1

1

Google+ Followers

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

AUDI OFERECE DESCONTOS DE ATÉ R$ 35 MIL EM SEUS MODELOS Marca alemã tem preços promocionais para A3 Sedan, A5 e TT até o fim do mês de outubro

AUDI OFERECE DESCONTOS DE ATÉ R$ 35 MIL EM SEUS MODELOS
Marca alemã tem preços promocionais para A3 Sedan, A5 e TT até o fim do mês de outubro
AUDI TT 2014 (FOTO: AUTOESPORTE)

A Audi está realizando uma campanha pouco comum para marcas de luxo: seus modelos da linha 2014 estão com descontos de até R$ 35 mil nas lojas. Três modelos fazem parte da campanha. O A3 Sedan com motor 1.4 turbo de 122 cv e câmbio S tronic de sete velocidades, por exemplo, até o mês passado era vendido por R$ 94.800, e agora é comercializado por R$ 85.950. O carro vem com sistema start-stop e tela retrátil de 5.8 polegadas.

Já o modelo A5, equipado com motor 2.0 turbo de 180 cv, câmbio Multitronic de oito velocidades, volante esportivo multifuncional de couro com shift-paddles e bancos dianteiros com ajustes elétricos que antes era vendido por R$ 147.400, agora é oferecido a R$ 129.950, por tempo limitado.

Fechando a tríade de ofertas da montadora alemã, o esportivo Audi TT, que conta com um motor 2.0 turbo FSI de 211 cv, acoplado à um câmbio S tronic de dupla embreagem e seis velocidades, ar condicionado digital e aerofólio traseiro com acionamento automático, e que tinha preço de tabela de R$ 209.500, e até o fim deste mês estará sendo negociado a R$ 174.950. Tem um motivo: a nova geração chegará até o primeiro semestre de 2015.
AUDI A3 SEDAN (FOTO: RAFAEL MUNHOZ)
http://revistaautoesporte.globo.com/Noticias/noticia/2014/10/audi-oferece-descontos-de-ate-r-35-mil-em-seus-modelos.html

RENAULT SANDERO STEPWAY CHEGA COM PREÇO PROMOCIONAL DE R$ 47.800,00

Marca abre pré-venda do modelo e oferece desconto de R$ 800 para clientes que fecharem até fim de outubro
RENAULT ABRE PRÉ-VENDA DO NOVO SANDERO STEPWAY (FOTO: DIVULGAÇÃO)
SAIBA MAIS

A Renault quer "bombar" o novo Sandero Stepway, que começa a chegar às revendas da marca nas próximas semanas. Para isso, está abrindo a pré-venda do hatch aventureiro com o preço promocional de
R$ 47.800. O valor é promocional porque a marca afirma estar concedendo R$ 800 de desconto para todas as versões do modelo até o fim de outubro. Passado esse período, a etiqueta inicial do modelo será de
R$ 48.600.

O bônus também contemplará a configuração equipada com banco de couro, oferecida por R$ 48.940, e também com novo câmbio automatizado de cinco marchas Easy’R por R$ 51.340. De acordo com a Renault, no perído de pré-venda o carro será ofertado com taxa de financiamento de 0,49% ao mês e com a câmera de ré como cortesia.

Baseado sobre o modelo com motor 1.6 8V Hi-Power de 98/106 cv, o Sandero com roupa aventureira conta com uma suspensão 4 cm mais elevada que as demais versões. Tal característica somada ao visual "offroad" o ajudou a se tornar a segunda versão mais vendida do Sandero. Falando do visual, o Stepway brasileiro recebeu mudanças pontuais em relação à versão comercializada na Europa sob o logo da Dacia. As principais delas estão concentradas na grade dianteira e também na região dos faróis de milhas e para-choques, que ganharam desenho distinto.

O Sandero Stepway será uma das principais atrações da Renault durante o Salão do Automóvel de São Paulo, que abre suas portas para o público no dia 30 de outubro.

Preços da linha Stepway

Sandero Stepway 1.6 
com bônus da pré-venda: R$ 47.800
sem bônus: R$ 48.600

Sandero Stepway 1.6 com bancos de couro
com bônus da pré-venda: R$ 48.940
sem bônus: R$ 49.740

Sandero Stepway 1.6 com câmbio automatizado
com bônus da pré-venda: R$ 51.340
sem bônus: R$ 52.140

http://revistaautoesporte.globo.com/Noticias/noticia/2014/10/renault-sandero-stepway-chega-com-preco-promocional-de-r-47800.html

Novo Jetta 2015, que será feito no Brasil, muda mais fora do que dentro.


NOVO JETTA 2015

Em uma prévia das novidades que mostrará no Salão do Automóvel, a Volkswagen revelou o novo Jetta que será feito no Brasil a partir de 2015. O modelo recebe mudanças de estilo e pequenas modificações no ambiente interno.

