1

1

Google+ Followers

terça-feira, 5 de agosto de 2014

RECEITA: Carne seca com abóbora.

Por Fabiana Badra, foodstylist
60 minutos
Porções: 4
Texto:

INGREDIENTES


2 litros de água

1 kg de carne seca dessalgada e cortada em cubos de 2 cm

4 colheres (sopa) de óleo

2 dentes de alho picados

2 cebolas médias picadas

800 g de abóbora cortada em cubos

3 colheres (sopa) de salsinha e cebolinha picadas

Sal a gosto


MODO DE PREPARO

Em uma panela, ferva 1 litro de água e junte a carne. Afervente por 5 minutos e escorra. Reserve. Em uma panela de pressão, aqueça o óleo em fogo alto, junte o alho, a cebola e a carne e frite por 10 minutos ou até começar a dourar. Adicione a água restante, tampe e cozinhe por 35 minutos (conte o tempo quando a panela começar a chiar). Tire a pressão da panela e verifique se a carne está macia. Acrescente a abóbora e cozinhe por mais 10 minutos ou até que fique ligeiramente macia. Tempere com sal. Polvilhe as ervas e regue com azeite se desejar.

http://receitas.ig.com.br/carne-seca-com-abobora/4e7a2b4d7bb4e2ad5c000007.html

RECEITA: Lombo de porco assado com vinagrete de vagem.

Por Maria Luiza Ctenas, nutricionista
Mais de 60 minutos
Porções: 6
Texto:
INGREDIENTES

½ kg de lombo de porco (escolher o de diâmetro menor)

3 colheres (chá) de sal

15 folhas de sálvia

1 xícara (chá) de limonada sem açúcar

200 g de vagem em rodelas finas

1 tomate carmem sem sementes e picado

1 cebola pequena descascada e picada em pedaços pequenos

2 colheres (sopa) de vinagre de maçã

1 colher (sopa) de azeite de oliva


Para decorar: orégano

MODO DE PREPARO

Limpe lombo, elimine as aparas, abra como um bife e tempere com 2 colheres (chá) de sal. Abra-o, espalhe as folhas de sálvia, enrole e amarre com um barbante para culinária. Arrume o lombo em uma assadeira e regue com a limonada. Cubra com papel-alumínio. 
Leve ao forno preaquecido em temperatura média (180°C) por 45 minutos ou até a carne ficar macia. Elimine o papel-alumínio e asse por mais 45 minutos ou até dourar. Retire do forno e reserve. 
Coloque a vagem em uma panela com ½ litro de água fervente e deixe por 1 minuto ou até ficar al dente. Retire do fogo, escorra a água e passe a vagem por água fria. Disponha em uma tigela e misture o tomate, a cebola, o vinagre, o azeite de oliva e o sal restante. Sirva com a carne fatiada e decore com orégano.

http://receitas.ig.com.br/lombo-de-porco-assado-com-vinagrete-de-vagem/4e790bc7cc8455c1a2e97aca.html

8 perguntas que você deve se fazer antes de aceitar um novo emprego. Ter outros critérios além de salário e cargo para avaliar uma oportunidade podem ser cruciais para evoluir na carreira.

Ter outros critérios além de salário e cargo para avaliar uma oportunidade podem ser cruciais para evoluir na carreira.
Thinkstock
É preciso mais do que um bom salário e um cargo alto para que um emprego seja atraente para sua carreira

Quais são os seus critérios na hora de decidir se vai aceitar ou não um novo emprego? Para muitos profissionais, um salário mais alto do que ganhava na outra empresa e um cargo acima do seu último já são mais do que suficiente para dizer sim àquela oportunidade. No entanto, um emprego é muito mais do que dinheiro no bolso e status.

Além dos benefícios financeiros, é preciso levar em consideração que você vai passar boa parte do seu dia naquele novo ambiente, executando novas tarefas e cercado por outras pessoas. Se você não analisar todos os âmbitos do seu novo emprego, corre o risco de se arrepender futuramente.


“Isso é péssimo para os profissionais e péssimo para as empresas. Às vezes, a empresa contrata imaginando que o candidato está fazendo a avaliação correta e que tomou a decisão de se juntar à empresa porque achou interessante para ele e não, só foi porque o salário é legal. Depois acaba saindo rápido se não gostou de todo o resto”, observa Marcelo Braga, sócio da Search Consultoria em Recursos Humanos.

Para lhe ajudar a tomar uma decisão mais assertiva, o iG ouviu especialistas e criou uma lista com oito perguntas que você deve se fazer antes de aceitar uma oferta de emprego. Confira:

1 - Por que estou deixando o meu emprego atual?. Foto: Thinkstock
1/8

1 - Por que estou deixando meu emprego atual?

“As pessoas muitas vezes mudam de emprego, mas levam as suas crenças, seus valores e seus comportamentos. Antes de mudar, procure entender se é realmente o ambiente que precisa ser mudado”, comenta o coach Edson de Paula.

Para isso, é preciso fazer uma auto-análise para descobrir se o motivo da sua insatisfação não é você mesmo. Não adianta sair da companhia por estar infeliz e ir para outra achando que tudo vai melhorar se, por exemplo, você não gostar da área em que está atuando.

2 - Os valores da nova empresa estão alinhados com os meus?

Não é clichê. Quando você trabalha em um lugar cuja cultura valoriza aspectos que diferem dos seus próprios valores, seu comprometimento, produtividade e satisfação pessoal serão baixos. Alguém que preza pela informalidade em um ambiente de trabalho, por exemplo, não ficará feliz em fazer parte de uma companhia formal e burocrática. Por isso, é preciso observar todos os sinais que revelam qual é a cultura da empresa antes de aceitar a proposta.


“O candidato tem de observar a forma como é tratado durante a seleção, como ele foi recebido no momento da entrevista, dar uma olhada no escritório para ver como é a dinâmica, se é um ambiente mais agitado, se é mais calmo, se é informal ou não”, aponta Marcelo Braga, sócio da consultoria Search RH.Márcio Amaral
Edson de Paula, coach de carreiras

3 - Qual é a fama da empresa entre seus funcionários?

Ninguém melhor para lhe falar como é a cultura da empresa do que os próprios funcionários. Tente entrar em contato com alguém que já tenha trabalhado naquele escritório ou que ainda esteja lá e peça para descrever como é o clima e a dinâmica do dia a dia. Com a experiência deles naquele ambiente, eles podem lhe dizer se a pressão por resultados é grande ou não, se existe uma boa comunicação entre os setores e até qual é a personalidade do seu futuro chefe.

4 - A minha função vai agregar à minha carreira?

Quando a pessoa tem um plano de carreira bem traçado em sua mente, fica mais difícil tomar uma decisão errada em relação à mudanças de emprego. Ao saber até onde quer chegar e quais são os passos para alcançar seu objetivo, o profissional saberá avaliar quais funções vão agregar novas competências e conhecimentos úteis ao seu plano.

