), das lanternas que invadem a tampa do porta-malas e, especialmente, da elevação do teto na parte traseira. A suspensão foi levantada em 1 centímetro em relação ao 2008 europeu, e o ângulo de entrada cresceu para 22,2 graus.



Assim como no Peugeot 208, o 2008 conta com o "i-Cockpit", o quadro de instrumentos na parte superior do painel, na linha de visão, acima do volante de dimensões reduzidas regulável em altura e profundidade. O banco do motorista é ajustável em altura, e a direção, elétrica progressiva. Desde a versão de entrada vem de série a central multimídia, com tela colorida sensível ao toque de 7 polegadas, GPS com mapas em perspectiva 3D e pontos de interesse, Rádio, entradas USB e auxiliar, visualizador de fotos, conexão Bluetooth para celular e para streaming de áudio, além dos parâmetros do carro, como data, unidades de medida de consumo, “follow me home” (que mantém os faróis acesos por alguns segundos depois que a chave de ignição é tirada do contato), entre outras funções. A partir de 15 de maio, estará disponível o aplicativo MyPeugeot para smartphones iOS e Android, onde o usuário receberá via Bluetooth informações da central multimídia e poderá acessá-las na tela do celular, podendo acompanhar autonomia, consumo, distância e tempo dos trajetos realizados, além de determinar o ponto da última localização do carro, e saber ainda quanto tempo falta para a próxima revisão. O freio de mão lembra o manche dos aviões.



Na versão Griffe, um destaque à parte é o teto de vidro panorâmico com área de 0,60 m² e cortina do teto elétrica, que aumenta a sensação de amplitude. O modelo possui distância entre-eixos de 2,54 m e porta-malas de 355 litros, ampliáveis para 1172 L com o rebatimento do banco traseiro, por um comando na parte superior de seu encosto. O volume dos porta-objetos espalhados pela carroceria atinge 24 litros.


O 2008 conta com duas opções de motorização. O 1.6 16v FlexStart é conhecido dos brasileiros e equipa 308, C3 e 208, desenvolvendo 115/122 cavalos a 6000/5800 rpm e torque de 15,5/16,4 kgfm a 4000 rpm (dados com gasolina/etanol, nesta ordem). Com câmbio manual de cinco marchas, os modelos equipados com este motor fazem, na cidade, 7,3 km/l com etanol e 10,2 km/l com gasolina. Já na estrada, o consumo é de 8,2 km/l (etanol) e 11,6 km/l (gasolina).



O velho câmbio automático AL4 (agora rebatizado AL8) ao menos vem com o mérito de ser acessível. As trocas de marcha, no modo sequencial, podem ser feitas na própria alavanca do câmbio ou pelos paddle-shifts na coluna de direção. Estes modelos contam com o modo Eco, que altera a programação de passagem de marcha para diminuir em até 5% o consumo de combustível. Na prática, o 2008 automático consome, com etanol, 6,8 km/l na cidade e 7,9 km/l na estrada. Com gasolina, as médias são de 9,4 km/l na cidade e 11 km/l na estrada.



Há também o motor 1.6 THP Flex, que estreou recentemente no Citroën C4 Lounge e que gera 173 cavalos a 6000 rpm e torque de 24,5 kgfm já a 1400 rpm, sendo que 16 kgfm estão disponíveis a partir de 1000 rpm. O câmbio é o manual de 6 marchas, com as primeiras marchas mais curtas para as acelerações, e a sexta alongada, diminuindo a rotação em velocidades mais elevadas, o que favorece o consumo: com etanol, 7,1 km/l na cidade e 8,5 km/l na estrada - e com gasolina, 10,7 km/l no percurso urbano e 12,4 km/l na estrada.