NOVO JETTA 2015

Ao vivo, as mudanças externas caíram bem no novo Jetta, apesar de o deixar ainda mais parecido com o Passat. A modificação mais evidente está na dianteira, com a adoção da nova grade com três filetes cromados e pelo novo para-choque de aspecto mais esportivo. Os faróis, pelo menos na versão 2.0 TSI Highline, mantém o LED para rodagem diurna e segue como item opcional o bixenônio com lavador integrado.

Na parte traseira, as lanternas de LEDs ganham novo desenho. O para-choque traseiro também apresenta uma leve modificação na parte inferior. Na tampa do porta-malas, a marca suprimiu o emblema “2.0” deixando apenas a identificação TSI.

NOVO JETTA 2015

Por dentro as mudanças foram pontuais. O painel de instrumentos segue o mesmo padrão do encontrado no Golf, enquanto a tela LCD central é colorida como no GTI. O volante também passa a ser o mesmo do hatch médio, porém os comandos do controlador de velocidade de cruzeiro (piloto automático) estão presentes em alavanca. O sistema de som também permanece sem alterações, sendo a central inferior à encontrada no irmão menor.

NOVO JETTA 2015

No geral, o acabamento é sóbrio e com painel emborrachado macio ao toque. No entanto, materiais mais simples foram utilizados nos revestimentos das portas, inclusive na região do porta-objetos (no Golf é em carpete). Freio de estacionamento segue sendo por alavanca, assim como o Golf feito no México passa a ser, e a partida por botão também permanece.

Para quem esperava que o novo Jetta recebesse o refinado motor 1.4 TSI, vai ter que se contentar com o veterano 2.0 8V Flex que entrega até 120 cv de potência quando abastecido com etanol para a versão de entrada. Já a versão top de linha segue com o potente 2.0 TSI associado ao câmbio DSG de seis marchas.

A grande notícia em torno do modelo é sua produção nacional na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) a partir do primeiro semestre de 2015. De acordo com marca, a produção nacional do modelo vai complementar a importação atual do México para atender à demanda no Brasil.
Galeria de fotos: novo Jetta 2015


Anterior1 de 8Próximo
Dica: use as teclas ← → para navegar




NOVO JETTA 2015
http://carplace.virgula.uol.com.br/novo-jetta-spacefox-e-space-cross-estarao-salao-automovel-veja-detalhes/

Horário de verão vai ter uma semana a mais e economia menor


O horário de verão 2014/2015 deverá resultar em uma economia de R$ 278 milhões em termos de geração de energia térmica, informou nesta terça-feira o Ministério de Minas e Energia.

Este ano o horário de verão, que começa à meia-noite do próximo sábado (18), será estendido em uma semana, por causa do carnaval. Pela estimativa, o ganho econômico deve ser menor que o do horário de verão 2013/2014, quando chegou a R$ 405 milhões a economia com a redução da necessidade de energia de térmicas.

O secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grüdtner, explicou que o valor é menor devido à escassez de chuvas que elevou o uso da energia gerada pelas usinas térmicas. “Será menor que o valor do ano passado porque temos despacho maior de geração térmica pela situação hidrológica que passamos.”

De acordo com Ildo Grüdtner, o horário de verão representará ainda uma economia de R$ 4,5 bilhões em investimentos que não precisarão ser feitos pelo setor para a construção de usinas térmicas.



No Brasil, a estimativa é reduzir 4,5% na demanda de energia no horário de pico, entre 18h e 21h, o que representa 2.595 megawatts.

À meia-noite de sábado, os relógios têm de ser adiantados em uma hora nos nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, que adotam o horário de verão. A mudança de horário vai até 22 de fevereiro de 2015. A medida é adotada para economizar energia no horário de maior consumo. “Buscamos maior aproveitamento da luz do sol e maior racionalidade no uso da energia elétrica”, disse o secretário.

Pelo decreto que instituiu o horário de verão, a medida deve ser iniciada sempre no terceiro domingo de outubro e encerrada no terceiro domingo de fevereiro do ano subsequente. Mas, no ano em que houver coincidência com o domingo de carnaval, o fim do horário de verão deve ser no domingo seguinte. O objetivo é evitar que, em meio a um feriado, alguns esqueçam de ajustar os relógios.

Agência Brasil

"Guarda-chuva de ar" mantém usuário seco com campo de força


Um chinês criou um guarda-chuva formado por um bastão, uma bateria de lítio recarregável e um motor que protege o usuário da água a partir da criação de um extensível campo de força alimentado pelo ar, logo acima da cabeça, segundo o The Mashable e o The Independent.