Antes de aceitar fazer parte da nova empresa, pergunte detalhadamente qual será o seu papel na equipe e suas tarefas do dia a dia. Se elas não colaborarem para o seu crescimento em direção ao seu objetivo profissional, talvez seja melhor esperar por outra oportunidade.

5 - Eu gostei do meu novo chefe?

Ninguém gosta de trabalhar com uma pessoa desagradável, mesmo que competente. Durante o processo seletivo, o contato que se tem com o futuro gestor pode não parecer o suficiente para saber exatamente qual é o estilo de liderança dele e como ele se comporta no dia a dia. Porém, já é possível ter uma noção se a personalidade é mais séria, se é piadista, se parece ser arrogante ou não, e levar isso em consideração pode lhe salvar de ter que passar seus dias com alguém que só vai lhe desanimar.

“Tudo é uma relação de empatia. Eu ainda sou da opinião de que a primeira impressão é a que fica”, diz Edson.

Veja também

6 - Eu tenho as competências necessárias para assumir este novo cargo?

É normal que as empresas concedam um tempo de tolerância até que você se adapte à sua nova função, e também é comum não dominar uma ou outra tarefa logo no início. No entanto, algumas habilidades são tão essenciais em certos cargos, e levam um tempo maior para serem adquiridas, que se você não as possui, poderá encarar sérios problemas no novo emprego. Para um cargo na área de vendas de uma companhia, por exemplo, ser comunicativo e gostar de conhecer novas pessoas são cruciais. Se este não é o seu perfil, provavelmente não conseguirá entregar os resultados esperados pela companhia.

7 - A localização poderá me afetar de maneira negativa?

Você mora em uma ponta da cidade e o escritório fica na outra. Você está disposto a enfrentar a longa jornada todos os dias? Parece besteira, mas, principalmente em grandes metrópoles, o tempo que se passa no trajeto entre a sua casa e o escritório afeta bastante a produtividade e engajamento no trabalho.


“Você passa oito horas trabalhando e recebe por aquilo, mas se demorar duas horas para chegar e duas para voltar, são 12 horas. Isso impacta muito e o corpo sente rapidamente. Depois de dois ou três meses nessa dinâmica, a pessoa que não está acostumada desiste”, observa Braga.

8 - Como meu novo emprego afetará minha vida pessoal?

O equilíbrio da vida fora do escritório afeta diretamente a nossa produtividade no ambiente de trabalho. Quando o profissional não consegue ter um tempo de lazer com os amigos, a família ou para dedicar aos seus projetos pessoais, é comum que ele fique insatisfeito também durante seu expediente.

Ao receber uma oferta de emprego, o ideal é que o candidato tenha plena consciência do quanto aquilo exigirá do seu tempo e se está disposto ou não a sacrificar alguns aspectos da vida pessoal caso seja necessário.

http://economia.ig.com.br/carreiras/2014-07-19/8-perguntas-que-voce-deve-se-fazer-antes-de-aceitar-um-novo-emprego.html

Recuo na produção de veículos puxa queda de 1,4% da indústria. Além dos veículos, tiveram queda setores como equipamentos de informática e produtos eletrônicos e ópticos.

Além dos veículos, tiveram queda setores como equipamentos de informática e produtos eletrônicos e ópticos.
REUTERS/Paulo Whitaker
Carros novos são transportados em São Bernardo do Campo (SP)

A queda de 12,1% na produção de veículos automotores no país entre maio e junho deste ano foi a principal influência para o recuo de 1,4% da indústria brasileira no período. Segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal, divulgados hoje (1º) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no entanto, esse não foi o único motivo para a quarta queda consecutiva da indústria nacional.

Dezoito das 24 atividades industriais pesquisadas pelo IBGE tiveram recuo na produção. Além dos veículos, tiveram queda setores como equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-29,6%), máquinas e equipamentos (-9,4%), vestuário e acessórios (-10%) e borracha e plástico (-5,6%).

Seis setores evitaram uma queda maior da indústria no período. O principal deles foi o segmento de coque, derivados do petróleo e biocombustíveis, que apresentou crescimento de 6,6%. Outro setor importante, que também teve resultado positivo em junho, foi o de produtos alimentícios, com alta de 2,1%.

http://economia.ig.com.br/empresas/industria/2014-08-01/recuo-na-producao-de-veiculos-puxa-queda-de-14-da-industria.html

Ministério da Saúde prepara concurso com salários de até R$ 6.648,15. Ao todo, são 748 vagas para cargo de nível médio e superior.

Ao todo, são 748 vagas para cargo de nível médio e superior
Danilo Chamas / Karl Baron (CC) / Fotomontagem iG
Ministério da Saúde prepara concurso com mais de 700 vagas de nível médio e superior

Recentemente, o Ministério da Saúdepublicou em Diário Oficial a abertura de um concurso público para provimento de vagas e formação de cadastro reserva para os cargos do Plano de Carreiras de Ciência e Tecnologia nas Carreiras de Planejamento, Gestão e Infraestrutura e Desenvolvimento Tecnológico.




Ao todo, são 748 vagas de nível médio e superior com salários que variam de R$ 2.205,20 a R$ 6.648,15, mais gratificações, por 40 horas semanais. Do total de vagas, 37 são reservadas para negros e 95 para pessoas com deficiência.

O concurso está a cargo da Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt, Funcab, mas ainda sem datas de inscrição definidas. De acordo com o edital, o cronograma e o conteúdo programático devem ser publicados até o dia 5 de agosto. 

As provas objetivas e discursiva/redação serão aplicadas no Rio de Janeiro e em Brasília. O valor da inscrição para as vagas de nível médio é R$ 78 e para de nível superior R$ 97.

http://economia.ig.com.br/carreiras/2014-08-03/ministerio-da-saude-prepara-concurso-com-salarios-de-ate-r-664815.html

Lojas Renner nega fusão com Marisa. Segundo a empresa, informação não têm procedência e não há qualquer espécie de negociação.

Segundo a empresa, informação não têm procedência e não há qualquer espécie de negociação.
A Lojas Renner disse nesta segunda-feira (4) que os rumores sobre uma eventual fusão da companhia com a Marisa Lojas "não têm procedência", e que não há "qualquer espécie" de negociação entre as ambas.

A revista "Veja" deste final de semana publicou que as duas companhias estariam "conversando" e as ações de ambas encerraram com forte alta nesta segunda-feira em meio aos rumores de união.

A negativa da Lojas Renner ocorreu depois de pedido de esclarecimentos feito à empresa pela BM&FBovespa.

Por sua vez, a Marisa Lojas afirmou que "desconhece qualquer fato" que justifique a forte alta no preço de suas ações nesta segunda-feira.

