1

1

Google+ Followers

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

A cada três minutos, um gay sofre violência no Brasil

A cada três minutos, um gay sofre violência no Brasil
Por Edgar Maciel | Estadão Conteúdo 

Yahoo Notícias/ThinkStock - A cada três minutos, um gay sofre violência no Brasil
foto ilustrativa
A cada três minutos, um homossexual sofre algum tipo de violência no Brasil. Nos últimos quatro anos, o número de denúncias ligadas à homofobia cresceu acima dos 600%. Segundo números obtidos pelo jornal "O Estado de S. Paulo" , o Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDHPR), registrou 1.159 casos em 2011. Neste ano, em um levantamento até outubro, os episódios de preconceito contra gays, lésbicas, travestis e transexuais já superam a marca de 6,5 mil denúncias.
foto ilustrativa
Os jovens são as principais vítimas dos atos violentos e representam 33% do total das ocorrências. A cada quatro casos de homofobia registrados no Brasil, três são com homens gays. Estudante de Direito na USP, André Baliera, de 29 anos, foi espancado em 2012 por dois homens no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Ele voltava a pé para casa pela Rua Henrique Schaumann quando dois jovens o ofenderam por causa de sua orientação sexual. Depois de uma discussão, acabou agredido pela dupla.

“Nos primeiros dias, não saía de casa. Fui ao psiquiatra, tomei remédios e fiquei seis meses sem passar na frente do posto em que fui agredido”, conta Baliera. Quase dois anos depois, receio e medo ainda estão presentes no dia a dia, assim como o preconceito. “Em junho deste ano, estava com meu namorado assistindo a um filme em Santos e fomos xingados de ‘viados’ dentro do cinema. Chamei a polícia na hora”, disse. 

Para a SDHPR, o crescimento das denúncias é um fator positivo para combater a violência homofóbica. A coordenadora da área LGBT, Samanda Freitas, diz que o desafio é apurar os crimes. “Precisamos melhorar o atendimento desses casos e isso passa por um treinamento dos policiais para que identifiquem os crimes de ódio LGBT e investiguem com o mesmo cuidado que as demais ocorrências”, afirmou.

Cerca de 26% dos casos acontecem nas ruas das grandes cidades. Em 2007, a transexual Renata Peron voltava de uma festa com um amigo quando nove rapazes os cercaram na Praça da República, centro da capital paulista. Trinta minutos de violência foram tempo suficiente para chutes, socos, xingamentos, três litros de sangue e um rim perdidos por Renata.

“Ninguém foi preso e fica um sentimento de pena. Nem bicho faz essas coisas. Passei seis meses fazendo terapia para entender a razão de ter sido agredida.” 
foto ilustrativa

Assassinatos


O filho de Avelino Mendes Fortuna, de 52 anos, não teve a mesma sorte. Nesta quinta-feira, 20, fez dois anos que Lucas Fortuna, de 28, morreu assassinado em Santo Agostim, no Grande Recife, em Pernambuco. Jornalista, foi espancado por uma dupla de homens e jogado ainda vivo no mar. Os assassinos foram presos e confessaram o crime por homofobia, mas no inquérito a polícia trata o caso como latrocínio. 

Depois da morte, Avelino virou ativista na ONG Mães pela Igualdade, que luta pelo fim da discriminação contra homossexuais e pelo engajamento dos pais LGBTs na vida de seus filhos. “O pai que não sai do armário juntamente com seu filho se torna cúmplice da morte e da agressão dele no futuro”, afirmou. “Um dos nossos objetivos é fazer com que os pais participem, lutem pelos direitos da sua família.”


Preconceito
foto ilustrativa

A discriminação e a violência psicológica, no entanto, estão entre as ocorrências mais comuns registradas na SDHPR e delegacias especializadas em Direitos Humanos. Cerca de 76% dos casos são de homossexuais que sofrem preconceito no trabalho, assédio moral e perseguição. No Maranhão, o professor universitário Glécio Machado Siqueira, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), tem sido alvo de ofensas pelos estudantes de Ciências Agrárias. “Desde o começo do ano, recebo ameaças, injúrias e boicotes das minhas aulas por causa da minha orientação sexual. Entrei em contato com todas as instâncias da universidade e a resposta que recebi foi o silêncio”, reclama.

A Organização dos Advogados do Brasil (OAB) entregou queixa-crime para a UFMA. A reportagem entrou em contato com a universidade, que não se manifestou. “É triste ver que em uma universidade, onde estamos para expandir conhecimentos, acontece essa homofobia velada. A minha tristeza foi convertida em luta pelos direitos humanos. Espero que mais homossexuais tomem coragem para fazer o mesmo.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
foto ilustrativa

Leia também:

https://br.noticias.yahoo.com/tr%C3%AAs-minutos-gay-sofre-viol%C3%AAncia-brasil-093000160.html

'Viúva negra' japonesa, suspeita de matar 6 homens, buscava novas vítimas


AFP/JIJI PRESS/AFP/Arquivos - Chisako Kakehi, de 67 anos, é vista em 13 de março de 2014, em Kyoto, Japão

A "viúva negra" japonesa, suspeita de ter assassinado seis de seus companheiros sentimentais, entre eles quatro maridos, para ficar com suas fortunas, buscava novas vítimas, divulgou nesta sexta-feira, 21, a imprensa local.

