1

1

Google+ Followers

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Tire 7 dúvidas sobre a inscrição no Sisu. Quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2014 e não zerou a prova de redação pode, até a próxima quinta-feira (22), se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).



Quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2014 e não zerou a prova de redação pode, até a próxima quinta-feira (22), se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Cada candidato poderá se inscrever em até duas opções de cursos. Durante os três dias, o estudante tem a possibilidade de alterar suas preferências. 


Veja 7 dicas para quem vai tentar uma vaga na universidade


1- Seleção de candidatos priorizará primeira opção 
Caso a nota do candidato possibilite a classificação em suas duas opções de vaga, ele será selecionado exclusivamente em sua primeira opção.


2- Candidato selecionado na 2ª opção pode participar da lista de espera 
O candidato que for selecionado em sua primeira opção só terá esta oportunidade de fazer sua matrícula. Já o candidato selecionado em sua segunda opção, tendo ou não efetuado a respectiva matrícula na instituição, poderá manifestar interesse em participar da lista de espera no curso que escolheu como primeira opção.


Por exemplo, se um estudante tiver colocado o curso de Medicina como primeira opção, mas tenha sido convocado para sua segunda opção, que era Direito, ainda pode participar da lista de espera. Caso tenha vaga para Medicina, o aluno poderá fazer matrícula e a sua matrícula em Direito será automaticamente cancelada. 


Os candidatos não selecionados em nenhuma de suas opções também podem participar da lista de espera, na primeira opção que escolheu. 


3- É possível pesos diferentes para as notas do Enem
Algumas instituições participantes do Sisu adotam pesos diferenciados para as provas do Enem 2014. Assim, quando o candidato se inscrever para curso em que a instituição adotou peso diferenciado para determinada prova do Enem 2014, o sistema fará automaticamente o cálculo, de acordo com as especificações da instituição, gerando uma nova nota, que será informada ao candidato.


4- Nota de corte é calculada diariamente 
Durante o período de inscrição, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte (menor nota para ficar entre os potencialmente selecionados) para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência.


5- Vagas somente para cursos presenciais
Neste processo seletivo somente serão ofertadas vagas para cursos presenciais, não havendo seleção para cursos à distância. 


6- Políticas afirmativas
Todas as universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e centros federais de educação tecnológica participantes do Sisu terão vagas reservadas para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas, de acordo com a Lei nº 12.711/2012 (Lei de Cotas). Há instituições participantes do Sisu que disponibilizam, ainda, uma parte de suas vagas para políticas afirmativas próprias.


7- Nota da redação está dentre os critérios de desempate 
No caso de notas iguais, o desempate entre os candidatos será efetuado considerando-se a seguinte ordem de critérios:

Maior nota obtida na redação;
Maior nota obtida na prova de Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias;
Maior nota obtida na prova de Matemática e suas Tecnologias;
Maior nota obtida na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
Maior nota obtida na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Fonte: Diário do Nordeste

Governo sobe tributo de combustível e crédito; IOF dobra em financiamento


O governo anunciou quatro medidas envolvendo a cobrança de tributos em operações de crédito, combustível e importação.

Entre elas está o aumento do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre as operações de crédito ao consumidor de até 365 dias. O imposto passa de 1,5% para 3% ao ano, alíquota que estava em vigor em 2011. Além disso, fica mantida a cobrança de 0,38% para cada operação, em vigor desde o fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira).


A intenção do governo é conter o consumo e, consequentemente, tentar segurar a alta da inflação. Outro objetivo é melhorar a receita pública: o governo estima que essas alterações gerem R$ 20 bilhões adicionais em arrecadação.


O anúncio foi feita pelo novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em entrevista coletiva convocada às pressas no começo da noite desta segunda-feira (19). O aviso sobre a entrevista foi divulgado à imprensa com cerca de 15 minutos de antecedência.


As mudanças fazem parte do "trabalho de equilíbrio fiscal" para "aumentar a confiança dos agentes econômicos", disse Levy. "O mundo mudou, o Brasil está mudando, e estamos tomando medidas passo a passo."


Aumento dos tributos sobre importação e combustíveis
edida Outra manunciada foi o ajuste da alíquota do PIS/Cofins sobre a importação, de 9,25% para 11,75%. Segundo o ministro, trata-se de uma correção para "não prejudicar o produtor doméstico".


