1

1

Google+ Followers

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

22 de Setembro Data da Juventude do Brasil.

22 de Setembro Data da Juventude do Brasil.

Só pra mencionar algumas áreas: emprego, educação, saúde, cultura, cidadania, desporto e lazer. Em todas elas há ações, projetos e até mesmo programas desenhados para a juventude, como por exemplo o tão falado "primeiro-emprego", só pra citar um deles.
A juventude brasileira tem ambições não muito diferentes do resto dos jovens do mundo: quer trabalhar, ter segurança, se divertir. Infelizmente, a realidade do país não consegue proporcionar isso a todos, criando uma parcela de negligenciados no meio do processo. O triste quadro parece ter solução: cada vez mais os jovens estão se conscientizando de seu papel político e social; as ONG´s (Organizações Não-Governamentais) estão aí para mostrar isso.
O Brasil possui uma bela história de luta de seus jovens. A década de 60, permeada do autoritarismo de plena ditadura miliar, foi ferreamente combatida por jovens idealistas. Manifestações, passeatas, protestos de todos os tipos invadiram o país.
A coragem e determinação sempre foram características da juventude: ela pode muito bem ser a solução para o Brasil.
https://www.facebook.com/DatasComemorativas/timeline

22 de Setembro Dia do Contador.



22 de Setembro Dia do Contador.

Dia 22 de setembro, comemora-se o dia do contador, sendo que no dia 25 de abril comemora-se o dia do contabilista. Mas qual seria a diferença? O termo contador aplica-se aos profissionais com formação superior enquanto o termo contabilista está vinculado tecnólogo em contabilidade.
Esclarecidas as diferenças, vamos aprofundar o lado histórico da data. Essa data foi instituída em 22 de setembro de 1945, através do decreto 7988. No princípio a intenção era homenagear a criação do curso de contabilidade na UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais.
Então desde esse dia, temos uma data marcante na história brasileira e da contabilidade. Independente de ser tecnólogo ou graduado, inferior não será a importância desses profissionais dentro das empresas e organizações, e por que não, na sociedade como um todo
Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO

22 de Setembro Dia Mundial Sem Carro.

O Dia Mundial sem Carro é aquela data para você refletir sobre algumas formas de não usar seu veículo automotivo. Faz bem trocar seu carro por um ônibus, metrô e até mesmo aquela bike empoeirada. 
Esse movimento começou em algumas cidades da Europa nos últimos anos do século 20, e desde então vem se espalhando pelo mundo, ganhando a cada edição mais adesões nos cinco continentes. Trata-se de um manifesto/reflexão sobre os gigantescos problemas causados pelo uso intenso de automóveis como forma de deslocamento, sobretudo nos grandes centros urbanos, e um convite ao uso de meios de transporte sustentáveis - entre os quais se destaca a bicicleta.
Fonte:infoabril



https://www.facebook.com/DatasComemorativas/timeline

Mitsubishi anuncia o lançamento do híbrido Outlander PHEV no Brasil

Logo após o anúncio da redução do imposto de importação para os modelos híbridos e elétricos, a Mitsubishi anuncia o lançamento do crossover Outlander PHEV, o primeiro SUV 4×4 híbrido disponível no mercado brasileiro.

O Outlander PHEV tem três motores: um à combustão no ciclo otto e outros dois elétricos síncronos com imã permanente e sempre irá optar pela forma mais eficiente de trabalho dos motores, privilegiando a economia de combustível, sem prejudicar a performance. Com o modelo é possível percorrer mais de 52 quilômetros no modo totalmente elétrico.


O carregamento pode ser feito em uma tomada convencional 110V ou 220V. Com a bateria totalmente descarregada, o tempo médio de recarga é de cinco horas. Em alguns pontos das grandes cidades, o motorista ainda poderá optar pelos quick chargers, que carregam até 80% da bateria em, no máximo, 30 minutos.

O motorista ainda pode optar pelo botão “Charge”, que otimiza o uso do motor à gasolina para carregar a bateria, ou o modo “Save”, onde opta por reduzir o uso de energia da bateria.