Chisako Kakehi, de 67 anos, foi presa na quarta-feira pela morte em dezembro de 2013 de Isao Kakehi, seu quarto marido, de 75 anos, em um caso noticiado há dias pelos meios de comunicação japoneses.

Depois de constatar que seu marido anterior havia morrido em setembro de 2013, também de maneira súbita, após um jantar a dois, a polícia decidiu fazer uma necropsia no quarto marido e o exame revelou traços de cianureto no sangue do falecido.

A polícia investiga agora se a viúva também não esteve envolvida com as misteriosas mortes de seus três maridos anteriores, e de dois outros companheiros sentimentais.

Segundo o jornal Asahi, que cita fontes policiais, ao longo de duas décadas a acusada manteve relacionamentos com uma dezena de homens, sete dos quais faleceram.

Ela conheceu a maioria deles através de agências matrimoniais, nas quais buscava homens idosos, ricos, sem filhos e que viviam sozinhos. Entre as especificações, Chisako Kakehi também preferia aqueles com alguma doença.

Ao longo dos anos e após a morte de seus companheiros, a mulher, que nega categoricamente estar envolvida nas mortes, herdou 1 bilhão de ienes (6,7 milhões de euros) em seguros de vida, imóveis e depósitos bancários, segundo a imprensa japonesa.

A idosa, funcionária de um banco, que tinha dezenas de contas bancárias com diferentes nomes, havia perdido boa parte de sua fortuna em produtos financeiros que deram errado, explicou o jornal Yomiuri, e quando se casou com o último marido, Kakehi, estava muito endividada, explicou a agência Jiji.

Segundo o jornal Nikkan Sports Daily, quando o último de seus maridos morreu, a acusada já mantinha relacionamentos com outros homens, possivelmente buscando entre eles sua futura vítima.

https://br.noticias.yahoo.com/vi%C3%BAva-negra-japonesa-suspeita-matar-6-homens-buscava-124438653.html

Fã processa Zezé di Camargo & Luciano após ser barrada em camarim


Zezé di Camargo & Luciano são processados por fã (Divulgação)

Uma fã da dupla Zezé di Camargo & Luciano, Carmen do Rócio Otto, 55, entrou com dois processos contra os cantores, de acordo com o jornal “Extra”, do Rio de Janeiro. A mulher exige reparação civil por danos morais. Os artistas serão ouvidos pelo juiz em breve.

O caso foi aberto porque Carmen ganhou um sorteio promovido pela rádio curitibana Caiobá FM e conseguiu o direito de conhecer os músicos no camarim do show. O evento foi realizado em Curitiba, em 2011.

Leia mais:

Porém, ela não esperava que a dupla se desentendesse e brigasse durante o trabalho. Com o estresse,Luciano, 41, acabou sendo internado em um hospital e Zezé di Camargo, 52, preferiu não receber nenhum fã no camarim. Por isso, Carmen perdeu a chance de ver os ídolos após o show.

https://br.celebridades.yahoo.com/blogs/notas-omg/fa-processa-zeze-di-camargo-luciano-apos-ser-barrada-124833924.html

Tombini deve ficar no BC; Levy e Barbosa estão entre Fazenda ou Planejamento, diz fonte.

Tombini deve ficar no BC; Levy e Barbosa estão entre Fazenda ou Planejamento, diz fonte
Por Por Jeferson Ribeiro e Luciana Otoni | Reuters – 5 horas atrás
Por Jeferson Ribeiro e Luciana Otoni
BRASÍLIA/SÃO PAULO (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff deve anunciar nesta sexta-feira sua nova equipe econômica composta por Nelson Barbosa, Joaquim Levy e Alexandre Tombini, disseram fontes do governo à Reuters.

Segundo uma dessas fontes, no momento já está definido que Tombini seguirá como presidente do Banco Central. As fontes, que falaram sob a condição de anonimato, não disseram quem seria o ministro da Fazenda e quem seria o titular do Planejamento. [nE6N0RZ01N]

"Será um dia longo", limitou-se a dizer uma das fontes.

Dilma estava reunida nesta manhã com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Na agenda da presidente, estavam previstos ainda "despachos internos" na parte da tarde.

Uma fonte do mercado financeiro também disse à Reuters sobre a equipe sendo formada por Levy, Barbosa e Tombini.

Os mercados financeiros reagiam positivamente aos nomes. O dólar e os juros futuros recuavam, enquanto a bolsa subia quase 2 por cento.

Dilma tinha considerado inicialmente o presidente Bradesco , Luiz Carlos Trabuco, para comandar a Fazenda, mas na fase atual da montagem dos principais titulares da equipe econômica já está fora de cogitação, segundo outra fonte do governo.