O Air Umbrella (Guarda-Chuva de Ar) deve chegar ao mercado em dezembro de 2015, e embora esteja ainda em fase de pesquisa, já atraiu mais de 14 mil dólares para que seja materializado.


Fonte: Youtube/ Kickstarter

O dispositivo, que poderá ser adquirido por 118 dólares na pré-venda, será disponibilizado em três modelos, incluindo um controlador de ajuste na parte inferior que permite ajustar a velocidade do motor. 

O modelo A, desenhado especialmente para as mulheres, têm cerca de 30 centímetros e uma bateria que dura 15 minutos. O modelo B tem 50 centímetros e uma bateria que dura meia hora. O modelo C é extensível, seu comprimento pode variar de 50 a 81 centímetros e também funciona por 30 minutos.

A alça é semelhante à de um guarda-chuva tradicional, com a diferença que ele não termina em uma cobertura formada de tecido e contém uma bateria de lítio que alimenta um motor que gera o ar responsável por desviar a chuva. 


Fonte: Youtube/ Kickstarter

A criação de Chuang Wang está sendo promovida pelo Kickstarter, o maior site de financiamento coletivo do mundo e que busca apoiar projetos inovadores. 

publicidade
O objeto faz barulho, mas o seu inventor garante que ele é mais silencioso que a chuva em volta. Só há uma desvatagem: as pessoas que estiverem ao redor ficarão encharcadas.

TERRA

RENAULT SANDERO STEPWAY CHEGA COM PREÇO PROMOCIONAL DE R$ 47.800 Marca abre pré-venda do modelo e oferece desconto de R$ 800 para clientes que fecharem até fim de outubro por REDAÇÃO AUTOESPORTE A-A+ 15/10/2014 10h04 - atualizado às 10h25 em 15/10/2014 Renault abre pré-venda do novo Sandero Stepway (Foto: Divulgação) RENAULT ABRE PRÉ-VENDA DO NOVO SANDERO STEPWAY (FOTO: DIVULGAÇÃO) SAIBA MAIS RENAULT LOGAN E SANDERO GANHAM CÂMBIO AUTOMATIZADO NOVO RENAULT SANDERO: TODOS OS PREÇOS, VERSÕES E CUSTOS FLAGRAMOS O NOVO RENAULT SANDERO STEPWAY, QUE ESTREIA EM OUTUBRO A Renault quer "bombar" o novo Sandero Stepway, que começa a chegar às revendas da marca nas próximas semanas. Para isso, está abrindo a pré-venda do hatch aventureiro com o preço promocional de R$ 47.800. O valor é promocional porque a marca afirma estar concedendo R$ 800 de desconto para todas as versões do modelo até o fim de outubro. Passado esse período, a etiqueta inicial do modelo será de R$ 48.600. O bônus também contemplará a configuração equipada com banco de couro, oferecida por R$ 48.940, e também com novo câmbio automatizado de cinco marchas Easy’R por R$ 51.340. De acordo com a Renault, no perído de pré-venda o carro será ofertado com taxa de financiamento de 0,49% ao mês e com a câmera de ré como cortesia. Baseado sobre o modelo com motor 1.6 8V Hi-Power de 98/106 cv, o Sandero com roupa aventureira conta com uma suspensão 4 cm mais elevada que as demais versões. Tal característica somada ao visual "offroad" o ajudou a se tornar a segunda versão mais vendida do Sandero. Falando do visual, o Stepway brasileiro recebeu mudanças pontuais em relação à versão comercializada na Europa sob o logo da Dacia. As principais delas estão concentradas na grade dianteira e também na região dos faróis de milhas e para-choques, que ganharam desenho distinto. O Sandero Stepway será uma das principais atrações da Renault durante o Salão do Automóvel de São Paulo, que abre suas portas para o público no dia 30 de outubro. Preços da linha Stepway Sandero Stepway 1.6 com bônus da pré-venda: R$ 47.800 sem bônus: R$ 48.600 Sandero Stepway 1.6 com bancos de couro com bônus da pré-venda: R$ 48.940 sem bônus: R$ 49.740 Sandero Stepway 1.6 com câmbio automatizado com bônus da pré-venda: R$ 51.340 sem bônus: R$ 52.140

RENAULT SANDERO STEPWAY CHEGA COM PREÇO PROMOCIONAL DE R$ 47.800,00.
Marca abre pré-venda do modelo e oferece desconto de R$ 800 para clientes que fecharem até fim de outubro
RENAULT ABRE PRÉ-VENDA DO NOVO SANDERO STEPWAY (FOTO: DIVULGAÇÃO)
SAIBA MAIS


A Renault quer "bombar" o novo Sandero Stepway, que começa a chegar às revendas da marca nas próximas semanas. Para isso, está abrindo a pré-venda do hatch aventureiro com o preço promocional de
R$ 47.800. O valor é promocional porque a marca afirma estar concedendo R$ 800 de desconto para todas as versões do modelo até o fim de outubro. Passado esse período, a etiqueta inicial do modelo será de
R$ 48.600.