Na lista de equipamentos estão nove airbags, piloto automático adaptativo (ACC), alerta para mudança de faixa (LDW), dispositivo de redução de risco de colisão através do radar (FCM), controle de tração e estabilidade inteligente (S-AWC), alerta para pedestres (AVAS), assistência em rampas (HSA) e controle remoto por smartphone, sistema multimídia Black Glass com tela de 7″, ar-condicionado Dual Zone, porta malas com abertura e fechamento elétricos. Equipado com Comfort Pack, o modelo acrescenta sensor de estacionamento, câmera de ré, acendimento automático dos faróis e sensor de chuva.

Mesmo com a instalação das baterias (seladas) e dois motores, o espaço interno é o mesmo do Outlander 2.0 e 3.0 V6. O ganho de peso foi compensado com o aumento do torque e potência, graças aos motores elétricos. A capacidade do porta-malas pode chegar a 1.520 litros com os bancos rebatidos e 731 litros com cinco passageiros.


A energia gerada durante a frenagem também é utilizada para carregar as baterias do veículo (modo regenerativo). Uma tela de LCD de 4,2″ com alta definição informa sobre o nível de carga, modo de condução selecionado, fluxo de energia do sistema PHEV entre outras funções. O motorista ainda pode monitorar todas as informações do veículo por um aplicativo, via smartphone ou tablet.

O sistema de tração é o S-AWC (Super All Wheel Control), com acionamento por botão tipo Push/Leave e dois modos de operação: Auto e 4WD Lock. As rodas são de liga leve 18″ e os pneus de perfil baixo 225/55R18 para melhor aderência.

O Outlander PHEV será mostrado no Salão do Automóvel, em outubro, e deve estar disponível nas concessionárias até o início do próximo ano. De acordo com a marca, o preço estimado é de cerca de R$ 190 mil.

http://carplace.virgula.uol.com.br/mitsubishi-outlander-phev-e-lancado-brasil/

Conteúdos 1º Ano



Diversas Atividades para o 1º ano, plano de aula com atividades para primeiro ano, atividades de matemática, etc..



http://www.mundinhodacrianca.net/2014/02/diagnostico-inicial-para-o-1-ano.html

Em busca dos 20 km/l: teste de consumo reúne novo Ka, up! e Fox Bluemotion


Há cerca de um ano, paramos neste mesmo posto para fazer a foto de abertura da reportagem “Em busca dos 20 km/l” com os modelos Fox Bluemotion, Clio Expression e Uno Economy. Na ocasião, o preço da gasolina no estabelecimento era de R$ 2,799 o litro. Agora repare na imagem acima o quanto está custando esse mesmo litro do combustível fóssil, menos de 12 meses depois: R$ 2,989, exatos 19 centavos a mais que antes – o que significa um aumento na casa dos 7%. O seu salário subiu esse percentual de um ano para cá? O meu não… É por isso que, além das questões ambientais, o povo quer carros cada vez mais econômicos e eficientes.


Muitos passos importantes têm sido dados nesta direção. Começou com a etiqueta energética do Inmetro, que passou a classificar os carros com notas (A, B, C, D e E) de acordo com seu consumo de combustível dentro da categoria na qual ele está inserido. Depois veio o Inovar-Auto, regime do governo que prevê, até 2017, que os carros nacionais tenham um rendimento 23,1% maior que a média atual (chegando à média de 17,26 km/l de gasolina ou 11,96 km/l de etanol). Bem, no ano passado o Fox Bluemotion levou a melhor no nosso teste e provou a racionalidade do uso de um motor mais compacto e moderno, o EA-211 1.0 12V de três cilindros. Assim, o Fox entra no desafio deste ano como o atual campeão – agora já na versão reestilizada da linha 2015.