A presidente passou então analisar um outro nome do grupo Bradesco para compor sua equipe econômica. [nL2N0TA2AP]

Joaquim Levy esteve à frente do Tesouro Nacional na gestão do ex-ministro Antonio Palocci, quando o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula buscava conquistar a confiança dos agentes econômicos. Levy atualmente é o diretor-superintendente do Bradesco Asset Management, braço de gestão de recursos do Bradesco.

Nelson Barbosa também já integrou o governo, como secretário-executivo do atual ministro da Fazenda, Guido Mantega, até 2013. E enquanto esteve no governo sempre teve proximidade com a presidente. Ele chegou a ser especulado como sucessor de Mantega ainda durante os primeiros anos do governo Dilma.

Tombini preside o BC desde o início do governo e também já teve seu nome especulado para assumir a pasta da Fazenda.

Um indício de que Tombini se manteria na equipe econômica foi sua participação inesperada na reunião de cúpula do G20 na Austrália no último fim de semana.

DE OLHO NOS SINAIS

Uma outra fonte do governo próxima ao assunto disse à Reuters que, diante da preocupação em sinalizar mudanças na política econômica, tem circulado dentro do governo a possibilidade de o atual diretor de Administração do BC, Altamir Lopes, assumir o Tesouro Nacional.

De formação bastante técnica, Lopes é funcionário de carreira da autoridade monetária e conhecido por seu cuidado ao gerenciar finanças. Além disso, quando era chefe do Departamento Econômico do BC, já chegou a trabalhar de maneira próxima a Levy quando este era secretário do Tesouro.

"Precisamos mostrar um política (econômica) clara e bem definida, e isso está bem colocado pelo perfil das pessoas (que devem compor a equipe econômica)", afirmou a fonte, sob condição de anonimato, acrescentando que o objetivo principal dessas mudanças é resgatar a confiança dos agentes econômicos em meio ao cenário político mais sensível devido à operação Lava Jato e suas consequências sobre a Petrobras .

"Estamos falando de uma ameaça de redução de rating do país. A questão da confiança passa pela questão fiscal", afirmou a fonte, referindo-se aos alertas feitos por agências de classificação de risco.

Sobre a mudança no comando do Banco do Brasil (BBAS3.SA> sobe esse novo cenário, a fonte disse que os nomes de Paulo Rogério Caffarelli (atual secretário-executivo do Ministério da Fazenda) e Alexandre Abreu, um dos vice da estatal, continuam no páreo.

Mas circulam também os de Aldo Mendes --atual diretor de Política Monetária do BC e ex-vice-presidente do BB-- e de Gustavo Vale, ex-diretor do BC e atual presidente da Infraero.

(Reportagem adicional de Patrícia Duarte e Guillermo Parra-Bernal, em São Paulo)

https://br.financas.yahoo.com/noticias/tombini-deve-ficar-no-bc-levy-e-barbosa-135344607--sector.html

A princesa da nossa história - Pricesa Isabel:

A princesa da nossa história
Por Cynthia_Almeida 

Isabel, uma leonina mandona e bem educada

Hoje é o dia da Consciência Negra e Mulheres Incríveis celebra aqui uma mulher que faz parte da longa e sofrida história da libertação dos negros no Brasil. 

Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga, mais conhecida como Princesa Isabel e historicamente reconhecida pela assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, filha e herdeira do trono do último Imperador do Brasil, viveu a seu tempo um destino que, no século 19 e nas monarquias em geral, era o de um rapaz. Algumas das histórias mais saborosas e comoventes da vida de Isabel estão no livro A História da Princesa Isabel amor, liberdade e exílio, biografia escrita por Regina Echeverria, lançado esta semana pela editora Versal.


O livro é um mergulho fascinante na nossa história e revela em sua protagonista uma jovem que nada tinha de frágil ou submissa. “Pra começar”conta Regina, “ela era uma leonina mandona”. Tornou-se herdeira do trono mesmo sendo mulher, aos 4 anos, porque seus dois irmãos, um mais velho e outro mais novo, morreram crianças. Por conta dessa posição (que exerceu durante 3 regências), recebeu uma educação que naquele tempo beneficiava apenas os meninos: foi alfabetizada pessoalmente pelo pai, o letrado D. Pedro II, e estudou com os mais preparados preceptores da corte: matemática, física, química, biologia, história, latim. Era um regime rígido de 10 horas de estudo por dia. Aos 10 anos, passou a ser educada por uma mulher muito culta, de fina educação francesa, Luisa Margarida Portugal e Barros, a condessa de Barral ( por quem D. Pedro arrastava uma asa). Sua educação sofisticada fez dela uma incansável redatora de cartas. São mais de 3 mil, redigidas em um português impecável, muitas delas reproduzidas no livro.

A princesa era muito religiosa e seu lado carola foi determinante para sua postura humanitária com os escravos. Comprava cartas de alforria e escondia negros que fugiam. Alguns, acredita-se , no próprio palácio. Gozava de prestígio em um célebre quilombo do Rio de Janeiro, uma fazenda no Leblon onde os escravos libertados cultivavam camélias. Isabel recebia uma camélia por dia em seu palácio e a flor se tornou o símbolo da luta abolicionista. Quem era a favor da causa tinha uma camélia na porta de casa.