O bônus também contemplará a configuração equipada com banco de couro, oferecida por R$ 48.940, e também com novo câmbio automatizado de cinco marchas Easy’R por R$ 51.340. De acordo com a Renault, no perído de pré-venda o carro será ofertado com taxa de financiamento de 0,49% ao mês e com a câmera de ré como cortesia.

Baseado sobre o modelo com motor 1.6 8V Hi-Power de 98/106 cv, o Sandero com roupa aventureira conta com uma suspensão 4 cm mais elevada que as demais versões. Tal característica somada ao visual "offroad" o ajudou a se tornar a segunda versão mais vendida do Sandero. Falando do visual, o Stepway brasileiro recebeu mudanças pontuais em relação à versão comercializada na Europa sob o logo da Dacia. As principais delas estão concentradas na grade dianteira e também na região dos faróis de milhas e para-choques, que ganharam desenho distinto.

O Sandero Stepway será uma das principais atrações da Renault durante o Salão do Automóvel de São Paulo, que abre suas portas para o público no dia 30 de outubro.

Preços da linha Stepway


Sandero Stepway 1.6 
com bônus da pré-venda: R$ 47.800
sem bônus: R$ 48.600

Sandero Stepway 1.6 com bancos de couro
com bônus da pré-venda: R$ 48.940
sem bônus: R$ 49.740

Sandero Stepway 1.6 com câmbio automatizado
com bônus da pré-venda: R$ 51.340
sem bônus: R$ 52.140

http://revistaautoesporte.globo.com/Noticias/noticia/2014/10/renault-sandero-stepway-chega-com-preco-promocional-de-r-47800.html

HONDA CIVIC REESTILIZADO ENCARECE R$ 2.040, EM MÉDIA Mesmo com o aumento de preços, vendas do sedã crescem 14,7% de junho a setembro.


HONDA CIVIC REESTILIZADO ENCARECE R$ 2.040, EM MÉDIA
Mesmo com o aumento de preços, vendas do sedã crescem 14,7% de junho a setembro.
HONDA CIVIC 2015 (FOTO: GUILHERME BLANCO MUNIZ/AUTOESPORTE)

Prestes a completar quatro meses nas lojas, o Honda Civic reestilizado ficou em média R$ 2.040 mais caro. A versão que mais sofreu aumentos foi a intermediária LXS, equipada com motor 1.8 e câmbio automático de cinco marchas. Desde que o modelo renovado chegou ao mercado, em junho deste ano, houve um aumento de 14,7% nas vendas. Antes do sedã ser reestilizado, foram empacadas 4.083 unidades mensais, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Em setembro, o número subiu para 4.684. De lá para cá, nenhum mês registrou baixa.
SAIBA MAIS


A reestilização do Civic, lançada em conjunto com a linha 2015, foi sutil. Além de ficar com um visual mais esportivo na versão intermediária LXR 2.0 ao incorporar grade, filete cromado na entrada de ar inferior e faróis de neblina novos, o modelo evoluiu em conforto graças às novas medidas de pneus e rodas. Confira abaixo os preços antes e depois da mudança.


http://revistaautoesporte.globo.com/Noticias/noticia/2014/10/honda-civic-reestilizado-encarece-r-2040-em-media.html

RIVALIDADE EM FAMÍLIA: NEW FIESTA SEDAN ENCARA O NOVO KA+

RIVALIDADE EM FAMÍLIA: NEW FIESTA SEDAN ENCARA O NOVO KA+
Irmãos de plataforma da Ford, os sedãs têm o mesmo nível de equipamentos, mas são separados por mais de R$ 10 mil. Será que vale a pena pagar o preço da etiqueta premium?

FORD NEW FIESTA X FORD KA+ (FOTO: LEO CAVALLINI)

A Ford avisou que não queria rivalidade dentro de casa. Mas foi impossível não comparar o caçula recém-chegado Ka+, brasileiro, ao irmão maior e mais refinado New Fiesta Sedan, mexicano. Além de compartilharem plataforma e DNA global da mãe, há traços semelhantes entre eles. Basta olhar a grade em formato trapezoidal, os vincos acentuados e as linhas da carroceria. Como é normal entre irmãos, apesar dos elementos comuns é fácil notar um estilo próprio: enquanto a silhueta do New Fiesta abusa das curvas e traz maior toque de arrojo, o Ka+ aparenta formas mais cheias e robustas.
GALERIA DE FOTOS


Diferenças no posicionamento de mercado: enquanto o mexicano atua no segmento premium, que preza por design e refinamento, o brasileiro chegou para atender o consumidor que busca maior espaço interno e praticidade. O discurso da identidade para justificar o preço mais alto do New Fiesta pode funcionar no ambiente familiar para evitar ciumeira do filho mais velho, mas a verdade é que o caçula chegou ao mercado tão bem equipado, que em conteúdo não deixa nada a desejar às versões mais básicas do New Fiesta, apesar da diferença de até R$ 10 mil. Assim, confrontamos a dupla em um embate doméstico para responder à pergunta: vale a pena pagar mais pela etiqueta premium do New Fiesta ou economizar e ir de Ka+ mais completão?