A diferença é que, desta vez, os rivais usam a mesma arma do Fox: motor 1.0 tricilíndrico, que é exatamente igual no pequenino up! e segue conceito semelhante no novo Ka – os três com nota A pelo Inmetro. O propulsor do Ford difere por usar bloco de ferro (mais pesado), mas tem a vantagem de possuir duplo comado variável, que atua na admissão e no escape – só na admissão no caso dos Volkswagen. Em termos de performance, o Ford vai além: são 85 cv e 10,7 kgfm, contra 82 cv e 10,4 kgfm. Há algumas semanas, mostramos num teste que o Ka se tornou o 1.0 mais rápido do país, vencendo o próprio up! e o renovado Nissan March. Mas será que ele também é o mais econômico? Vamos para a estrada descobrir!


As regras foram a mesmas da prova de 2013: abastecemos os carros com 100% gasolina até a boca (na verdade a nossa gasoálcool, com 25% de etanol), conferirmos a pressão dos pneus, zeramos os hodômetros e rodamos até a cidade de Tatuí, a pouco mais de 100 km de distância da capital paulista. A partida se deu no primeiro posto da rodovia Castelo Branco, e logo às 6h30 da manhã, para que o trânsito matinal não estragasse nossas médias de consumo. Para que o estilo de condução de cada motorista também não influenciasse no resultado, programamos paradas a cada cerca de 30 km para troca de condutores. Além disso, fomos mantendo distância do carro da frente e revezando o carro que liderava o grupo, para que ninguém aproveitasse o vácuo de ninguém.


A primeira etapa do teste foi feita mantendo os 100 km/h constantes, com acelerações leves e o mínimo de redução de marchas possível. Nas trocas ascendentes, respeitamos sempre o mostrador de troca de marcha presente nos três modelos, que indica o melhor momento para a mudança levando se em conta o menor gasto de combustível possível.


A viagem também serviu para relembrar (e também comparar) o trio de compactos. A VW nos mandou as versões básicas de seus carros, de modo que o take up! tinha apenas o CD player e os vidros dianteiros e trava elétrica opcionais, sem contar sequer com conta-giros ou direção elétrica. Ar-condicionado? Nem o Fox Bluemotion avaliado tinha o opcional, mas ao menos ele traz de série a assistência elétrica da direção. Já o Ka era completão, pois a Ford tem apenas a versão SEL na frota de imprensa – mas obviamente viajou com o ar desligado. Assim, o Ka entrou na prova com desvantagem no peso: 1.026 kg contra 993 kg do Fox e apenas 910 kg do up!. Além disso, o Ford traz rodas aro 15″ com largos pneus 195/55, enquanto Fox e up! vestem aro 14″ com pneus mais condizentes com motores 1.0, de medidas 175/70.


“O Ka parece mais amarrado”, reparou o repórter Alexandre Ciszewski. Ao contrário, o Fox dá a impressão de ser mais “solto”, como se ele tivesse menos resistência à rodagem. De fato, o Bluemotion recebe alterações como pneus de baixa resistência (Goodyear GPS Duraplus, também usados no up!) e melhorias aerodinâmicas como suspensão rebaixada, grade fechada e até o desenho especial nas calotas – tudo para chegar a um coeficiente aerodinâmico (Cx) de bons 0,33. O Ka tem CX de 0,338, mas é “segurado” pelos pneus mais largos e pelo peso maior. Já o up! tem o pior CX, 0,361, mas em compensação é o mais leve do trio e tem pneus bem adequados à proposta.


Os três são surpreendentemente confortáveis acusticamente para carros 1.0. Viajando a 100 km/h, todos apontam ao redor do 3 mil rpm (Fox e up! um pouco mais) e o ruído na cabine é muito mais do vento do que do motor. O Ka agrada também pela suspensão mais macia e pelos bancos grandes, os mais cômodos do trio. O Fox segue um acerto mais durinho de suspensão, necessário por conta de sua carroceria mais alta, mas a direção elétrica (antes era eletro-hidráulica) ficou bastante leve – mais que a do Ka, inclusive. Já o up! fica no meio termo Ka e up! na rigidez da suspensão. E, sem assistência da direção, era disparado o mais pesado e lento nas mudanças de direção. Câmbio? Fox e up! compartilham a ótima caixa MQ-200, de engates macios e curtinhos. O Ka tem engates mais longos, porém, também bastante precisos.