Isabel casou-se com um marido arranjado, naturalmente, Gastão de Orleans, o conde d’Eu, mas foi, durante a vida toda apaixonada por ele, o que fica muito claro nas mais de mil cartas de amor que trocou com o marido. Era uma dona de casa impecável e, ao mesmo tempo, uma mulher corajosa: uma das passagens mais marcantes da sua vida, narrada no livro, foi o longo e trágico parto da primeira filha, que durou 50 horas e terminou com a morte do bebê dentro do útero de onde foi tirada por fórceps em um processo doloroso e sem anestesia que durou muitas horas e teve a intervenção do próprio imperador.

Salve Isabel, que deu um desfecho feliz à luta de nossos bravos abolicionistas, em um momento de grande emoção, como na cena descrita na biografia: “José do Patrocínio, emocionadíssimo, ajoelhou-se a seus pés querendo beijá-los. E levantando-se, pronunciou a sua mais vigorosa oração em torno da total emancipação dos seus irmãos cativos. Joaquim Nabuco, trêmulo de contentamento, anunciou de uma das janelas do Paço, ao povo, que não mais havia escravidão em terras de Santa Cruz.”

https://br.mulher.yahoo.com/blogs/mulheres-incriveis/a-princesa-da-nossa-historia-134549609.html

Governo reduz previsão de receita em R$ 38 bi e eleva despesa em R$ 32 bi.

Governo reduz previsão de receita em R$ 38 bi e eleva despesa em R$ 32 bi.
POR DINHEIRO PÚBLICO & CIA21/11/14 19:03
A exatos 40 dias do final do ano, o governo Dilma Rousseff admitiu, na prática, que superestimou sua previsão de receitas e subestimou a de despesas -e deu dimensões mais precisas desse irrealismo.

Divulgado nesta sexta-feira (21), o relatório bimestral da execução orçamentária projetou que a arrecadação de tributos e outras fontes de recursos somará R$ 1,046 trilhão em 2014. Até setembro, a área econômica previa um montante superior em R$ 38,4 bilhões.

Já a estimativa de despesas aumentou R$ 32,3 bilhões, para R$ 1,039 trilhão. Só com seguro-desemprego e abono salarial, a previsão de gastos cresceu R$ 8,8 bilhões; com benefícios da Previdência, R$ 8,1 bilhões; com subsídios para as contas de luz, R$ 1,5 bilhão.

Com as novas projeções, o Executivo assume formalmente que não cumprirá a meta de poupar R$ 80,8 bilhões para o abatimento da dívida pública. No documento publicado, a poupança calculada é de apenas R$ 10,1 bilhões -mas nem isso é certeza.

O governo enviou neste mês ao Congresso um projeto que sepulta a meta. O texto permite até que as contas federais fechem no vermelho, ou seja, com gastos acima das receitas.

A estratégia do Planalto neste ano reeleitoral foi trabalhar com uma projeção excessivamente otimista de receitas para, assim, evitar cortes de despesas.
Pela Lei de Responsabilidade Fiscal, as despesas devem ser bloqueadas quando a arrecadação é reestimada para baixo nos relatórios bimestrais do Orçamento. Dessa forma, a legislação procura garantir o cumprimento da meta fixada para a poupança do ano.

O relatório bimestral ainda reduz as previsões para o crescimento neste ano, de 0,9% para 0,5%, e em 2015, de 3% para 2%. Ainda assim, trata-se de otimismo: o mercado prevê 0,2% em 2014 e 0,8% no próximo ano.

http://dinheiropublico.blogfolha.uol.com.br/2014/11/21/governo-reduz-previsao-de-receita-em-r-38-bi-e-eleva-despesa-em-r-32-bi/

Evite exercícios durante gripes, infecções virais e problemas musculares



A prática de atividades físicas pode agravar a doença e levar a mais dias de afastamento dos exercícios


Embora o inverno tenha chegado ao fim, as grandes variações de temperatura e aquela chuva que nos pega desprevenidos no fim do dia podem deixá-lo gripado, resfriado, com faringite, sinusite, ou seja, infecção de vias aéreas superiores. 


Você acorda disposto a manter seu ritmo ditado pela busca do verão "sarado" mas sente uma moleza, nariz entupido que dificulta a respiração, mãos e pés frios e testa quente. O dia nublado com alternância de garoa e chuva um pouco mais intensa. O que fazer? Voltar para a cama ou calçar o tênis? 


Mas você é um cara de sorte. A primavera chegou sem aquela gripe anual de inverno. E você está pronto para a conquista da "barriguinha sarada" para o verão. Mas, a passagem pelo banheiro, com cólica, náuseas, com ou sem vômitos, sensação de febre e aquela diarreia, trazem a lembrança do bar na esquina do trabalho, uma água bebida naquele bebedouro duvidoso... E a mesma dúvida vem à mente: calçar o tênis ou voltar para a cama - perto do banheiro, naturalmente! 