Veja também as marcas estrangeiras que desembarcaram no Brasil:

A marca australiana Cotton On prevê abrir sua primeira loja no Brasil em maio. Foto: Divulgação

As ações da Marisa Lojas encerraram em alta de 9,08% nesta segunda-feira, cotadas a R$ 16,21. Já os papéis da Lojas Renner fecharam com valorização de 3,32%, a R$ 71,65, enquanto o Ibovespa teve ganho de 1,28%.

Analistas do Itaú BBA escreveram em nota a clientes que, "caso essa transação se concretize, seria realmente muito complementar", e uma fusão provavelmente beneficiaria ambas as companhias, "dependendo das condições da transação".

Os analistas também disseram que o maior ganho em uma eventual união com a Lojas Renner pode ser da Marisa Lojas, "com a Renner implementando suas melhores práticas e melhorando o negócio da Marisa, tanto operacionalmente e também na divisão de crédito ao consumo".

http://economia.ig.com.br/2014-08-04/lojas-renner-nega-fusao-com-marisa.html

Ingressos para partida entre Chapecoense e Atlético-MG já estão à venda Valores variam entre R$ 120 e R$ 60 para jogo desta quarta-feira.

Os ingressos para a partida entre Chapecoense e Atlético-MG já estão à venda. A partida válida pela 10º rodada do Brasileirão, e que foi atrasada devido a participação do time mineiro da disputa da final da Recopa, acontece na Arena Condá nesta quarta-feira às 21h. 

Os valores variam entre R$ 60 e R$ 120, sendo as mais caras destinadas aos torcedores que comparem bilhetes para as cadeiras. Todos os setores do estádio em Chapecó têm ingressos destinados à meia-entrada. 

Confira os valores: 
Arquibancada: R$ 60 
Social: R$ 80 
Cadeira: R$ 120

http://www.portalaconteceu.com.br/

Gêmeos siameses que nasceram ligados pela cabeça comemoram 10 anos de cirurgia que salvou suas vidas.

A separação delicada dos gêmeos siameses Carl e Clarence, que ocorreu há 10 anos, deixou algumas sequelas, mas a mãe dos meninos, Arlene Aguirre, diz que a sobrevivência já é motivo suficiente para celebrar a data que mudou suas vidas. 

Os meninos das Filipinas, agora com 12 anos, nasceram unidos pelo topo da cabeça, incapazes de sentar-se, ficar em linha reta, comer normalmente, ou ver um ao outro. 
Os gêmeos passaram por cirurgia em 04 de agosto de 2004, em uma operação que separou as crianças uma da outra. Foram quatro cirurgias ao longo de nove meses. 

“O tratamento histórico era basicamente sacrificar um para salvar o outro”, disse o cirurgião principal, doutor James Goodrich. A separação, no entanto, foi bem sucedida e os dois sobreviveram. 

Gêmeos siameses que nasceram ligados pelo cérebro comemoram 10 anos da cirurgia que lhes permitiu tornarem-se separados e terem vida plena. 

O médico e sua equipe, desde então, separaram outros quatro conjuntos de gêmeos, que nasceram com as cabeças unida, em Londres, Melbourne e Riad. 

As crianças comemoram aniversário duas vezes ao ano, pela data de nascimento e pelo dia da cirurgia que salvou suas vidas. 

Os meninos Aguirre compartilham uma “ponte” do cérebro, de aproximadamente 6 centímetros de comprimento, que teve de ser dividida. Por isso eles ficaram com algumas sequelas. 

Carl sofreu convulsões, agora controladas com medicação, e o uso de seu braço esquerdo e perna são limitados. Ele usa uma cadeira de rodas e muletas, e não há esperança de que vá finalmente ser capaz de andar por conta própria. 

Ele passa o dia na escola em aulas para crianças com deficiências múltiplas, e recebe terapia ocupacional, física e de fala. 

A mãe diz que Clarence também tem dificuldades na fala e que recebe algumas instruções especiais na comunicação. 
Mas ao contrário de Carl, ele é um pré-adolescente em busca de atenção, mais ativo e rápido para mostrar aos visitantes seus jogos de videogame favoritos. 

Hoje, os gêmeos siameses, de 12 anos, celebram o aniversário de dez anos da cirurgia de risco que os separou com sucesso.

Fonte: DAILYMAIL

Casal morre com horas de diferença após 62 anos juntos. Um casal da Califórnia, EUA, morreu com apenas quatro horas de diferença um do outro, após viverem 62 anos juntos. Don e Maxine Simpson faleceram no último domingo, segundo informações do Daily Mail.

Um casal da Califórnia, EUA, morreu com apenas quatro horas de diferença um do outro, após viverem 62 anos juntos. Don e Maxine Simpson faleceram no último domingo, segundo informações do Daily Mail. 

Don Simpson sofreu uma queda em casa, na semana passada, desenvolvendo problemas graves. Ele foi hospitalizado e, logo em seguida, a família descobriu que o câncer contra o qual Maxine lutou nos últimos anos, havia piorado. 

Após receberem tratamento no hospital, os dois foram liberados e voltaram para casa. A neta dos dois, Melissa Sloan, fotografou os avós por anos e, como prova de amor, conseguiu capturar seus últimos momentos juntos, quando, mesmo doentes, estavam de mãos dadas. 

No último domingo, a idosa morreu enquanto dormia (ao lado do marido). O corpo de Maxine foi retirado do quarto e, apenas quatro horas depois, foi Don quem morreu. A neta deles disse que, apesar da tristeza da família, todos estavam muito emocionados com a cumplicidade que permaneceu até o final da vida, entre eles. “É uma verdadeira história de amor”, disse.

Fonte: TERRA

Horóscopo 3ª feira 05 de agosto de 2014.

“Acredito no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.”
ÁRIES – 21/03 a 20/04 – DIFÍCIL

TRABALHO: tendência a cumprir suas tarefas com certo atraso, o que poderá gerar críticas. AMOR: momentos envolventes com a pessoa amada. SAÚDE: exercite-se mais. 645 – amarelo.

