1

1

Google+ Followers

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Atividades variadas - República

http://www.pragentemiuda.org/2008/05/atividades-variadas-republica.html

Uma carta à República


http://www.pragentemiuda.org/2008/05/uma-carta-republica.html

Diálogo - Proclamação da República

http://www.pragentemiuda.org/2008/05/dialogo-proclamacao-da-republica.html

Bandeira, República e Consciência Negra.


A idéia, unindo as 03 datas, é super legal!
Bandeira feita com colagem de papel crepom. Mas você pode inovar e usar outros materiais: experimente usar grãos de café torrado, ou café móido para fazer o personagem central da Bandeira.

Idéia retirada da net.

http://www.pragentemiuda.org/2010/10/bandeira-republica-e-consciencia-negra.html

AÇAÍ: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES DO SUCO, FRUTA E POLPA


Açaí – Euterpe oleracea

O açaí (Euterpe oleracea) é uma das plantas medicinais mais importantes da Amazônia e sempre foi uma importante fonte de alimento para as populações indígenas e ribeirinhas do Brasil. É conhecido nos Estados Unidos como acai berry e Amazon palm berry.

O açaí é um arbusto perene nativo das floresta tropical Amazônica, com pequenas e redondas frutas roxas, com aparência semelhante as uvas. A semente do açaí é muito grande e ocupa a maior parte da fruta. O açaí é tradicionalmente servido em cuias (tigelas redondas indígenas), misturado com tapioca, açúcar ou mel. As frutas do açaí são liofilizadas e transformadas em pó, sucos, cremes e suplementos nutricionais, vez que o açaí é um alimento altamente energético.
Benefícios do açaí

As propriedades energizantes e antioxidantes do açaí o tornaram um alimento natural muito popular em várias partes do Brasil e do mundo. A planta foi primeiramente utilizada por tribos da Amazônia para diversos fins medicinais, dentre elas por possuir a capacidade de fortalecer o sistema imunológico, combater infecções, fortalecer e proteger o coração de doenças cardíacas, e até mesmo como um remédio natural para a disfunção erétil (impotência sexual).

O açaí é um excelente tônico natural que pode ser facilmente incorporado na maioria das dietas e regimes diários de alimentação para melhorar a disposição e a resistência. Contudo, deve-se sempre comprar açai de fontes confiáveis. Em forma de suplemento, o açai liofilizado é usado para fazer cremes, sorvetes, sucos, além de muitas vezes ser misturado com outras frutas e alimentos antixiodantes. A fruta fresca é disponível somente em apenas em regiões de florestas tropicais, como é o caso da Amazônia, situada na região Norte do Brasil.

O açaí e considerado um dos alimentos mais nutritivos disponíveis no mercado, razão pela qual muitas pessoas que o consomem, principalmente em forma de suplemento, creme ou suco de açaí, que quando ingerido com moderação, pode trazer benefícios para a saúde. Um estudo realizado pela Universidade Estadual da Flórida (EUA) mostrou que a fruta do açaí possui um enorme potencial para ajudar pessoas que possuem condições debilitadas de saúde e pode até mesmo trazer benefícios para o tratamento de cânceres, vez que supostamente pode enfraquecer ou até mesmo destruir células cancerígenas.

O açai é recomendado para praticantes de atividade física que não querem acumular peso, vez que as propriedades naturais estimulantes que estão presentes no açaí muitas vezes são até mais benéficas do que a ação estimulante de bebidas como o café e outros remédios industrializados. A fruta do açaí deixa a pessoa mais fortalecida, revigorada e saciada do ponto de vista da fome, o que fará com que o organismo queime mais calorias, trabalhe por mais tempo e faça menos esforço, ao mesmo tempo que ajuda no ganho de massa muscular magra. Além disso, o açaí ajuda na eliminação de resíduos pelo corpo. Contudo, o açaí se torna útil quando já existe hábitos saudáveis, incluindo dietas equilibradas combinadas com prática de exercícios físicos.

Saiba mais

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/acai-beneficios-propriedades.html

COGUMELO-DO-SOL: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS


Cogumelo-do-sol – Agaricus blazeiO cogumelo-do-sol é uma planta medicinal também conhecida como agaricus (Agaricus blazei Murill), cogumelo-sol, cogumelo-de-Deus, cogumelo-da-vida, cogumelo-amêndoa, fungo-brasileiro, himematsutake mushroom e royal sun agaricus (inglês), dentre outros. O cogumelo-do-sol de nome popular inclui as espécies Agaricus blazei, Agaricus subrufescens, Agaricus sylvaticus, Agaricus brasiliensis e Agaricus rufotegulis.


Benefícios do cogumelo-do-sol

O cogumelo-do-sol é comestível, possui sabor adocicado e aroma de amêndoas, sendo um dos cogumelos mais populares na medicina natural e culinária por sua textura e sabor. É considerado um cogumelo medicinal, vez que estudos indicam que ele pode tratar doenças cardiovasculares, hepatite, diabetes, doenças de pele, além de regular o sistema imune. Alguns estudos sugerem que o cogumelo-do-sol possui um efeito benéfico no colesterol, inibindo fatores patogênicos e a angiogênese.

Devido ao fato do cogumelo-do-sol possuir um alto nível de beta-glucanas, compostos conhecidos por estimularem o sistema imunológico, o fungo é usado na terapia oncológica no Japão e no Brasil. Além das beta-glucanas, o efeito do cogumelo-do-sol sobre o sistema imunológico se deve a outros polissacarídeos, tais como as alfa-glucanas. No Japão, o Agaricus é utilizado por um número estimado de 500.000 pessoas, além de ser o remédio natural mais popular da medicina complementar e alternativa usada por pacientes com câncer. Tem-se observado cientificamente que a variação da qualidade no cultivo do Agaricus pode afetar a capacidade do cogumelo de benefíciar as células do sistema imunológico. O cheiro de amêndoas do cogumelo-do-sol é devido à presença de benzaldeído, álcool benzílico, benzonitrila e benzoato de metilo.