Associado ao 2008 THP está o sistema Grip Control, que otimiza a tração do 2008 em condições de baixa aderência. Atuante sobre as rodas dianteiras, há cincos modos de utilização, no seletor posicionado no console central: o “Normal” é indicado para asfalto seco, o “Neve” monitora a derrapagem de cada uma das rodas motrizes em velocidades inferiores a 50 km/h, o modo “Barro” é adequado a solos escorregadios (lama, grama molhada), transferindo o máximo de torque possível para a roda aderente e atuando como um diferencial de deslizamento limitado, tornando-se ativo até 80 km/h. Há também o modo “Areia” (mantém a derrapagem simultaneamente nas duas rodas motrizes para manter a trajetória em terreno arenoso e limitar o risco de atolar, atuando até 120 km/h) e o ESP Off (desliga totalmente o ESP e o Grip Control, até 50 km/h). Outros atributos para o fora-de-estrada são altura livre do solo de 20 centímetros, controle eletrônico de estabilidade e pneus de uso misto.



Todas as versões contam com cintos de segurança de três pontos para os cinco ocupantes (com pré-tensionadores na frente), alerta sonoro e visual do afivelamento do cinto do motorista, airbags frontais e laterais, além de freios a disco nas quatro rodas com ABS. Nas versões Griffe e Griffe THP, também há dois airbags de cortina, controle de tração, controle dinâmico de estabilidade (caso haja perda de estabilidade, as rodas são freadas ou aceleradas para corrigir a trajetória) e repartidor eletrônico de frenagem (REF) com assistência à frenagem de urgência (AFU).



O 2008 Allure, que custa a partir de R$ 67 190 (ou R$ 70 890 com o câmbio automático AL8 de quatro marchas), vem com um pacote de equipamentos atraente: ar-condicionado digital de duas zonas de temperatura, volante revestido em couro, airbags frontais e laterais, central multimídia com Link MyPeugeot e tela sensível ao toque, luzes diurnas de LEDs, rodas de liga leve aro 16'', faróis e lanterna de neblina, sensor de ré, alarme ultrassom, controlador e limitador de velocidade, vidros e retrovisores elétricos, barras de teto, banco , indicador de troca de marcha e freio de mão "aviação". Curiosidade: os titulares da rede podem comprar um 2008 Allure exclusivo, que possui teto panorâmico e airbags de cortina (apenas dois por concessionária).



A versão Griffe, por R$ 71 290 (ou R$ 74 990 com o câmbio automático de 4 marchas), traz teto de vidro panorâmico, revestimentos dos bancos em uma mescla de couro e tecido em tom marrom, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, rodas aro 16'' diamantadas, banco traseiro bipartido (1/3 - 2/3), arcos cromados nos vidros, sensor de estacionamento dianteiro e airbags de cortina.



Há ainda o Griffe THP, modelo topo-de-linha com o motor 1.6 turbinado que custa R$ 79 590, e possui controle eletrônico de estabilidade, Hill Assist (freia o carro por 2 segundos após soltar o freio de mão, facilitando a partida em subidas), faróis de neblina que acompanham o movimento do volante, soleiras das portas dianteiras em inox, pedaleiras e descansa-pé em alumínio, retrovisores externos cromados, manopla de câmbio em cromo acetinado com laterais preto brilhante e o Grip Control,



Disponível nas cores branco banquise ("especial", por R$ 590), branco nacré (perolizado, por mais R$ 1590), cinza aluminium (metálica - R$ 1190), marrom dark carmin (também metálica, por R$ 1190), preto perla nera (igualmente metálica, por R$ 1190) e vermelho rubi (sólida, sem custo adicional), o Peugeot terá 3 anos de garantia total, com revisões em preços fixos. As versões com motor 1.6 16v aspirado terão custo de R$ 372 para a revisão dos 10 000 km, R$ 600 para a de 20 mil km, R$ 372 para a de 30 mil km, R$ 916 para a revisão de 40 mil km, R$ 616 para a de 50 mil km e R$ 600 para a revisão de 60 mil km.


Já os valores de revisão para a versão THP Flex são de: R$ 426 (10 mil km), R$ 704 (20 mil km), R$ 426,00 (30 mil km), R$ 992 (40 mil km), R$ 426 (50 mil km) e R$ 704 (60 mil km).