Ou ainda, você consome água de procedência conhecida, traz comida de casa, tomou vacina para gripe, mas, é sexta feira, tem aquela festa da empresa e, lembrando os bons tempos de "pé de valsa", você dançou com um gingado daqueles bons tempos, mas com as articulações dos novos tempos. Resultado: os joelhos incharam, o tornozelo ficou quente e vermelho e o tendão de Aquiles doendo a ponto de não conseguir encostar o calcanhar no chão. 


Você acaba levantando mais tarde, já que ninguém é de ferro, cambaleia até o banheiro com dificuldade imposta pelas dores do esforço hercúleo e não habitual e pensa que o projeto verão tem 3 meses para dar certo: o que fazer? Calçar o tênis ou voltar para a cama? 


Caro leitor, em todas essas situações você deve optar por voltar para a cama e dar o tempo e tratamento necessários para seu corpo se recuperar. Poupe a energia que seria gasta nas atividades propostas pelo seu projeto verão, evitando agravar uma condição transitória e atrasar a sua recuperação. 


As infecções virais, resfriados e gripes, tem um curso definido e duração prevista, dispensando tratamentos além da medicação sintomática, para alívio da febre, coriza, entre outros. 


O comprometimento da defesa forçando um gasto energético na atividade física pode favorecer infecções por bactérias oportunistas. Você pode trocar a simples gripe por uma amidalite, ou mesmo uma pneumonia. Estas infecções mais graves impõem uso de antibióticos e o tempo de repouso será mais prolongado, atrasando ainda mais seu projeto verão. 


O melhor a fazer é curtir a gripe, o resfriado. E ao retomar o treino, faça-o com cautela, diminuindo o volume semanal, para gradativamente chegar ao ritmo habitual. Se você interromper por uma semana, programe o retorno para duas semanas, por exemplo. 


A gastroenterocolite aguda, a diarreia, o "piriri", têm como grande complicação a desidratação. Não preciso comentar o quanto a água é importante na atividade física e a falta que ela faz. Sem contar que o exercício só agrava a sua condição pela perda adicional de água que ele traz. Mais uma vez, fique perto do banheiro e da água que o sofrimento não tomará mais do que dois dias e, seu treino, um pouco mais leve no recomeço, poderá ser retomado. 


Talvez o mais difícil na recuperação da dança que provocou tantas dores seja a do orgulho. O movimento não habitual provoca processos inflamatórios que desaparecem em 2 a 3 dias, de maneira espontânea, dispensando tratamento, exceto por analgésicos ou anti-inflamatórios no combate à dor e desconforto. 


Insistir com exercícios nessas situações é criar condições para que ocorram complicações que custarão muito mais do que dois ou três dias de treinamento. Insistir com exercícios mais intensos, que fazem parte do seu projeto verão, pode resultar em rupturas musculares, tendinites ou até rupturas tendíneas. Mais uma vez, espere as dores passarem e retome gradativamente suas atividades. Você não vai se arrepender. 


Nunca desista de fazer exercícios regulares. Eles só têm a oferecer melhora para sua saúde. Mas, como tudo na vida, use com sabedoria e moderação. 


Conheça os prós e os contras do café


Você não fica sem um cafezinho? Especialista revela os prós e os contras sobre o consumo da bebida

A bebida de sabor e aroma marcantes é controversa. De tempos em tempos surgem pesquisas defendendo e outras criticando o seu consumo. O que se sabe é que em doses moderadas, até três xícaras por dia, o café é benéfico para a saúde. Renata Castro, cardiologista do Esporte e especialista em Fisiologia do Exercício do Vita Check Up Center (RJ), lista os prós e os contras do café. 

Prós­

Por ser estimulante, aumenta o estado de atenção


Melhora a disposição


Traz mais desempenho em exercícios de explosão

Seguindo a recomendação diária, reduz as chances de enfarte


Contras­


Em doses elevadas, pode atrapalhar a qualidade do sono


Faz a pressão arterial subir

Causa ansiedade e irritabilidade

Pode deixar a pessoa que tem predisposição mais suscetível à dor de cabeça e náuseas



Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/nutricao/conheca-os-pros-e-os-contras-do-cafe/7157 - Redação Corpo a Corpo | Adaptação: Nathália Henrique - Foto: Danilo Tanaka

Sete maneiras de aumentar felicidade e sua satisfação com a vida


Felicidade é a maior busca humana. Todos nós experimentamos picos emocionais ao longo de nossas vidas – com uma promoção no trabalho, no dia do nosso casamento, com o nascimento de um filho etc. Mas esses momentos produzem sentimentos temporários de euforia, e especialistas dizem que não são suficientes para alcançar a verdadeira felicidade.


A felicidade não é apenas um estado emocional. Décadas de pesquisa provam que é algo muito mais profundo. Na verdade, a ciência mostra que as pessoas felizes vivem vidas mais longas e saudáveis.


A boa notícia é que possível ser feliz tomando pequenas atitudes, independentemente do nosso meio ambiente ou genética.


Confira sete maneiras de aumentar felicidade e sua satisfação com a vida:


Seja positivo
Um estudo da Universidade de Harvard (EUA) descobriu que os otimistas não só são mais felizes, como são 50% menos propensos a ter doença cardíaca, um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral.
A conclusão é que manter uma perspectiva positiva oferece proteção contra doenças cardiovasculares. Já os pessimistas têm níveis mais baixos de felicidade em comparação com os otimistas e têm três vezes mais chances de desenvolver problemas de saúde à medida que envelhecem.