O Fox recebeu elogios quanto à vibração mais bem contida do bloco três cilindros. “Dá para perceber claramente que o up! vibra mais, apesar de usar o mesmo motor”, reparou o editor-assistente Júlio Trindade. O Ka fica na coluna do meio neste aspecto, assim como no espaço interno. “Gosto da amplitude do Fox, me dá mais liberdade de movimentos”, declarou o diretor Fábio Trindade. Já o up! foi criticado pela simplicidade do interior (com lataria aparente) e pelo painel de instrumentos minimalista, que lembra o do primeiro Fox. “É uma pena que a VW ainda não tenha achado um posicionamento legal para o compacto, pois o up! é um carro muito interessante”, rebateu o editor-chefe Daniel Messeder. “Eu não teria dúvidas de optar pelo up! entre os VW, pois não gosto da posição muito alta de dirigir e dos pedais deslocados do Fox”, completou. Trindade, no entanto, disse que acha difícil alguém levar o up! em vez do Fox, pois quando começamos a colocar os opcionais mais desejados os dois acabam próximos em preço.


Voltando ao consumo, que afinal é o tema principal desta reportagem, a chegada ao posto em Tatuí foi cercada de expectativa. Além dos mostradores de combustível estarem praticamente no mesmo lugar (sequer apagou a primeira barrinha no caso do up!, com mostrador digital), os computadores de bordo de Ka e Fox revelavam médias animadoras. E não é que o campeão do ano passado levou a melhor? O Fox registrou 22,2 km/l, seguido de perto pelo up!, com 22 km/l cravados. Um pouco atrás, o Ka fechou a fila com ainda assim respeitáveis 20,9 km/l – lembrando de seu maior peso e pneus mais largos.


Feitos os reabastecimentos e as contas de consumo (km rodada dividida pelo combustível gasto), partimos para a segunda parte do teste: a volta para São Paulo, só que agora a 120 km/h – limite da estrada e velocidade na qual a maioria dos motoristas viaja na Castelo Branco. Impondo um ritmo mais forte, o Ford se destacou. “Nesta velocidade o Ka transmite maior segurança, é mais estável e tem a direção mais firme”, comparou Ciszewski. Além disso, o modelo do oval azul utiliza uma relação de marcha mais longa, mantendo os 120 km/h com 3.750 rpm – Fox e up! ficam ao redor das 4 mil rpm, exigindo mais do motor.


O padrão foi o mesmo da ida, com trocas de motoristas e revezamento de posições entre os carros. Diferentemente do ano passado, porém, desta vez resolvemos encerrar o teste num posto um pouco mais distante da entrada de São Paulo, para evitar quaisquer problemas com congestionamentos. Deu tudo certo: rodamos praticamente 100 km e paramos para o abastecimento final. E desta vez quem brilhou foi o up!, conseguindo a média de 18 km/l, com o Fox um pouco mais atrás, registrando 17,6 km/l. O Ka manteve a terceira posição, mas agora mais próximo dos VW, com a média de 17,1 km/l.


Fazendo os cálculos para obter a média final das duas medições, temos um novo campeão para nossa prova de consumo: o up!, com exatamente 20 km/l. O Fox Bluemotion perdeu o reinado, mas veio logo atrás, com 19,9 km/l. Em conversa com a engenharia da VW, soubemos que, pelos testes internos da marca, o up! é realmente um pouco mais econômico que o Fox Bluemotion. Por fim, o Ka ficou com 19 km/l. A diferença de apenas 1 km/l entre o melhor e o “pior” do teste, além das médias na casa dos 20 km/l, evidencia o acerto de VW e Ford ao apostarem em seus modernos motores 1.0 de três cilindros. E olha que ainda há caminhos para melhorar, como a adoção do sistema start-stop (que reduz o consumo na cidade) e também a injeção direta, ainda não disponível em nenhum carro nacional – lembrando que o Focus é argentino.


