1

1

Google+ Followers

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Croissant com carpaccio

Ingredientes
1 Colher(es) de sopamolho de mostarda HELLMANN’S
1 Colher(es) de sopaalcaparras
1/2 Xícara(s) maionese HELLMANN’S Deleite
3 Unidade(s) pães tipo croissant grandes
15 Fatia(s) carpaccio
1 Xícara(s) folhas de rúcula

Modo de preparo

Modo de Preparo
1.Em uma tigela, coloque o molho de mostarda HELLMANN’S e as alcaparras.
2.Acrescente a maionese HELLMANN’S Deleite e misture até formar uma pasta.
3.Corte os pães ao meio, no sentido do comprimento.
4.Espalhe a mistura sobre as fatias.
5.Distribua as fatias de carpaccio e a rúcula sobre a pasta.
6.Monte o lanche fechando com a outra metade do pão.
7.Sirva em seguida.

http://br.msn.recepedia.com/pais/receita/croissant-com-carpaccio

Arroz cremoso

Ingredientes

Ingredientes
1 Colher(es) de sopaazeite de oliva
1/2 Unidade(s) cebola picada
100 Grama(s) frango desfiado (coxa, sobrecoxa e peito)
1/2 Unidade(s) tomate picado sem sementes
1 1/2 Xícara(s) arroz cozido (450 g)
3 Colher(es) de sopacheias de maionese HELLMANN’S
1/2 Xícara(s) água
1/2 Colher(es) de sopasalsinha picada
1 Colher(es) de sopaqueijo ralado

Modo de preparo

Modo de Preparo
1.Refogue a cebola no azeite. Junte o frango e o tomate e refogue por mais alguns minutos.
2.Adicione o arroz, a maionese HELLMANN’S e a água até ficar homogêneo.
3.Retire do fogo e adicione a salsinha e o queijo ralado. Sirva em seguida
Variação
1.Experimente utilizar o caldo do cozimento do frango ao invés da água.

http://br.msn.recepedia.com/pais/receita/arroz-cremoso2

Primeiro programa do PSB deverá ter homenagem a Campos

Coordenação da campanha considera prematuro confirmar qualquer informação sobre o conteúdO programa eleitoral da coligação liderada pelo PSB e pela Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, pode trazer uma homenagem a Eduardo Campos na primeira exibição, em 19 de agosto, início do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV. 

Segundo fontes próximas à coordenação de campanha, ainda é prematuro confirmar qualquer informação sobre o conteúdo, mas essa é uma possibilidade concreta dada à proximidade da data. "Seria uma forma de aproveitar o material e de dar uma justa homenagem a Eduardo", disse um assessor a Agência Estado. 

As pessoas envolvidas e próximas aos coordenadores de campanha em São Paulo são unânimes em defender que até o momento não houve nem "clima" para discutir ou aventar qualquer futuro político. O máximo que admitem que o caminho natural tende a uma candidatura de Marina, mas há uma resistência em falar do assunto antes do enterro. 

De acordo com outro assessor, há alguns pontos de resistência dentro do PSB a ter uma chapa encabeçada pela ex-senadora, mas ele acredita que esses pontos serão vencidos. "Em todos os partidos tem isso. Mas eles não se uniram antes em torno de um programa? Não vejo por que não poderiam se unir agora em torno dela (Marina)", afirmou. 

Diego Brandy, responsável pela campanha de televisão, admitiu a possibilidade da homenagem, mas disse formalmente que ainda aguarda um posicionamento político para dar seguimento ao seu trabalho. 

"Realmente não temos nenhuma informação ainda", disse a jornalistas. Brandy havia trabalhado com as campanhas de Campos desde sua primeira eleição ao governo de Pernambuco, em 2006, e tornou-se íntimo dele. Estava visivelmente abatido e com dificuldade de se expressar. 

Um dos assessores presentes no comitê de campanha, na zona sul de São Paulo, disse que há muitas questões burocráticas sobre as quais a equipe teve de se debruçar nesta quinta-feira. "Tivemos que mandar parar a gráfica, que imprimia os santinhos, viagens a serem canceladas, encontros, materiais, ninguém podia esperar uma coisa dessas." 