Aprenda com as pessoas que já são felizes
A Dinamarca vira e mexe ganha o primeiro lugar em qualquer índice que mede o bem-estar e a felicidade dos países de todo o mundo. O que faz dessa a nação a mais feliz do mundo?
Claro, coisas como a expectativa de vida, produto interno bruto e baixa corrupção ajudam – e muito. Mas o nível geral de felicidade na Dinamarca tem mais a ver com a generosidade que é comum entre os cidadãos, a liberdade que eles têm para fazer escolhas de vida e um sistema de apoio social forte, de acordo com a Organização das Nações Unidas.


Trabalhe menos
Os dinamarqueses parecem ter um grande equilíbrio entre vida e trabalho, o que aumenta seu nível de felicidade. Simplificando: eles não trabalham em excesso. Na verdade, a semana de trabalho média na Dinamarca é de 33 horas – apenas 2% dos dinamarqueses trabalham mais de 40 horas por semana.
Quase 80% das mães na Dinamarca voltam ao trabalho depois de ter um filho, mas equilibram o seu tempo livre entre a família, amigos e programas na sua comunidade.


Concentre-se em experiências
Dinamarqueses também dão menos atenção a dispositivos eletrônicos e coisas, e mais atenção para a construção de memórias. Estudos mostram que pessoas que se concentram em experiências ao invés de se focar em “ter coisas” têm níveis mais elevados de satisfação, mesmo muito tempo depois que a experiência passou.
Comprar muitas vezes leva a dívidas, para não mencionar o tempo e o estresse associado com a manutenção de todos os dispositivos, carros, propriedades, roupas, etc.
Os pesquisadores dizem que quando as pessoas se concentram em experiências, elas sentem uma maior sensação de vitalidade ou “de estar vivo” tanto durante o momento quanto depois.
As experiências também unem mais as pessoas, o que pode contribuir para a sua felicidade.


Construa uma rede social
Ao simplesmente ser social, você poderia viver mais tempo. A pesquisa mostra que um sistema de apoio social forte pode aumentar nossa expectativa de vida.
Os telômeros são as pequenas tampas em nossos cromossomos do DNA que indicam a nossa idade celular. De acordo com especialistas, não ter amigos pode ser igual a telômeros mais curtos e, por sua vez, uma vida mais curta.
Outros estudos mostraram que a solidão leva a maiores taxas de depressão, problemas de saúde e estresse. Ou seja, vale a pena ter pelo menos um amigo próximo para aumentar seu nível de felicidade e saúde.


Se voluntarie
Pessoas que se voluntariam são mais felizes, concluíram dezenas de estudos. A ONU credita o voluntariado como uma das razões para a Dinamarca ser o país mais feliz do mundo – 43% dos dinamarqueses regularmente doam seu tempo para boas ações em sua comunidade.
A alegria de ajudar os outros começa cedo. Um estudo de 2012 descobriu que crianças preferem dar do que receber. Os pesquisadores deram a dois grupos de crianças lanches e, em seguida, pediram que um dos grupos oferecesse esses lanches a outras pessoas. As crianças que entregaram os seus lanches mostraram maior felicidade sobre a partilha de seus bens, o que sugere que o ato de sacrifício pessoal é emocionalmente gratificante.
O sacrifício não tem que ser grande – pesquisas já sugeriram que doar tão pouco quanto US$ 5 gera benefícios emocionais.
Realizar atos de bondade, se voluntariar e doar dinheiro aumentam a felicidade, melhorando o seu senso de comunidade, propósito e autoimagem.

Comece a rir
Estudos mostram que rir não apenas sinaliza felicidade, mas sim a produz. Quando rimos, nossos hormônios do estresse diminuem e nossas endorfinas aumentam. Endorfinas são as mesmas substâncias químicas que o cérebro associa com aquele “impulso” que as pessoas recebem do exercício físico.
Rir também faz bem para o coração. Um estudo descobriu que apenas 8% dos pacientes cardíacos que riram diariamente tiveram um segundo ataque cardíaco dentro de um ano, em comparação com 42% dos que não riram.
Estudos ainda mostram que nosso corpo não consegue diferenciar entre o riso falso e o real – as pessoas recebem benefícios de saúde de qualquer maneira. Sendo assim, você pode forçar-se a rir mais, pelo menos um pouco todos os dias, até que você tenha verdadeiros motivos para sorrir. [CNN]


IPI de carros sobe em janeiro, dizem fabricantes após falar com Mantega Presidente da Anfavea, Luiz Moan, diz que alíquota 'cheia' será retomada. 'Questão do IPI já era fato consumado. Não tenho dúvidas [que sobe]', diz.

IPI sobe em janeiro (Foto: Caio Kenji/G1)

Após conversa com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em Brasília, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, declarou, nesta quinta-feira (20), que o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre os automóveis terá aumento em janeiro de 2015.