TOURO – 21/04 a 20/05 – VARIÁVEL

TRABALHO: problemas de última hora deverão aborrecer você e complicar o seu dia. AMOR: talvez tenha que tomar decisões marcantes para o bem do relacionamento. SAÚDE: instável. 538 – bege.
GÊMEOS – 21/05 a 20/06 – DIFÍCIL

TRABALHO: procure controlar-se porque determinadas ações poderão trazer desavenças entre o grupo. AMOR: riscos de rompimento. SAÚDE: não tome medicamentos por conta própria. 074 – turquesa.
CÂNCER – 21/06 a 21/07 – AGITADO

TRABALHO: muito cuidado com documentos e papeis importantes. AMOR: estará mais compreensivo para solucionar desavenças. SAÚDE: trate dores nos pés. 303 – violeta. 
LEÃO – 22/07 a 22/08 - FAVORÁVEL

TRABALHO: você estará esperto e com muitas chances de mudar qualquer situação adversa. AMOR: noite de intensa paixão em companhia da pessoa amada. SAÚDE: redobre sua atenção para evitar pequenos acidentes. 926 – dourado.
VIRGEM – 23/08 a 22/09 - VARIÁVEL

TRABALHO: procure reciclar suas ideias e abrir-se a novas oportunidades e suas atividades lhe trarão mais lucros. AMOR: clima de carinho e compreensão. SAÚDE: vigie seu peso. 479 – cinza.
LIBRA – 23/09 a 22/10 - DIFÍCIL

TRABALHO: terá sorte para contato com pessoas interessantes e experientes. AMOR: não sonhe com aquilo que você sabe que não pode ter. SAÚDE: cuide de gripes e resfriados. 485 – roxo.
ESCORPIÃO – 23/10 a 21/11 – VARIÁVEL

TRABALHO: procure ser firme em seus propósitos e não poupe esforços para realizar suas tarefas. AMOR: invista num novo romance e siga em frente. SAÚDE: boa. 768 – branco.
SAGITÁRIO – 22/11 a 21/12 - DIFÍCIL

TRABALHO: cuidado ao assinar contratos ou quaisquer outros documentos, pois o momento não é dos melhores. AMOR: reserve-se um pouco. SAÚDE evite o excesso de bebidas alcoólicas. 827 – marrom. 
CAPRICÓRNIO – 22/12 a 20/01 - FAVORÁVEL

TRABALHO: deverá se sair bem nos estudos ou atividades que exijam concentração e raciocínio.AMOR: bom astral e boas risadas no convívio com sua paixão. SAÚDE: boa. 931 – azul claro.
AQUÁRIO – 21/01 a 19/02 – RAZOÁVEL

TRABALHO: pense bem antes de tomar decisões porque o arrependimento poderá lhe acometer.AMOR: momento favorável para agradar as pessoas que ama. SAÚDE: largue o vício do cigarro. 051 – marfim.
PEIXES – 20/02 a 20/03 - RAZOÁVEL

TRABALHO: procure ouvir e não tente interferir na maneira natural de pensar dos outros. AMOR: sorte com conquistas e aventuras. SAÚDE: Se possível, descanse mais cedo. 115 – grená.

Professor Nathanael

RECEITA; Atolado de bode.

Por Receita do chef Rodrigo Oliveira, do Mocotó, em São Paulo
60 minutos
Porções: 8
Texto:

INGREDIENTES

Marinada
½ cabrito cortado em pedaços pequenos (peça ao açougueiro)
20 ml de vinagre de maçã
20 ml de cachaça artesanal
40 ml de azeite
5 dentes de alho
Sal
Pimenta-do-reino
Refogado
40 ml de azeite
6 dentes de alho picados
1 cebolas picada
1 pimentão picado
3 tomates picados
50 g de extrato de tomate
10 g de coloral
3 folhas de louro
Cominho, semente de coentro e pimenta-do-reino a gosto
2 patas de cabrito
300 ml de vinho branco
Caldo de legumes
Sal

Para servir
Mandioca cozida
Tomate cereja
Cebola pérola
Cheiro verde
Azeite



MODO DE PREPARO

Junte o cabrito aos ingredientes da marinada e deixe por 12 horas em refrigeração.
Aqueça uma panela de fundo grosso, acrescente um fio de azeite e doure uniformemente os pedaços de cabrito. Reserve.
Descarte a gordura se houver em excesso e na mesma panela refogue o alho, a cebola, o pimentão e os tomates, nessa ordem.
Acrescente o extrato de tomate e cozinhe até caramelar levemente.
Junte os temperos, as patas e volte o cabrito à panela.
Acrescente o vinho, o líquido da marinada coado e o caldo de legumes até quase cobrir. Cozinhe em fogo baixo e com a panela tampada até a carne ficar macia.
Sirva com a mandioca cozida, tomate cereja, cebola pérola, cheiro verde, azeite e bastante molho.

http://receitas.ig.com.br/atolado-de-bode/4e7a28927bb4e2ad5c000006.html

RECEITA: Arroz com frango.

Por Fabiana Badra, foodstylist
60 minutos
Porções: 4
Texto:
INGREDIENTES


1 kg de frango cortado em pedaços


½ colher (de sopa) de sal


1 pimenta dedo-de-moça picada sem as sementes (opcional)


2 colheres ( sopa) de suco de limão


1 dente de alho espremido


2 cebolas pequenas picadas


2 colheres (de sopa) de óleo


1 colher (sopa) de manteiga


4 tomates picados, sem pele e sem sementes


2 xícaras (chá) de arroz


Salsinha e cebolinha picadas a gosto


Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

MODO DE PREPARO

Tempere o frango com sal, pimenta, suco de limão, o alho e a cebola. Deixe descansar por 30 minutos. 
Numa panela, coloque o óleo, a manteiga e o tomate e refogue por 2 minutos. Junte os pedaços de 
frango, aos poucos, e frite por 15 minutos, virando de vez em quando, até que fiquem dourados. 
Acrescente o arroz e a água e tempere. Cozinhe até o arroz ficar macio. Desligue o fogo, acrescente as 
ervas picadas e misture. Sirva quente.

http://receitas.ig.com.br/arroz-com-frango/4e7b32cad81ed21c22000036.html

RECEITA: Arroz à grega.

Por Fabiana Badra, foodstylist
30 minutos
Porções: 4
Texto:


INGREDIENTES


1 cebola pequena picada


4 colheres (sopa) de azeite


2 cenouras médias, cortadas em cubinhos


1 pimentão vermelho cortada em cubinhos


150 g de ervilha fresca ou congelada


2 xícaras (chá) de arroz


4 xícaras (chá) de água fervente


1 folha de louro


Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto



MODO DE PREPARO

Em uma panela, refogue a cebola no azeite até ficar transparente.
Junte os legumes picados e refogue em fogo alto por 2 minutos. Junte o arroz e misture bem. Adicione a água fervente, a folha de louro e sal. Cozinhe em fogo alto até ferver. Abaixe o fogo e tampe a panela 
e deixe cozinhar por 15 minutos ou até o arroz ficar cozido e a água secar. Apague o fogo e deixe o 
arroz descansar por 5 minutos. Misture com um garfo e sirva.

http://receitas.ig.com.br/arroz-a-grega/4e7b323d7bb4e2ad5c00003c.html

RECEITA: Arroz caldoso com linguiça mineira (risoto)

Por Receita do restaurante italiano Vecchio Sogno, em Belo Horizonte (Minas Gerais)
30 minutos
Porções: 10
Texto:

INGREDIENTES


Caldo de suã


2 kg de suã de porco


60 ml azeite


40 g alho


120 g cebola


80 g talos de salsa


100 g cenoura picada


3,5 litros de água


30 g pimenta-do-reino esmagada


Sal


3 unidades folha de louro


10 g pimenta calabresa


Arroz caldoso


70 g bacon


60 g alho


100 g cebola


180 g cenoura


180 g feijão fradinho cozido


180 g brócolis cozido


600 g arroz arbóreo


2½ litros de caldo de suã


800 g linguiça mineira


200 g queijo canastra meia cura em cubinhos


Salsinha a gosto


80 ml de azeite


2 maços mostarda mineira em tiras


MODO DE PREPARO

Caldo de suã
Tempere a suã com sal, pimenta-do-reino esmagada e pimenta calabresa. Em uma panela refogue em azeite a suã até começar a dourar. Junte todos os elementos aromáticos e deixar muchar bem. Molhe com água de pouco a pouco até completar 3,5 litros. Cozinhe lentamente, coe e retire a carne da suã. Reserve.