Essa espécie de cogumelo, nativa do Brasil, é amplamente cultivada no Japão em função de suas propriedades medicinais. O Agaricus blazei tem sido utilizada na medicina complementar e alternativa para o tratamento de muitas doenças imunológicas e está sendo estudado como potencial alternativa natural para o tratamento de câncer. Era tradicionalmente usada para tratar muitas doenças comuns, incluindo doenças cardiovasculares, hepatite, colesterol alto, diabetes e doenças de pele, como o eczema. Pesquisas em animais sugerem que o Agaricus pode diminuir os níveis de glicose no sangue e melhorar a resistência à insulina.

Uma pesquisa realizada com células animais mostrou que o Agaricus pode estimular células do sistema imunológico a produzirem citocinas, como interferons e interleucinas. Além disso, os cogumelos Agaricus são conhecidos por conterem propriedades anti-virais em culturas de células, no entanto, a capacidade do cogumelo em inibir alguns vírus no corpo humano ainda não foi amplamente estudada. Outros cogumelos também são conhecidos por possuírem propriedades anti-virais, antibacterianas e antifúngicas.

O pesquisador Richard Kerrigan realizou testes genéticos e de interfertilidade em várias cepas fúngicas e mostrou que as amostras das linhagens brasileiras chamadas de Agaricus blazei e Agaricus brasiliensis foram geneticamente semelhantes a variedade americana Agaricus subrufescens. Os mesmos testes também comprovaram a semelhante da variedade europeiaAgaricus rufotegulis. A única diferença é que o Agaricus subrufescens é o nome mais antigo e, por isso, possui prioridade taxonômica.
Contraindicações e efeitos colaterais do cogumelo-do-sol

O cogumelo-do-sol pode diminuir a taxa de açúcar em pacientes com diabetes. Alguns outros efeitos colaterais podem incluir prurido, náuseas, diarreia e reações alérgicas

História e curiosidades

O Agaricus foi primeiramente descrito pelo botânico americano Charles Horton Peck em 1893. No final do século XIX e início do século XX, era cultivado no leste dos Estados Unidos e foi redescoberto mais uma vez no Brasil durante os anos 1970 e identificado como sendo o Agaricus blazei Murill, uma espécie identificada originalmente na Flórida. O cogumelo-do-sol se forma individualmente ou em grupos em folhas caídas em solo rico, muitas vezes em ambientes domésticos. Foi originalmente encontrada no nordeste dos Estados Unidos, mas foi encontrada crescendo selvagem na Califórnia, Havaí, Grã-Bretanha, Holanda, Israel, Taiwan e Brasil.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/cogumelo-do-sol-agaricus-blazei.html

COCO: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES DA ÁGUA, LEITE E ÓLEO DE COCO.


Coco – Cocos nucifera

O côco (Cocos nucifera) é a única espécie do gênero Cocos, uma palmeira de grande porte que atinge até 30 metros altura, sendo que o côco é o fruto do coqueiro. Pertence a família Areceae.

A medicina ayurveda reconhece as propriedades do coco e o usa há mais de 4.000 anos em suas diversas formas para tratar uma variedade de problemas de saúde e nutrir o corpo. O coco possui propriedades medicinais para combater abscessos, afecções respiratórias, angina, asma, artrite, bronquite, cistite, colesterol alto, cólicas abdominais, desnutrição, diarreias, dores comuns, falta de apetite, febre, icterícia, inflamação do canal da uretra, irritações gastrointestinais, pele seca e danificada, tosse, úlceras gástricas, dentre outros.
Por que beber água de coco?

A água de coco é o líquido doce hidratante encontrado dentro do coco fresco, que não pode ser confundido com o óleo de coco. Além de açúcares naturais, a água de coco possui um conjunto composto de vitaminas e minerais, o que a torna uma bebida saudável. A água de coco é rica em potássio, cloretos, cálcio e magnésio, e possui uma pequena quantidade de sódio, açúcar e proteínas, sendo livre de gordura. Embora o conteúdo mineral permaneça praticamente constante, o açúcar e as concentrações de proteína aumentam à medida que a fruta amadurece.

O gosto da água de coco varia de acordo com a maturidade do coco. A água verde (côco imaturo) é considerada como a melhor em sabor e qualidade. A água do coco maduro não é tão saborosa quanto a do coco verde.

A água de coco contém uma variedade de nutrientes, bem como minerais que vêm diretamente do mar. Os coqueiros crescem abundantemente na maior parte dos trópicos. Mesmo as pequenas ilhas mais remotas do mundo possuem cocos, vez que cocos que boiavam no mar chegaram a tais ilhas. Muitas vezes, a água de coco é o único líquido potável disponível, recebendo por esse motivo o apelido de “água da vida”, vez que já houve inúmeros relatos de náufragos que sobreviveram bebendo a água do côco.
Benefícios do óleo de coco no tratamento de pele

O óleo de coco é comprovadamente benéfico para pele seca e danificada, seja para deixar a pele com aspecto mais saudável, seja para auxiliar na cicatrização. Também é um excelente remédio natural para queimaduras, cortes contusões e até mesmo para a recuperação (cicatrização) de ossos quebrados. O óleo de coco constitui uma barreira protetora para manter a umidade e penetrar nas camadas mais profundas da pele para ajudar a manter os tecidos conjuntivos fortes e flexíveis. O óleo de coco é facilmente absorvido na pele, ajudando a reduzir a aparência de linhas finas e rugas. Também ajuda na esfoliação da camada externa de células mortas da pele, tornando a pele mais lisa.
Benefícios do óleo de coco para emagrecer

Os estudos relacionados aos benefícios do óleo de coco para a saúde do coração ainda não são conclusivos. Durante a década de 1980 a American Heart Association (Associação Americana do Coração) declarou que o óleo de coco saturado era rico em gordura prejudicial para a saúde cardiovascular. Outras pesquisas publicadas posteriormente afirmaram que a gordura do óleo de coco é diferente de outras gorduras saturadas, vez que é composto por ácidos graxos de cadeia média, ou seja, óleos vegetais, como de coco, abacate, amendoim e outras fontes vegetais que são considerados muito mais saudáveis que outras gorduras saturadas de origem vegetal.

