1

1

Google+ Followers

sexta-feira, 13 de março de 2015

TEMA: Meio ambiente

TEMA: Meio ambiente
OBJETIVO GERAL:

Conscientização dos alunos para a importância do Meio Ambiente para a vida do
Planeta.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

- analisar o lugar em que vivemos
- estabelecer o respeito ao espaço próprio, ao espaço ambiental e ao espaço coletivo;
- compreender a natureza como um todo dinâmico, sendo o ser humano parte integrante e
agente da transformação do mundo em que vive;
- identificar-se como parte integrante da natureza;

JUSTIFICATIVA:
“O homem surgiu há pouco mais de um milhão de anos e povoou a Terra em
ritmo muito lento, tendo de enfrentar tempestades, pragas, doenças e animais ferozes, em uma luta contínua com a natureza.
Foi graças à sua inteligência que ele sobreviveu e há pouco mais de cem anos,
com as conquistas tecnológicas e científicas, se tornou capaz de responder mais facilmente aos desafios da natureza. A partir daí, o crescimento populacional passou a ser muito maior e o domínio do homem sobre a natureza aumentou cada vez mais. Começaram, então, os problemas. A exploração dos chamados “recursos naturais” passou a ser muito intensa, a ponto de ser impossível renová-los.” apud Ofício do Professor, 2002, p.3.
Por isso, resolvemos a partir deste projeto discutir em sala de aula as questões que
se relacionam com o Meio Ambiente e conseqüentemente.
Qualidade de Vida, pois acreditamos que a principal ferramenta para a preservação do meio ambiente e da vida do homem é o conhecimento; somente com cidadãos bem informados e conscientes poderemos enfrentar este grande desafio para o bem do futuro da humanidade.

CONTEÚDOS:
Língua Portuguesa
- interpretação de texto;
- produção textual;
- vocabulário;
- leitura;
- oralidade;
- diferentes tipos de texto.
Matemática
- sistema de numeração decimal;
- operações (subtração, adição);
Ciências
- água;
- animais;
- poluição;
- higiene.
Estudos sociais
- O lugar onde vivemos
Artes
- música;
- contação de história;
- desenho.

http://profsandrandia.blogspot.com.br

Atividades para a páscoa








http://profsandrandia.blogspot.com.br/2011/04/atividades-para-pascoa.html

GATA MARIE COLORIR








http://profsandrandia.blogspot.com.br/2011/04/gata-marie-colorir.html

ATIVIDADES PARA O PRÉ ESCOLAR



ESSAS ATIVIDADES FORAM TIRADAS DO LIVRO CIRANDA DAS SÍLABAS VOLUME 5 MUITO BOM ESSA COLEÇÃO.










http://profsandrandia.blogspot.com.br/2011/06/atividades-para-o-pre-escolar.html

O CONTEXTO ATUAL DA EDUCAÇÃO E O PAPEL DO PROFESSOR

O CONTEXTO ATUAL DA EDUCAÇÃO E O PAPEL DO PROFESSOR

Ao realizar a análise do texto: ”A importância do professor” de Bárbara Freitag concorda-se com autora no que se refere ao fato de que durante muito tempo houve diversas tentativas (implantação de concepções de ensino, inserção de novas tecnologias, reformas no ensino, entre outras) que buscaram a soluções para os problemas educacionais, como; analfabetismo, evasão e repetência, porém todos não apresentaram resultados. Foi pensado em tudo, mas esqueceu-se do principal, ou seja, da valorização e capacitação do professor.