Enquanto encerrávamos esta reportagem, uma notícia veio tornar mais difícil obter as médias que conseguimos no teste. O Senado aprovou o aumento da porcentagem de etanol na gasolina brasileira de 25% para 27,5%, ficando a decisão agora por conta presidente Dilma Rousseff. Caso seja aprovada a mudança, restará aos consumidores pressionar as autoridades para que o preço do etanol fique mais vantajoso em outras partes do país como é em São Paulo, por exemplo. Volte lá na foto de abertura do post e veja que o combustível vegetal custa R$ 1,999 no posto utilizado por nós, praticamente R$ 1 mais barato que a gasolina.

Preços dos carros avaliados:
Ford Ka SEL 1.0: R$ 39.990
VW Fox Bluemotion: R$ 37.690
VW take up! 4p: R$ 29.570

Por Equipe CARPLACE
Fotos Rafael Munhoz

http://carplace.virgula.uol.com.br/em-busca-dos-20-kml-teste-de-consumo-reune-novo-ka-up-e-fox-bluemotion/

Prisma ganha alerta de cinto de segurança e fica mais caro: parte de R$ 41,9 mil

A Chevrolet anuncia nesta semana no mercado brasileiro novidades na lista de equipamentos do sedã Prisma. Conforme explica a marca, passa a ser item de série em todas as versões do modelo alerta sonoro de não utilização dos cintos de segurança dianteiros (tanto motorista quanto passageiro). O sistema funciona através de sensores instalados nas travas do cinto e nos assentos posteriores, que, além do aviso sonoro, acionam uma luz indicadora no painel.
Junto com a novidade, porém, vieram aumentos nos preços. Oferecido desde junho a partir de R$ 41.290 na versão de entrada LT 1.0, o sedã agora parte de R$ 41.900 na mesma configuração. O reajuste de estende pelos demais acabamentos e chega aos R$ 55.400 no modelo LTZ 1.4 Automático.

Tabela de preços Chevrolet Prisma:

Prisma 1.0 LT – R$ 41.900
Prisma 1.0 Advantage – R$ 45.280
Prisma 1.4 LT – R$ 46.550
Prisma 1.4 LT Aut. – R$ 51.700
Prisma 1.4 LTZ – R$ 51.850
Prisma 1.4 LTZ Aut. – R$ 55.400

http://carplace.virgula.uol.com.br/chevrolet-prisma-ganha-alerta-de-cinto-de-seguranca/

Conteúdos 2º Ano.


Conteúdos 2º Ano

Atividades para 2º ano, atividades de matemática 2º ano, atividades para segundo ano, etc... 


http://www.mundinhodacrianca.net/2014/09/planejamento-anual-com-todas-as.html

Conteúdos 3º Ano

Conteúdos 3º Ano

Atividades para 3º ano, atividades de matemática 3º ano, atividades para terceiro ano, etc... 


http://www.mundinhodacrianca.net/2011/09/atividades-de-matematica-3-ano-adicao-e.html

Conteúdos 4º Ano

Conteúdos 4º Ano

Atividades para 4º ano, atividades de matemática 4º ano, atividades para quarto ano, etc... 




http://www.mundinhodacrianca.net/2014/02/atividades-de-matematica-para-o-4-ano.html

Conteúdos 5º Ano

Conteúdos 5º Ano

Atividades para 5º ano, atividades de matemática 5º ano, atividades para quinto ano, etc... 



http://www.mundinhodacrianca.net/2014/09/planejamento-anual-5-ano.html

Como fazer flores com copo descartável - Reciclagem

flor com copo descartável, reciclagem para a primavera, como fazer flor com copo descartável

Passo a passo de como fazer flores com copo descartável.