O óleo virgem, feito a partir de cocos frescos são as melhores opções de cosméticos e suplementos alimentares. O óleo de coco adicionado a dietas aumenta a energia, equilibra os hormônios e estimula a glândula tireóide. De igual forma, o óleo de coco aumenta a atividade do metabolismo, ajudando a liberar energia e promover a perda de peso. O óleo de coco pode ser usado para fritar alimentos.
Benefícios do leite de coco

O leite de coco é um ingrediente comum na culinária de países do Caribe, Tailândia, Sri Lanka e sul da Índia. O leite de coco é rico em vitaminas e minerais essenciais. Também é uma fonte rica de vitamina A e E, potássio e cálcio. Pode ser um substituto para o leite sem lactose, além de poder ser usado na panificação e facilmente usado no preparo de cereais, temperos, sopas e doces. Além disso, o leite de coco é bom para a saúde da pele e dos cabelos. É amplamente utilizado como base em muitos cosméticos e produtos naturais, tais como óleos de cabelo e hidratantes de pele.

O coco é rico em antioxidantes, que ajudam o organismo a combater radicais livres, retardar os efeitos do envelhecimento, reduzir a flacidez da pele, melhorar a visão deficiente e a baixa densidade óssea.

Também possui ácido láurico, substância que confere ao leite de coco propriedades contra fungos, vírus e bactérias. É ótimo para combater infecções e auxiliar na digestão. Apesar do fato do leite de coco conter gorduras saturadas, também ajuda na perda de peso. A gordura do leite de coco é composta de ácidos graxos de cadeia média, que fazem com que o corpo converta o leite de coco em energia ao invés de armazená-lo como gordura.

O coco, quando consumido em quantidades moderadas, não causa efeitos colaterais.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/coco-beneficios-propriedades.html

UVAS – VITIS VINIFERA

As Uvas – Uva (Vitis vinifera) são também conhecidas como Videira, Semente-de-Uva,Uva-Merlot (variedade de uva-vermelha), Grapee Grape Seed (inglês). Inclui as espécies Vitis rotundifolia (Uva-Muscadine), Vitis labrusca e inúmeras outras variedades de Uva do gênero Vitis. Pertence a família Vitaceae.


Usos Tradicionais: câncer, colesterol alto, doenças do coração (doenças cardíacas),fibromialgia, problemas de visão, varizes.

Propriedades Medicinais: adstringente, antiinflamatória, antioxidante, antiviral, emoliente, refrigerante.

As Uvas, em todas as suas formas (uvas inteiras em forma de fruta, sementes de uva e extratos de semente de uva) possuem poderosos antioxidantes naturais. As uvas são frutas comestíveis que crescem em cachos em pequenos arbustos ou trepadeiras nas zonas temperadas em todo o mundo Em geral, as uvas possuem pele lisa e suculenta; semeadas ou sem sementes, divididas em categorias de cor branca (que varia de amarelo-pálido, verde e verde-claro) ou vermelhas (variando da cor vermelha a roxo-preto). A espécie Vitis vinifera é uma espécie de uva que produz mais de noventa e nove por cento dos vinhos do mundo, sendo que as uvas vermelhas e uvas brancas podem ser usadas para fazer vinho. Algumas variedades de uvas vermelhas incluem a Uva Merlot, Cabernet Sauvignon e Syrah. Algumas das variedades de uvas brancas incluem Chardonnay, Riesling, Chenin Blanc e Sylvaner.

A uva possui uma série de compostos fitomedicinais que aliviam a dor, reduzem a inflamação e protegem o sistema cardiovascular de danos. O trans-resveratrol, fitoalexina presente em algumas frutas e nos vinhos tintos, é capaz de reduzir as gorduras no sangue e inibir o desenvolvimento de certos tumores. O Resveratrol é encontrado na casca das uvas vermelhas e é um componente do vinho tinto, também produzido por síntese química e vendido como um suplemento nutricional. Estudos indicaram que as uvas da espécie Vitis rotundifolia, conhecidas como Muscadine, podem conter altas concentrações de resveratrol, e que os vinhos produzidos dessas uvas, vermelho e branco, podem conter mais de 40 mg por litro. A Vitis rotundifolia é uma uva vinífera cultivada na parte sul dos Estados Unidos.

O extrato da semente de Uva é possui um antiinflamatórios naturais chamados chamados de procianidinas. Para pacientes com fibromialgia, tais compostos ajudam a inibir a resposta inflamatória, reações químicas responsáveis pela dor. O óleo de uva é usado na aromaterpia e possui bom equilíbrio dos ácidos graxos oléico, linoléico, palmítico e esteárico, sendo um emoliente e tonificante para todos os tipos de pele.

A espécie Vitis vinifera são oriundas da região do Mediterrâneo, sudoeste da Ásia, Espanha e Europa Central. A espécie Vitis labrusca é encontrada no Canadá e nos Estados Unidos.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-uva-videira.html

GUACO: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS


Guaco – Mikania guacoO guaco (Mikania glomerata) é uma planta medicinal também conhecida como guace, cepu, cipó-de-cobra, cipó-da-caatinga, erva-das-cobras, erva-das-serpentes, huaco, dentre outros nomes populares. Inclui os sinônimos botânicos Mikania cordifolia, Mikania laevigata e Mikania Guaco. Pertence a família Asteraceae.


Benefícios do guaco

As espécies Mikania cordifolia e Mikania glomerata são muito utilizadas no Brasil, ambas referidas pelo nome popular guaco. Índios brasileiros utilizam o guaco para o tratamento de picadas de cobra, aplicando compressas do caule e da folha diretamente no local da ferida. Da mesma forma, é feito uma infusão de folhas para febre, desconforto estomacal e reumatismo. Indígenas guianeses da Floresta Amazônica aquecem as folhas e aplicam em erupções cutâneas e prurido.