O Ka+ SEL 1.5 (a partir de R$ 47.490), oferece o mesmo nível de equipamentos do New Fiesta SE 1.6, que custa R$ 53.190 com câmbio manual de cinco marchas, ou R$ 57.570 com Powershift. Como a primeira versão praticamente não é ofertada por aqui e a Ford não a disponibilizou para nossos testes de pista, avaliamos a versão equipada com o câmbio de dupla embreagem, que, no fim das contas, acaba por ser o melhor representante do status premium no país.

Vida a bordo

Por R$ 10.080 a menos, o Ka+ traz de série direção elétrica, ar-condicionado, controle eletrônico de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, rodas de liga de 15 polegadas, faróis de neblina, computador de bordo, sistema de som Sync, travas e vidros elétricos nas quatro portas. A versão 1.6 SE Powershift do New Fiesta só acrescenta ar digital e retrovisores elétricos. A despeito dos equipamentos, a cabine do New Fiesta tem tratamento mais cuidadoso. Apesar do layout semelhante, sua aparência, sensação ao toque dos materiais e montagem das peças denotam qualidade superior. No Ka+, a textura no console e nas portas é superior ao dos rivais, mas fica atrás do irmão.
FORD KA+ (FOTO: LEO SPOSITO)

Diferente também é o painel de instrumentos do New Fiesta, mais sofisticado e dividido em três seções; o conta-giros e velocímetro iluminados em azul, ficam em evidência, assim como o computador de bordo entre eles. No Ka+, a peça é mais discreta e um tanto sem graça, mas cumpre bem o papel de informar. Mas se por um lado faltou imaginação na ambientação da cabine do novato, por outro, sobrou espaço interno.

Apesar de usar a mesma plataforma, e ter entre-eixos próximo, os dois modelos apresentam aproveitamento bem distinto do espaço. Com 2,49 m, o Ka+ surpreende pelo generoso vão livre atrás, capaz de levar três ocupantes sem aperto. Já o New Fiesta Sedan, com 2,48 m, frustra quem buscava mais liberdade no banco traseiro. Pessoas com mais de 1,80 m de altura poderão se sentir incomodadas com o teto tão próximo à cabeça, efeito do caimento da carroceria que dá elegância à silhueta do sedã. O que não ocorre no Ka+, que é 5 cm mais alto. Nos porta-malas, o novo Ford também leva a melhor: segundo nossa medição, o sedã de Camaçari acomoda 491 litros, ante 471 l do mexicano.
FORD NEW FIESTA (FOTO: LEO SPOSITO)

A ergonomia da dupla é por igual digna de elogios. Os dois acolhem muito bem o motorista, com a ajuda dos ajustes de altura de profundidade de bancos e volante. A posição de dirigir mais baixa do New Fiesta confere a ele uma condução mais esportiva. A direção de ambos é leve: com assistência elétrica, é mais afiada no mexicano. A do Ka+ tem bom acerto, mas é menos ágil nas respostas. A suspensão, nos dois casos, é bem ajustada, apta a enfrentar a buraqueira cotidiana sem transmitir soluços a bordo.

KA+ SEL 1.5NEW FIESTA SEDAN SE POWERSHIFTACELERAÇÃO
0 - 100 km/h 10,6 s 10,5 s
0 - 400 m 17,3 s 17,5 s
0- 1.000 m 37,7 s 31,9 s
Velocidade a 1.000 m 166 km/h 166,4 km/h
RETOMADA
40 - 80 km/h (3ª marcha) 7,5 s 5 s
60 - 100 km/h (4ª marcha) 10,7 s 6,3 s
80 - 120 km/h (5ª marcha) 16,2 s 7,3 s
FRENAGEM (ABS)
100 km/h 42,6 m 42,6 m
80 km/h 27,6 m 27,9 m
60 km/h 15,4 m 15,8 m