Recortando o copo em tirinhas, dobrando-as pra fora e prendendo:


Pronto, agora é so decorar com o seu gosto, ficaram lindas, não?!

http://www.mundinhodacrianca.net/2014/09/como-fazer-flores-com-copo-descartavel.html

Carros híbridos têm Imposto de Importação reduzido para valores entre zero e 7%

Em nota publicada no Diário Oficial da União, o governo oficializa a redução do Imposto de Importação para veículos híbridos. Com base na medida, a taxação sobre os modelos ecológicos vindos de fora cai de 35% para valores entre zero e 7% até 31 de dezembro de 2015. A decisão partiu da Câmara de Comércio Exterior (Camex), que tem relação direta com o Ministério da Indústria e Comércio Exterior. Dessa forma, os veículos passam a integrar a Lista Brasileira de Exceções à Tarifa Externa Comum, Letec.
De acordo com as diretrizes da medida, estão incluídos na redução da alíquota os automóveis sem tecnologia de recarga externa, de cilindrada entre 1.0 e 1.5, com capacidade para até seis passageiros, incluindo o motorista, cuja redução de imposto vai de 35% para zero, 2%, 4%, 5% e 7%, dependendo do ex-tarifário a ser enquadrado. Veículos híbridos com cilindrada superior a 1.5 e inferior a 3.0 também foram beneficiados. Os modelos serão enquadrados no ex-tarifário correspondente a partir de seu nível de eficiência energética.
A Camex explica que redução de imposto faz parte de um conjunto de medidas necessárias para a criação de um mercado e atração de investimentos para a produção nacional de veículos que usem novas tecnologias de propulsão. Além disso, a medida reflete a aceitação de um pleito da Anfavea, associação das montadoras instaladas no país, que em julho de 2013 entregou ao governo um pedido de isenções de impostos para alavancar no Brasil as tecnologias alternativas de propulsão, com foco na redução de emissões.

http://carplace.virgula.uol.com.br/hibridos-tem-imposto-de-importacao-reduzido-para-valores-entre-zero-e-7/

Conteúdos do 1º ao 5º ano - Séries Iniciais


Conteúdos do 1º ao 5º ano - Séries Iniciais





http://www.mundinhodacrianca.net/2014/09/conteudos-1-ano.html

Avaliação: C4 Lounge Tendance traz turbo a preço de rival aspirado

À primeira vista, o novo Citroën C4 Lounge Tendance THP pode parecer mais um sedã tranquilão. Mas não se deixe levar pelas aparências: a versão Tendance acaba de receber o motor 1.6 THP como opção ao 2.0 aspirado oferecido anteriormente. Antes, quem desejasse o propulsor turbinado era obrigado a levar a versão topo de linha Exclusive (leia o teste!). A estratégia da fabricante francesa, agora, é posicionar o Tendance turbo na faixa dos rivais aspirados Toyota Corolla XEi (R$ 81.480) e Honda Civic LXR (R$ 74.900).

Luxo e conforto são boas palavras para descrever o C4 Lounge THP Tendance. Com bancos de couro, motorista e passageiros ficam bem acomodados, sem falar do eficiente ar-condicionado automático de duas zonas, que ainda conta com uma saída para os bancos de trás. O volante também é revestido em couro e traz comandos do som, tornando a condução mais agradável. O painel reúne mostradores digitais e analógicos na cor alaranjada e um grande velocímetro, para deixar todo mundo de dentro do carro sabendo a velocidade. Espaço interno é generoso e o porta-malas está na média da categoria, com 450 litros.


Acendimento automático dos faróis, retrovisor eletrocrômico e sensor de chuva e estacionamento (traseiro) também estão presentes nesta versão, apesar de ela não ser a mais completa do modelo. O grande destaque, porém, fica fica por conta do motor 1.6 Turbo THP 165 (Turbo High Pressure) de 165 cv e 24,5 kgfm de torque, fruto da parceria entre a PSA Peugeot Citroën e o BMW Group, aliado ao câmbio automático de seis marchas. Falando da transmissão, ela apresenta trocas muito suaves e responde com decisão nas retomadas.