O xarope de guaco é extremamente popular no Brasil para o tratamento de tosse e outras doenças respiratórias. Em 1870, um medicamento herbal brasileiro chamado de opodeldo de guaco, feito a partir de folhas e caules do guaco, foi considerado um remédio santo para tratar bronquite, tosse e reumatismo, sendo que tal medicamento ainda é muito usado na cultura popular. O guaco é considerado um eficaz broncodilatador natural, expectorante e antitussígeno, empregado para todos os tipos de problemas respiratórios superiores, incluindo bronquite, pleurisia, gripes e resfriados, tosse e asma, bem como para dor de garganta, laringite e febre. É também um popular anti-inflamatório, antiespasmódico e analgésico para reumatismo, artrite, inflamação intestinal e úlceras. A decocção das folhas é aplicada externamente para neuralgia, dores reumáticas, eczema, prurido e feridas.

Estudos concluíram que a espécie Mikania glomerata é indicada para o tratamento de várias doenças respiratórias. Um estudo realizado no Brasil relatarou que o chá de folhas de guaco (Mikania glomerata) demonstrou ser eficaz contra tosse e possuir broncodilatadora. Outros estudos relataram que os efeitos anti-inflamatórios extratos de folhas poderiam ser atribuídas em parte a cumarina natural na planta. Mais recentemente (em 2002) um grupo de pesquisa do Brasil informou que os extratos de folhas de guaco (M. glomerata), inibiu significativamente as contrações histamina e evidenciou um efeito relaxante da traquéia (garganta) em cobaias (assim como os brônquios humanos isolados in vitro) .

O guaco reduziu significativamente o inchaço, edema e vasoconstrição relacionados em ratos injetados com veneno de cobra, sendo a inflamação diminuída em cerca de 80%. O extrato de guaco (Mikania cordifolia) demonstrou atividade antiprotozoário muito forte contra oTrichomonas vaginalis e o Trypanosoma cruzi, sendo considerado um dos extratos vegetais mais fortes para tal fim. Em outra pesquisa, o guaco foi relatado com ações antibacteriana in vitro e antileveduriforme contra Candida albicans.

A folha de guaco é uma fonte significativa cumarina. A cumarina é usada para produzir o anticoagulante comumente utilizado para diluir o sangue, semlhante ao remédio coumadin. A planta também é composta de ácido cinâmico, glicosídeos, ácidos caurenóico, estigmasterol, taninos e resinas e outros componentes.
Contraindicações e efeitos colaterais do guaco

Pessoas que fazem uso de drogas anticoagulantes não devem utilizar o guaco sem recomendação médica profissional. Doses grandes podem causar náuseas, vômitos e diarreia.

História e curiosidades

O gênero Mikania é o maior de lianas tropicais, que representam mais de 300 espécies de videiras. O guaco de nome popular é bastante comum, que é utilizado para diversas espécies de Mikania que são usadas para fins semelhantes. Várias tribos indígenas acreditam que esmagar folhas aromáticas de guaco frescas afugenta cobras, por isso a planta é popularmente chamada de cipó-de-cobra e erva-de-cobra.

O nome popular guaco compreende várias espécies muito semelhantes que são usadas praticamente para os mesmos fins medicinais, incluindo a Mikania guaco, encontrada na América do Sul, sobretudo no Brasil, Peru, Venezuela, Bolívia, Colômbia e Equador; Mikania cordifolia, encontrada na América Central, em países como Guatemala, Honduras, México, Costa Rica e Panamá; Mikania glomerata, encontrada principalmente no Paraguai e Venezuela e a Mikania laevigata, catalogada apenas no Brasil. A Mikania spp (Mikania glomerata ou Mikania laevigata) faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS).

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/mikania-guaco-beneficios-propriedades.html

Especial - Proclamação da República


Vim postar alguns links sobre aProclamação da República.
Apesar de ter muito pouco material sobre o assunto, encontrei algumas atividades noSmart Kidse outras em outros sites por aí...


Pra saber mais sobre o assunto, visitem também o siteCanal Kidse oPlenarinho. No Canal Kids você digita Repúbica na busca para encontrar...


http://www.pragentemiuda.org/2007/11/proclamao-da-repblica.html

CARQUEJA: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS


Carqueja – Baccharis trimeraA carqueja é uma planta medicinal da Amazônia também conhecida como bacanta, bacárida, cacaia, calia, cacália-amarga, dentre outros nomes populares. Inclui os sinônimos botânicosBaccharis genistelloides, Baccharis triptera, Baccharis trimera, Baccharis trinervis, dentre outros. Pertence a família Asteraceae.


Benefícios da carqueja

A carqueja possui propriedades medicinais semelhantes à silimarina, principio ativo encontrado na planta medicinal cardo-mariano (Silybum marianum), o que lhe confere grandes efeitos protetivos contra intoxicações e doenças hepáticas. A carqueja contém até 20% de flavonóides, incluindo a quercetina, luteolina, nepetina, apigenina e hispidulina, sendo tais flavonóides considerados seus principais constituintes ativos.

Atua na função gastrointestinal, sendo utilizada para o tratamento de distúrbios digestivos como úlceras, gastroenterites, refluxo ácido e disfunções da válvula ileocecal; distúrbios da vesícula biliar, como pedras nos rins, dores, intoxicação e retardo na liberação da bile; desintoxicação do sangue, fígado, vesícula biliar e pâncreas; infecções virais estomacais, herpes simples e HIV, além e febres e diarreias.

As propriedades medicinais da carqueja são facilmente assimiladas pelo organismo, fortalecendo o corpo e limpando as impurezas do sangue, podendo também ser útil para o tratamento da anemia. Além da indicação do consumo do popular chá de carqueja, o caule fresco e carnudo da planta também pode ser mastigado para absorção das propriedades medicinais da carqueja.
Contraindicações e efeitos colaterais da carqueja

A carqueja não deve ser utilizada durante a gravidez, vez que em testes com ratos apresentou efeito estimulante uterino e abortivo. Também deve ser evitada por pessoas com pressão arterial baixa devido aos seus efeitos hipotensores. Pacientes com hipoglicemia e diabéticos devem ter controle sobre o nível de açúcar no sangue ao usar a carqueja, vez que a planta pode baixar os níveis de glicose.