O professor, como um ser social, histórico, pensante, comunicante, transformador, criador, realizador de sonhos, capaz de ter raiva porque capaz de amar e, sobretudo ele deve saber que ensinar não é transferir conhecimentos, mas criar as possibilidades para que sua própria produção ou a sua construção, que acima de tudo ser reconhecido, quer ver o seu esforço valorizado.
Todos os educadores possuem sonhos, todos querem acreditar do fundo de suas almas que possuem um dom especial, que são capazes de fazer uma diferença, que podem tocar os outros de um modo especial, e também fazer do mundo um lugar melhor. Em determinada época de suas vidas visualizam a qualidade de vida que desejam e merecem. Porém, eles confrontam-se com a desigualdade que faz ver e sentir na pele, que o que realmente desejavam era somente serem valorizados.
Antigamente, dizer ‘eu sou professora ou professor’ trazia à tona uma identidade carregada de orgulho profissional, pois essa profissão tinha prestígio social. Contudo, hoje, se está vivendo num momento de aviamento e de desvalorização do trabalho do professor em todos os níveis. Portanto, torna-se necessário que os mesmos assumam uma postura vigilante contra todas as práticas de desumanização. Para tal prática o saber-fazer da auto-reflexão crítica e o saber-ser da sabedoria exercitada, permanentemente, podem ajudar os educadores a fazer a necessária leitura crítica das verdadeiras causas da degradação humana e da razão de ser do discurso fatalista da globalização.
Pode-se dizer que a luta dos professores em defesa de seus direitos e de sua dignidade deve ser entendida como um momento importante de sua prática docente, pois são muitos os que se preocupam com salários, com capacitação, com condições de trabalho, com a tarefa de ensinar, mas no contexto das escolas todas as dificuldades encontram-se presentes, avolumando-se em torno da figura do professor. Muitos professores perguntam a si mesmo por que tanta sobrecarga de trabalho e porque não podem ser o que são, no agir e no pensar: O sistema os impede? Os governantes os proíbem? Na verdade, o sistema não valoriza o trabalho educativo do professor.
No que se refere à capacitação do professor, sabe-se que o mesmo para se atualizar, precisa sem dúvida de um salário digno, pois as dificuldades de entrar em uma universidade são árdua e mantê-la é mais ainda. Os cursos que existem, os professores não conseguem pagar e os que são oferecidos de graça são raros. Às vezes, para o educador querer não é poder.
A formação dos professores deve partir da concepção de que para uma competente e responsável atuação, os mesmos devem refletir sobre as várias dimensões do processo de ‘tornar-se professor’: constituir sua identidade docente; desenvolver as competências cognitivas, pedagógicas e políticas; aprimorar sua capacidade de pesquisa, estudando e aprofundando-se em temas específicos de sua área, assim como, refletindo sobre a própria prática apoiada por referenciais teóricos.
Sabe-se que todas as áreas da educação necessitam de um sistema aprimorado de formação de seus professores, pois os desafios vividos por estes profissionais exigem qualificações de aquisição de competências, de domínio de múltiplos códigos e linguagens que favoreçam uma atuação intelectual ampla e flexível, capaz de atuar nas mais diversas situações e que sirva como base sólida à apropriação contínua dos conhecimentos específicos que se fizerem necessários.
E a formação continuada dos professores como uma necessidade imperiosa que se impõe a cada dia, seja pelos mecanismos públicos e gratuitos, seja na busca incansável de recurso diferenciado individual e autônomo ou promovido por instituições, agremiações, sindicatos, mas de qualquer forma, sempre consciente, crítica, reflexiva, interativa e plural, através da pedagogia das competências, seja pela autonomia ou pela adaptação da interação entre os três sujeitos: o eu individual, o eu pessoal e o eu social.
A teoria do conhecimento ou o conhecimento pedagógico deve ser construído e ampliado ao longo do tempo pelos profissionais da educação durante sua vida profissional, como resultado das relações entre teoria e prática. Sabe-se que atualmente, a expectativa que se tem do papel do professor, é a que ele intervenha, de forma ativa e reformule sua prática através de avaliações e estratégias diferenciadas, para que, com métodos alternativos, atinja a urgente alteridade, com autonomia e participação consciente e responsável.