Nas concessionárias, serão oferecidos a partir de maio acessórios como pedaleiras e soleiras de porta em alumínio, adesivos esportivos, cabides, módulo isotérmico com capacidade de 16 litros (acima), e kits: Multimídia (com conexão via wifi. câmera de ré, TV digital e espelhamento da tela de celulares Miracast (Android) e AirPlay (iOS), contando ainda com saídas para telas traseiras), Mobilidade (racks para bicicletas, no teto ou na parte de trás, através do engate de reboque com ponteira removível) e Automatização (sistema de levantamento de vidros e fechamento da cortina do teto com função “um-toque”, e fechamento automático ao trancar o carro).



http://autorealidade.blogspot.com.br/

Ford incrementa versão FreeStyle do EcoSport


A Ford começou a reagir após a chegada de concorrentes fortes, como Honda HR-V e Jeep Renegade. Criou uma campanha de TV para seu EcoSport exaltando a liberdade e apresenta a versão FreeStyle Plus 2.0 PowerShift, baseada na configuração mais vendida do utilitário, agora com mais equipamentos. Externamente não há mudanças; entre os itens de série, o modelo passa a contar com seis airbags e bancos revestidos em couro natural, antes reservados à versão Titanium, mais cara.


Esta versão mantém equipamentos como ar-condicionado, direção elétrica, vidros e retrovisores elétricos, rodas de liga leve aro 16'', controles eletrônicos de estabilidade e tração (AdvanceTrac), assistente de partida em rampa, controlador automático de velocidade, computador de bordo, sensor de estacionamento traseiro, alarme volumétrico, seis airbags e sistema SYNC com comandos de voz, AppLink (para acesso a aplicativos de smartphones), e Assistência de Emergência (caso seja detectada uma colisão, pelo acionamento dos airbags ou corte do fornecimento de combustível, o sistema realiza uma chamada automática ao SAMU). O motor é o 2.0 Duratec Flex que rende 141 cavalos e 18,9 kgfm com gasolina, ou, abastecendo com etanol, 147 cv e torque de 19,7 kgfm. O câmbio sequencial PowerShift conta com dupla embreagem e seis marchas.

A versão FreeStyle Plus 2.0 será comercializada por R$ 82 900 - faixa de preço equivalente ao HR-V EX CVT, ao Tracker LTZ e ao Renegade Longitude automático - e ganha a companhia das versões SE, FreeStyle e Titanium.

http://autorealidade.blogspot.com.br/

Citroën Aircross Concept é apresentado em Xangai


Homônimo da versão aventureira do C3 Picasso vendida no Brasil, o Citroën Aircross Concept será apresentado no Salão de Xangai (China) como uma nova ideia de utilitário esportivo, aproveitando-se do sucesso alcançado pelo C4 Cactus na Europa. A China é o maior mercado mundial da montadora francesa, com 25% das vendas globais, o que naturalmente reforça a importância de apresentar este conceito em Xangai. Externamente, o Aircross incorpora os Airbumps do Cactus (nos para-choques e laterais há bolsas de ar que protegem o carro de pequenos impactos externos) e se distingue pelas enormes rodas aro 22'' com pneus 275/42, lanternas com iluminação tridimensional, portas que se abrem em sentidos opostos (sem a coluna central entre elas) e uma larga moldura prateada do vidro traseiro.


Internamente, o Aircross se destaca pelas duas telas de 12 polegadas e alta definição (sendo que o monitor do passageiro é deslizante, podendo ficar de frente para ele ou no centro do painel), teto panorâmico que se estende à parte traseira, combinação das cores laranja e branco nos quatro largos bancos individuais, uso de tiras de tecido no lugar das maçanetas internas e webcams espalhadas pela carroceria, que podem ser compartilhadas nas redes sociais.

 

O conceito da Citroën adota o motor 1.6 THP movido a gasolina (que nele rende 218 cavalos e torque de 28 kgfm) aliado ao conjunto de baterias de íons-lítio, que fornece o equivalente a mais 95 cv/20,4 kgfm e garante autonomia de até 50 quilômetros sem gastar combustível. Resultado: desempenho impressionante (a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em apenas 4,5 segundos) e consumo médio de surpreendentes 70,6 km/l, com emissão de dióxido de carbono restrita a 39 gramas por quilômetro rodado.

http://autorealidade.blogspot.com.br/