Curiosidades

A carqueja é uma planta medicinal muito popular no Brasil e na maioria da América do Sul, onde a planta, muito utilizada em vários remédios fitoterápicos, é encontrada em toda extensão da Floresta Amazônica, incluindo Brasil, Colômbia e Peru. Também cresce em menor abundância em algumas regiões da Argentina, Paraguai e Uruguai.

A carqueja é um arbusto perene que atinge alturas de seis metros e ostenta flores branco-amareladas em sua coroa, entre os meses de abril e maio. A planta é suculenta, com talos altos de três lados e pêlos brancos, que crescem a partir do caule. A espécie Baccharis trimera faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/carqueja-baccharis-trimera.html

CAJU: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS DA CASTANHA-DE-CAJU

Caju – Anacardium occidentaleO caju é o pseudofruto do cajueiro (Anacardium occidentale). O fruta é conhecida como castanha-de-caju. A castanha-de-caju é considerada com um alimentos com muitos benefícios e propriedades medicinais. O cajueiro é uma planta também conhecida como anacardo, acaju, acajuíma, marañon (espanhol), cashew (inglês), dentre outros nomes populares.


Benefícios da castanha-de-caju

As propriedades e benefícios do cajueiro se concentram principalmente nas castanhas-de-caju, que são boas fontes de energia, carboidratos, açúcares, proteínas, gorduras, fibras alimentares, vitaminas do complexo B, vitamina C, cálcio, zinco, manganês, magnésio, ferro, fósforo, fibras, potássio e inúmeros outros nutrientes e substâncias químicas. O manganês e magnésio ajudam na formação de tecido e células e o magnésio reduz a pressão arterial.

A semente contém resina fenólica, alergênicos e ácido anacárdico. O óleo de castanha-de-caju (LCC) é um subproduto produzido após o processamento da castanha, rico em ácidos anacárdicos e muito eficaz no tratamento de abcessos no dente causados por bactérias Gram-positivas.

Na medicina popular, a casca raspada e fervida no tratamento da diarreia. As sementes moídas podem ser usadas como antídoto para picadas de cobra. O óleo da castanha possui propriedades antifúngicas. Sintomas de ansiedade e depressão podem ser aliviados com o consumo das castanhas, vez que o alimento é rico em triptofano. A riboflavina e a tiamina são encontradas nessas nozes e podem ajudar a desenvolver uma boa visão, pele saudável, além de fortalecer todo o sistema imunológico.

A acamjumembra, uma película feita a partir do suco de caju, foi descoberta por pesquisadores brasileiros e é indicada para o tratamento natural de queimaduras e feridas. Apesar de possuir calorias, os índices de colesterol da castanha-de-caju são bastante reduzidos em comparação com outros frutos secos. O potássio presente na planta é útil para o sangue, facilitando o processo de coagulação sanguínea e ajudando na recuperação de cortes e feridas, beneficiando hemofílicos. As fibras da castanha ajudam na digestão de outros alimentos.

A castanha possui um alto teor de gorduras saudáveis. Os óleos e gorduras presentes no óleo (LCC) contêm 54% de gordura monoinsaturada, 18% de gordura poliinsaturada e 16% de gordura saturada. Também há cerca de 7% de ácido esteárico, 8% de óleo palmítico, 20% de oleo linoléico e cerca de 60% ácido oleico¹, índices semelhantes aos encontrados no azeite de oliva. As gorduras monoinsaturadas reduzem os níveis de triglicérides.

O uso da castanha-de-caju na culinária

Castanha-de-caju

A castanha-de-caju é muito utilizada na culinária brasileira, principalmente no Norte e Nordeste do Brasil, regiões do país de onde o cajueiro é uma planta nativa. Também é utilizado nas culinárias tailandesa, chinesa e indiana. Na cozinha indiana, as castanhas são usadas para enfeitar doces e outros pratos. Na região de Goa, na Índia, uma popular bebida conhecida como Feni é produzida a partir da castanha-de-caju fermentada e duplamente destilada. Também é muito utilizado nas Índias Ocidentais para fazer ponche e outras bebidas. Os valores nutricionais variam de acordo com a variedade do cajueiro.
Contraindicações e efeitos colaterais da castanha-de-caju

Algumas pessoas são alérgicas à castanha-de-caju, contudo, tais castanhas costumam ser menos alérgicas em comparação com outros tipos de nozes e amendoins. As cascas das castanhas possuem urushiol, que em altos níveis podem causar uma erupção cutânea alérgica em contato com a pele conhecida como dermatite de contato induzida por urushiol.

História e curiosidades

O nome de gênero Anacardium se refere ao caju (pseudofruto), que possui formato de um coração invertido. O cajueiro é verde, pequeno e atinge uma altura entre 10 e 12 metros, possuindo tronco irregular. As folhas são em forma de espiral com uma margem lisa. As flores são verdes e depois ficam vermelhas. O fruto do cajueiro é na verdade um pseudofruto. A parte suculenta é resultado do desenvolvimento do pedúnculo floral. O verdadeiro fruto do cajueiro é uma drupa que se desenvolve em forma de rim no final do pedúnculo. Dentro do fruto há uma única fruta conhecida como castanha-de-caju.

O cajueiro é muito cultivado em climas tropicais, principalmente no Brasil, Índia e alguns países africanos, como Moçambique, Tanzânia e Quênia. No Ceará, é comum a ocorrência de um tipo de cajueiro-anão conhecido como cajueiro-precoce, cajueiro-do-Ceará e cajueiro-de-seis-meses. Apresenta características botânicas, agronômicas e fisiológicas diferenciadas das do cajueiro comum. A espécie Anacardium occidentale faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.
O cajueiro de Pirangi, plantado em 1888 e localizado no Estado brasileiro do Rio Grande do Norte, é o maior cajueiro do mundo. A árvore possui um perímetro de aproximadamente 500 metros e produz cerca de oitenta mil cajus por ano.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/castanha-de-caju-cajueiro.html

Projeto - Brasil República.