Daí resulta a reformulação de sua capacitação profissional para criar um profissional facilitador da aprendizagem, prático-reflexivo, envolvendo nesse processo educativo, não só o seu conhecimento, como também as novas necessidades dos alunos e as ansiedades dos familiares, atingindo metas pessoais, profissionais, institucionais e sociais.
Muitas vezes mesmo sem querer demonstrar o professor possui uma ação partidária que o impossibilita até mesmo de agir e pensar: ‘Me calo para não ser perseguida’, engraçado para quem diz viver num país democrático. É comuns os professores partidários serem ‘taxados’, mas só os fracos se atracam por questões políticas ou pelo jogo de poder. Os partidos geram conflitos entre os professores, professores, pois eles cumprem jornadas de trabalho e convivência juntos, porém apesar dos conflitos existe ainda união, respeito, compreensão nesta família que se chama educação.
É nesse contexto que entra a questão da ética, pois se vive em uma época em que há um grande distanciamento entre a ética e a educação. O problema que tem atualmente é que a ética é considerada de um ponto de vista puramente individual (como somente no âmbito da moralidade particular), estando restrita a esfera privada e que não se relaciona com a esfera pública. Por isso, entre outros motivos, observa-se uma ruptura entre o ético e o político-econômico, entre o ético e o educativo, entre o ético e o entretenimento (divertimento).
É de fundamental importância destacar que a reflexão ética contemporânea vê como possível e imprescindível resgatar a validade intersubjetiva dos juízos normativos (de dever ser), visando ao estabelecimento de um mínimo comum para orientar a convivência nas sociedades plurais. Isto ressalta o papel primordial da educação no processo de formação dos indivíduos, pois pode oportunizar um local dialógico para possibilitar o estabelecimento da validade dos princípios que vão orientar esta mesma convivência em sociedade. É aqui que obtém destaque a relação de pertença entre ética e educação, em que só faz sentido pensar na educação como um processo que possibilite aos indivíduos a validação dos princípios morais que servem de pressupostos para a (con) vivência em sociedade.
É importante sublinhar também os professores sobre a responsabilidade ética no exercício de sua tarefa, sendo que a mesma deve ser inseparável da prática educativa, e a melhor maneira de lutar por ela é vivê-la prática, é testemunhá-la aos alunos através das relações entre professor-aluno. Sendo que a importância da ética hoje se dá pela necessidade, por uma questão de sobrevivência; considerando que a humanidade passa por um momento de anseio por uma vida melhor e acima de tudo mais digna e feliz.
Diante de tudo o que foi exposto pode-se concluir que não existe um movimento linear na modificação do papel do educador. Ele vai se alterando de diferentes formas em situações, isso faz com que eles tenham dupla jornada dupla personalidade. Atrasar o avanço tecnológico em sala de aula não é a função do educador, mas, a função dele é ser capaz, possuir suas qualidade e seus anseios fazendo com que cada dia seja diferente do outro, não se importando com o que fala ou pensam sobre sua proposta.
Neste sentido, ensinar é seu ato maior, então não há formas de desafiar. A forma como as condições de trabalho são superadas se destacam pelo único valor, de uma enorme vontade de vencer e ser feliz profissionalmente.
Nesse sentido, a educação assim repensada e compreendida desencadeia um processo refletido das relações entre a ética e agir pedagógico, através de uma prática educativa que interfira no conhecimento, nas possibilidades, como aprendizes investigadores, num misto de ação e aprendizagem, que envolve a simplicidade da relação da teoria-prática.
Finalizando, pode-se afirmar que mesmo diante de tantas inovações, percebe-se na prática não houve muitas mudanças significativas, desse modo é de suma importância que exista um verdadeiro reconhecimento, bem como, a valorização do papel atribuído ao professor, já que o mesmo não deve mais ser concebido como um técnico, um simples transmissor de conhecimento, mas sim como um profissional crítico e reflexivo sobre questões essenciais em sua prática docente, contribuindo tanto para a renovação do conhecimento pedagógico quanto do próprio ensino, na tentativa de permanentemente o adequar às necessidades dos alunos na época de transição em que se vive.
Isso mostra que não é suficiente mudar as pessoas para transformar a educação e suas conseqüências. Têm que haver mudanças nas pessoas e nos contextos educativos e sociais, de modo a favorecer as relações pessoais entre toda a comunidade, envolvendo discussões e um trabalho em comum.