A terceira mudança anunciada foi o aumento de taxas sobre combustíveis. A elevação do Pis/Cofins e a retomada da Cide aumentarão o preço da gasolina em R$ 0,22 e o do diesel em R$ 0,15.


O reajuste de Pis/Cofins para combustíveis tem efeito imediato; a alta da Cide entra em vigor em 90 dias.


Finalmente, a última medida envolve a tributação do setor de cosméticos: os atacadistas passarão a pagar IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) igual aos industriais.


Reunião de última hora com Dilma
Levy cancelou um encontro que teria com empresários na Federação das Indústrias do Estado São Paulo (Fiesp) nesta tarde para participar de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff. Além dele, participaram o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, e da Casa Civil, Aloizio Mercadante.


Desde a escolha da nova equipe econômica, o governo tem feito ajustes para tentar conter as despesas e dar transparência à política fiscal, como acabar com os subsídios ao setor elétrico.


Fonte: UOL (Com Reuters)

Hyundai HB20 Premium agora só com câmbio automático


A Hyundai Motor Brasil anuncia a atualização da família HB20, que conta com os modelos HB20 (hatch), HB20S (sedan) e HB20X (aventureiro) com motorização 1.0 e 1.6. 
A principal alteração acontece no entretenimento a bordo do HB20, que antes contava com quatro opções. Com a atualização, os três modelos mais modernos e procurados permanecem disponíveis:

- blueAudio® - Rádio AM/FM, Bluetooth® com streaming de áudio e acesso a agenda e MP3 player. Disponível como item de série em todas as versões do HB20 e do HB20S;

- blueMediaTV® - Central multimídia touchscreen com TV digital, tela colorida de 7 polegadas, conexão Bluetooth® com streaming de áudio, acesso à agenda, MP3 player e reprodutor de fotos e vídeos. Disponível como item de série do HB20X;

- blueNav® - Adiciona navegação GPS ao sistema anterior. Disponível como opcional nas versões Premium de todos os modelos.

As três opções contam com conexões USB e auxiliar e comandos de áudio e Bluetooth® no volante.

Outra alteração aconteceu no modelo topo de linha da família HB20. A opção com câmbio manual deixa de existir na versão Premium da família HB20, ficando a transmissão automática. 

Para essa versão, os bancos de couro são opcionais nos modelos HB20 e HB20S e passam a integrar os itens de série do HB20X.

Tabela de Preços - Hyundai HB20 2015
http://www.car.blog.br/2015/01/hyundai-hb20-2015-premium-agora-so.html

A Chevrolet do Brasil lança a linha 2015 do SUV Captiva - carro que chega com alguns aperfeiçoamentos e preço de R$ 106.696 reais, em versão única.
O Chevrolet Captiva 2015 conta com o mesmo motor adotado na linha 2014, ou seja, um quatro cilindros 2.4 EcoTec de 184 cavalos @ 6.750 RPM e torque máximo de 23,8 Kgfm @ 4.900 RPM.


Esse propulsor está associado a uma caixa de transmissão automática de seis marchas.


Entre as novidades, o Captiva 2015 conta agora com teto-solar panorâmico.


Além disso, o interior recebeu melhoramentos, como o novo sistema multimídia, com sistema de navegação integrado.


Além disso, esse novo sistema multimídia agora permite streaming de áudio - funcionalidade que permite ouvir as músicas armazenadas no celular através do sistema de som do carro, por meio de uma conexão Bluetooth.


Na parte externa, observa-se faróis com máscara negra e rodas de 18 polegadas com novo desenho.

http://www.car.blog.br/2015/01/novo-chevrolet-captiva-2015-fotos.html

Novo Veloster ganha câmbio DSG e ruído ajustável do motor


A Hyundai Motor da Coréia do Sul se prepara para colocar em seu mercado doméstico o "New Veloster" - carro que recebe alterações estéticas e mecânicas e tem o objetivo de atrair consumidores jovens.

O novo Veloster vem com um sistema de ajuste do som do motor, por meio do qual os proprietários podem ajustar o nível de ruído que o carro fará.