Vim postar este Mini Projeto para trabalhar a Proclamação da Republica.
Clique para ampliar as imagens!



http://www.pragentemiuda.org/2007/07/projeto-brasil-republica.html

MARACUJÁ: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS


Maracujá – Passiflora incarnataO maracujá (Passiflora incarnata) é também conhecido também como maracujá-doce, flor-da-paixão, maracujá-guaçu e maracujá-silvestre. Pertence a família Passifloraceae.


Benefícios do maracujá

O maracujá é considerado um calmante natural que age no sistema nervoso central, aquietando-o, além de possuir outras propriedades medicinais. A composição de flavonoides, alcaloides e saparinas, dentre outras substâncias presente no maracujá, muitas vezes são administradas em forma de extratos ou suplementos para o tratamento de doenças que agem no sistema nervoso, incluindo depressão, ansiedade e ataques de pânico.

O maracujá não possui substâncias viciantes e não produz efeitos colaterais associados ao uso de antidepressivos e tranquilizantes. A Passiflora incarnata pode aliviar dores de cabeça causadas devidos à tensão e deixa a pessoa mais tranquila. Também ajuda a curar ressacas ao sanar o desarranjo dos neurotransmissores.

As folhas de maracujá possuem efeito adstringente e agem como sedativo no tratamento da tensão nervosa, insônia e problemas respiratórios. As harmalas, substâncias presentes no maracujá, inibem o consumo excessivo e desnecessário de oxigênio pelo cérebro. Acredita-se que estes compostos ​​também são responsáveis por diminuir os níveis de circulação e respiração, reduzindo a pressão arterial. Alguns estudiosos consideram os alcaloides harmina e harmalina, eficazes contra o Mal de Parkinson. Outras espécies de maracujá contêm componentes que agem contra fungos, leveduras e bactérias.

Os alcaloides presentes no maracujá também podem contribuir para uma dilatação da artéria coronária. Para inchaço nos olhos, queimaduras e irritações na pele, são usadas compressas. Para queimaduras e feridas, o suco do maracujá pode ser aplicado em forma de cataplasma. APassiflora incarnata faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil. Na culinária, o maracujá é um excelente ingrediente para pavês, sucos, sorvetes e mousses.
Contraindicações e efeitos colaterais do maracujá

Doses grandes podem causar sonolência, e dependendo, até náuseas e vômitos. É bom evitar o uso de grandes doses durante a gravidez.
Flor-da-paixão

Flor-da-paixão – Passiflora incarnata

O maracujá também é conhecida como flor-da-paixão, inspirado na paixão de Cristo. De acordo com missionários jesuítas que encontraram essa planta na América do Sul, as cores azul e branca da flor simbolizam a pureza do céu. As pétalas brancas significam os dez apóstolos (menos Pedro e Judas). A coroa correlaciona com a coroa de espinhos e os cinco estames vermelhos representam as cinco feridas. As folhas pontiagudas significam a lança que matou Jesus. Quando a flor do maracujá é aberta parcialmente, relembra a estrela vista pelos Três Reis Magos.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/maracuja.html

QUEBRA-PEDRA: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS

Quebra-pedra – Phyllantus sppO quebra-pedra (Phyllanthus spp.) é uma planta medicinal também conhecida como quebra-pedras, arranca-pedras, arrebenta-pedras, quebra-pedra-pranco, cana-de-bico, erva-eombinha, erva-pombo, chanca piedra e colarcillo (espanhol), stone breaker e shatter stone (inglês), dentre outros nomes populares. Inclui os sinônimos botânicos Phyllanthus niruri, Phyllanthus amarus, Phyllanthus tenelus, Phyllanthus amarus urinaria, P. carolinianus, P, sellowianus, P. fraternus, P. kirganella, P. lathyroides, P. lonphali, Nymphanthus niruri, dentre outras. Pertence a família Euphorbiaceae.


Benefícios do quebra-pedra

A quebra-pedra foi assim chamada depois de ser utilizada com eficácia por gerações de povos indígenas da Amazônia para ajudar na eliminação de cálculos biliares (vesícula biliar) e cálculos renais (pedras nos rins). Outros usos principais do quebra-pedras incluem o equilíbrio, fortalecimento, desintoxicação e proteção do fígado e dos rins, redução do ácido úrico e aumento da micção; combate à ação de vírus, incluindo hepatite A, B, e C, herpes e HIV e reduz a hipertensão os níveis de colesterol ruim corpo.

Em estudo clínico, o extrato de quebra-pedra foi capaz de bloquear a formação de cristais de oxalato de cálcio (blocos de pedras nos rins). Em 2002, pesquisadores trataram durante 42 dias ratos com bexigas com cristais de oxalato de cálcio utilizando o chá de Quebra-Pedras. Os resultados indicaram que a quebra-pedras inibiu a quantidade e crescimento das pedras no grupo controle. Em outro estudo, de 2003, pesquisadores concluíram que o quebra-pedra pode prevenir a formação de cálculos renais, sendo uma alternativa natural de prevenção e tratamento da urolitíase. O efeito antiespasmódico da planta inclui o relaxamento a musculatura lisa no trato urinário ou biliar, auxiliando na expulsão de cálculos renais ou na bexiga.

Pesquisares da Índia concluíram que a quebra-pedras aumenta a secreção de ácidos biliares na vesícula biliar, reduzindo significativamente os níveis de colesterol e triglicérides em ratos. Os efeitos hipotensores foram atribuídos a um fitoquímico encontrada no quebra-pedras conhecido como geraniin. Em 1995, cápsulas de quebra-pedra dadas a pacientes resultaram em um aumento significativo no volume de urina e excreção de sódio. Também foi notado um diminuição acentuada nos níveis de açúcar no sangue, agindo em terminações nervosas expostas a alta concentração de açúcar no sangue (altas concentrações podem levar a neuropatia diabética e degeneração macular). Tais propriedades hipoglicemiantes da planta foram conferidas em parte a presença de ácido elágico.