EDUCAÇÃO S/A

DIA DO ÍNDIO - PROJETO: Dia da Índio


DIA DO ÍNDIO - PROJETO: Dia da Índio


PROJETO - DIA DO ÍNDIO

Objetivos:
- Conhecer e refletir sobre a história dos índios;
- Conhecer, analisar e debater os hábitos e costumes indígenas;
- Conhecer, analisar e debater a influência indígena em nossa vida;
- Aprender a respeitar os índios com a finalidade de construir a cidadania numa sociedade pluriétnica e pluricultural;
- A partir de o tema gerador desenvolver atividades nas diferentes Áreas de Estudo.
- Conhecer e Valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.


PLANEJAMENTO:


Propostas de Atividades que trabalharão os temas transversais: Ética, Saúde, Meio Ambiente, Pluralidade Cultural e Cidadania.
Sensibilização
- Propor aos alunos que pesquisem e levem para sala de aula recortes de fotos de pessoas que possam parecer descendentes indígenas. Com todas as fotos em mãos, o professor em círculo analisará juntamente com os alunos cada foto. Procurando incentivar para que todos dêem sua opinião.
Em um segundo momento listar em um cartaz os conhecimentos que os alunos já tem sobre o assunto ( Conhecimentos Prévios ).
- Provocar os alunos a se expressarem, fazer indagações e ir registrando em um cartaz. Logo em seguida, em um outro cartaz, listar as dúvidas provisórias dos alunos, ou seja, perguntar o que desejam saber sobre o tema e ainda não sabem, novamente provocar os alunos a fim de lançarem suas dúvidas.
Por último, propor que os alunos ilustrem os cartazes com fotos e desenhos.
Propostas de Atividades de Integração das Áreas de Estudo:












GEOGRAFIA:

- Localizar em Mapa ou Globo Terrestre pontos do território nacional onde ainda vivem tribos indígenas;
- Comparar o modo de vida dos índios de outras regiões com o modo de vida dos índios que ainda habitam a floresta amazônica


HISTÓRIA:
- Reconhecer os modos de vida dos índios, sua cultura, sua alimentação, formas de trabalho e sobrevivência;
- Refletir e opinar sobre o papel do índio na formação da nação
Brasileira
LÍNGUA PORTUGUESA:
- Levantar o vocabulário usado pelos indígenas e descobrir seus significados;
- Produzir, utilizando diferentes formas de expressão, textos individuais e coletivos sobre os debates e as reflexões do assunto;
- Orientar os alunos para elaborarem pequenos textos sobre cada descoberta realizada;
- Ler histórias originalmente indígenas ou que tratem do indígena e seus valores;
- Organizar um dicionário ilustrado com as palavras indígenas.
ARTES:
- Observar manifestações de arte da cestaria, da cerâmica, da plumaria e de outros objetos de cerdas vegetais e cordas, realizados pelos índios de hoje e de antigamente;
- Observar ilustrações de artistas do tempo do Brasil
– Colônia que retrataram o indígena e suas manifestações culturais;
- Vivenciar através de músicas sobre o tema um pouco da cultura indígena – cantando e dramatizando;
- Vivenciar através de atividades artísticas manuais e plásticas um pouco da cultura indígena, criando objetos e instrumentos musicais.
Formulação de Problemas:
- Questionar em classe:
- Ainda existe preconceito com os índios?
- O que as crianças sabem, pensam e acham sobre isso?
- O que podem e o querem fazer para ajudar a mudar o quadro dos preconceitos e discriminação?
- A culinária indígena é usada na cozinha brasileira? Como?
- Ainda são encontrados locais de agrupamentos e reservas indígenas?
- Quais são essas tribos? Como vivem? Como se mantêm? Quais os seus atuais costumes?
- Quais são as palavras e costumes de origem indígena?
- Há influência dos índios na Língua Brasileira?
- Há influência dos índios no artesanato?
- Há influência dos índios na medicina caseira? E nos adornos pessoais?

ATIVIDADES PARA CRIANÇAS DO BERÇÁRIO DE 0 Á 2 ANOS.



http://profsandrandia.blogspot.com.br/2014/02/atividades-para-criancas-do-bercario-de.html

PROJETO: MÚSICA SOM E MOVIMENTO





PROJETO : MÚSICA, SOM E MOVIMENTO.