Fonte: CORREIO DO POVO

Os cinco possíveis cenários da eleição sem Eduardo Campos

Confirmação de Marina Silva como candidata do PSB é o mais provável, mas resistências internas podem mudar rumo do pleito presidencial. 

A queda do jato em que se encontrava o candidato à presidência Eduardo Campos também tirou do rumo previsto a eleição para o Planalto e criou novos possíveis cenários para a disputa do pleito. 

O mais provável é a confirmação da candidata a vice, Marina Silva, como nova cabeça de chapa graças a seu bom retrospecto eleitoral, mas seu nome esbarra em obstáculos como resistências internas do PSB — o que pode levar à busca de candidaturas alternativas. 

Oficialmente, os líderes do PSB evitam confirmar prognósticos. Uma das razões para a prudência é respeitar um período mínimo de luto pela perda da principal figura nacional do partido. Outro motivo é que, embora Marina Silva seja uma alternativa com peso político, sua devoção à criação de um partido próprio e a resistência a acordos regionais formulados por Campos a indispõe com quadros do PSB, a exemplo da ala paulista. Em São Paulo, a sigla firmou apoio ao PSDB de Geraldo Alckmin contra a vontade da candidata — que ainda não se manifestou sobre a disputa eleitoral desde a morte de Campos. 

— Foi tudo muito recente, então não definimos nada sobre o futuro político. Nem a Marina está pensando nisso ainda — afirma a secretária da Executiva Nacional do PSB Mari Trindade. 

Leia todas as notícias sobre a morte de Eduardo Campos 

Três possíveis motivos para o acidente 

Em carta, irmão de Campos apoia Marina Silva 

Reservadamente, porém, como em uma reunião realizada com líderes nacionais nesta quinta-feira, já são alinhavados os primeiros planos para o futuro do PSB e da eleição presidencial de 2014. 

— Será muito difícil que não seja escolhida pela convergência que se criou sobre o nome da Marina — avalia o cientista político e coordenador do curso de Ciências Sociais da Ulbra, Paulo Moura. 

A coligação tem 10 dias, a contar de quarta-feira, para apresentar uma nova candidatura. A propaganda eleitoral gratuita deverá começar, na terça-feira, ainda sem uma definição. Confira, a seguir, alguns dos cenários mais prováveis e que fatores pesam contra ou a favor para cada um deles. 

1.Candidatura de Marina Silva 

A favor: a candidata somou perto de 20 milhões de votos na eleição passada e poderia captar parte do eleitorado de Dilma e de Aécio. Em uma pesquisa Datafolha publicada em abril, somente Marina Silva garantia um segundo turno com Dilma entre cinco cenários avaliados, com 27% dos votos. O irmão de Eduardo, Antônio Campos, já afirmou que gostaria de vê-la candidata. Líderes dos partidos que compõem a coligação e do próprio PSB já defenderam publicamente o nome de Marina, como o deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG). 

Contra: encontra resistências de empresários e representantes do agronegócio desde sua gestão como ministra do Meio Ambiente (2003 a 2008) do governo Lula. Além disso, é contrária a acordos políticos costurados em Estados como São Paulo (com PSDB) e Rio de Janeiro (com PT), o que exigiria difíceis negociações. Outro fator é que seu projeto político é implantar seu próprio partido, a Rede Sustentabilidade. Nesse caso, mesmo em caso de sucesso na eleição, o PSB poderia acabar sem um legado político. Por essas razões, encontra resistências internas no PSB, como a do presidente da sigla, Roberto Amaral. 

2.Busca de um outro candidato 

A favor: escolher outro candidato resolveria dilemas políticos da sigla — como a possibilidade de Marina investir em sua Rede Sustentabilidade após a eleição ou implodir acordos regionais firmados pelo PSB contra a vontade da atual candidata a vice. Os principais nomes da legenda, hoje, são o senador Rodrigo Rollemberg, atual candidato a governador do DF, os deputados federais Beto Albuquerque (RS) e Márcio França (candidato a vice de Alckmin em São Paulo) e Julio Delgado (MG). França evitou apoiar publicamente Marina, com que já tinha pouca afinidade, o que pode ser um indício de que preferiria outro candidato. 