Além disso, ao equalizador de som do motor, o dono do carro poderá personalizar o som do carro, visto que o modelo oferece seis tipos de ruídos diferenciados.

Ao misturar os seis tons, tem-se um barulho individualizado.
O New Veloster adota o motor 1.6 litros turbo (T-GDI) com 204 cv (na Europa este motor oferece 186 cv), associado a uma transmissão de dupla embraiagem de sete velocidades (DCT).
O modelo vem também com novas rodas de liga leve, novo velocímetro, nova grade prata na dianteira e três tipos diferentes de bancos esportivos.

Ainda na dianteira, o modelo recebeu sistema de iluminação diurna em LED na parte inferior dos faróis.
E na traseira o modelo conta com aerofólio com brake-light integrado.
Internamente se destaca o novo cluster de instrumentos, com ponteiros partindo da posição vertical, enquanto o volante é revestido em couro perfurado - para reforçar a esportividade.
A ambientação interna pode ser escolhida em tom preto em couro com azul...
Ou em couro preto com vermelho.
O preço na Coréia do Sul parte de US$ 18.550 dólares no modeo básico, com transmissão manual, e chega a US$ 20.040 dólares no modelo automático.

http://www.car.blog.br/2015/01/novo-veloster-ganha-cambio-dsg-e-ruido.html

Nissan inicia produção nacional do New Versa


Fotos | Rafael Susae e Divulgação


O Nissan March ganha a companhia do Versa no Complexo Industrial de Resende, no sul do estado do Rio de Janeiro. Aliás, para marcar a produção nacional, o sedan recebe uma reestilização, mostrada no Salão de São Paulo em 2014. Outra novidade está no motor 1.0 de três cilindros e 12 válvulas, que coexistirá com o atual 1.6 16v. A montadora faz mistério sobre a data de lançamento do New Versa, mas será ainda no primeiro semestre deste ano.




Seu interior receberá as melhorias promovidas no March, como volante multifuncional, Bluetooth, e a central multimídia NissanConnect, com conectividade de aplicativos de smartphones e acesso as redes sociais. Veja abaixo mais imagens da versão 1.6 SL do New Versa.



http://autorealidade.blogspot.com.br/2015/01/nissan-inicia-producao-nacional-do-new.html

Os detalhes do Mercedes-Benz GLA 200 Vision




A Mercedes-Benz adere ao segmento dos crossovers compactos, onde modelos da BMW (X1) e Audi (Q3) já são consagrados no Brasil. Construído sobre a plataforma modular MFA utilizada pelo Classe A, o GLA 200 Vision é uma opção mais robusta ao hatch, com mais espaço e mantendo os bons atributos. Apresentado como carro-conceito no Salão de Xangai (China) em 2013 - e já como modelo de série no mesmo ano, no Salão de Frankfurt (Alemanha) - o GLA é oferecido em três versões no Brasil: Advance, Vision (modelo que analisamos aqui) e Black Edition, que traz pedaleiras esportivas e pintura preta nas rodas e retrovisores externos. Aliás, o modelo será produzido em Iracemápolis (SP) a partir do próximo ano (atualmente, vem importado de Rastatt, Alemanha). Fomos conferir de perto o novo aventureiro da Mercedes!



Seu visual agrada pelas linhas modernas: a curva dos faróis (de bi-xenônio, com LEDs e lavadores) se integra com os cantos da grade, os vincos no capô sugerem dinamismo e os detalhes prateados nos filetes horizontais da grade e na base do para-choque, causam boa impressão no contato frontal.



Lateralmente, sobressaem-se as rodas aro 18'' calçadas com pneus run-flat (que podem rodar mesmo estourados, a até 80 km/h), os vincos e dois frisos de teto (que não servem como suporte para cargas, até porque o teto é de vidro...).



De traseira, destaque para as lanternas bipartidas (no irmão hatch, não chegam a se prolongarem para a tampa do porta-malas; no GLA são unidas por um friso cromado e aumentam a sensação de largura), para o aerofólio e também para as molduras de escape.