"A questão do IPI já era para nos um fato consumado. Eu não tenho dúvidas [que em janeiro sobe]. Obviamente que eu toquei no assunto [do IPI com o ministro da Fazenda], mas a posição, como sempre, desde as reuniões anteriores, é de que há uma decisão do governo pela implementação da alíquota cheia do IPI em janeiro. Eu não pedi explicação. Essa é a posição do Ministério da Fazenda. Se vai ser repassado [para os preços], é uma decisão individual de cada empresa", disse Moan a jornalistas.

Montadoras preveem vendas maiores em 2015
Mesmo com o aumento esperado no IPI de automóveis a partir de janeiro de 2015, o presidente da Anfavea disse que o setor espera vender mais carros no próximo ano e acrescentou que, até o momento, também não estão previstas demissões. Ele não deu estimativa, porém, sobre a alta de vendas esperada para o ano que vem.

"Eu acho que, como sempre, a indústria automobilística tem seus trabalhadores em um nível muito qualificado, o que significa investimento em treinamento muito forte. E a indústria sempre evitou fazer uma redução do pessoal em função desse investimento que foi feito. Vamos lutar o máximo possível para continuar produzindo e, principalmente, vendendo", declarou Moan.

Ajuste nas contas públicas
A expectativa de aumento do IPI de carros em janeiro do próximo ano acontece em um momento que o governo tem de implementar um ajuste nas contas públicas, que registraram forte deterioração neste ano, para tentar retomar a confiança do empresariado e evitar pressões inflacionárias adicionais. Além do aumento de tributos, o governo também pode cortar benefícios - segundo economistas ouvidos pelo G1.

Alíquotas do IPI
Em junho deste ano, o governo anunciou que as alíquotas reduzidas do IPI para carros seriam mantidas até o fim do ano. Para os carros populares (com motor 1.0), o IPI, que está em 3%, deverá avançar, se a decisão do Ministério da Fazenda for confirmada, para 7% em janeiro - um aumento de quatro pontos percentuais.

Para carros com motor entre 1.0 e 2.0 flex, a alíquota do IPI segue em 9% até o fim deste ano, mas deverá subir para 11% (alíquota cheia) a partir de janeiro do ano que vem. Para os veículos com a mesma faixa de motorização, mas movidos apenas a gasolina, a alíquota é de 10% até o fim de 2014, mas deve avançar para 13% em 2015.

Para carros com motor maior do que 2.0 litros, já era válida a alíquota normal (não houve desconto), de 18% para os flex e 25% para os movidos a gasolina. O IPI para os utilitários é mantido em 3%, quando a alíquota normal é de 4% a 8%.

Crédito para veículos retorna
O presidente da Anfavea, Luiz Moan, avaliou também que o crédito bancário para compra de veículos está retornando. "Já tivemos em setembro uma melhoria de quase 8% no número de veículos financiandos. Em outubro, subiu em torno de 10%. Na última sexta-feira, houve aprovação da nova lei de retomada do veículo, que premia o consumidor adimplente. Que possibilita a redução do custo de financiamento, dá segurança jurídica para o sistema financeiro e uma vontade do sistema financeiro de voltar ao mercado financiando veículos", declarou ele.


http://g1.globo.com/topico/economia.html

Geografia - O rato do Campo e o rato da cidade


Texto e atividades interdisciplinares e de interpretação de texto para 4º ano de Geografia

O rato do campo e o rato da cidade
rato
"Era uma vez um rato que morava na cidade que foi visitar um primo que vivia no campo." O rato do campo era um pouco arrogante, mas gostava muito do primo e recebeu-o com muita satisfação. Ofereceu-lhe o que tinha de melhor: feijão, toucinho, pão e queijo. O rato da cidade torceu o nariz e disse:- Não posso entender primo, como consegues viver com estes pobres alimentos. Naturalmente, aqui no campo, é difícil obter coisa melhor. Vem comigo e eu te mostrarei como se vive na cidade. Depois que passares lá uma semana ficarás admirado de ter suportado a vida no campo.
Os dois puseram-se, então, a caminho. já era noite quando chegaram à casa do rato da cidade. - Certamente que gostarás de tomar um refresco, após esta caminhada, disse ele polidamente ao primo. Conduziu-o até à sala de jantar, onde encontraram os restos de uma grande festa. Puseram-se a comer geleias e bolos deliciosos. De repente, ouviram rosnados e latidos. - O que é isto? Perguntou assustado, o rato do campo. - São, simplesmente, os cães da casa, respondeu o da cidade. - Simplesmente? Não gosto desta música, durante o meu jantar.             

Neste momento, a porta abriu-se e apareceram dois enormes cães. Os ratos tiveram que fugir a toda pressa. - Adeus, primo, disse o rato do campo. Vou voltar para minha casa no campo. - Já vais tão cedo? Perguntou o da cidade. - Sim, já vou e não pretendo voltar, concluiu o primeiro.


Moral da história:

Mais vale uma vida modesta com paz e sossego que todo o luxo do mundo com perigos e preocupações.