Desempenho

Em performance, a disputa volta a pender para o New Fiesta Sedan, que conta com 130 cv e 16 kgfm do motor Sigma 1.6 (a 5.000 rpm), com ajuda do câmbio de dupla embreagem e seis marchas. São 20 cv a mais que os 110 cv do 1.5, uma versão miniatura do Sigma. O conjunto afinado do New Fiesta dá mais ânimo para rodar com o carro pesado e vantagem nas retomadas. Sua tocada também é mais empolgante. Mas o 1.5, com o câmbio manual de cinco marchas preciso, tem folêgo em baixas rotações. Graças à caixa manual, o Ka+ não ficou tão atrás do New Fiesta nos testes de aceleração. Levou 10,5 segundos para atingir os 100 km/h, enquanto o New Fiesta fez o mesmo em 10,6 s. Aí, quem deu uma forcinha foi a caixa manual. Em consumo, houve empate técnico: o Ka+ alcançou médias de 7,8 km/l na cidade e 12,1 km/l na estrada, o New Fiesta fez 7,9 km/l e 12,5 km/l.

Fazendo as contas

O Ka+ só fica atrás no custo de manutenção. As quatro idas à concessionária até os 30 mil km custam R$ 1.664. Para o New Fiesta, R$ 980. Dito isso, vamos à pergunta do milhão, ou melhor, dos R$ 10 mil: diante dos atributos do novato, vale a pena desembolsar mais para levar um Fiesta? Vale. Se você fizer questão de aposentar o câmbio manual, não há muito o que pensar, pois o Powershift não está disponível para o Ka+. Se sua prioridade for o espaço interno e porta-malas, pode investir no novato, que é um ótimo negócio.

Vencedor: Ford KA+

O Ford New Fiesta Sedan ainda é uma boa pedida para quem faz questão do câmbio automático e de um interior mais refinado. Do contrário, por R$ 10 mil a menos, a versão topo de linha do Ka+ atende em questão de desempenho, espaço interno, porta-malas e equipamentos, tanto de entretenimento quanto de segurança. A única dúvida é em relação às condições de loja, pois ele ainda não chegou às autorizadas.
http://revistaautoesporte.globo.com/Analises/noticia/2014/10/rivalidade-em-familia-new-fiesta-sedan-encara-o-novo-ka.html

CONHECENDO A Ginástica:

Ginástica

O objetivo desta seção é divulgar e disponibilizar históricos e informações técnicas sobre as mais variadas manifestações da ginástica. Também encontra-se links para Recursos Didáticos (notícias, simuladores, sons e vídeos).









http://www.educacaofisica.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=160

Esportes - MODALIDADES:

Esportes
O objetivo desta seção é divulgar textos sobre o surgimento histórico e as regras de alguns esportes. Disponibiliza também linkspara reportagens em áudios e vídeos da TV Multimídia, distribuídos dentro da respectiva modalidade. 


http://www.educacaofisica.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=159

Danças pelo Brasil













http://www.educacaofisica.seed.pr.gov.br/

Breve história do teatro: "A finalidade de representar, tanto no princípio quanto agora, era e é oferecer um espelho à natureza; mostrar à virtude seus próprios traços, à infâmia sua própria imagem, e dar à própria época sua forma e aparência".

Breve história do teatro:
"A finalidade de representar, tanto no princípio quanto agora, era e é oferecer um espelho à natureza; mostrar à virtude seus próprios traços, à infâmia sua própria imagem, e dar à própria época sua forma e aparência". (HAMLET, Ato III, cena II)
A palavra teatro (théatron) deriva dos verbos gregos "ver, enxergar" e significa lugar de onde se vê.







Pré-história

O teatro sempre esteve presente na história da humanidade e, por meio dele, o homem expressava sentimentos, contava histórias, e louvava seus deuses. 
Ninguém sabe ao certo como e quando surgiu o teatro. Provavelmente nasceu junto com a curiosidade do homem, desde o tempo das cavernas, de tanto observar os animais, acabou conseguindo imitar esses bichos, para se aproximar deles sem ser visto numa caçada, por exemplo. Depois, o homem desta época deve ter encenado essa caça para seus companheiros para contar a eles como foi, já que não existia ainda a linguagem como a gente conhece hoje. Isso era teatro, mas ainda não era espetáculo.


Antiguidade

Quem vai assistir a peças, muitas vezes engraçadas, hoje em dia, talvez nem imagine que o teatro, há muito tempo, era sagrado. As pessoas acreditavam que por meio desses rituais era possível invocar deuses e forças da natureza para fazer chover, tornar a terra mais fértil e as caças mais fáceis, ou deixar os desastres naturais bem longe de sua comunidade. Estes rituais envolviam cantos, danças e encenações de histórias dos deuses, que assim deveriam ficar felizes com a homenagem e ser piedosos com os homens. 