Arroz caldoso
Refogue em uma frigideira bacon, alho, cebola e cenoura. Tempere e cozinhe lentamente pingando o caldo de suã. Quando estiver ao dente, junte o feijão, salteie e retifique tempero. Refogue em azeite os brócolis picados em pequenos pedaços e tempere. Em uma panela, refogue em azeite a cebola, o alho e o arroz. Quando começar a ficar transparente, junte parte do caldo de suã quente. Deixe cozinhar o arroz mexendo para não agarrar no fundo da panela. Adicione o restante do caldo à medida que precisar. Quando estiver bem ao dente, junte 1/3 da linguiça picada, a cenoura, o brócolis e parte da carne da suã. No momento de servir, junte o queijo canastra, a salsinha e retifique o tempero. O arroz deve ficar bem suculento e sem liga. Finalizar com fio de azeite. Coloque no centro do prato o arroz, a mostarda refogada no centro e as lâminas de linguiça por cima. Caso queira um arroz mais suculento sirva em prato fundo.

http://receitas.ig.com.br/arroz-caldoso-com-linguica-mineira-risoto/4e7a97e3d81ed21c22000017.html

RECEITA: Arroz de forno com presunto cozido, espinafre e mussarela.

Por Fabiana Badra, foodstylist
60 minutos
Porções: 4
Texto:

INGREDIENTES


300 g de espinafre congelado, picado e espremido


2 ½ xícaras (chá) de arroz branco cozido


2/3 de xícara (chá) de leite


2 ovos


1 xícara (chá) de mussarela ralada grossa


1 colher (sopa) de azeite


1 cebola picada


2 dentes de alho


150 g de presunto cozido fatiado fino, rasgado com as mãos


Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

MODO DE PREPARO

Preaqueça o forno a 180°C (moderado). Em uma tigela grande, misture o espinafre, o arroz, o leite, os ovos, ¾ de xícara da mussarela, sal e pimenta. Reserve. Em uma frigideira, aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho, mexendo com uma espátula até que comecem a dourar. Junte o presunto e cozinhe por 2 minutos. Retire do fogo e misture ao espinafre. 
Coloque o arroz em uma tigela refratária média e polvilhe a mussarela restante sobre a superfície. Leve ao forno por 25 a 30 minutos ou até a mussarela derreter e o arroz começar a dourar. Retire do forno e sirva quente.

http://receitas.ig.com.br/arroz-de-forno-com-presunto-cozido-espinafre-e-mussarela/4e790bc7cc8455c1a2e97afa.html

RECEITA: Arroz de forno light com peito de peru.

Por Maria Luiza Ctenas, nutricionista
45 minutos
Porções: 4
Texto:

INGREDIENTES


½ xícara (chá) de ervas frescas (salsinha, cebolinha-verde, hortelã) picadas


100 g de peito defumado de peru em cubos pequenos


1 xícara (chá) de seleta de legumes em conserva


½ xícara (chá) de cream cheese light


½ xícara (chá) de leite desnatado


2 colheres (chá) de sal


1 colher (chá) de pimenta-do-reino moída


1 colher (sopa) de margarina light 


2 xícaras (chá) de arroz polido cozido 



Para acompanhar: salada de folhas


MODO DE PREPARO

Misture em uma tigela as ervas com o peito de peru, a seleta de legumes, o cream cheese, o leite, o sal e a pimenta-do-reino. Misture até ficar homogêneo. 
Com a margarina unte uma assadeira (22 cm de diâmetro), espalhe 1 xícara (chá) de arroz e distribua um pouco do creme de ervas. Cubra com a outra metade do arroz e disponha o creme de ervas restante. Leve ao forno preaquecido em temperatura média (180°C) por 35 minutos. Retire do forno e sirva com salada de folhas.

http://receitas.ig.com.br/arroz-de-forno-light-com-peito-de-peru/4e790bc7cc8455c1a2e97ae1.html

RECEITA: Arroz integral com salteado de abóbora light.

Por Maria Luiza Ctenas, nutricionista
25 minutos
Porções: 4
Texto:

INGREDIENTES


1 xícara (chá) de arroz integral lavado e escorrido


2 talos de salsão cortado em rodelas


2 colheres (chá) de sal


2 colheres (sopa) de azeite de oliva


350 g abóbora-moranga descascada e picada


2 colheres (sopa) de ervas frescas (salsinha, endro, manjericão) picadas


1 colher (sopa) de sementes de linhaça 


Para decorar: alga nori frita


MODO DE PREPARO

Coloque o arroz em uma panela de pressão e cubra com água. Tampe e cozinhe por 20 minutos ou até o arroz ficar macio. Retire do fogo, tire a pressão da panela, abra. Junte o salsão e 1 colher (chá) de sal. Volte ao fogo (sem tampar a panela) e cozinhe por 5 minutos. Retire do fogo, despeje em uma peneira e deixe escorrer. 
Em uma frigideira coloque o azeite de oliva e a abóbora. Leve ao fogo e refogue, salteando de vez em quando, por 10 minutos ou até a abóbora ficar macia (durante o cozimento adicione ½ xícara (chá) de água. Incorpore as ervas e o sal restante. Retire do fogo. Sirva o arroz com o salteado de abóbora. Polvilhe as sementes de linhaça e decore com alga nori frita.

http://receitas.ig.com.br/arroz-integral-com-salteado-de-abobora-light/4e790bc7cc8455c1a2e97ad2.html

RECEITA: Penne alla Toscana

Por José Meirelles, do restaurante Zucco (SP)
40 minutos
Porções: 4
Texto:

INGREDIENTES

4 xícaras (chá) de penne

½ cebola picada

½ xícara (chá) de azeite

2 folhas de louro

1 xícara (chá) de queijo pecorino ralado

1 xícara (chá) de shitake fresco picado

250g de linguiça de lombo fresca

½ xícara (chá) de creme de leite

1 xícara (chá) de parmesão ralado

1 copo americano de caldo de carne

4 colheres (sopa) de vinho branco

Sal e pimenta a gosto 


MODO DE PREPARO

Em uma panela funda com água fervente e sal, cozinhe o penne. Enquanto isso, em uma frigideira, aqueça o azeite doure a cebola. Acrescente o shitake e a lingüiça, adicione uma pitada de sal, pimenta, o vinho, o caldo de carne e deixe cozinhar por 5 minutos. Acrescente o creme de leite e o parmesão ralado. Continue cozinhando por mais 5 minutos e, logo após, adicione o penne. Sirva em um prato fundo. Rale um pouco do queijo pecorino e decore com uma folha de louro.

http://receitas.ig.com.br/penne-alla-toscana/536ce5f34fa531765e00000c.html

você é consumista, controlada ou investidora? Descubra se você sofre de compras por impulso, se suas finanças estão sob controle ou se você está mergulhada em dívidas.