A MÚSICA É UMA IMPORTANTE FERRAMENTA PARA O DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR, SOCIAL E CULTURAL DAS CRIANÇAS. PORTANTO, PRECISA ESTAR NO COTIDIANO DA EDUCAÇÃO INFANTIL, NÃO COMO FORMA ROTINEIRA E AUTOMÁTICA, MAS PROPORCIONAR AOS EDUCANDOS A CAPACIDADE DE SENTI-LA EXECUTANDO O RITMO.


I – JUSTIFICATIVA


Tudo a nossa volta é movimento, a terra gira, o sistema solar gira, nosso corpo gira e a criança é movimento o tempo todo. O som está interligado ao movimento. Percebemos isso, quando o primeiro provoca o segundo e temos a dança: ou quando o segundo provoca o primeiro e temos a música.
A música, som e movimento seja utilizado neste projeto de forma a ampliar a linguagem oral,visual e corporal.
Sabe-se que as ocorre uma transformação de valores da música no contexto educacional. Para que isto não ocorre, deve-se utilizar sua riqueza social e cultural.
Sendo que a música possui um papel importante na educação das crianças, ela contribui para o desenvolvimento psicomotor, social afetivo, cognitivo e linguístico; favorece a criatividade do senso rítmico, do prazer de ouvir e da concentração da imaginação da criança.


II – OBJETIVO GERAL.


Promover e utilizar tanto os movimentos elaborados como os movimentos amplos, que estimulem e permitem um contato direto e indireto com as crianças e os sons com isso desenvolver atitudes de confiança nas próprias capacidades motoras.
Criar condições para que as crianças entendam a música como fonte de prazer e conhecimento, promovendo com isso o convívio social e cultural.




III - OBJETIVOS ESPECIFICOS


· Integrar as crianças através da música;
· Brincar com a música, inventar e reproduzir sons;
· Explorar os movimentos corporais;
· Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressarem-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação.
· Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo buscando controlar os próprios movimentos;
· Ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções musicais.


IV– METODOLOGIA E PROCEDIMENTOS


· Conversas.
· Explorar e manusear materiais diversos.
· Jogos e brincadeiras
· Contação de histórias.
· Pesquisa.

V - RECURSOS


· Livrinhos de histórias, brinquedos, instrumentos musicais, CDs, DVs, aparelho de som, papeis diversos, tesoura, cola, canetinhas, revistas, sucatas e almofadas. 


VI DURAÇÃO


· Ano todo


VII – CONTEÚDOS TRABALHADOS


Histórias, brincadeiras, músicas, expressão corporal, brincadeiras com o corpo, brincadeiras dirigidas, brincadeiras cantadas, contato com elementos escritos, ampliação do vocabulário, desenho como representação gráfica, identificação dos diferentes tipos de sons e imitação (onomatopéia)






VIII - AVALIAÇÃO


A avaliação será continua levando-se em conta a evolução, participação, atenção e observação constante da criança e das atividades por ela realizadas, diálogos com a criança e sua família, registro das atividades e comparações dos resultados.


IX - REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS


PROPOSTA Curricular para a educação infantil. Balneária Gaivota. 2008.
PROJETO Música, som e movimento. Balneário Gaivota 2013.
Kuntze. Sandra Nadia, blog da professora Sandra Nádia acessada em 02 de fevereiro de 2014.

PROJETO CHUVA DIVERTIDA





Professoras:
Turma:
Tema: Chuva Divertida
Justificativa: A partir da observação do comportamento das crianças, podemos perceber o quanto se diverte ao brincar com água. Levando em conta o clima e o interesse das crianças levamo-as a brincar nos deferentes espaços de forma a perceber as diferentes funções da água em nossas vidas.


Objetivo Geral: vivenciar os diferentes tipos de brincadeiras com água e sua importância no dia-a-dia. Descobrir, investigar e ampliar o conhecimento sobre água, seus estados, características e transformações.


Objetivos Específicos:
· Conhecer diferentes tipos de brincadeiras com água;
· Observar a transformação da água durante as brincadeiras;
· As diferentes funções da água;
· Reconhecer a importância da água no nosso dia-a-dia.