Outra atração é a central multimídia com GPS, Bluetooth e tela de 7 polegadas colorida. O sistema, entretanto, pode ser melhorado. Saindo com o carro do prédio da Citroën, fui testar o navegador e, para a minha surpresa, ele não oferece comando de voz ou tela sensível ao toque. Para escolher um destino é preciso girar o dial do rádio e ir selecionando as letras, o que demanda tempo e atenção. Pior: enquanto digitava a rua escolhida, a central simplesmente travou, sendo necessário desligar e religar o carro para reiniciar o sistema.

Do desempenho, porém, não há do que se queixar. Basta pisar mais forte no acelerador que a resposta é rápida: o carro parece levar aonde você quiser com muita agilidade e força, explorando os bons 24,5 kgfm a partir de apenas 1.400 rpm. Usando o modo Sport do câmbio, então, o C4 deixa qualquer um empolgado! Se a resposta da aceleração agrada, os freios estão no mesmo patamar, já que o conjunto de discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira são amparados pelo ABS e o AFU (auxílio à frenagem de urgência), que aplica força máxima no pedal.


Uma diferença em relação à versão 2.0 flex é o fato desse 1.6 só poder ser abastecido com gasolina. Rodando na cidade, o Tendance THP registrou consumo médio um tanto elevado, de 8,0 km/l – quase o que os japas rodam com etanol. Já na estrada, a média melhorou para 14 km/l. No uso misto a média foi de 9,6 km/l. Já o indicador digital de combustível poderia ser mais preciso. O tanque, que tem capacidade para 60 litros, estava com um pouco mais da metade quando o carro foi desligado. Na hora de sair com veículo, o mostrador estranhamente indicava apenas 1/4 de tanque. Saí rodando com o carro para ver se isso mudava, mas nada feito. Só depois de desligado e religar o motor é que o indicador voltou a mostrar pouco mais de meio tanque.


Seja na cidade ou na estrada, o C4 THP oferece performance diferenciada e um rodar muito confortável, sem descuidar da estabilidade. Em nosso teste com a versão Exclusive, o sedã acelerou de 0 a 100 km/h 8,8 segundos e retomou de 80 a 120 km/h em 6,3 s – números que deixam tanto o Civic quanto o Corolla 2.0 aspirados na poeira. Fora isso, a lista de equipamentos do Tendance também faz inveja aos japoneses. Ponto para a Citroën.
Foto: Alexandre Ciszewski
Por Alexandre Ciszewski
Fotos Divulgação e autor
Ficha técnica – Citroën C4 Lounge THP Tendance
C4 Lounge Tendance THP BAIXA-4968
Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 1.598 cm3, 16 válvulas, duplo comando variável, injeção direta e turbo, gasolina; Potência: 165 cv a 6.000 rpm; Torque: 24,5 kgfm a 1.400 rpm;Transmissão: câmbio automático de seis marchas, tração dianteira; Direção: eletro-hidráulica;Suspensão: Independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS; Peso: 1.498 kg; Rodas: liga leve aro 17″;Porta-malas: 450 litros; Tanque: 60 litros; Dimensões: comprimento 4.621 mm, largura 1.789 mm, altura 1.505 mm, entreeixos 2.710 mm;
C4 Lounge Tendance THP roda
C4 Lounge Tendance THP
http://carplace.virgula.uol.com.br/avaliacao-c4-lounge-tendance-tem-motor-turbo-a-preco-de-rival-aspirado/8/

Mural para a primavera: borboletas de papel

mural para a primavera, murais para a primavera, mural com borboletas para a primavera, painel com borboletas de papel

Sugestão de mural para a primavera trabalhando o poema de Vinícius de Moraes.


Para o poema - imprima o poema em papel e depois recorte para colar no mural. Que tal colorir cada nome com sua cor respectiva?

Para o livro - Recorte o livro de jornais velhos, a base pode ser feita com papelão.

Para as borboletas - Para cada borboleta recorte o molde duas vezes. Cole uma sobre a outra para dar a ideia de que está voando. Fácil!



http://www.mundinhodacrianca.net/2014/09/mural-para-primavera-borboletas-de-papel.html