Teatro Grego

O teatro grego surgiu das cerimônias e rituais gregos como as Dionisíacas que eram celebrações de caráter religioso ao deus Dionísio, o deus do vinho, do entusiasmo, da fertilidade e do teatro. Os deuses gregos eram muito parecidos com os homens, pois tinham vontades e humores. Uma coisa curiosa nas encenações é que só os homens podiam atuar, já que as mulheres não eram consideradas cidadãs, por isso as peças eram encenadas com grandes máscaras.
Foi na Grécia que surgiu a dramaturgia com Téspis que também representou pela primeira vez o deus Dionísio, criando o ofício de ator. Também na Grécia antiga surgiram dois gêneros do teatro a Tragédia e a Comédia.
Nas tragédias gregas os temas eram ligados às leis, à justiça e ao destino. Nesse gênero eram contadas histórias que quase sempre terminavam com a morte do herói. Os autores de tragédia grega mais famosos foram Ésquilo, Sófocles e Eurípedes. Ao contrário da tragédia, na comédia grega as histórias visavam o riso do espectador, eram formas engraçadas de perceber a vida chamadas sátiras. Um grande autor de comédia grega foi Aristófanes. Todos esses autores influenciaram muito o teatro que veio depois e suas peças são encenadas até hoje. 


As peças gregas passaram a ser representadas em espaços especiais que são parecidos com os teatros atuais. Eram construções em forma de meia-lua, cavadas no chão, com bancos parecidos com arquibancadas, chamados de teatros de arena.


Roma

O teatro romano não é um reflexo do teatro grego. Eles importaram a cultura grega, porém tinham seu próprio estilo. O teatro romano perde o caráter de sagrado e visa à diversão e ao prazer, a comédia toma o lugar da tragédia. Os espetáculos de circo romanos eram violentos, se baseavam em competições entre os romanos e os cristãos os quais eram sacrificados publicamente.




Idade Média

Período de intensa atividade católica. Durante as missas eram representadas passagens da bíblia, porém as autoridades católicas, com medo da perda do caráter sagrado da missa, proibiram as exibições e as peças foram para as praças públicas.
Também na Idade Média surgem as comédias bufas com temas políticos e sociais e a farsa com uso de estereótipos que ironizavam acontecimentos do dia a dia. Aparecem os Saltimbancos, companhias de teatro que iam de cidade em cidade apresentando seus espetáculos.


Renascimento

Na Itália, no final da Idade Média e início do Renascimento, surge a Commedia Dell'Arte, que se baseava em espetáculos teatrais populares, apresentados nas ruas, com textos improvisados e personagens de destaques como Arlequim, Pierrot, Colombina, Polichinelo, Pantaleão, Briguela. 
Na Ingleterra, a rainha Elizabeth I deu proteção ao teatro da época pois apreciava muito os espetáculos populares. Contava com a ajuda de alguns dramaturgos ingleses para contar a história de seus heróis reforçando o sentimento do nacionalismo. O principal deles era Sheakespeare que também idealizou e construíu o mais famoso teatro inglês: o Globe.Também vale destacar o francês Moliére, patrono dos atores franceses. Moliére foi um comediógrafo, ou seja, se dedicou a escrever comédias e, em suas histórias, explorava as fraquezas e ridículos do ser humano. 




Romantismo

Nos séculos XVIII e XIX a Europa teve várias revoluções. Nesse período, a burguesia tem uma ascensão e o teatro sofre infuências, o drama substitui a tragédia e a comédia se desenvolve, o foco do teatro se torna muito mais individual e não é mais social. No romantismo, o teatro volta-se para o ser humano, as peças falam sobre emoção, e surge o melodrama. Liberdade, fraternidade e igualdade são os lemas desse período. 


Realismo e Naturalismo no teatro

Até o século XVIII o teatro era frequentado pelo povo e essa realidade foi se modificando, a burguesia começou a ser maioria nas plateias e o teatro passou a mostrar as realidades burguesas com temas como a vida social, o casamento, o dinheiro entre outros. As representações também começaram a ser mais naturais, mostrando pessoas comuns, mais próximas da vida real.


Século XX

A partir do realismo e naturalismo o teatro evolui e se torna um instrumento de discussão e crítica da sociedade, mesmo com a falta de preocupação da reprodução da realidade nos cenários e figurinos, os temas tratados ilustram a realidade social. O teatro nessa época trabalha questões políticas e questões que refletem criticamente aspectos da sociedade vigente.






O Teatro hoje

Dá para perceber que, com tantas influências, o teatro de hoje é uma arte muito rica. Existe a ópera, o teatro de bonecos, os musicais, o teatro feito em espaços alternativos, entre outros. Quando apareceu o cinema, há mais de cem anos, muita gente previu o fim do teatro. Falavam que o cinema iria substituí-lo, porque podia criar histórias com muito mais semelhança com a realidade. Ainda bem que isso não aconteceu!