Situação Significativa:
· Balões coloridos, anilina água, canudos para soprar, garrafas, areia.
· Provar a água pura, depois modificá-la com o pó, inclusive misturando sabores.
· Dispor de copos transparentes, água potável, pó para suco e colheres.
· Fazer chá, gelo, lavar roupa de boneca, tomar banho de esguicho, misturar água e areia, derreter gelo, lavar panelinhas, dar banho nas bonecas, fazer bolhas de sabão. Brincadeiras com bexiga d’água.
· Fazer massinha de modelar com os alunos


Possíveis perguntas:
Vamos experimentar a água? Como podemos sentir o cheiro da água? E como podemos mudar a cor, o cheiro e o gosto?


Como encher um balde? Usar diferentes embalagens para encher o balde, sem interferência do adulto. Tentar carregar o balde cheio. Esvaziar da mesma forma, jogando a água nas plantas e/ou jardim.


Selecionar embalagens de diferentes materiais, tamanhos e formas, buchas, esponjas, tampas, pratos. Propor que se encham bacias para brincar com barquinhos e outros. Perguntas: Qual o melhor pote a escolher? Será melhor pegar o grande, que cabe mais, ou o pequeno, onde cabe menos, e volto mais rápido? Em qual bacia devo colocar a água?


Usar potes com furos, como vasos, e observar a reação da criança até que ela descubra o que fazer.


VISÃO
Que cor é a água?
Colocar água em copos brancos e observar sua cor.
A seguir colocar tintas colorido (cores primárias) e explorar as cores que surgiram.
Usar chá de marcela, café e outras substâncias.
“A água é transparente”


AUDIÇÃO
Reproduzir em gravador (pode ser de celular, câmera digital) o som da água caindo em copo, balde, vidro, plástico.
Colocar água em garrafinhas de vidro (cada uma com uma quantidade diferente de água) e bater nelas com um ferrinho.
Comparar o som de uma gota de água caindo em diversos materiais diferentes (panela, potinho plástico, vidro, numa porção de água, na mão do amigo)
Agitar as mãos dentro de um tanque de água.
Observar o barulho do mar em uma concha.


TATO
Tocar na água com diversas substâncias
Areia (meio copo de areia para um copo de água).
Maisena (mesma medida da areia)
Sal (três colheres de sal para um copo de água)
Açúcar (mesma medida do sal)
Tocar na água morna, gelada, na temperatura ambiente.


PALADAR
Provar água com sal, açúcar, café, chá, sucos de diferentes sabores (aproveitar para trabalhar noção matemática de muito e pouco – muito sal, muito açúcar....).


OLFATO
Cheirar a água pura
Cheirar a água com diversas substâncias (vinagre, café, leite, perfume...).


BRINCADEIRAS:
Derrete e não derrete.
Transportando água (com a mão)
Quantos copos de água enchem essa garrafa?



Avaliação: através de observação e registro individual da atividades.

http://profsandrandia.blogspot.com.br/2014/03/projeto-chuva-divertida.html

Ditados de Páscoa!






http://espacoeducar-liza.blogspot.com.br/2009/04/ditados-de-pascoa.html

Milhares de desenhos de páscoa para pintar!






Quer mais atividades e desenhos de Páscoa? Clique aqui!












http://espacoeducar-liza.blogspot.com.br/2009/04/milhares-de-desenhos-de-pascoa-para.html

Desenhos ampliados para mural ou painel de Páscoa!

Utilizando o Blockposters, ampliei as imagens abaixo. Basta clicar no link e baixar o arquivo pdf com o coelhinho que você preferir, imprimir e depois juntar as partes, para ter o molde completo e confeccionar o mural no material de sua preferência.
01 - Coelhinho nas Nuvens - Clique aqui para baixar os moldes.







02 - Cesta com ovos  - Clique aqui para baixar ampliado!


04 - Coelhinho pintor - Clique para baixar ampliado





 05. Cruz Páscoa - Clique para baixar ampliado!


 06. - Trenzinho  com crianças - Clique para baixar ampliado!







07 - Coelhinha fofa - Clique para baixar ampliado!


http://espacoeducar-liza.blogspot.com.br/2012/03/desenhos-ampliados-para-mural-ou-painel.html

Coelhinhas e coelhinhos lindos com roupinhas para vestir!





http://espacoeducar-liza.blogspot.com.br/2009/04/coelhinhas-e-coelhinhos-lindos-com.html