De quantas bolsas precisa uma mulher? Seu armário está abarrotado com botas de todas as cores, ou aquele par clássico de couro já é suficiente? Acessórios, maquiagem e cosméticos não podem faltar? Afinal, você sabe responder se tudo isso é gasto ou investimento?
Reprodução
Christina Aguilera exibe seus 350 pares de sapatos

O consumismo feminino – motivo de alívio para algumas, e angústia para outras –, tem ligação direta com o descontrole das finanças. Longe de condená-lo moralmente, seu maior risco é levar a mulher a dívidas fora de controle. 


A cantora Christina Aguilera está na lista das consumistas assumidas: recentemente, ela exibiu sem culpa sua coleção de sapatos que ultrapassa 350 pares, incluindo as marcas Prada e Louboutin. Mas com a fortuna da artista, é provável que ela possa se dar a esse luxo sem lesar seu patrimônio.

Não que ganhar bem impeça a mulher de perder as rédeas de sua vida financeira. Uma madame com renda mensal de R$ 50 mil pode ser mais pobre que uma doméstica com salário de R$ 1 mil por mês, se seus gastos estiveram acima dos ganhos.

Para saber se você tem domínio sobre a saúde do seu bolso, o educador financeiro da Dsop Educação Financeira, Reinaldo Domingos, desenvolveu um teste para o público feminino. Responda às perguntas e veja em qual categoria você se encaixa.

http://economia.ig.com.br/2013-06-10/gastos-com-beleza-devem-chegar-aos-r-539-bilhoes-em-2013.html

10 dicas para valorizar seu imóvel. Na hora de vender, pequenas providências podem fazer o bem valer em torno de 20% mais; veja quais são:

Por Taís Laporta - iG 
Imagine-se no lugar de uma pessoa interessada em comprar uma casa. Você visita o imóvel mas, quando chega lá, encontra paredes manchadas, pisos rangendo e um cheiro desagradável de mofo. Você pagaria os R$ 400 mil que o vendedor pediu?


Certamente, você vai chorar um belo desconto por todos os aspectos ruins que encontrou (já que precisará fazer uma reforma), ou logo desistirá do negócio.

Agora imagine a mesma casa toda reformada, limpa e agradável – mas neste caso o vendedor pede R$ 500 mil por ela. Talvez, com a boa impressão do lugar, você nem se incomode com o preço.

Veja 10 dicas para melhorar o valor de seu imóvel antes de vender:

Contrate um home staging: profissional repagina a decoração para agradar o comprador. Foto: Rossi

“Todos os sentidos do comprador ficam muito aguçados ao avaliar um imóvel. Já tive cliente que nem quis entrar no local quando percebeu que o bem estava muito sujo”, conta a diretora da imobiliária Lello Imóveis, Roseli Hernandes.

MAIS

Investir em melhorias é sempre uma forma de aumentar o interesse de potenciais compradores. Mas é mito achar que, quando investe R$ 100 mil em uma reforma, o proprietário terá uma valorização exatamente nessa proporção ou até maior.Getty Images
Rachaduras ou fissuras nas paredes dão impressão de abandono e descuido

“Isso não é regra. Pode até acontecer, mas é preciso estar ciente de que o retorno pelo investimento é muito relativo”, afirma Eduardo Aroeira Almeida, vice-presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF).

Roseli exemplifica. “Já vi apartamentos passarem a valer 20% a mais após um projeto de modernização e inclusão de sacadas. Mas também acontece de o proprietário colocar um piso super caro e o comprador não perceber a diferença”.

No mercado, há pessoas que vivem de comprar imóveis em mau estado. Repaginam o bem e vendem por 15% ou 20% a mais. E nem sempre o investimento com reforma é tão alto como se pensa. Detalhes triviais, como pintura, podem fazer a diferença para convencer o interessado a comprar.

Mas valorizar um imóvel vai além das medidas de manutenção e reforma. Há também cuidados essenciais com limpeza e documentação que facilitam um bom negócio.

Confira abaixo 10 sugestões para que seu imóvel ganhe valor na hora de vender:

1. Contrate um profissional de home staging – Popularizada nos Estados Unidos, a prática consiste em contratar um arquiteto ou designer de interiores para adequar a decoração ao gosto de potenciais compradores. É como fazer uma maquiagem ou encenação (como diz o próprio nome em inglês, staging). Dados da Real Estate Staging Association mostraram que a velocidade da venda é até 78% maior com a técnica. “É importante descaracterizar o imóvel para que surjam interessados de todas as crenças, culturas e até time do coração”, diz Roseli, da Lello. Ela dá exemplos: uma casa cheia de emblemas e bandeiras do Corinthians pode não agradar um comprador palmeirense, assim como símbolos católicos podem incomodar um seguidor do judaísmo. A ideia é criar um ambiente neutro para que qualquer pessoa se interesse por ele.

2. Faça a manutenção preventiva e constante – Pisos quebrados, pia rachada, vazamentos, problemas elétricos e hidráulicos. Todo tipo de defeito que não foi resolvido pesa na decisão de compra do imóvel. “Manter a boa aparência do lugar ajuda a vender. Com olhar clínico, o comprador verá que não precisará ter grandes gastos para morar ali”, diz a executiva da Lello. Pequenas manchas na parede e no teto podem ser suficientes para que o visitante perca o interesse. A manutenção preventiva é a forma mais barata de não deixar o imóvel desvalorizar, sugere Aroeira, da Ademi-DF. “Assim como o automóvel, imóveis também necessitam de revisão constante para manter a durabilidade”, diz.

3. Prefira cores claras e neutras na pintura – Um imóvel pintado com tons escuros ou cores muito chamativas pode desagradar boa parte das pessoas. Uma parede em tom abóbora, por exemplo, pode ser amada ou odiada. ”Sugerimos um imóvel pintado com cores claras, como branco e tons pastel, que clareiam o ambiente, dão aspecto de vida e luminosidade”, diz Roseli. A recomendação é evitar escolhas muito personalistas, como estampas exageradas. “A chance de agradar mais pessoas com cores sóbrias é maior”, completa Aroeira.