Contra: a morte de Eduardo Campos não deixou um segundo nome com destaque nacional que fosse um candidato natural a ocupar sua vaga na eleição. Outras figuras de peso, como Cid e Ciro Gomes, deixaram o partido recentemente. Nesse caso, a probabilidade de o partido conseguir vaga em um eventual segundo turno diminuiria consideravelmente com um nome de seus próprios quadros. Uma alternativa seria Roberto Freire, presidente do PPS e aliado do PSB. 

3.Apoio a Dilma Rousseff 

A favor: o PSB tem afinidades com o PT — Eduardo Campos e Marina Silva já integraram o governo petista, ela como ministra do Meio Ambiente, ele como ministro de Ciência e Tecnologia de Lula. O presidente nacional da sigla, Roberto Amaral, também já foi ministro de Ciência e Tecnologia de Lula. Cogita-se que ele aceitaria uma recomposição com o PT para apoiar Dilma. 

Contra: há uma forte corrente no PSB que defende a candidatura própria a qualquer custo. O presidente do PSB paulista, Marcio França, já declarou que "não há possibilidade" de o partido desistir de apresentar um candidato. A adesão a Dilma significaria abrir mão de se apresentar como uma terceira via alternativa ao PT e ao PSDB. 

4.Apoio a Aécio Neves 

A favor: o PSB firmou aliança com o PSDB no Estado mais importante do país, São Paulo, e em outros sete Estados. O presidente da legenda em São Paulo, o deputado federal Márcio França, é candidato a vice de Geraldo Alckmin nas eleições estaduais, o que já marca uma aproximação importante. 

Contra: o apoio a Aécio é uma possibilidade distante, até o momento. O próprio candidato a vice de Alckmin manifestou publicamente a determinação do PSB apresentar um candidato próprio — com a missão de romper a dualidade entre PT e PSDB no país. 

5.Neutralidade na eleição 

A favor: seria uma alternativa a uma eventual falta de acordo interno do PSB à indicação do nome de Marina Silva ou à definição de outro candidato. 

Contra: esse cenário, até o momento, é pouco provável. A ideia não vem sendo defendida, ao menos abertamente, por líderes do PSB e dos partidos coligados. A tendência é de buscar um nome para concorrer no lugar de Eduardo Campos.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE

Sexta-feira segue com frio e previsão de geada em Santa Catarina

Temperaturas não serão tão baixas quanto as da quinta-feira, mas se aproximam do 0ºC. 

Após a quinta-feira registrar as temperaturas mais baixas do Brasil neste ano, na sexta-feira o frio diminui e as mínimas devem ficar próximas a 0ºC, mas segue a previsão de geadas para as áreas mais altas. O sol aparece entre nuvens em todas as cidades 

— A nebulosidade aumenta porque o ar frio vai para o mar, trazendo umidade do oceano. Importante destacar que no final da sexta, mais à noite, há chance de chuva para Oeste, Norte, Vale do Itajaí e parte da Grande Florianópolis. — eslarece o Meteorologista da RBS Leandro Puchalski. 

No fim de semana, as temperaturas seguem típicas de inverno, mas ainda mais agradáveis do que as de sexta-feira. 

Até esta quinta-feira, a mínima brasileira em 2014 era do município de Urupema, quando os termômetros marcaram -7,7ºC em 19 de junho. Agora passa a ser os - 8,3ºC registrados no mesmo município. A Central de Meteorologia da RBS separou as temperaturas mais baixas desta quinta em diferentes cidades do Estado e o que se vê é muito frio: 