O quebra-pedra também ajuda na redução do colesterol, além de desintoxicar e reparar danos no fígado em pacientes com hepatite e icterícia. Atualmente, a quebra-pedra é muito pesquisada por suas potenciais propriedades contra vários tipos de câncer, incluindo a inibição da reprodução de células cancerígenas (incluindo células do sarcoma, carcinoma e linfoma). As propriedades antivirais da planta também são muito pesquisadas para a cura de várias doenças. A planta possui uma grande quantidade de fitoquímicos e por isso, existe grande dificuldade de isolá-los e pesquisar sobre os seus efeitos separadamente, fator que explica porque muitas propriedades medicinais do quebra-pedra ainda continuam sem qualquer tipo de comprovação científica.
Contraindicações e efeitos colaterais do quebra-pedra

A quebra-pedra pode aumentar o efeito da diabetes (pode interagir com outros remédios antidiabéticos ou até potencializar os efeitos da insulina, pressão alta e de outros diuréticos). Em altas doses a planta pode ser abortiva. Não deve ser utilizado durante a gravidez. A planta tem sido indicada como redutor da fertilidade feminina (contraceptivo). Pessoas com condições cardíacas frágeis só devem utilizar a planta sob recomendação e supervisão médica.

História e curiosidades

O quebra-pedra é uma pequena erva com cerca de 30 a 40 cm de altura. É originária das florestas tropicais da Amazônia e outras áreas tropicais em todo o mundo, incluindo sul da Índia, Bahamas e China. A variedade Phyllanthus niruri é bastante comum na Amazônia e outras florestas tropicais úmidas, crescendo e se espalhando como erva-daninha. A P. amarus e P. sellowianus estão intimamente relacionadas com a P. niruri na aparência, estrutura fitoquímica e histórico de uso medicinal, mas normalmente são encontrados em climas tropicais mais secos. O gênero Phyllanthus contém mais de 600 espécies de arbustos, árvores e ervas anuais ou bienais distribuídas pelas regiões tropicais e subtropicais de ambos os hemisférios. APhyllanthus spp (P. amarus, P.niruri, P. tenellus e P. urinaria) faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/quebra-pedra-planta-beneficios.html

CUPUAÇU: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS


Cupuaçu – Theobroma grandiflorumO cupuaçu (Theobroma grandiflorum) é uma planta medicinal também conhecida como cupuacu, cupu, cupuasu, copoasu, cupuassu, cupuazú, cupuaçuzeiro, cupuaçueiro, dentre outros nomes populares. Pertence a família Sterculiaceae.


Benefícios do cupuaçu

O cupuaçu estimula o sistema imunológico ao mesmo tempo em que fortalece o organismo em sua capacidade de combater doenças. É uma das poucas plantas da família do cacau que possui efeito energético e não contém cafeína. Além de beneficiar o sistema imunológico, o cupuaçu pode diminuir a pressão arterial, aumentar a libido, diminuir o colesterol LDL (colesterol ruim) e até proporcionar muitos benefícios para a saúde da pele e dos cabelos.

A fruta do cupuacu é extremamente rica em antioxidantes, que além de causarem a diminuição nos níveis de colesterol do corpo e melhorar a função cerebral, neutralizam radicais livres, moléculas altamente reativas e fragmentos de moléculas que podem danificar o corpo no nível celular, deixando o organismo suscetível ao cancro, doenças cardíacas e várias outras doenças degenerativas.

Muitas das vitaminas e minerais essenciais encontrados na no cupuaçu são benéficos para o sistema gastrointestinal e cardiovascular. O cupuaçu pode proteger o corpo de vários problemas de saúde através da inibição da peroxidação lipídica, que é basicamente um processo que pode causar ruptura das membranas celulares, mutações do DNA, comprometimento do colágeno e elastina, dentre outras consequências.

O cupuaçu é rico em nutrientes essenciais, fitonutrientes, antioxidantes, vitaminas e outras substâncias com propriedades medicinais. A planta possui polifenóis chamados de theograndinas, fitonutrientes com propriedades antioxidantes semelhantes às encontradas no cacau. Também é rico em teobromina, vitaminas A e C e importantes ácidos graxos, aminoácidos, fósforo, fibras, vitaminas B1 nutricionais, B2 e B3 (niacina). Nas sementes do cupuaçu estão presentes em maior quantidade os ácidos graxos oleicos e esteáricos. Sendo da mesma família do cacau, possui também um alto conteúdo de flavonoides.

A polpa da fruta ocupa aproximadamente um terço da fruta e é usado em todo o Brasil e América do Sul (principalmente em países que compreendem a Floresta Amazônica) para fazer sucos, sorvetes, geleias e tortas. A fruta é cremosa e possui sabor exótico.
Benefícios da manteiga de cupuaçu

Polpa e manteiga do cupuaçu

A manteiga de cupuaçu é cremosa e suave. Ajuda a melhorar a elasticidade da pele, retarda o envelhecimento e melhora a capacidade de hidratação da pele (absorver água), proporcionando efeitos de longa duração à peles secas e danificadas. A manteiga de cupuaçu é adicionada a várias fórmulas naturais de benefício para a pele, protegendo-a contra os efeitos nocivos raios UV-A e UV-B. Esta proteção de amplo espectro permite que a pele danificada recupere melhor, restaurando sua elasticidade e suavidade. Pode ainda servir como um protetor solar natural, completamente livre de conservantes. A manteiga de cupuaçu também é calmante para irritações da pele como eczema e dermatite, além de reduzir o aparecimento de rugas.
Contraindicações e efeitos colaterais do cupuaçu

O cupuaçu é seguro quando consumido em doses recomendadas.

História e curiosidades

As sementes de cupuaçu foram muitas vezes dadas para pessoas mastigarem, na tentativa de curarem dores abdominais e o suco da planta era abençoado por xamãs e administrado a mulheres grávidas e recém-casados que queriam ter filhos.