4. Nunca descuide da fachada – Mesmo que o interior da casa esteja impecável, não se pode esquecer que a área externa é a primeira impressão do visitante. “Muros pichados, por exemplo, dão a imagem de que a região do imóvel é muito insegura, mesmo que isso não seja verdade”, comenta a diretora da Lello. Uma fachada bem pintada ou com bom acabamento modifica a identidade visual do imóvel sem exigir um investimento muito caro.

5. Mantenha o imóvel limpo e organizado – Todos os sentidos do comprador estão aguçados quando ele avalia o local: visão, olfato, audição e até tato. O apartamento pode estar lindo visualmente, mas ter cheiro de xixi de cachorro que certamente não vai agradar o visitante, além de demonstrar falta de higiene. Poeira em excesso também causa uma impressão negativa. “É preciso preparar o imóvel para a visita do comprador, deixar tudo limpinho e arrumado para que o ambiente esteja agradável”, orienta Roseli.

6. Móveis planejados valorizam, mas nem sempre – De acordo com Aroeira, da Ademi-DF, armários embutidos passam uma imagem sofisticada do ambiente, mas é preciso ter cuidado no seu planejamento. “Se for um projeto muito personalizado, existe o risco de a pessoa não gostar daquilo”, acredita o especialista.

7. Não deixe seu jardim virar matagal – O que antes era um jardim florido e hoje é um depósito de lixo dá a impressão de descuido e abandono, o que, para alguém interessado em morar, pode ser decisivo para desistir da compra. “Pode parecer algo banal, mas isso impacta na percepção do valor e no desejo de compra do imóvel, que é emocional”, diz a executiva da Lello. Um matagal crescido demais pode diminuir o gosto pelo imóvel. O mesmo vale para a conservação do quintal, que costuma exigir mais manutenção que a parte interna, por estar mais exposto.

8. Deixe a documentação em dia para acelerar o negócio – Muita gente pensa que qualquer contrato de gaveta já vale como a documentação de um imóvel. Na verdade, o único documento válido é a escritura, que deve estar em seu nome. Se o imóvel não estiver regularizado, a venda pode gerar muita dor de cabeça. “Se a planta não foi aprovada, não é possível fazer financiamento imobiliário. Imóveis com puxadinhos também geram problemas se estiverem irregulares”, lembra Roseli.

9. Piscina e churrasqueira nem sempre valorizam – Muita gente pensa que cavar um buraco no quintal para colocar uma piscina vai simplesmente disparar o valor do imóvel. Nem sempre isso é verdade, na visão de Aroeira. “Depende do perfil e da região onde ele se encontra”, diz. Piscina pode não ser um atrativo tão grande em regiões mais frias, ou a manutenção que ela exige pode até gerar desinteresse do comprador. O mesmo vale para a churrasqueira.

10. Deixe as contas do imóvel em dia – Obrigações financeiras não cumpridas também prejudicam a venda do imóvel. Certamente o potencial comprador terá mais interesse se o condomínio estiver pago em dia, assim como IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano ) e taxas, segundo Roseli. “Tem proprietário que nunca pagou certas taxas e nem sabe que tem situação pendente. Por isso, é importante consultar se o imóvel não tem dívidas junto ao Estado ou à Prefeitura”, diz. Procurar uma imobiliária de confiança é uma forma de resolver estas questões, sugere a especialista.

http://economia.ig.com.br/financas/casapropria/2014-05-31/10-dicas-para-valorizar-seu-imovel.html

7 casos que dispensam pagar IR pelo lucro com venda de imóveis.

Por Taís Laporta - iG São Paulo
Bens vendidos por menos de R$ 400 mil ou adquiridos antes de 1969 estão na lista de isenção por ganho de capital; confira
Getty Images
Valor do bem não pode ser atualizado

É possível se livrar do Imposto de Renda (IR) sobre o ganho de capital com um imóvel? Em alguns casos, sim. Situações específicas permitem pagar menos ou até ficar 100% livre do tributo sobre o lucro obtido nessas transações.

É importante lembrar que o valor de compra de um imóvel – não importando há quanto tempo ele tenha sido adquirido –, não deve ser atualizado pelo que vale atualmente, de acordo com as regras da Receita Federal.



MAIS IR 2014

Dessa forma, ao vender o bem, o contribuinte precisa declarar o valor obtido na venda, que descontará a diferença sobre o preço de compra do imóvel, a fim de calcular qual foi o ganho de capital. Sobre este valor, vai incidir a alíquota fixa de 15% para pessoas físicas.

O consultor tributário Richard Domingos, da Confirp Consultoria Contábil, enumera os casos que permitem ficar livre ou reduzir o imposto sobre o ganho de capital de imóveis:

1. Reforma da casa própria: qualquer melhoria na estrutura do imóvel, tratando-se de reforma e construção, permite aumentar o valor do imóvel na declaração. Isso favorece pagar menos imposto, já que o ganho de capital será considerado menor na venda do bem, que foi valorizado pela benfeitoria. Se a valorização for muito grande, pode haver isenção do imposto.

2. Desapropriação de terra para reforma agrária: a indenização recebida para este fim sobre um imóvel rural (terra nua) é considerada receita de atividade rural, quando abatida como despesa pública, não pode ser tributada como ganho de capital na declaração à Receita.

3. Imóvel comprado antes de 1969: o lucro obtido na venda de bens adquiridos antes desta data dispensa qualquer pagamento do Imposto de Renda por ganho de capital, cuja alíquota é de 15%.

4. Imóvel adquirido entre 1969 e 1988: quem vender bens comprados nesta época pagará menos imposto sobre o ganho de capital, de forma progressiva. A redução é de 100% para o ano mais antigo, até chegar a 5% no imóvel de 1988. A cada ano, a partir de 1969, a redução do imposto é de 5%.

5. Variação cambial: se ela for resultante da venda de imóveis adquiridos com rendimentos originariamente em moeda estrangeira. Somente é isenta a variação cambial, sendo tributável o ganho obtido em moeda estrangeira.

6. Venda de único bem de até R$ 400 mil: fica isento o imóvel de qualquer tipo, de posse individual em condomínio ou em comunhão, localizado em zona urbana ou rural, desde que não tenha feito, nos últimos cinco anos, outra venda de imóvel, tributada ou não. O limite de R$ 400 mil não considera a parte de cada condômino ou coproprietário, nem a posse em comunhão com o cônjuge, a menos que esteja em contrato.

7. Compra de outro imóvel em 180 dias: A partir de 16 de junho de 2005, o ganho na venda de imóveis residenciais fica isento se outro for comprado no prazo de seis meses a partir da celebração do contrato. A opção pela isenção deste item deve ser informada no Demonstrativo da Apuração dos Ganhos de Capital. O benefício vale a cada cinco anos.

http://economia.ig.com.br/financas/impostoderenda/2014-04-01/7-casos-que-dispensam-pagar-ir-pelo-lucro-com-venda-de-imoveis.html

Brasileiros evitam pagar as contas pela internet por medo de fraudes.