-8,3ºC Urupema 
-7,7ºC Bom Jardim da Serra 
-5,9ºC Painel 
-5,8ºC São Joaquim 
-4,9ºC Fraiburgo 
-4,2ºC Lages 
-3,2ºC Urubici 
-3,1ºC Lebon Régis, Brunópolis e Caçador 
-3ºC Santa Cecília 
-2,7ºC Rio das Antas 
-2,3ºC Abdon Batista 
-2,2ºC Campo Belo do Sul, Frei Rogério, Monte Castelo e Curitibanos 
-1,7ºC Campos Novos 
-1,6ºC Bom Retiro e Papanduva 
-1,5ºC Zortéia e Major Vieira 
-1,3ºC Matos Costa 
-1,1ºC Rio Rufino 
-0,8ºC Joaçaba 
-0,5ºC Água Doce

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE

Aspirina pode ajudar no tratamento da depressão, diz estudo


Segundo estudo, quem sofre de depressão e esquizofrenia é conhecido por ter risco maior de desenvolver doença cardíaca e diabetes 

Medicamentos usados no dia a dia, como aspirina e ibupofreno, podem ajudar no tratamento da depressão, cientistas afirmam. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail. 
Um estudo da Cambridge University sugere que a inflamação pode influenciar a doença mental. Especialistas acreditam que o sistema imunológico desempenha um importante papel na saúde mental, e as drogas que combatem inflamações poderiam ser uma alternativa de tratamento prontamente disponível, seguro e acessível. 
O líder do estudo, Golam Khandaker, afirma que o sistema imunológico funciona como um termostato, em baixa na maior parte do tempo mas ativo quando há infecção. 
Em algumas pessoas, o termostato parece estar sempre em alta, como se estivesse em constante infecção. “Essas pessoas parecem tem um risco maior de desenvolver depressão e psicose”, diz Khandaker. 
Além disso, quem sofre de depressão e esquizofrenia é conhecido por ter risco maior de desenvolver doença cardíaca e diabetes. 
Os pesquisadores também alertaram que crianças expostas a altos níveis e infecção podem se tornar mais propensas a este tipo de problema mental quando se tornarem adultos. 
Eles descobriram que crianças com níveis elevados de uma proteína lançada no sangue em resposta à infecção demonstraram maior probabilidade a doenças depressivas na vida adulta. 
O estudo, publicado na revista Jama Psychiatry, diz que os anti-inflamatórios devem ser investigados para ver se podem tratar doenças como depressão. Tratamentos com agentes deste tipo fazem com que os marcadores de níveis de inflamação voltem ao normal. 
Estudos anteriores já sugeriram que drogas anti-inflamatórias como aspirina, usadas de maneira simultânea a tratamentos antipsicóticos, podem ser mais efetivos. 


Fonte: Claudério Augusto

Em MT, pescador fisga peixe com mais de 38 kg no Rio Teles Pires

Pode até parecer história de pescador, mas James Antônio de Souza, morador de Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá, pescou um tambaqui de 38,4 quilos no Rio Teles Pires, no último fim de semana. “Eu sei que pescador é danado, gosta de exagerar, mas eu fiz questão de tirar foto para provar que eu consegui pegar um peixão”, comemora o paranaense de 45 anos. O peixe foi doado nesta terça-feira (12) para a Associação de Pais e Amigos Excepcionais (Apae) do município. 
James contou, em entrevista ao G1, que pesca por lazer desde criança e que o esporte é uma tradição na família. “Aprendi a pescar com meu pai. É uma coisa que eu amo fazer. Há mais ou menos uns sete anos eu resolvi que queria pescar um peixe grande, e desde lá eu venho tentando. Em 2012 consegui pegar um de 32 kg e no ano passado foi um de 34 kg. Mas quando eu vi esse, realmente me surpreendi, ainda mais por ser um peixe de escama”, lembrou o pescador. 

Segundo ele, o peixe foi capturado na madrugada de domingo (10) em uma região do Rio Teles Pires, distante aproximadamente 64 km de Alta Floresta. Na ocasião, a esposa, o filho de 21 anos e a nora estavam com ele e o ajudaram a retirar o peixe da água. “A gente estava no flutuante [espécie de plataforma para pesca], mas quando o pegamos com a carretilha, subimos no barco e fomos seguindo o peixe. Isto porque peixes grandes assim são fortes, e aí tem que deixá-los cansados para conseguir pegar”, explicou James. O pescador relatou que foram precisos mais de 35 minutos para “acalmar o gigante”. 