Internamente, o ambiente é muito semelhante ao dos irmãos de projetoCLA e Classe A: detalhes como o volante com detalhe central prateado e revestimento de couro com costuras brancas, as saídas de ar redondas que lembram turbinas, a tela fixa (que lembra um tablet e divide opiniões), e o console central minimalista estão lá. Seu acabamento interno segue o padrão Mercedes-Benz, com aplicação de materiais de boa qualidade e sobriedade nas cores. O teto solar panorâmico com acionamento elétrico "areja" a cabine, a despeito das janelas laterais e traseiras estreitas. Curiosamente, a chave não traz haste metálica, mas precisa ser inserida em uma fenda para dar a partida. Note, ainda, que as pedaleiras do modelo da imagem acima são as mesmas da versão Vision Black Edition...


Seus bancos, com laterais de couro e parte central em tecido preto com costuras brancas, oferecem ótimo apoio lombar e para a cabeça. O assento do motorista dispõe de regulagens elétricas (para inclinação e distância do assento) e três memórias de posição, com comandos localizados na parte superior da porta. O efeito colateral dos largos bancos é que a visibilidade traseira é prejudicada. Atrás os passageiros têm bom espaço para a cabeça, porém nem tanto para as pernas. Quem senta ao meio conta com cinto de três pontos e apoio de cabeça ajustável, mas o espaço para as pernas é ocupado pelo duto das saídas de ar-condicionado.




Entre os instrumentos analógicos há a tela colorida que "apresenta a cara" do GLA ao abrirmos a porta. Na parte superior estão temperatura externa e relógio; na tela central são exibidos detalhes como marcha selecionada, velocímetro digital, consumo (no padrão europeu), informações do sistema multimídia e ajuste de parâmetros.


Com a alavanca de câmbio posta na coluna de direção, o console central pôde contar com mais espaço para porta-objetos. O porta-trecos à frente abriga uma tomada 12 volts; o segundo, maior. Há ainda dois porta-copos de diâmetro ajustável e, dentro do apoio de braço, está outro compartimento, onde se esconde a entrada USB. O porta-luvas é acarpetado (na unidade avaliada estava um DVD com instruções do sistema COMAND Online). 


De série, o GLA Vision conta com ar-condicionado digital de duas zonas de temperatura e duas saídas de ar para quem vai atrás, sete airbags (2 frontais, 2 laterais, 2 de cortina e um para os joelhos do motorista), controles eletrônicos de estabilidade e tração, direção progressivamente assistida com ajuste de altura e distância, Attention Assist (alerta em caso de sonolência do motorista), soleiras "Mercedes-Benz" iluminadas, vidros elétricos com acionamento um-toque, freio de estacionamento elétrico, focos de luz no retrovisor interno, Hill Start Assist (assistente de partida em ladeiras, que não deixa o carro descer momentos após a ignição), sistema ISOFIX de fixação de cadeirinhas infantis, freios a disco ABS com controle de frenagem em curvas (CBC) e Brake Assist (BAS), luzes de cortesia nos espelhos, controlador de velocidade, além de todos os itens citados ao longo da postagem.
A central multimídia COMAND Online traz tela de sete polegadas, GPS em três dimensões, entradas USB e auxiliar, CD/MP3 Player, audio streaming (transmissão de música via Internet), Bluetooth com comandos de voz, seis alto-falantes e até um disco rígido de 10 Gigabytes. Infelizmente, fica devendo a câmera de ré, mas há sensores de estacionamento com avisos sonoro e luminoso, na frente e atrás, para ajudar na baliza "manual". Isto porque vem de série o Active Parking Assist, sistema automático de estacionamento.




Seu porta-malas, de 421 litros (80 a mais que o Classe A; vale lembrar que não há estepe), pode ser ampliado com o rebatimento parcial ou total dos bancos de trás, chegando a 836 L de capacidade. Há uma luz de cortesia e um puxador na tampa. Ao lado esquerdo, um compartimento com tampa que acomoda o kit de primeiro-socorros.


Sob seu capô (sustentado pela velha vareta, sem manta de isolamento acústico), está o motor 1.6 Turbo a gasolina de 156 cavalos a 5300 rpm e torque de 25,5 kgfm entre 1250 e 4000 rpm. De acordo com a Mercedes, o GLA acelera de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos, marca apenas 0,5 segundo atrás do Classe A 200 Urban, que adota a mesma motorização e tem carroceria 40 quilos mais leve. A velocidade máxima é de 215 km/h.