Por Taís Laporta - iG São Paulo 
No Brasil, apenas 4 em cada 10 transações bancárias foram feitas pela internet; consumidores abrem mão da comodidade online por julgar o sistema dos bancos inseguro
“Não confio em transações bancárias pela internet”. Apreensivo, Thiago Rodrigues, de 25 anos, prefere pagar seus compromissos em caixas eletrônicos ou enfrentar longas filas no banco. Ele desativou o acesso online a todas suas contas e, quando precisa visualizar os extratos, vai pessoalmente a uma agência.


“Meu pai teve um valor retirado de sua conta e não conseguiu recuperar. Depois descobrimos que ele usou um computador que havia sido hackeado”, recorda. Thiago só voltaria a acessar o banco pela internet em último caso: "Talvez se as agências físicas ou os caixas eletrônicos forem extintos", brinca.
Thinkstock/Getty Images
72% dos consultados pelo iG evitam acessar os bancos pela web por considerar o ambiente inseguro

Um levantamento do iG com 108 internautas que não pagam as contas pela internet constatou que 72% evitam o acesso online por acreditar ser um ambiente inseguro. Outros 10% responderam que não sabem utilizar o sistema – e 12% justificam que preferem ir ao banco pessoalmente.

MAIS

“Adoro ficar na fila. Sempre conheço pessoas interessantes”, justificou uma internauta consultada pela pesquisa. Uma minoria de 4,6% citou outros motivos para evitar o internet banking, como preguiça ou falta de dinheiro.

A psicóloga Luciana Kotaka, de 44 anos, se incomoda em enfrentar longas filas para fazer pagamentos, mas ainda assim prefere os meios convencionais. “Não sinto segurança, meu computador já foi invadido diversas vezes, mesmo utilizando bons antivírus”.


Para Luciana, um sistema mais seguro e fácil de utilizar a faria repensar o uso do internet banking. “Agilizaria muito meu tempo e traria mais comodidade no dia a dia”.

Receio é infundado, dizem especialistas

Na opinião do especialista em direito digital do escritório Patricia Peck Pinheiros Advogados, Márcio Mello Chaves, o receio das pessoas em acessar o banco pela internet não tem mais tanto fundamento quando se fala do nível de segurança destes sistemas.

“Os portais de internet banking estão de acordo com melhores práticas de segurança digital, como a dupla autenticação, teclados virtuais e a transmissão criptografada de dados”, argumenta.

O avanço da tecnologia bancária, segundo Chaves, fez com que os criminosos deixassem de focar os bancos para mirar os correntistas. Depois que as instituições financeiras começaram a vencer os fraudadores, diz o advogado, o perigo migrou para o usuário.


Quando os bancos começaram a investir em tecnologias de segurança para vencer os criminosos, o consumidor passou a ser vítima de seu próprio desleixo, acredita Chaves. “Ele deve estar atento e adotar medidas mínimas de segurança na rede”.

O delegado da Polícia Civil e especialista em crimes cibernéticos, Emerson Wendt, atribui a resistência ao internet banking a uma cultura do medo que tem se generalizado. “Notícias de ameaças, vulnerabilidades e relatórios das empresas de antivírus geram essa insegurança na web”, analisa.

Apesar da resistência, adesão ao internet banking cresce 

Embora a rejeição ao sistema seja considerável, a adesão ao serviço online cresce todo ano a uma taxa de dois dígitos desde 2009, de acordo com a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos). No fim de 2013, 40% das contas correntes do País estavam habilitadas para acessar o canal – um aumento de 13% ante 2012.
Thinkstock/Getty Images
41% das transações bancárias em 2013 foram feitas pela internet

Ainda segundo a Febraban, pelo menos 41% de todas as transações bancárias no ano passado foram feitas pela internet. Foi o canal mais representativo – e quase o dobro (23%) das transações em caixas eletrônicos. Para dar apoio a esse crescimento, os bancos investiram R$ 20,6 bilhões na segurança de seus sistemas.


O internauta Alexandre Souza, por exemplo, não coloca mais os pés em bancos ou casas lotérias “Se está cheio de vírus na internet, que se dane, pois você paga para seu dinheiro ficar seguro. Além disso, você vai economizar um baita tempo”, diz.

Para o especialista em crimes digitais Felipe Brumatti Sentelhas, também do escritório Patrícia Peck, o perigo não está nos portais de internet banking. O problema está fora do ambiente do banco, como o computador do usuário, vítima de phishing (emails e sites maliciosos que enganam usuários) e malwares (aplicativos que capturam dados pessoais).

Uma pesquisa do laboratório da Eset América Latina divulgada em julho identificou que os trojans (vírus) bancários são a forma de ataque preferida dos criminosos brasileiros, bem acima da média mundial. A família de códigos Win32/TrojanDownloader.Banload é a que mais afeta os brasileiros.

Uma das formas de identificar o golpe, segundo o Eset, é verificar o endereço original do hiperlink enviado por email antes de acessá-lo. Caso ele não corresponda ao remetente, não se deve clicar.

Renda e escolaridade influenciam acesso

Quanto maior a renda do brasileiro, maior o acesso a serviços financeiros online, mostrou uma pesquisa do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), feita entre setembro de 2013 e fevereiro de 2014.

Enquanto apenas 8% das pessoas que recebem um salário mínimo por mês (R$ 724) pagam as contas pela rede, mais da metade (55%) dos que recebem acima de 10 salários mínimos (R$ 7.240) acessam o internet banking.
Thinkstock/Getty Images
Trojans bancários são a forma preferida de ataque dos criminosos no Brasil, mostra pesquisa

O grau de escolaridade também está ligado a esse acesso. Enquanto apenas 6% dos que estudaram até o ensino fundamental utilizam os serviços bancários online, a proporção de pessoas com ensino superior que pagam as contas pela rede chega a 50%.

Para Chaves, do Patrícia Peck Advogados, o principal empecilho ao acesso virtual dos bancos é a própria postura das pessoas. Isso inclui atitudes com a segurança de computadores e celulares e informações compartilhadas nas redes sociais.

“Apesar de os sistemas bancários operarem dentro das regras de segurança, eles ficam limitados ao comportamento de seus correntistas”, diz. Como solução, ele sugere que o usuário cuide de seus equipamentos, mantenha sistemas, antivírus e firewalls atualizados, e confira a veracidade de possíveis tentativas de phishing, aplicativos e sites antes de clicar em qualquer link.

http://economia.ig.com.br/financas/meubolso/2014-08-05/brasileiros-evitam-pagar-as-contas-pela-internet-por-medo-de-fraudes.html