O pescador conta que o segredo foi utilizar pão de queijo como isca. “Esse tipo de peixe gosta de massa, então eu trago sempre mandioca, pão ou pão de queijo. Eles são bem enjoados”, brincou James. O morador de Alta Floresta disse que costuma pescar todos os finais de semana com a família e com amigos. “Mesmo que tivessem me oferecido, eu não teria vendido o peixe. Eu pesco por lazer mesmo. Pra mim foi muito mais gratificante doá-lo para a Apae”, destacou. De acordo com ele, o quilo de tambaqui no município é vendido a cerca de R$ 12. “Eu vou continuar tentando encontrar peixes grandes. Quem sabe não consigo superar esse meu recorde”. 
Em entrevista ao G1, o biólogo Francisco Marques disse que realmente é raro encontrar um peixe desse porte. “Normalmente, os pescadores pegam tambaquis de 8 a 10 quilos. Acima disso já é considerado fora do padrão. Mas esse não é o maior peixe da espécie já encontrado. No Instituto Chico Mendes tem um em exposição que pesa 45 kg”, informou o biólogo, que afirmou que o peixe pescado por James certamente tinha mais de cinco anos de idade. 



Fonte: G1

Aplicativo Secret permite contar segredos anonimamente e vira hit


App permite compartilhar frases e fotos sem ser identificado. 
Frases mais curtidas ficam em evidência no app para smartphones. 

Um aplicativo chamado "Secret" (acesse aqui), que permite que o usuário conte segredos dele ou de amigos anonimamente por meio do aplicativo para contatos do Facebook, tem provocado polêmica e bombado nas redes sociais, com pessoas comentando frases que leram e fotos íntimas que viram. Sem ter seu nome ou foto divulgados, os usuários se sentem livre para compartilhar segredos e fotos. 
O aplicativo gratuito foi lançado em 30 de janeiro para smartphones com sistema operacional iOS (acesse aqui) e Android (acesse aqui), mas só recentemente começou a ficar em evidência no Brasil, chegando a ser um dos tópicos mais comentados no Twitter na quinta-feira (7) e na sexta-feira (8) no país. 
Ele é similar a outros apps como o "Whisper" e "PostSecret". 
Ao instalar o app, é necessário conectá-lo com sua conta do Facebook, permitindo que ele acesse a lista de amigos para acessar suas mensagens publicadas no "Secret". Os desenvolvedores David Mark Byttow e Chrys Bader-Wechseler, dois ex-funcionários do Google, afirmam que é impossível identificar quem contou o segredo, já que não há nenhum dado ou foto do usuário. Eles também afirmam que não há risco de o segredo vazar no Facebook. O máximo de informação divulgada é que a mensagem foi publicada por um amigo ou por um amigo de um amigo no app. 
O "Secret" permite comentar o segredo - também sem ser identificado - ou curtir a publicação. Mensagens que o usuário mais gostou podem ainda ser publicadas no Facebook ou no Twitter, além de poderem ser enviadas por SMS ou e-mail. Neste caso, quem está publicando estas mensagens será identificado. Ao ver um segredo que gostou, o usuário pode seguir o anônimo que publicou o texto ou a foto. 

Além dos amigos, na área "Explorar", é possível ler segredos de todo o mundo. Em vez de mostrar quem escreveu o texto ou publicou a foto, aparece o país ou o estado dos Estados Unidos de onde a pessoa está. Um segredo popular e marcado com uma estrela e fica com mais evidência. 
Popularidade recente 
Um dos motivos que "Secret" atraiu tanta gente é por conta do lançamento da opção "Collections", uma página na web onde os segredos mais populares - e sempre anônimos - selecionados pela equipe do aplicativo. Isso fez com que mais pessoas se interessassem em fazer o download do app. 
Antes disso, em junho, o app lançou a função "Dens", que permite a criação de grupos que irão compartilhar segredos para uma comunidade em particular, como uma universidade, uma empresa ou um grupo de amigos menor do que a lista de amigos do Facebook.

Fonte: G1