Fontes consultadas:
Autor: Jorge Luís Rodrigues In: www.animagente.com 
Disponível em: http://www.animagente.com/siteandre_APOSTILA.html / acesso em 01/07/2011.
Acesso em junho de 2011.
Todas as modificações posteriores são de responsabilidade dos autores da matéria.

História da dança: Dançar, dançar, dançar...basta querer, é só começar! A dança é uma das expressões artísticas mais antigas.

História da dança:
Dançar, dançar, dançar...basta querer, é só começar! A dança é uma das expressões artísticas mais antigas. Na pré-história dançava-se pela vida, pela sobrevivência, o homem evoluiu e a dança obteve características sagradas, os gestos eram místicos e acompanhavam rituais. Na Grécia, a dança ajudava nas lutas e na conquista da perfeição do corpo, já na Idade Média se tornou profana, ressurgindo no Renascimento. A dança tem história e essa história acompanha a evolução das artes visuais, da música e do teatro.

Dança Primitiva
A A dança nasceu associada às práticas mágicas do homem, com o desenvolvimento da civilização, o rito separou-se da dança.
O homem dançava pela sobrevivência, dançava para a natureza em busca de mais alimentos, água e também em forma de agradecimento. A dança era quase um instinto e esses acontecimentos registrados nas paredes de cavernas em forma de desenhos, ficaram conhecidos como arte rupestre. 
O homem primitivo pintava nas paredes das grutas, cavernas e galerias subterrâneas cenas de caça e rituais que representavam a caçada. Pareciam acreditar ser possível, pela representação pictórica, alcançar determinados objetivos, como abater um animal, por exemplo.


http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=293&evento=1


Sequência de aulas: Eu e a mídia – eu e o que consumo.

Sequência de aulas: Eu e a mídia – eu e o que consumo

Autora: Professora Stella Maris Oliveira Ludwig - Curitiba/PR



1. Nível de ensino: Ensino Médio

2 Conteúdo Estruturante: Elementos formais, composição, movimentos e períodos.
2.1 Conteúdo Básico: Elementos formais (forma, superfície, cor, textura), composição (bidimensional, tridimensional, semelhanças, contrastes, deformação, estilização) e movimentos e períodos (Pop Arte).
2.2 Conteúdo Específico: Eu e a mídia – eu e o que consumo – influência da mídia e produtos na formação da minha personalidade.



3. Objetivos

Reconhecer o meio como influência na construção da personalidade.

Dominar a técnica do recorte e colagem.
Entender o que é apropriação.
Entender e produzir uma composição.
Conhecer o gênero autorretrato.
Perceber a concepção de enunciado, signo e ideologia presente nas propagandas midiáticas.

4. Número de aulas estimado: 4 aulas

5. Justificativa

Segundo o historiador Luiz Carlos Ribeiro "o homem, ao subordinar-se às imposições do mercado e não exercer a vontade própria, transforma-se em coisa, perde sua humanidade". 
Observa-se atualmente que a publicidade e a propaganda assumem papel determinante no modelo global de mercado. Nesse contexto, a produção passa por transformações que alteram a maneira como o sujeito se relaciona com os outros, consigo mesmo e com a mercadoria. Continue lendo

6. Encaminhamento: 





7. Relações interdisciplinares

Ao tratar do assunto Arte contemporânea, busca-se relações com o conteúdo estruturante Estética, da disciplina de Filosofia, especificamente com os conteúdos básicos: Natureza da arte (o que faz com que uma produção seja considerada obra de arte); Filosofia e arte (as reflexões sobre o sentido e a representatividade da arte); Categorias estéticas (feio, belo, sublime, trágico, cômico, grotesco, gosto etc.) e Estética e sociedade (a função social da arte). O objetivo de tais relações é o de possibilitar uma abordagem mais abrangente desse assunto, questionando a finalidade da arte, seu propósito – arte como objeto de reflexão, bem como a reflexão sobre se arte possui engajamento ou se ela se dá por si mesma, proporcionando o entendimento e o reconhecimento da Arte contemporânea. 

8. Aprendizagem esperada

Segundo as Diretrizes Curriculares de Arte (PARANA, 2008), “no processo educativo, a avaliação deve se fazer presente, tanto como meio de diagnóstico do processo ensino-aprendizagem quanto como instrumento de investigação da prática pedagógica, sempre com uma dimensão formadora, uma vez que, o fim desse processo é a aprendizagem, ou a verificação dela, mas também permitir que haja uma reflexão sobre a ação da prática pedagógica. ” 
Ao final desta sequência de aulas espera-se que o aluno reconheça o meio como influência na construção da personalidade; domine a técnica do recorte, colagem e composição; conheça o gênero autorretrato e perceba a concepção de enunciado, signo e ideologia presente nas propagandas midiáticas.



http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1252#abrefecha