Os cupuaçuzeiros são árvores de médio porte que atingem de 12 até 20 metros de altura, sendo encontradas naturalmente na Floresta Amazônica. Pertencem a família Theobroma, ou seja, a mesma do cacau (chocolate). Para se desenvolverem em boas condições, necessitam do clima específico das florestas tropicais, ou seja, altas temperaturas e umidade, além de grandes quantidades de chuva durante todo o ano.

O cupuacu é uma fonte primária de alimento na floresta para tribos indígenas e várias espécies de animais, como aves e mamíferos, que ainda ajudam a dispersar as sementes por toda a extensão da Floresta Amazônica. Os frutos amadurecem nos meses chuvosos de janeiro a abril.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/beneficios-do-cupuacu.html

GRAVIOLA: BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS

Graviola – Annona muricataA graviola (Annona muricata) é uma planta medicinal também conhecida como fruta-do-conde, guanábana, guanavana, guanaba, jaca-do-Pará, jaca-de-pobre, papaia-brasileiro, pinha, brazilian pawpaw (inglês), huanaba (espanhol) corossol épineux (francês), dentre outros inúmeros nomes populares. Inclui os sinônimos botânicos Annona Macrocarpa, A. Muricatus e A. Guanabanus. Pertence à família das Annonaceae.

Benefícios da graviola

Acredita-se que quase toda a planta possui propriedades medicinais, incluindo suas folhas, frutos, sementes, cascas e raízes. A graviola é uma planta muito utilizada ao longo dos tempos na medicina alternativa, sobretudo por tribos indígenas ao longo de toda a Floresta Amazônica e parte do Caribe (América Central). No Brasil, o chá da folha de graviola é utilizado no combate de problemas hepáticos e o óleo das folhas e da fruta verde, misturado com azeite de oliva, é utilizado para aliviar dores de reumatismo e artrite.

No Peru, o chá das folhas é usado para aliviar a inflamação das membranas mucosas (excesso de catarro) e as sementes para combater parasitas. Já no Caribe, o suco da fruta, além de eliminar parasitas, é usado para aliviar febre e diarreia. No Peru, Guianas e em alguns países da América Central, a planta é utilizada para reduzir a hipertensão arterial e acalmar o coração.

Vários medicamentos preparados a partir da graviola são utilizados na medicina popular para combater células cancerígenas, bactérias, parasitas e vírus, além de retardar o crescimento de tumores, aliviar a depressão, reduzir espasmos, pressão arterial e febre, estimular a digestão e dilatar vasos sanguíneos.

Um estudo animal realizado no Departamento Farmacêutico da Faculdade de Farmácia e Bioquímica da Universidade Federal de Juiz de Fora, publicado em 2010, sugeriu que a graviola (Annona muricata) pode ser uma fonte ativa de substâncias antinociceptivas (reduz o número de contorções abdominais) e anti-inflamatórias, obtidas através do extrato das folhas da planta. Outro estudo, realizado na Índia em 2007, sugeriu que os extratos de A. muricatapossuem potente atividade antioxidante, sendo uma boa opção natural para combater os radicais livres, aumentando sua atividade terapêutica¹.

A graviola atualmente é uma planta muito popular na culinária. Várias receitas utilizam como ingrediente principal a planta, que possui frutos muito aromáticos, com carne branca e suculenta. Os frutos maduros são altamente perecíveis, frágeis e facilmente danificáveis. Muito presente em sorvetes e iogurtes, o néctar de graviola melhora a qualidade total do produto, agregando valores substâncias de fósforo, zinco, cálcio e bons níveis de proteína a dieta. O fruto também é rico em carboidratos, especialmente frutose. Contém vitamina B1, B2 e C.
Benefícios da graviola contra o diabetes

Atividades anti-hiperglicêmicas da graviola foram sugeridas em um estudo realizado na Universidade Obafemi Awolowo (Nigéria), o que indica que a Anonna muricata pode auxiliar no tratamento de pacientes com diabetes. Neste estudo, realizado em animais de laboratório, foi sugerido que o extrato de graviola possivelmente aumenta os níveis de insulina e antioxidantes endógenos. Apesar de tantas indicações medicinais, o FDA (Food and Drug Administration), órgão regulamentador nos Estados Unidos, aprovou a graviola para uso apenas para apoiar a função imunológica².
Propriedades da graviola contra o câncer

Há várias décadas a graviola tem sido alvo de estudos acerca de suas possíveis propriedades anticancerígenas e antitumorais, no entanto, ainda nenhuma pesquisa se mostrou totalmente conclusiva quanto aos benefícios da graviola no combate ao câncer. A planta possui compostos químicos conhecidos como acetogeninas, produzidas no tronco, na fruta e sementes da planta. O grande interesse dos cientistas na acetogenina se deve ao comportamento tóxico da substância para com as células de câncer, tendo ação mínima em células saudáveis. No entanto, apesar de alguns resultados preliminares, as pesquisas não avançaram suficientemente neste sentido.
Contraindicações e efeitos colaterais da graviola

A graviola não deve ser utilizada durante a gravidez. Pessoas com pressão baixas devem apenas consumir a graviola com devida supervisão médica, vez que a planta possui atividade vasodilatadora, hipotensora e cardiodepressora. O uso prolongado da graviola pode fortalecer bactérias no trato-digestivo, vez que a planta possui atividade antimicrobiana. A suplementação com alimentos probióticos é aconselhável neste caso. O consumo em excesso pode causar náuseas, sonolência e vômitos em algumas pessoas.

História e curiosidades

A graviola é uma árvore perene de pequeno porte, que atinge até 6 metros de altura. Possui folhas verdes escuras, grandes e brilhantes. O fruto da planta é comestível e possui cerca de 20 centímetros de diâmetro. A árvore é nativa de climas tropicais quentes, sendo muito comum na região da Floresta Amazônica. É conhecida como guanábana nos países da América do Sul, exceto no Brasil, onde é chamada popularmente de graviola.

http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/graviola-annona-muricata-beneficios.html