Seu comportamento ao rodar lembra o hatch, e a suspensão lida melhor com o asfalto maltratado teresinense. A função HOLD dos freios é bem útil no anda-e-pára das cidades: uma vez parado, não é necessário "segurar" o pedal do freio. Outra função é o Start-Stop, que ajuda a poupar combustível e reduzir emissão de poluentes.


O câmbio automático é o 7G-DCT, que traz sete marchas, dupla embreagem e trocas sequenciais por aletas atrás do volante. Seu tanque de combustível comporta 56 litros de gasolina, resultando em uma autonomia de 644 quilômetros. Falando nisso, o consumo é aceitável: 8,9 km/l na cidade, 11,5 km/l na estrada.



À esta altura você já deve ter concluído que o GLA está mais para esportivo do que para utilitário, já que a tração é dianteira (em todas as versões importadas para o Brasil), os pneus 235/50 têm banda de rodagem para o asfalto, a altura em relação ao solo não é das mais adequadas ao uso off-road (vão-livre de 14 centímetros) e não há previsão de homologação de motorização a diesel (na Europa, são três disponíveis: 1.5 de 109 cv ou 2.2 de 136 ou 170 cavalos). Boa parte do público, porém, não tem interesse em usá-lo em terrenos castigados; a opção mais acessível da Mercedes-Benz com vocação off-road é mesmo o GLK.



O GLA Vision 200 é oferecido por R$ 149 900, ao menos enquanto não chegam as unidades 2015/15 e a Mercedes não resolve reposicionar o preço com o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados. O preço das revisões é fixo: na primeira delas, que ocorre em 10 000 quilômetros ou um ano, paga-se R$ 600; na segunda revisão (em 20 000 km ou 2 anos), o valor pago é de R$ 1250, e na terceira revisão (em 30 000 km ou 3 anos), R$ 600. Há ainda o Mercedes-Benz Service Care, contrato de manutenção com preço fixo para até cinco revisões preventivas, opcionais ao cliente. Para realizar duas revisões preventivas, o valor é de R$ 1722. Paga-se R$ 2201 por três revisões, R$ 3383 para quatro revisões e R$ 3813 por 5 revisões preventivas.

Veredicto: belo e com as qualidades que já conhecíamos dos Mercedes-Benz Classe A e CLA, o GLA é um modelo equilibrado e mais preparado para encarar a buraqueira nossa de cada dia, embora não se adeque ao uso fora-de-estrada radical. Assim como os irmãos, encanta pelo design, pelo efeito novidade e pela vasta lista de equipamentos, equilibrando bom desempenho com consumo adequado (e arrematando com cinco estrelas nos testes de colisão do Euro NCAP), mas pelo conjunto cobra alto preço (literalmente). A diferença de preço da versão Vision para a Advance é de relevantes R$ 17 mil, revertido em equipamentos como teto panorâmico, assistente de estacionamento, banco do motorista com ajuste elétrico, entre outros.

As notas do Mercedes-Benz GLA

Design
9,0

Espaço interno
8,5

Conforto
9,0

Acabamento
9,0

Equipamentos
9,5

Desempenho
8,5

Segurança
9,5

Consumo
8,5

Custo-benefício
7,5

Nota Final
8,8

As notas são atribuídas considerando a categoria do carro analisado, os atributos oferecidos pelos concorrentes, além das expectativas entre o que o modelo promete e o que, de fato, oferece. Frações de pontuação adotadas: x,0, x,25, x,5, x,75. Critérios - Design = aspecto externo. Espaço interno = amplitude do espaço para passageiros (dianteiros e traseiros) e bagagem. Conforto = suspensão, nível de ruído, posição de dirigir, comodidades. Acabamento = atenção aos detalhes internos. Equipamentos = itens de tecnologia e conforto, sejam de série ou opcionais. Desempenho = aceleração, velocidade máxima, retomada, handling e outros fatores. Segurança = itens de proteção ativa e passiva. Consumo = combustível gasto e autonomia. Custo-benefício = relação de vantagem entre o preço pago e o que o carro entrega.

Galeria de Fotos do Mercedes-Benz GLA




http://autorealidade.blogspot.com.br/2015/01/os-detalhes-do-mercedes-benz-gla-200.html