Fábula de Esopo


Geografia


1) Faça a relação entre as colunas abaixo:



AGRICULTURA* Atividade de extrair recursos da natureza.
PECUÁRIA* Atividade de cultivo da terra.
EXTRATIVISMO
* Atividade de criação de animais para produção de alimentos e de matérias-
primas.
                    
2) Faça um x na alternativa correta.

Para que a agricultura se desenvolva satisfatoriamente, ela precisa de condições favoráveis como:

(   ) muitos trabalhadores para plantar e colher.
(   ) muito sol e pouca chuva.
(   ) terrenos planos, solos férteis, temperatura adequada e água para regar.
(   ) terras montanhosas.

3)Coloque no parênteses:

(  S ) para características da agricultura de subsistência
(  C ) para características da agricultura comercial

(       ) Base no trabalho familiar.
(       ) Utilização de técnicas simples.
(       ) Utilização de técnicas avançadas.
(       ) Produção para o próprio sustento.
(       ) Produção destinada ao comércio.
(       ) Investimento em pesquisa para melhorar a lavoura.

  1. Com base no que você respondeu acima, o que é agricultura de subsistência e agricultura comercial?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


4) Coloque F (falso) ou V (verdadeiro) para as afirmações abaixo:
(  )A agricultura e a pecuária são conhecidas como atividades agropecuárias.
(    ) Erosão é o estado do solo pronto para plantar.
(    ) O gado suíno refere-se a bois e vacas.
(    ) Apesar de serem atividades importantes, a agropecuária e o extrativismo trazem alguns impactos negativos para o ambiente.

5) Complete as lacunas utilizando o banco de palavras.
A exploração da madeira é a principal atividade do___________________________________________.

A caça e a pesca são atividades do ______________________________.

O __________________________________ é realizado para obter a matéria-prima do alumínio.

extrativismo animalextrativismo mineralextrativismo vegetal



Leia toda a avaliação antes de entregar e lembre-se que você estudou e revisou todo o conteúdo apresentado na prova.

BOA PROVA!

http://www.atividadesparacolorir.com.br/2013/06/geografia-o-rato-do-campo-e-o-rato-da.html

Ortografia S depois de consoante


Atividade de ortografia para 3º, 4º ou 5º ano com a utilização da letra S antes de consoante.
http://www.atividadesparacolorir.com.br/2013/06/ortografia-s-depois-de-consoante.html

Ortografia das letras T e D

Atividade de ortografia para 3º, 4º ou 5º ano com a utilização das letras T e D.

http://www.atividadesparacolorir.com.br/2013/06/ortografia-das-letras-t-e-d.html

Atividades de ortografia para 3º, 4º ou 5º ano

Atividade de ortografia para 3º, 4º ou 5º ano com a utilização de dígrafos.


Atividade de ortografia para 3º, 4º ou 5º ano com a utilização das letras L, R ou S.

http://www.atividadesparacolorir.com.br/2013/06/atividades-de-ortografia-para-3-4-ou-5.html

Tartaruga Marinha com Garrafa PET


Vamos fazer atividades com as crianças! EVA e fundo de garrafa pet para fazermos uma tartaruga marinha flutuar.

O que temos aqui é uma idéia legal para as crianças: garrafas plásticas recicladas irão se tornar linda tartarugas! Não é ótimo? ... E não é difícil de ser colocada em prática. Você pode trabalhar em sala de aula com seus alunos, ou até mesmo com seus filhos e toda a família vai se divertir um pouco juntos: em primeiro lugar, quando criá-los e depois, quando brincar com eles (esta parte a maioria irá ser muito apreciada por seus filhos). 
O que você vai precisar: 
Folhas de EVA
Fundos de garrafa PET
Caneta marcadora (aquelas de escrever em CDs)
tesoura, agulha, linha de bordar, botões, cola

Corte o fundo da garrafa pet e coloque em cima da folha de EVA, circule o fundo e faça as patas da tartaruga, a cabeça e a cauda.

Recorte e fixe o fundo da garrafa PET com cola quente (acho mais seguro, mas se quiser, tente com cola normal)

Agora, costure com a linha de bordar, o “casco” da tartaruga.

Com um botão, enfeite em cima do casco da tartaruga, feito com a garrafa PET, 
faça o rostinho da tartaruga com a caneta e insira um pequeno buraco com a tesoura no fundo da folha de EVA.
Prontinho! Agora coloque na água!

Você pode também enfeitá-la com pedrinhas em seu interior.
Ou fazer um belo cofre para as crianças! 
De toda forma, essa atividade trabalha com reciclagem, imaginação, criatividade, o faz-de-conta infantil.

Fonte: krokotak
http://www.atividadesparacolorir.com.br/2013/08/tartaruga-marinha-com-garrafa-pet.html

Imagens para regras de convivência

























Sempre é bom trabalhar com a turma os combinados de sala de aula. E às vezes, até mesmo revê-los. Uma boa opção também é fazer cartazes com as regras de convivência. Seguem então imagens para sua utilização na elaboração das regrinhas de sala de aula!

http://www.atividadesparacolorir.com.br/2014/04/imagens-para-regras-de-convivencia.html